Série C

13 nov10:28

Chapecoense inicia preparação contra o Oeste

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Os jogadores da Chapecoense iniciaram nesta terça-feira os preparativos para a primeira partida da semifinal do Campeonato Brasileiro da Série C. O jogo contra o Oeste é neste sábado, dia 17 de novembro, às 19 horas na Arena Condá.

Após uma reunião, de 40 minutos no vestiário, os jogadores da Chapecoense treinaram no campo da Arena. Foi realizada corrida, trabalho na academia e trabalhos de posse de bola.

À tarde o treinamento será na areia, provavelmente no campo da Aurora. Os trabalhos estão marcados para as 15 horas.

Na quarta-feira os treinamentos também acontecem em dois períodos. Às 9h e às 15h na Arena.

Já na quinta-feira, os atletas tem folga durante o dia e treinam às 19h. A ideia da comissão técnica é trabalhar no mesmo horário do jogo.

Na sexta-feira o grupo folga pela manhã, realiza treino à tarde, após entra em concentração para a partida do sábado.

A exemplo do que aconteceu com o Luverdense o objetivo da Chapecoense é ganhar em casa com boa diferença de gols para jogar com vantagem a partida da volta em Itápolis.


Comente aqui
13 nov09:14

Inicia venda de ingressos para semifinal da C

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A venda de ingressos para o primeiro confronto da semifinal da Série C do Campeonato Brasileiro, entre Chapecoense e Oeste, inicia nesta terça-feira à tarde.

A Confederação Brasileira de Futebol anunciou nesta segunda-feira que a partida será sábado, às 19 horas, no Índio Condá. O presidente Sandro Pallaoro esteve na reunião na Federação Catarinense de Futebol e já pegou os ingressos. Ele informou que os valores são os mesmos que foram praticados na partida contra o Luverdense.

O gerente de futebol do clube, Carlinhos Almeida, informou que serão disponibilizados seis mil ingressos. Com os quatro mil sócios a expectativa é de chegar a 10 mil torcedores. A Chapecoense não vai instalar câmera de vídeo, o que permitiria ampliar a capacidade além de 10 mil torcedores.

O grupo, que chegou no sábado em Chapecó, após a classificação para a Série B, se reapresenta às 19 horas de hoje. O jogo de volta contra o Oeste é no dia 23, às 19 horas, em Itápolis.


Chapecoense x Oeste

Quando: Sábado

Horário: 19h

Local: estádio Índio Condá

Ingressos: R$ 15 (estudantes, aposentados e menores entre 8 e 12 anos), R$ 30 (geral) R$ 40 (coberta) e R$ 50 (cadeiras).

Pontos de vendas: Palácio dos Esportes, Maidana Esportes, Posto de Marco, Sensação do Mate do Shopping Pátio Chapecó e na sede do clube.


Comente aqui
12 nov14:09

Definido horário das semifinais da Série C

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A CBF confirmou em seu site as datas das semifinais da Série C do Campeonato Brasileiro. O primeiro confronto entre Chapecoense e Oeste será às 19 horas de sábado, dia 17 de novembro, na Arena Condá. O jogo de volta é no dia 23, no estádio municipal dos Amaros, em Itápolis.

Na outra semifinal, Paysandu e Icasa se enfrentam na sexta-feira, dia 16, às 19 horas, em Paragominas-PA. O jogo de volta é no dia 22, às 19 horas, em Juazeiro do Norte-CE.



Comente aqui
12 nov11:03

Oeste é o adversário da Chapecoense

O Oeste de Itápolis/SP é o adversário da Chapecoense nas semifinais da Série C do Campeoanto Brasileiro. O time paulista venceu o Fortaleza neste domingo, por 3 a 1, no Ceará e, como havia empatado o primeiro jogo, por 1 a 1, ficou com a vaga.

Além, disso, com a vitória, os paulistas ficaram com campanha melhor do que a Chapecoense, 33 a 32, somando a segunda fase. Com isso o primeiro confronto é sábado, no Condá e, o jogo de volta, no dia 23, em São Paulo.

O jogo entre Chapecoense e Oeste deve ser neste sábado, dia17, às 19 horas na Arena Condá. A informação ainda não foi confirmada pela diretoria do Verdão.


Folga após a classificação

Nesta segunda-feira os jogadores da Chapecoense tem folga. A reapresentação está marcada para às 9 horas desta terça-feira, na Arena Condá.



Comente aqui
11 nov08:42

Chapecoense conhece adversário na semifinal

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Neste domingo a Chapecoense vai conhecer seu adversário na semifinal da Série C do Campeonato Brasileiro. A definição sai do confronto entre Fortaleza e Oeste, que jogam a partir das 17 horas, em Fortaleza/CE.

O time cearense teoricamente está em vantagem pois empatou o primeiro jogo por 1 a 1, em Itápolis-SP. Com isso classifica mesmo com um empate por 0 a 0, jogando em casa. Novo 1 a 1 dá pênaltis. Empate a partir de dois gols classifica o Oeste.

Os confrontos da semifinal serão nos dias 17 e 23 de novembro. Classificando o Fortaleza, o primeiro jogo será em Chapecó, pois o time cearense tem melhor campanha. Se o Oeste classificar com vitória, o primeiro jogo também seria em Chapecó. Se o Oeste classificar com empate, o primeiro jogo será em São Paulo.


Comente aqui
10 nov15:57

Chapecoense quer manter grupo do acesso para 2013

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Um dia após conquistar a vaga para a Série B do Campeonato Brasileiro, ainda na viagem de volta do Mato Grosso para Chapecó, a Chapecoense já começa a pensar em 2013. A intenção é manter o grupo que está na semifinal da Série C.

Jogadores durante carreata na Avenida Getúlio Vargas.

Na próxima semana a direção vai tratar da renovação com o técnico Gilmar Dal Pozzo.

- Nossa intenção é manter a comissão técnica – afirmou o presidente do clube, Sandro Pallaoro.

Além do treinador, o preparador físico Anderson Paixão vem tendo seu trabalho elogiado. Dal Pozzo disse na manhã do sábado, durante a comemoração da conquista da vaga na B, que tem vontade d permanecer na equipe, porém tudo depende do planejamento da diretoria para 2013.

A intenção é manter a base do atual grupo.

– A direção vai conversar com todos eles – afirmou o diretor de futebol Mauro Stumpf.

Mesmo assim alguma mudança no time é natural, porque alguns, como o atacante Henrique, estão valorizados pela conquista. Por outro lado há jogadores que não corresponderam à expectativa e devem ser dispensados.

>> Acompanhe mais informações do Verdão no Blog da Chapecoense

Há também fatores de lesão que podem influenciar. O atacante Rodrigo Gral, uma das peças importantes na conquista do acesso, disse que vai avaliar com os médicos, treinador e familiares se vai continuar. Ele ficou de fora do segundo jogo contra o Luverdense em virtude de uma lesão na coxa esquerda.

Mas entrou no clima de comemoração e ontem pintou o cabelo de verde.

– Foi uma promessa que fiz quando cheguei caso a Chapecoense conquistasse o acesso – afirmou.

Atualmente a Chapecoense tem uma folha de R$ 257 mil mensais e um custo total de R$ 400 mil por mês. A intenção é não elevar muito os custos para 2013. –Não vamos fazer loucura- disse Pallaoro. A política de tentar montar time bom e barato, com um teto salarial para evitar disparidades, vai continuar

Mas em meio à comemoração o clube está passando por um processo eleitoral. De acordo com o presidente do Conselho Deliberativo, Gilson Vivian, pela primeira vez em 39 anos a Chapecoense terá duas chapas. A situação lançou Sandro Pallaoro à reeleição. Já a oposição, vai de Moacir Tiecher, que tem o apoio do empresário Izair Gambatto.

Isso refltete o bom momento do clube, que em alguns anos não tinha ninguém querendo assumir. A eleição está marcada para o dia 28 de novembro, das 18 horas às 20 horas, na Associação Comercial e Industrial de Chapecó.

No entanto o presidente do conselho, Gilson Vivian, ainda trabalha para compor uma chapa de consenso. Para Vivian, o momento da Chapecoense seria para união de forças.


Comente aqui
09 nov13:58

Força do Condá foi decisiva para conquista do acesso

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Ele não joga, não faz gol, não defende mas foi tão decisivo quanto o goleiro Nivaldo ou os atacantes Rodrigo Gral e Henrique, na conquista da vaga na Série B. O velho Índio Condá, inaugurado no final da década de 70 e que vem se transformando na Arena Condá, com a construção de duas alas novas nos últimos seis anos, foi decisivo na conquista do acesso.

Foi no Condá que a Chapecoense fez 23 dos 29 pontos conquistados na primeira fase da competição. Também em casa, a Chapecoense fez 21 dos 24 gols da fase inicial. Ou seja, se dependesse dos jogos fora, a Chapecoense estaria rebaixada e não comemorando uma conquista.

Contando o jogo da segunda fase, foram oito vitórias e dois empates em seus domínios. No Condá os adversários tremeram, se afobaram, fizeram gol contra, perderam a cabeça e foram expulsos.

Alguns chegaram arrogantes, e saíram cabisbaixos. Deram a desculpa que o gramado era ruim, mas, no mesmo gramado, a Chapecoense fez belas jogadas. Ninguém comemorou vitória no Condá. Só o Santo André e o Macaé não saíram derrotados, e vibraram com o feito.

O estádio começou a competição sem a cobertura metálica da ala oeste e com um público ainda tímido. Mas nos últimos jogos, já com a nova cobertura, recebeu mais de seis mil pessoas no primeiro jogo da segunda fase, que empurraram a Chapecoense para uma vitória por 6 a 0. A torcida não parou de apoiar o time durante os 90 minutos. E os jogadores responderam dentro de campo com muita vibração. É essa a mágica do Condá. Um templo onde nem times como Cruzeiro ou Atlético-MG conseguiram derrotar a Chapecoense.

Provavelmente porque o estádio leva o nome de um cacique Kaigang, incorporando a energia e o espírito guerreiro dessa tribo. O Condá é um símbolo de Chapecó. E é o trunfo da Chapecoense para fazer bonito na Série B.


Comente aqui
09 nov08:19

Torcida do Verdão invade as ruas de Chapecó

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Chapecoense. Este nome é muito mais que um time ou o gentílico de Chapecó. Ele é o orgulho de toda uma região. São mais de 100 municípios e mais de um milhão de catarinenses que em 2013 vão assistir a Série B do Campeonato Brasileiro e torcer por mais um time catarinense que faz bonito no cenário nacional.

Milhares de pessoas acompanharam o jogo transmitido pela TVCOM na praça Coronel Bertaso, num telão instalado pelo Grupo RBS. O agricultor Elizandro Pastorio fez 15 quilômetros de motocicleta, junto com o filho Gabriel, para acompanhar o jogo.

A atendente de caixa de supermercado Keli Bonsere trabalhou com a camisa da Chapecoense debaixo do uniforme e saiu do trabalho para ver o jogo. A cidade, que há uma semana respirava a decisão, ontem parou.

Os degraus da Catedral Santo Antônio viraram arquibancada. Perto dali, o monumento O Desbravador, parecia que observava tudo. Os símbolos da cidade, o colonizador Bertaso, o Desbravador, a Catedral Santo Antônio e a torcida da Chapecoense, estavam todos unidos por um objetivo.

>> Acesse o Blog da Chapecoense

Nem a chuva fina espantou a torcida. Elas serviram para lavar a alma de uma torcida que chorou em 2010 e 2011, quando o time chegou perto, mas perdeu a vaga.

— Hoje eu choro de alegria- disse a aposentada Ijones Rigo, que pintou unha, usou brinco e ontem comprou duas camisetas, uma delas só para pegar autógrafo.

É indescritível, nós chegamos lá- comemorou Natan Ribeiro de Melo.

O apito final fez culminar uma explosão de alegria. –É a melhor coisa do mundo- disse Henrique Martins, de 11 anos, que pintou as cores verde e branca no rosto. A Chapecoense une pessoas de todas as idades, nascidos ou não em Chapecó.

O estudante Jeferson Scortegagna disse que agora quer ver Chapecoense e Palmeiras, na Série B de 2013. Hoje, Santa Catarina está pintada de verde. Falta pintar o Brasil com o título da Série C.

Comente aqui
09 nov08:13

Acesso da Chapecoense dá projeção à região e movimenta a economia

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

O acesso para a Série B traz conquistas que vão além do futebol. Chapecó e região ganham em projeção nacional e até em movimentação econômica. A cidade passa a ter uma presença mais forte na mídia, atrair mais torcedores da região e receber clubes maiores, inclusive que já figuraram na Série A do Campeonato Brasileiro.

— A Chapecoense passa a ser a embaixatriz de Chapecó — avaliou o prefeito, José Cláudio Caramori.

Ele destacou que cada vez que o time for jogar pela Série B, vai atrair a atenção das pessoas. Isso também pode chamar negócios para a cidade. O prefeito lembrou que o clube estava em baixa em 2005 e, graças ao apoio do poder público municipal, se reestruturou e conquistou os estaduais de 2007 e 2011, além do acesso à Série D em 2009.

— O time está crescendo junto com a cidade — comparou, lembrando que Chapecó está com 189 mil habitantes.

Caramori disse que o clube estimula os jovens à pratica do lazer e, seu sucesso, é o sucesso da comunidade.

— A Chapecoense é nosso orgulho — declarou.

O acesso à Série B também contribui na busca de parcerias com o governo estadual e  federal para a Conclusão da Arena Condá, que já teve construída as alas Sul e Norte.

Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Chapecó, Gilberto Badalotti, o acesso à Série B vai alavancar o nome da cidade e a economia, a exemplo de Criciúma.

— É um marco na história onde todos vão sair ganhando — afirmou.

Badalotti disse que o clube ganha com mais patrocínios, público e renda. A cidade ganha com a vinda de torcedores de toda a região, que vão movimentar postos de combustíveis, bares e restaurantes. As lojas de material esportivo vão vender mais. E o aeroporto ficará mais movimentado com times dos grandes centros do país.

Além disso, o acesso é um sonho de muitos anos. -A cidade vai ficar mais alegre- avaliou Badalotti. Ele acompanha o time desde 1977, quando seu pai, Arthur Badalotti, foi o primeiro presidente campeão catarinense pelo time. No final da década de 70 a Chapecoense chegou a disputar nacionais, mas de forma efêmera. Agora, Badalotti vê uma cidade mais estruturada que pode manter um time entre os 40 maiores do país.

Comente aqui
08 nov20:23

"Consegui o objetivo tão sonhado", diz Nivaldo após acesso da Chapecoense

Aos 38 anos, Nivaldo é a cara da Chapecoense. Passou pelas mais diferentes fases do time e esteve nas decepções de 2010 e 2011, quando o Verdão passou perto de conquistar o acesso à Série B. Em 2012, fez parte da trajetória vitoriosa. Começou como reserva na campanha e, com a lesão de Rodolpho, tornou-se titular. Além disso, foi fundamental.

Na partida contra o Luverdense, esteve decisivo quando teve que trabalhar. Foi o cara da partida decisiva e a Chapecoense deve, e muito, o posto que ocupa: estar entre os 40 melhores times do Brasil.

– Graças a Deus consegui o objetivo tão sonhado. Não tem como não enaltecer o grupo. Os que jogam e os que não jogam, que sempre ajudam. Não tem nem o que falar – disse o camisa 1, emocionado.

A programação da Chapecoense prevê a chegada a Chapecó na sexta-feira. Os jogadores dormem em Cuiabá, de onde pegam um avião para Florianópolis e, posteriormente, embarcam em um ônibus para o Oeste.

Comente aqui