SC

16 jul09:26

Semana deve ter temperaturas negativas e chuva em SC

A semana começa com tempo firme em todas as regiões de Santa Catarina e sob a atuação de uma massa de ar frio e seco. Mas a previsão é de que haja uma desestabilização ao longo da semana, com possibilidade de chuva, ressaca e temperaturas ainda mais baixas.

A influência da massa de ar frio e seco nesta segunda-feira causou temperaturas mais baixas em todo o Estado. No amanhecer, a mínima chegou a -3,2ºC em Urupema e -2,8ºC em Bom Jardim da Serra.

As primeiras horas desta segunda-feira também foram de temperaturas baixas em todas as regiões. Confira as mínimas, segundo a Epagri/Ciram:

Urupema: -3,2ºC

Bom Jardim da Serra: -2,8ºC

São Joaquim: 0ºC

Painel: 0,2ºC

Rancho Queimado: 1,6ºC

Timbé do Sul: 2,5ºC

Campos Novos: 3,1ºC

Tangará: 3,8ºC

Água Doce: 4,2ºC

Papanduva: 4,6ºC

Major Vieira: 6ºC

Lontras: 5,3ºC


>> Confira mais detalhes no Blog do meteorologista Leandro Puchalski

Ao longo do dia, a máxima não deve ultrapassar os 18ºC no Oeste e Extremo-Oeste e dos 10ºC na Serra. Na Grande Florianópolis, a previsão é que os termômetros marquem, no máximo, 17ºC.

O órgão que monitora as condições climáticas aponta que a quantidade de nuvens deve aumentar no Centro-Norte do Estado com possibilidade pequena de chuva à noite.

Os ventos que sopram de sul a sudeste no Litoral podem chegar a 60 Km/h no Sul do Estado. Nas demais regiões, a direção do vento é sudeste a nordeste com previsão de máxima de 45 Km/h.

A partir de terça-feira, o tempo muda em SC. O tempo começa a ficar mais instável e deve haver mais nuvens. Há possibilidade de chuva e trovoadas no decorrer do dia, especialmente da Serra ao Litoral. No Oeste do Estado o tempo permanece mais estável e com temperaturas semelhantes às desta segunda-feira.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
15 jul20:54

Mortos por Gripe A em SC tiveram tratamento tardio

Gabrielle Bittelbrun | gabrielle.bittelbrun@diario.com.br

Informações preliminares do inquérito realizado pelo Ministério da Saúde e pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) de Santa Catarina apontam que, entre 28 vítimas de gripe A no Estado, metade teve tratamento tardio. O resultado faz parte da pesquisa, iniciada em 18 de junho, que pretende fornecer um perfil dos primeiros mortos pela gripe A neste ano e detalhar as condições de tratamento. SC lidera o ranking de mortes pela doença no país. Dos 148 registros do Ministério da Saúde até o último dia 10, 52 mortes foram no Estado.

O levantamento em parceria com o Ministério da Saúde sinalizou que 50% dos pacientes em questão tomaram o antiviral oseltamivir mais de cinco dias após o início dos sintomas. O acesso rápido ao remédio conhecido comercialmente pelo nome Tamiflu pode evitar agravamento dos casos e a ocorrência de mortes.

O diretor da Dive, Fábio Gaudenzi de Faria, atribui o tratamento tardio a dois fatores: à demora na busca por atendimento pelos pacientes e à não-prescrição de medicamento pelos profissionais da saúde.

— Ou essas pessoas não chegaram ao tratamento em tempo hábil, por acharem que não era grave, ou já tinham sido avaliadas e quem as atendeu não prescreveu medicação por achar que não fosse necessário — destacou Fábio.

O diretor da Dive reforça que, desde maio há o alerta às equipes de saúde, por meio de conferências e encontros, para que esses profissionais estejam atentos e apliquem o tratamento adequado.

Mesmo assim, ainda há dificuldades em colocar essas orientações em prática. Faria ressalta que a falsa crença de que a gripe não é uma doença de gravidade também faz com que as pessoas não tomem as precauções necessárias.

Na última sexta-feira, o diretor do Departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis, do Ministério da Saúde, Cláudio Maierovitch, também admitiu as deficiências de tratamento.

— A análise dos dados confirma que não há mudança no padrão de ocorrência da gripe. Se antes tínhamos indícios, agora temos informações concretas de que o tratamento, no momento adequado, ainda não está sendo adotado em todos os serviços — afirmou.

Os órgãos de saúde esperam que a conclusão dos dados do inquérito, que deve ser feita em cerca de 25 dias, deva facilitar as medidas de combate à H1N1.

Até aqui, a análise apontou ainda que, entre os mortos pela enfermidade, 85% tinham doenças crônicas, como obesidades e diabetes, e não foram vacinados. As principais doenças identificadas foram cardiopatias, pneumopatias, obesidade e diabetes, principalmente entre homens de 40 a 59 anos de idade.


Imunização e prevenção continua


Apesar da Dive estimar o fim da fase mais crítica da doença, são mantidos os alertas de higiene:

— Os cuidados de higienização devem ser feitos sempre. Isso é uma realidade para se combater não só o H1N1 mas como outras doenças — afirma Fábio.



Comente aqui
13 jul08:59

Mínimas chegam a -3,3ºC na Serra; é a menor temperatura desde o início do inverno

Danilo Duarte | danilo.duarte@diario.com.br

A massa de ar frio sobre Santa Catarina fez as temperaturas despencarem em Santa Catarina na madrugada desta sexta-feira. A temperatura chegou a -3,3ºC no Morro da Igreja, em Bom Jardim da Serra. De acordo com a Epagri/Ciram, é a mais deste inverno.

A madrugada também foi de frio intenso em outras cidades catarinenses. Entre 5h e 6h, Caçador registrou -1,2ºC, São Joaquim chegou a -1ºC e em Painel os termômetros maracaram a -0,8ºC.

Em Florianópolis, a mínima foi de 5,6ºC neste mesmo intervalo de tempo. A temperatura máxima ao amanhecer em Santa Catarina foi de 12ºC, registrada em Criciúma.

>>  Confira mais detalhes no Blog do meteorologista Leandro Puchalski

Apesar de ser a temperatura mais baixa do inverno neste ano, os -3,3ºC registrados no alto do Morro da Igreja ainda não são a menor temperatura registrada em SC desde janeiro. Este título pertence ao dia 8 de junho, quando os termômetros chegaram a -9,2ºC, também em Bom Jardim da Serra.

Para esta sexta, a previsão é que a temperatura continue muito baixa. As máximas não devem passar de 17ºC no Litoral Norte e na Grande Florianópolis. Na Serra, onde são registradas as temperaturas mais baixas, os termômetros não devem ultrapassar os 10ºC.

A explicação para as baixas temperaturas é que a presença da massa de ar frio impede a formação de uma camada de nuvens, o que manteria o calor próximo do solo. Mesmo com sol ao longo da sexta-feira, a influência dos raios solares se dissipa pela falta desta camada.

Nesta sexta os ventos, que sopram do oeste a sudoeste, podem chegar a 60 Km/h na Serra e no Litoral Sul do Estado. Nas demais regiões, a velocidade pode variar entre 40 Km/h e 50 km/h.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
13 jul08:01

ACCS espera avanço nas medidas de apoio à suinocultura

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

As medidas anunciadas ontem pelo Governo Federal para auxiliar a suinocultura foram consideradas insuficientes pelo presidente da Associação Catarinense dos Criadores de Suínos (ACCS), Losivânio Di Lorenzi.

– Foi um pouco frustrante, esperamos avanço nas medidas até quarta-feira que vem – afirmou o presidente da ACCS.

Moacir Mattielo, produtor de Seara, abandonou a suinocultura e vai transformar o chiqueiro numa estufa para plantar tomates.

Ele considera que a renegociação das dívidas não resolve a situação. –Queremos subsídio de 40 centavos por quilo na venda- argumentou.

A categoria também quer retirar o limite de R$ 1,2 milhão para manutenção das matrizes reprodutoras. Temos integradores com 30 mil matrizes, que necessitariam de R$ 15 milhões, afirmou, tendo como base de cálculo de R$ 500 por animal.

Na próxima quarta-feira será realizada uma nova audiência no Ministério da Agricultura. Lorenzi destacou como positiva a participação política de Santa Catarina, que contou com os três senadores, deputados federais, deputados estaduais e o secretário de Agricultura, João Rodrigues.

Lorenzi comemorou também a decisão do governo do estado de isentar por 30 dias o ICMS para a venda interestadual de carne suína.

Em Santa Catarina estima-se que 240 produtores já abandonaram a atividade só em 2012, em virtude da crise.


Comente aqui
12 jul09:39

Ar polar derruba as temperaturas na Serra e agita o mar

Aline Rebequi | aline.rebequi@diario.com.br

Um dia de muito frio, de vento e de cuidados em alto mar. Assim deve ser a quinta-feira se as previsões meteorológicas se confirmarem. O dia amanhece com possibilidade de neve na Serra, se os flocos não caírem, outros fenômenos podem aparecer como a chuva congelada (gotas d’águas resfriadas que chegam até o solo em pequenas bolas de gelo parecido com granizo) e o sincelo (nevoeiro forte que devido ao frio pode congelar ao tocar a superfície). No Litoral, não faz tanto frio, mas o mar estará agitado.

>> Confira mais detalhes no Blog do Puchalski

O que muda o cenário em Santa Catarina é a entrada de uma forte massa de ar polar que vem chegando aos poucos desde quarta-feira e nesta quinta deve derrubar as temperaturas. Na Serra a mínima prevista é de 0ºC, mas nos pontos mais altos a sensação térmica será de -7ºC. Segundo o meteorologista Leandro Puchalski, o frio vem acompanhado de uma chuva fraca em todo o Estado. E é justamente essa combinação que pode gerar, neve, chuva congelada ou sincelo, uma paisagem bonita e gelada.

Quem está no Litoral não verá neve, mas as atenções se voltam para o mar. O predomínio do vento sul com rajadas de 50 a 70km/h causará uma forte agitação marítima com picos de onda de 2,5 a 3,5 metros, deixando a navegação de pequena e médias embarcações em estado de atenção. As temperaturas mínimas tanto na Capital, como no Litoral Norte, ficarão entre 10ºC e 13ºC.

Entre sexta-feira e sábado, o tempo melhora com presença de sol entre nuvens, mas o frio persiste com previsão de geada nas madrugadas e manhã do Oeste a Serra. A tendência é que até a última semana de julho as entradas de massas de ar seco e frio possam manter os dias com presença de sol e temperaturas baixas. Até lá, não há previsão de chuva significativa no Estado.


Confira as temperaturas nesta quinta-feira

Extremo-oeste: 13ºC/5ºC

Oeste: 12ºC/5ºC

Meio-oeste: 11ºC/2ºC

Planalto Norte: 15ºC/2ºC

Grande Florianópolis: 19ºC/13ºC

Litoral Sul: 15ºC/4ºC

Serra: 10ºC/1ºC

Vale do Itajaí: 18ºC/10ºC

Litoral Norte: 20ºC/10ºC


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
12 jul07:51

Justiça do Trabalho julga nesta quinta o dissídio de greve dos transportadores de valores

A greve dos transportadores de valores está próxima de um final. A Justiça do trabalho marcou para esta quinta-feira o julgamento do dissídio coletivo.

Na quarta-feira, dia 11, a desembargadora do TRT-SC Viviane Colucci, relatora do dissídio coletivo que trata da greve no setor de guarda e transporte de valores em Santa Catarina, decidiu não estabelecer uma frota mínima de carros-forte em circulação.

Ela rejeitou o pedido de liminar feito pelas empresas do setor, que solicitavam a manutenção de 50% dos veículos e do pessoal para a execução do trabalho durante a greve e confirmou a legalidade da paralisação.

A desembargadora disse que, ao contrário do que alegavam as empresas, é que a guarda e o transporte de valores não se enquadram como atividades essenciais. Um segundo argumento utilizado pela magistrada para não conceder a liminar diz respeito à própria natureza dos pedidos urgentes.

As decisões liminares, segundo ela, só devem ser concedidas quando o fato puder causar dano irreparável ou de difícil reparação. Com a impossibilidade do acordo, está confirmado para quinta-feira, às 13h30min, o julgamento do dissídio pela Seção Especializada 1 do Tribunal, que reúne oito desembargadores.


DIÁRIO CATARINENSE

Comente aqui
11 jul15:23

Ciclo de circulação do vírus da gripe A pode estar no final, em Santa Catarina

Santa Catarina pode estar vivenciando as semanas finais do período de circulação do vírus da gripe A, que costuma ser de seis semanas. A estimativa, baseada em dados coletados em anos anteriores, é de que o Estado estaria entre a quinta e a sexta semana.

Para o diretor da Vigilância Epidemiológica do Estado (Dive), Fábio Gaudenzi de Faria, as características do inverno neste ano _ que teve períodos de calor entremeando dias frios _ dificultaram a capacidade de prever o fim da circulação do vírus.

_ Podemos estar no final da curva descendente, mas é uma avaliação muito preliminar. As mudanças de temperatura proporcionam uma diminuição da circulação do vírus, mas podem deixar o pico menos alto e mais prolongado _ explica o diretor.

Para ele, independente da circulação do vírus estar no final ou não, as medidas de prevenção e as formas de contágio são sempre as mesmas, e é importante que a população não deixe os cuidados de lado:

_ O que faz a redução drástica e imediata do vírus é a higiene da tosse e do espirro e o hábito de lavar as mãos.

Até o momento, segundo o último relatório da Dive, foram confirmados 600 casos de contaminação por H1N1 em todo o Estado e 47 óbitos em decorrência da doença. Em Blumenau, foram registrados 64 casos positivos e 10 óbitos.

Segundo a Vigilância Epidemiológica de Blumenau, no momento, há 20 pessoas internadas, sendo três em UTI, e 18 pessoas aguardando resultados de exames feitos Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen).


JORNAL DE SANTA CATARINA



Comente aqui
11 jul09:48

Frente fria se afasta do Estado e tempo volta a ficar estável em SC

Danilo Duarte  | danilo.duarte@diario.com.br

A frente fria que causou desestabilização no tempo entre a segunda e terça-feira em Santa Catarina começa a se afastar do Estado nesta quarta, e a aproximação de uma nova massa de ar frio e seco deixa o tempo estável.

>>  Confira mais detalhes no Blog do Puchalski

A temperatura máxima prevista para esta quarta-feira é de 19ºC no Litoral Norte e 18ºC na Grande Florianópolis. No amanhecer, a mínima chegou a 4,6ºC em São Joaquim e pode alcançar 11ºC ao longo do dia.

O deslocamento da frente fria e a aproximação da massa de ar seco causa ventania e deixa a sensação térmica de mais frio. De acordo com a previsão da Epagri/Ciram, os ventos podem chegar a 60 Km/h na Serra e até 50 Km/h nas demais regiões do Estado.

As temperaturas voltam a ficar mais baixas ao longo da semana por influência da massa de ar frio e seco e nevoeiros voltam a ser registrados devido ao choque térmico. Os próximos dias tendem a ficar típicos de inverno.

DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
10 jul16:12

Nova audiência para dar fim a greve dos transportadores de valores é marcada em SC

A desembargadora do Tribunal Regional do Trabalho-SC, Viviane Colucci, marcou uma nova audiência de conciliação entre os empresários e os empregados do setor de transporte de valores de Santa Catarina para esta terça-feira, às 17h, no Tribunal Regional do Trabalho.

O objetivo é tentar fazer empresários e trabalhadores do setor chegarem a um acordo para por fim à greve que já causa transtornos à população que está com dificuldades em encontrar dinheiro para sacar nos caixas eletrônicos do Estado.

Vão participar da audiência, pelo segmento patronal, as empresas autoras do dissídio, além do Sindicato das Empresas de Segurança Privada, Transportes de Valores e Escolta Armada de Santa Catarina (Sindesp). Os trabalhadores serão representados pelo sindicato da categoria, o Sintravasc. A audiência é aberta ao público em geral.


A NOTÍCIA



Comente aqui
10 jul09:50

Suinocultores entregaram reivindicação em Concórdia

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Representantes da Associação Catarinense dos Criadores de Suínos realizaram na segunda-feira, dia 9 de julho, uma reunião com o secretário de Agricultura do Estado, João Rodrigues, em Concórdia, para discutir a crise da suinocultura. Nesta terça-feira haverá um novo encontro às 10 horas, em Braço do Norte. Entre as reivindicações para o governo do estado estão a isenção do ICMS, aumento do consumo de carne suína nos programas governamentais e construção de silos para depositar milho.

Rodrigues disse que o governo já está atendendo algumas das medidas dos produtores e vai apoiar a categoria na mobilização do dia 12, em Brasília, quando haverá uma audiência com o ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho. Os produtores querem garantia de preço mínimo, renegociação de dívidas, financiamentos novos e subsídio no transporte do milho.

Mais seis municípios decretaram situação de emergência: Bom Jesus, Entre Rios, Faxinal dos Guedes, Ipuaçu, Ouro Verde e Vargeão. Com isso pelo menos 19 cidades já fizeram o decreto


Comente aqui