Série B

03 dez15:07

Chapecoense divulga Plano de Sócios para 2013

Em 2013 a Chapecoense vai participar de duas competições: o Campeonato Catarinense e a Série B do Campeonato Brasileiro. E pensando nisso a diretoria do clube, após reunião, decidiu reajustar os planos de sócios nas modalidades Sócio Empresa e Geral.

Os novos valores começaram a vigorar a partir de dezembro de 2012.


Confira os valores dos Planos para 2013:

Plano Geral

Conselheiros: R$ 120

Cadeiras: R$ 80

Cobertas: R$ 50

Geral: R$ 38

Sênior Cadeiras: R$ 50

Sênior Cobertas: R$ 30

Sênior Geral: R$ 20,00


Plano Empresa

Geral: R$ 30

Cobertas: R$ 40

Cadeiras: R$ 60


Importante: a empresa deverá ter no mínimo 10 colaboradores.


Dúvidas e maiores informações podem ser sanadas na Secretária do Clube ou pelos telefones (49) 3322-1601 e (49) 3324-6688.


Comente aqui
30 nov09:45

Chapecoense mantém setor defensivo

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Vai ser difícil fazer gol na Chapecoense em 2013. O clube renovou com a defesa menos vazada da Série C: o goleiro Nivaldo e os três zagueiros titulares, Fabiano, André Paulino e Rafael Lima. O protetor da defesa, o volante Wanderson, também continua. O sexto titular que permanece é o meia Neném. O clube ainda negocia com outros titulares, o meia Athos, o volante Paulinho Dias e os atacantes Henrique e Rodrigo Gral. Destes a situação mais difícil é do atacante Henrique, que está emprestado do Cianorte-PR.

Outro jogador que atuou várias partidas como titular, o atacante Jô, também interessa, mas necessita renovar o empréstimo com o Cruzeiro-RS. O lateral Gilton foi dispensado, assim como outros jogadores que não vinham sendo aproveitados, como o zagueiro Dema, campeão Catarinense em 2011.

Dos jogadores que a direção interessa só não ficaram o meia-atacante Eliomar, que acertou a ida para o Figueirense, e o zagueiro Leonardo, que vai para o interior paulista.

De acordo com o vice-presidente de futebol do clube, João Carlos Maringá, os dois receberam propostas bem melhores. Ele afirmou que a Chapecoense deve manter a faixa salarial dos R$ 12 mil mensais, apostando em contratos por um ano e a disputa para a Série B.

Claro que alguns jogadores ganham mais. Mas a intenção da Chapecoense é não inflacionar a folha, que foi de R$ 257 mil durante a Série C. Quatro reforços devem ser anunciados nos próximos dias.

A Chapecoense também manteve o departamento de futebol que conquistou o acesso para a série B, com Maringá e os diretores Cadu Gaúcho e Mauro Stumpf. Os três e o presidente Sandro Pallaoro foram aclamados na noite de quarta-feira para mais um mandato de dois anos. Pallaoro disse que os objetivos são chegar entre os quatro melhores no catarinense, manter o time na Série B, implantar escolinhas na região, implantar consulados, aumentar os sócios de cinco mil para oito mil, melhorar os campos e a infraestrutura do Centro de Treinamento da Água Amarela, buscar certificação de formação de atletas e profissionalizar o departamento jurídico.



Comente aqui
24 nov17:20

Diretoria define na segunda destino dos jogadores

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A temporada 2012 terminou para a Chapecoense. Depois de chegar na semifinal do Campeonato Catarinense o Verdão se despede da Série C, também na semifinal. Mesmo com a terceira posição na competição o time conquistou o objetivo: a conquista inédita da vaga para a Série B em 2013.

Na tarde deste sábado os jogadores desembarcaram no Aeroporto Municipal Serafim Enoss Bertaso em Chapecó. Mesmo com o empate em 0 a 0 com o Oeste em Itápolis/SP, o semblante dos jogadores era de dever cumprido.

- Alcançamos o nosso objetivo e agora é pensar em 2013 – disse o presidente do clube, Sandro Pallaoro.

Agora os atletas e comissão técnica têm folga no final de semana e se reapresentam a partir da segunda-feira, dia 26, no clube. E é a partir desta data que o destino dos jogadores será traçado.

- Quem fica, quem sai, será decidido na reunião da diretoria – disse Pallaoro. A reunião está marcada para iniciar as 10h.

- Quem fica, quem sai, será decidido na reunião da diretoria – disse Pallaoro. A reunião está marcada para iniciar as 10h.

Além do técnico Gilmar Dal Pozzo, o zagueiro Fabiano, que tem contrato com o clube, está confirmado na temporada 2013. Os goleiros também devem permanecer na equipe.

- Ainda não temos o número certo de quantos jogadores devem ter o contrato renovado – disse o diretor de futebol, Cadu Gaúcho.

Dos 26 atletas que compõem o grupo, sete são empréstimos e seis estão no Departamento Médico.


Comente aqui
24 nov12:19

Diretoria vai definir futuro dos jogadores da Chapecoense na segunda-feira

Após o empate em 0 a 0 com o Oeste em Itapólis/SP, a Chapecoense se despediu da Série C em 2012, mas com a vaga garantida na Série B de 2013.

Os jogadores chegam em Chapecó por volta das 16h30 deste sábado e se reapresentam na segunda-feira, dia 26.

Também na segunda-feira a diretoria vai definir o futuro dosatletas . De acordo com o diretor de futebol, Mauro Stumpf, será realizada uma reunião para definir sobre as renovações, férias e dispensas dos jogadores.

Até agora a renovação confirmada é do técnico Gilmar Dal Pozzo.

Comente aqui
11 nov08:42

Chapecoense conhece adversário na semifinal

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Neste domingo a Chapecoense vai conhecer seu adversário na semifinal da Série C do Campeonato Brasileiro. A definição sai do confronto entre Fortaleza e Oeste, que jogam a partir das 17 horas, em Fortaleza/CE.

O time cearense teoricamente está em vantagem pois empatou o primeiro jogo por 1 a 1, em Itápolis-SP. Com isso classifica mesmo com um empate por 0 a 0, jogando em casa. Novo 1 a 1 dá pênaltis. Empate a partir de dois gols classifica o Oeste.

Os confrontos da semifinal serão nos dias 17 e 23 de novembro. Classificando o Fortaleza, o primeiro jogo será em Chapecó, pois o time cearense tem melhor campanha. Se o Oeste classificar com vitória, o primeiro jogo também seria em Chapecó. Se o Oeste classificar com empate, o primeiro jogo será em São Paulo.


Comente aqui
10 nov15:57

Chapecoense quer manter grupo do acesso para 2013

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Um dia após conquistar a vaga para a Série B do Campeonato Brasileiro, ainda na viagem de volta do Mato Grosso para Chapecó, a Chapecoense já começa a pensar em 2013. A intenção é manter o grupo que está na semifinal da Série C.

Jogadores durante carreata na Avenida Getúlio Vargas.

Na próxima semana a direção vai tratar da renovação com o técnico Gilmar Dal Pozzo.

- Nossa intenção é manter a comissão técnica – afirmou o presidente do clube, Sandro Pallaoro.

Além do treinador, o preparador físico Anderson Paixão vem tendo seu trabalho elogiado. Dal Pozzo disse na manhã do sábado, durante a comemoração da conquista da vaga na B, que tem vontade d permanecer na equipe, porém tudo depende do planejamento da diretoria para 2013.

A intenção é manter a base do atual grupo.

– A direção vai conversar com todos eles – afirmou o diretor de futebol Mauro Stumpf.

Mesmo assim alguma mudança no time é natural, porque alguns, como o atacante Henrique, estão valorizados pela conquista. Por outro lado há jogadores que não corresponderam à expectativa e devem ser dispensados.

>> Acompanhe mais informações do Verdão no Blog da Chapecoense

Há também fatores de lesão que podem influenciar. O atacante Rodrigo Gral, uma das peças importantes na conquista do acesso, disse que vai avaliar com os médicos, treinador e familiares se vai continuar. Ele ficou de fora do segundo jogo contra o Luverdense em virtude de uma lesão na coxa esquerda.

Mas entrou no clima de comemoração e ontem pintou o cabelo de verde.

– Foi uma promessa que fiz quando cheguei caso a Chapecoense conquistasse o acesso – afirmou.

Atualmente a Chapecoense tem uma folha de R$ 257 mil mensais e um custo total de R$ 400 mil por mês. A intenção é não elevar muito os custos para 2013. –Não vamos fazer loucura- disse Pallaoro. A política de tentar montar time bom e barato, com um teto salarial para evitar disparidades, vai continuar

Mas em meio à comemoração o clube está passando por um processo eleitoral. De acordo com o presidente do Conselho Deliberativo, Gilson Vivian, pela primeira vez em 39 anos a Chapecoense terá duas chapas. A situação lançou Sandro Pallaoro à reeleição. Já a oposição, vai de Moacir Tiecher, que tem o apoio do empresário Izair Gambatto.

Isso refltete o bom momento do clube, que em alguns anos não tinha ninguém querendo assumir. A eleição está marcada para o dia 28 de novembro, das 18 horas às 20 horas, na Associação Comercial e Industrial de Chapecó.

No entanto o presidente do conselho, Gilson Vivian, ainda trabalha para compor uma chapa de consenso. Para Vivian, o momento da Chapecoense seria para união de forças.


Comente aqui
10 nov11:49

Gral fala da lesão e não sabe se volta

Darci Debona|darci.debona@diario.com.br

Depois de três dias de silêncio total o atacante Rodrigo Gral voltou a falar com a imprensa nesta sexta-feira, após a Chapecoense garantir a vaga para a Série B do Campeonato Brasileiro. Feliz pela classificação do clube para a Série B, ele pintou o cabelo de verde.  Falou também da lesão e cogitou até a possibilidade de não voltar a jogar. A seguir, um pouco da conversa que Gral teve com o Diário Catarinense no cabeleireiro.

DC: Como surgiu a ideia de pintar o cabelo?

Rodrigo Gral: Fiz uma promessa que se a Chapecoense subisse eu pintaria o cabelo. Mas não falei para ninguém. Nem para meu irmão. Hoje estou muito feliz por cumprir a promessa. Em 2010 eu subi da B para a A com o Bahia e cortei o cabelo. No ano passado, no Santa Cruz, subi da D para a C. Agora resolvi pintar. Só que os outros títulos foi algo profissional. Essa conquista, por ser do time da minha cidade, do clube onde eu ia no estádio com meu pai e sonhava em ser jogador da Chapecoense, tem um significado muito maior. É a realização de um sonho como torcedor da Chapecoense. Das conquista que eu tive o que eu levo é esse acesso. A emoção de ver o estádio cheio no jogo contra o Luverdense mexeu comigo. É um momento único que quero levar na minha vida?

DC: Como foi ficar fora dessa partida?

Gral: Essa semana foi muito intensa. A lesão me deixou abatido. Fiquei chateado em não poder estar junto. Era o jogo da classificação. É que nem roer o osso e chegar na hora da carne e não poder comer. Quando deixei o hotel falei pro pessoal: eu não vou junto mas vou estar em pensamento. Voltei para Chapecó e não quis falar com ninguém.

DC: Você viu o jogo?

Gral: No final da tarde fui para o Goio-En, onde não pegava celular. Por volta das 20 horas retornei e, quando cheguei perto da cidade, estava tudo parado. Aí terminou o jogo e comecei a receber mensagens no celular dando os parabéns.

DC: Qual é a previsão de tua volta?

Gral: É uma coisa que tenho que conversar com o médico, comissão técnica e minha família. Tive muitas lesões seguidas . Uma contra o Caxias, outra contra o Duque e essa agora. Estou duas semanas praticamente sem treinar e devo ficar pelo menos mais uma parado. Mas se voltar quero disputar o Catarinense e ser campeão.

DC: E a Série B?

Gral: Fico imaginando contra quem vai estrear. Pode ser contra o Avaí, Joinville, Figueirense.

DC: E o cabelo?

Gral: Quero ver a cara da minha mãe e a reação no vestiário. Vão me dar um monte de apelidos. Mas agora, se me deixarem nervoso eu fico verde.

1 comentário
10 nov11:17

Chapecoenses comemoram com carreata vaga na B

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A pé, bicicleta ou de carro, não importava o meio de transporte, afinal todos tinham o mesmo objetivo: comemorar a vaga da Chapecoense na Série B do Campeonato Brasileiro 2013. A carreata foi realizada na manhã deste sábado na Avenida Getúlio Vargas, no centro de Chapecó. A festa culminou na Arena Condá.

Os jogadores chegaram na cidade por volta das 8h e partiram em um caminhão do Corpo de Bombeiros pela principal Avenida da cidade. Ao som do hino do Verdão, fogos e músicas que homenageavam o time embalaram a festa.

Moradores, comerciantes, e torcedores prestaram sua homenagem para o time através de abanos, cumprimentos, camisetas e bandeiras verdes e brancas.

A dona de casa, Maria de Lourdes, 62 anos, deixou o almoço pronto e o serviço da casa para acompanhar a festa do Verdão.

- Moro a duas quadras do estádio e não poderia perder esse momento – disse a dona de casa.

Outro torcedor que marcou presença na Arena Condá foi Vicente Chiarello. O funcionário público e mais 25 torcedores da Torcida Guerreiros do Verdão enfrentaram mais de 5 mil quilômetros de estrada para assistir a partida em Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso.

- Foi uma luta. Agora vamos em busca de mais e do título da C – disse confiante.

Dever cumprido. Essa é a sensação do técnico Gilmar Dal Pozzo. Para ele a equipe merece essa conquista já que almeja isso desde o começo do ano.

- Após perder no catarinense, garantimos a vaga na B e agora vamos em busca do título da C – disse. Para isso a equipe precisa jogar forte e segura dentro de casa para ir bem no jogo de volta.

O Presidente da Chapecoense, Sandro Pallaoro, não escondia a felicidade pela conquista.

- Esse é um momento histórico e de muita emoção. E ver a alegria desse povo, não há preço que pague – disse emocionado Pallaoro. O atual presidente concorre a reeleição na presidência do time. A eleição será no dia 28 de novembro.


1 comentário
09 nov16:04

Chapecoense é destaque no site da CBF

O Verdão do Oeste é destaque de capa do site da Confederação Brasileira de Futebol.

O time catarinense foi a primeira equipe a garantir vaga na Série B do Campeonato Brasileiro de 2013.

Comente aqui
09 nov13:58

Força do Condá foi decisiva para conquista do acesso

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Ele não joga, não faz gol, não defende mas foi tão decisivo quanto o goleiro Nivaldo ou os atacantes Rodrigo Gral e Henrique, na conquista da vaga na Série B. O velho Índio Condá, inaugurado no final da década de 70 e que vem se transformando na Arena Condá, com a construção de duas alas novas nos últimos seis anos, foi decisivo na conquista do acesso.

Foi no Condá que a Chapecoense fez 23 dos 29 pontos conquistados na primeira fase da competição. Também em casa, a Chapecoense fez 21 dos 24 gols da fase inicial. Ou seja, se dependesse dos jogos fora, a Chapecoense estaria rebaixada e não comemorando uma conquista.

Contando o jogo da segunda fase, foram oito vitórias e dois empates em seus domínios. No Condá os adversários tremeram, se afobaram, fizeram gol contra, perderam a cabeça e foram expulsos.

Alguns chegaram arrogantes, e saíram cabisbaixos. Deram a desculpa que o gramado era ruim, mas, no mesmo gramado, a Chapecoense fez belas jogadas. Ninguém comemorou vitória no Condá. Só o Santo André e o Macaé não saíram derrotados, e vibraram com o feito.

O estádio começou a competição sem a cobertura metálica da ala oeste e com um público ainda tímido. Mas nos últimos jogos, já com a nova cobertura, recebeu mais de seis mil pessoas no primeiro jogo da segunda fase, que empurraram a Chapecoense para uma vitória por 6 a 0. A torcida não parou de apoiar o time durante os 90 minutos. E os jogadores responderam dentro de campo com muita vibração. É essa a mágica do Condá. Um templo onde nem times como Cruzeiro ou Atlético-MG conseguiram derrotar a Chapecoense.

Provavelmente porque o estádio leva o nome de um cacique Kaigang, incorporando a energia e o espírito guerreiro dessa tribo. O Condá é um símbolo de Chapecó. E é o trunfo da Chapecoense para fazer bonito na Série B.


Comente aqui