Série C

08 nov20:14

Chapecoense garante acesso inédito à Série B

Não foi sofrido. Pelo contrário. A vantagem de três gols que a Chapecoense conseguiu na Arena Condá trouxe tranquilidade aos catarinenses para alcançar a maior conquista da história do clube, o acesso à Série B do Campeonato Brasileiro. No Estádio Passo das Emas, em Lucas do Rio Verde, o Verdão do Oeste controlou a partida e se classificou às semifinais com uma derrota por 1 a 0.

Agora, a Chapecoense faz parte de um grupo seleto. Entre os 40 melhores times do país, a torcida está onde merece. Depois de ficar próxima da segunda divisão em anos anteriores, a equipe amadureceu sob o comando de Gilmar Dal Pozzo e, quando estava pronta, conquistou a vaga. Mas o ano de 2012 pode reservar outras surpresas. O Verdão tem a chance de tentar conquistar a estrela de campeão da Série C. Do confronto entre Oeste e Fortaleza sai o adversário na luta por uma chance de disputar a final. Com o acesso garantido e sem obrigações, o título pode ser algo bastante palpável.

O mérito da conquista tem que ser dividido. Dos habitantes de Chapecó, aos jogadores. Até Itamar Schulle, técnico que iniciou a campanha da Série C deu sua contribuição. Claro, Gilmar Dal Pozzo foi fundamental. Com a chegada do técnico, o time passou a jogar ofensivamente. Teve também a contribuição de Rodrigo Gral. O artilheiro dos 500 gols é identificado com o time e com a cidade e, apesar de ter ficado fora da partida que definiu o acesso, deve ser carregado pela torcida no desfile que, certamente, haverá em Chapecó.

TRÊS GOLS À MÃO, SÓ ADMINISTRAR

O experiente meia Athos, antes do início da partida, garantiu que a equipe não ia estar totalmente fechada. Era preciso não dar chance de levar um gol e acabar trazendo a torcida adversária para dentro do gramado. E assim foi feito, até com certa tranquilidade para a melhor defesa do campeonato. O Luverdense até tentou exercer uma pressão inicial, mas quando o volante Paulinho Dias dividiu uma bola e comemorou como se fosse um gol, logo aos dois minutos, os jogadores da Chapecoense acordaram.

A partir daquele momento, os catarinenses tornaram-se os donos da partida. Aplicados e dedicados, os jogadores do Verdão sabiam que a dois mil quilômetros longe de casa, não retornariam de mãos vazias. A festa já havia começado, e eles não queriam ficar de fora. O primeiro passo havia sido dado. A etapa inicial terminou sem gols, vantagem mais do que suficiente.

Na segunda etapa, o estádio passou a jogar com a Chapecoense. Sem chances claras, os torcedores estavam impacientes e, como se jogassem fora de casa, encontravam outro adversário além dos incansáveis jogadores do Verdão. A vontade de vencer era tanta que Athos, ao ser substituído, saiu reclamando. Disse que não havia se cansado e nem tinha sentido lesão, logo, não entendia a mudança de Dal Pozzo, que colocava outro volante na partida.

Nada parecia ser possível para tirar a Chape da Série B em 2013. Nem quando os jogadores bateram cabeça, tirando o goleiro Nivaldo da jogada e fazendo a bola sobrar para o atacante do Luverdense, que com o gol aberto, chutou por cima do gol defendido pelos catarinenses. Nem um pênalti marcado aos 42 minutos, convertido por Rubinho, tirou a alegria. Naquele momento, a chuva que caía em Chapecó não foi suficiente para atrapalhar a festa dos torcedores. A conquista planejada no começo do ano tornou-se real e, quem sabe, seja a hora de mirar mais alto. Série A, o Verdão quer te conhecer.

Luverdense
Willian Alves; Régis (Edgar), Zé Roberto, Braga, Raul Prata; Julio Terceiro (Rafael Tavares), Gilson, Carlos Alberto, Rubinho; Rômulo e Valdir Papel (Fio)
Técnico: Dado Cavalcanti

Chapecoense
Nivaldo; Fabiano, André Paulino, Raffael Lima, Gilton; Wanderson (Souza), Paulinho Dias, Athos (Chicão), Neném; Jô (Eliomar), Henrique
Técnico: Gilmar Dal Pozzo

Gol: Rubinho (L), aos 42 minutos do 2º tempo
Amarelos: Neném (C), Zè Roberto (L), Raul (L)

Arbitragem: Luís Flávio de Oliveira, auxiliado por Carlos Nogueira Júnior e Daniel Paulo Zioli
Local: Estádio Passo das Emas, em Lucas do Rio Verde (MT)
Público: 4.680
Renda: R$ 64.650,00

Comente aqui
07 nov22:30

TV Com vai transmitir jogo da Chapecoense

Foi confirmada na noite de quarta-feira a transmissão do jogo entre Luverdense e Chapecoense, às 19 horas. A partida será realizada no Estádio das Emas, em Lucas do Rio Verde. Um telão deverá ser montado na praça Coronel Bertaso. A Chapecoense venceu a primeira partida por 3 a 0 e pode perder por 2 a 0 ou até por três gols se marcar pelo menos um. Se mantiver a vantagem o Verdão do Oeste na Série B 2013.

Comente aqui
05 nov14:55

Torcida acompanha embarque da Chapecoense


Cerca de 50 torcedores acompanharam a saída da Chapecoense no estádio Índio Condá e o embarque no aeroporto Serafim Enoss Bertaso. A delegação viajou às 14h15 rumo a Florianópolis, onde fica até amanhã, quando embarca para o Mato Grosso.

Os torcedores levaram camisetas, conversaram com os jogadores, disseram palavras de apoio e entoaram gritos de “Vamos Subir Chape”.

-Não podemos deixar escapar pela terceira vez- disse o torcedor Alessandro Garcia, que levou o filho Carlos Miguel, de um ano e quatro meses. Ele lembrou que em 2010 e 2011 a Chapecoense deixou escapar o acesso, mas agora, com a vantagem de três gols no primeiro jogo, acha difícil escapar a vaga.

Os jogadores agradeceram o apoio. –É bom esse carinho da torcida mas nós não podemos nos empolgar- alertou o meia Athos, que prevê muita dificuldade no jogo de volta. O confronto entre Luverdense e Chapecoense é na quinta-feira, às 19 horas, em Lucas do Rio Verde. A Chapecoense pode até perder por 2 a 0 e, se fizer um gol, pode até perder por três gols de diferença.

Derrota por 3 a 0 é a única situação em que o jogo vai para os pênaltis.

1 comentário
02 nov18:38

Chapecoense treina no final de semana

A sexta-feira foi dia de folga para o grupo da Chapecoense mas, no final de semana, haverá treino no sábado e no domingo. Hoje o grupo trabalha em dois turnos, às 9 horas e às 15h30. No domingo, compromisso apenas pela manhã.

De acordo com o diretor de futebol Cadu Gaúcho, a previsão é de que a delegação viaje para o Mato Grosso na segunda-feira à tarde. O confronto de volta contra o Luverdense é quinta-feira, às 19 horas, em Lucas do Rio Verde-MT. Como venceu o primeiro jogo por 3 a 0 a Chapecoense poder perder por até 2 a 0 ou, se fizer um gol, pode perder por até três gols de diferença. Derrota por 3 a 0 leva a decisão da vaga para a Série B para os pênaltis. O clima na Chapecoense é de confiança, mas sem pensar que a vaga já está no papo. –O resultado foi bom mas ainda não ganhamos nada- afirmou Cadu Gaúcho.

Comente aqui
01 nov20:46

Chapecoense mais perto da Série B

 

A Série B está mais perto da Chapecoense. A vitória por 3 a 0 ontem, no Índio Condá, garantiu boa vantagem para o jogo de volta, no dia 8 de novembro, em Lucas do Rio Verde-MT. Lá o time catarinense poderá perder por até dois gols de vantagem. E, se fizer pelo menos um, pode até perder por três gols que garante a vaga. Se perder por 3 a 0 a decisão vai para os pênaltis.

O jogo não foi tão fácil como o placar sugere. No início o Luverdense mostrou porque tinha a segunda melhor campanha da Série C na primeira fase. Mas a Chapecoense não queria deixar escapar a vaga pelo terceiro ano consecutivo, sempre na segunda fase. Em 2010 faltou um gol contra o Ituiutaba (Boa). Em 2011 faltou uma vitória contra o Ipatinga.

Por isso o time da casa sabia que precisava criar uma boa vantagem no Condá. E ela começo a ser construída aos 22 minutos, numa cobrança de escanteio de Neném. A bola foi para área e o volante Julio Terceiro cabeceou contra o próprio gol. O lance lembrou o gol do título do Catarinense de 2011, contra o Criciúma, em que Neném cobrou falta e o volante Carlinhos Santos fez contra. –Foi bem parecido-lembrou. Neném..

Faltava aparecer o atacante Henrique, o The Flash, que fazia um gol a cada 36 minutos. Mesmo demorando um pouco mais, ele surgiu no segundo tempo.

Aos 15 minutos, numa disputa de bola, ele foi mais rápido que os zagueiros e só foi parado com falta de Dão, que acabou sendo expulso. Aí foram só mais sete minutos até o Henrique The Flash marcar o seu, o quinto em cinco jogos.

Jô também entrou na onda e, rapidinho, aos 27 minutos fez o terceiro. E só não foram mais porque os reflexos do goleiro Willian Alves também estavam em dia. Ao final da partida a torcida saiu confiante de que, desta vez, a Série B pode se tornar realidade.


FICHA TÉCNICA


CHAPECOENSE-3


Nivaldo


Fabiano (Souza)

André Paulino

Rafael Lima

Gilton


Wanderson

Paulinho Dias

Athos (Dudu F.)

Neném


Rodrigo Gral (Jô)

Henrique


Técnico: Gilmar Dal Pozzo


LUVERDENSE- 0


Willian Alves


Régis

Dão

Zé Roberto

Raul Prata


Júlio Terceiro

Gilson

Carlos Alberto

Rubinho


Valdir Papel (Fio)

Rafael Tavares (Tiago Garça)


Técnico: Dado Cavalcanti


Gols: Julio Terceiro, contra, aos 22 minutos do primeiro tempo. Henrique (C), aos 22 e Jô (C), aos 27 minutos do segundo tempo.

Arbitragem: Guilherme Cereta de Lima, auxiliado por Rogério Pablos Zanardo e Bruno Salgado Rizo Cartões amarelos: Zé Roberto (L)

Expulsão: Dão (L), aos 15 minutos do segundo tempo

Local: Estádio Índio Condá, em Chapecó

Público e renda: não divulgados

Comente aqui
01 nov07:32

Chapecoense conta com o "The Flash" para buscar vaga



A cada 36,25 minutos o atacante Henrique marca um gol com a camisa da Chapecoense. É com esse desempenho que o time conta para abrir vantagem no primeiro confronto contra o Luverdense, nesta quinta-feira, às 19 horas, no Índio Condá. São dois confrontos de 90 minutos que vão definir qual dos dois time sobe para a Série B de 3013.

Henrique foi contratado no final de setembro após a eliminação do seu time, o Cianorte, da Série D. O jogador de 23 anos já chegou com a fama de “The Flash” por ter marcado o gol mais rápido da quarta divisão do Brasileiro, aos 15 segundos, na vitória por 2 a 1 diante do Concórdia. Sua estreia foi contra o Duque de Caxias, quando entrou nos 15 minutos finais e novamente mostrou rapidez, ao fazer o terceiro gol da vitória por 3 a 1. Depois ficou fora do jogo contra o Brasiliense e atuou 20 minutos nos confrontos contra o Oeste e Madureira. Contra os cariocas, novamente deixou sua marca, apesar da derrota por 2 a 1. Sua primeira partida como titular foi no sábado passado, contra o Tupi. E ele aproveitou marcando dois, na goleada por 5 a 0.

Agora, Henrique quer deixar seu nome ao lado de jogadores consagrados com a camisa do Verdão, como Jorge Ratão, Ronaldo, Paulo Rink, Índio, Bruno Cazarine e Aloísio.

-O objetivo é conquistar o acesso e deixar meu nome na história do clube- declarou. Ele já tem 18 gols na temporada, contando nove no Paranaense, cinco na Série D e quatro na Série C. Já é um dos goleadores da Chapecoense no campeonato, ao lado de Eliomar. Isso que jogou apenas 145 minutos, pouco mais que um jogo e meio.

Contra o Luverdense, Henrique espera novamente balançar as redes, embora tenha o discurso politicamente correto de que vale mais a vitória, independentemente de quem faça o gol. O certo é que Henrique, ao lado de Rodrigo Gral, fortaleceu um setor que ficava devendo para a zaga em número de gols, no início do campeonato.

Agora, a Chapecoense conta com força também na frente, para tentar eliminar os matogrossenses e finalmente conquistar o acesso.

CHAPECOENSE

Nivaldo

Fabiano
André Paulino
Rafael Lima
Gilton

Wanderson
Paulinho Dias
Athos
Neném

Jô (Rodrigo Gral)
Henrique

Técnico: Gilmar Dal Pozzo

LUVERDENSE

Willian Alves

Régis
Dão
Zé Roberto
Raul Prata

Júlio Terceiro
Gilson
Carlos Alberto
Rubinho

Valdir Papel
Fio

Técnico: Dado Cavalcanti

Horário: 19h 
Arbitragem: Guilherme Ceretta de Lima, auxiliado por Rogério Pablo Zanardo e Bruno Salgado
Local: Estádio Índio Condá, em Chapecó
Ingressos: R$ 15 (estudantes, aposentados e menores entre 8 e 12 anos), R$ 30 (geral) R$ 40 (coberta) e R$ 50 (cadeiras).Os pontos de venda antecipada são Palácio dos Esportes, Maidana Esportes, Posto de Marco,  Sensação do Mate do Shopping Pátio Chapecó e na sede do clube. Os sócios inadimplentes devem regularizar sua situação até às 16 horas. Os portões abrem às 17 horas.

Comente aqui
30 out15:05

Gilmar quer time compacto e equilibrado

 

O técnico Gilmar Dal Pozzo comandou na manhã desta terça-feira um treinamento na Arena Condá, onde trabalhou o posicionamento da equipe que vai enfrentar o Luverdense, na quinta-feira, pelas quartas-de-final da Série C.

Além de ter que abrir uma vantagem para o jogo de volta, que será no Mato Grosso, a Chapecoense não pode levar gol. O motivo é que, em caso de dois resultados iguais, com o mesmo saldo, vale mais o gol fora de casa, como na Copa do Brasil.

-Temos que ter uma equipe compacta e equilibrada- explicou Dal Pozzo. Ele destacou que o time tem uma boa defesa porque todos marcam e lembrou que o meia Athos “roubou” sete bola no jogo contra o Tupi.

Dal Pozzo disse que o time está bem taticamente e fisicamente. –Mas precisamos cuidar também de estar bem emocionalmente- ressaltou.

Para o jogo de quinta-feira ele ainda não sabe se poderá contar com Rodrigo Gral, que está tratando um estiramento muscular na coxa direita. Jô fez o trabalho no time titular no lugar de Gral.

Comente aqui
29 out14:12

Adversário da Chapecoense é campeão do MT

 O Luverdense Esporte Clube, adversário da Chapecoense, tem apenas oito anos de existência, mas já disputa pela sexta vez a Série C (2005  e de 2008 a 2012). È o atual campeão matogrossense, tendo vencido o estadual também em 2009. Em 2011, venceu a Copa Pantanal.

Em 2012 disputou a Copa do Brasil, onde foi eliminado na primeira fase pelo Paraná (2 a 2 e 2 a 0). Na Série C chegou a ficar onze jogos invicto e liderou o Grupo A em boa parte do campeonato, tendo perdido a ponta para o Fortaleza nas últimas rodadas.

O grupo do técnico Dado Cavalcanti não é muito conhecido. Um dos poucos jogadores conhecidos é o atacante Valdir Papel, de 32 anos, que já passou pelo Sport, Vasco, Guarani e Bragantino.

A Chapecoense tem que tomar cuidado também com o meia Rubinho, de apenas 23 anos, que já marcou nove gols na Série C.

A disputa pela vaga na Série B será um duelo de alviverdes. Outra semelhança é entre as cidades sedes, que ficam a dois mil quilômetros uma da outra. A produção agrícola tem grande importância tanto em Chapecó, quanto em Lucas do Rio Verde. E as duas cidades contam com agroindústrias da BR Foods. Uma diferença é que Chapecó tem 189 mil habitantes e, Lucas do Rio Verde, tem 45 mil.

Os dois estádios são municipais, com a diferença que o Passo das Emas tem capacidade para oito mil pessoas, contra 14 mil do Condá. Fazer valer a força de um estádio maior, onde goleou seus últimos quatro jogos, pode ser uma vantagem para a Chapecoense eliminar os matogrossenses.

1 comentário
29 out13:57

No embalo de Gral

Nesse lance a bola foi no poste, mas depois Gral fez o gol 500 da carreira

A Chapecoense está a dois jogos da Série B de 2013. São duas partidas decisivas contra o Luverdense, a primeira na quinta-feira, em Chapecó, e a segunda no dia 8, em Lucas do Rio Verde-MT.

Como terminou a primeira fase em terceiro lugar no Grupo B, a Chapecoense decide fora. Vale o gol qualificado. Em caso de igualdade em pontos e saldo vale mais o gol marcado fora, que nem na Copa do Brasil.  Por isso a Chapecoense precisa vencer e, de preferência não levar gol.

-O torcedor não vá pensar que vamos golear sempre, um a zero já está bom- afirmou o técnico Gilmar Dal Pozzo, projetando o confronto de quinta-feira.

Para esse jogo ele poderá não contar com um de seus principais jogadores. Rodrigo Gral saiu mancando do jogo contra o Tupi, aos 22 minutos do segundo tempo. Mas ele já tinha cumprido sua parte. O jogador que era dúvida até o início da partida, em virtude de um estiramento na coxa direita, foi decisivo na vitória por 5 a 0 diante do Tupi, no sábado.

Além disso ele marcou o gol de número 500 da carreira. –Agradeço a Deus por ter me dado essa oportunidade de chegar a essa marca no clube do meu coração- afirmou Gral, que quando criança assistia aos jogos na arquibancada e sonhava um dias estar em campo.

Gral agradeceu também ao médico Carlos Mendonça, pois somente na manhã de sábado ele fez o teste para saber se poderia jogar ou não. Além disso ele teve a confiança do técnico Gilmar Dal Pozzo, que apostou no jogador mesmo não estando em plenas condições.

-Eu queria ajudar nem que fosse 10 a 15 minutos- disse. Após o jogo Gral inicio o tratamento mas, provavelmente, não poderá treinar nesta segunda e terça-feira.

- Atingi meu objetivo pessoal, agora quero ajudar a Chapecoense a chegar na Série B- finalizou Gral.

Comente aqui
27 out17:33

Chapecoense está a dois jogos da Série B


A Chapecoense venceu o Tupi neste sábado, por 5 a 0, no Índio Condá, e garantiu a classificação para a segunda-fase da Série C, onde fará dois jogos para decidir a vaga para a Série B do Campeonato Brasileiro. O adversário é o Luverdense e o primeiro confronto é quinta-feira, às 19 horas, no Condá.

A tarde chuvosa lembrou o confronto do acesso para a Série C, em 2009, contra o Araguaia. O time do Oeste Catarinense entrou decidido.

Aos três minutos, Neném cobrou falta no lado direito e Athos cabeceou para o gol marcando 1 a 0. Aos oito minutos, Athos quase fez o segundo, ao tocar por entre as pernas do zagueiro e ficar cara a cara com o goleiro, que conseguiu fazer a defesa.

A Chapecoense seguiu melhor e Gilton teve a chance de marcar o segundo, tentando encobrir o goleiro, que conseguiu fazer a defesa.

Rodrigo Gral teve a chance de marcar o seu gol número 500 na carreira aos 41 minutos, mas a bola bateu no poste e voltou para o campo. O Tupi só teve um chute a gol no primeiro tempo.

No segundo tempo a Chapecoense continuou pressionando para tentar garantir a vitória, já que um empate poderia significar a eliminação.

O gol da tranquilidade veio aos 11 minutos, com Henrique, que aproveitou um cruzemento de Henrique. Dois minutos depois, novamente Henrique estava bem posicionado em passe de Athos e fez 3 a 0. Faltava o gol 500 de Rodrigo Gral. E ele veio em grande estilo. Aos 17 minutos o atacante recebeu, tirou o zagueiro e colocou no canto do goleiro. Aos 22 minutos Gral saiu e deu lugar para Jô, que também marcou o seu, aos 30 minutos.



FICHA TÉCNICA



CHAPECOENSE-5:Nivaldo, Fabiano, André Paulino, Rafael Lima e Gilton; Wanderson (Dudu Figueiredo), Paulinho Dias, Neném, Athos (Dudu); Rodrigo Gral (Jô) e Henrique. Técnico: Gilmar Dal Pozzo

TUPI-0: Douglas Borges, Henrique, Wesley Ladeira, Fabrício Soares e Jean Batista, George, Bruno Araújo (Adalberto), Bruno Paiva e Glauber (Maguinho); Fabinho e Cassiano (Daniel Amorin). Técnico: Antonio Carlos Roy


Gols: Athos, aos seis minutos do primeiro tempo. Henrique, aos 11 e aos 13 minutos do segundo tempo, Rodrigo Gral, aos 17 minutos e Jô, aos 30 minutos do segundo tempo.

Arbitragem: Edivaldo Elias da Silva auxiliado por Luiz Souza Santos Renesto e Luciano Roggenbaun (trio do Paraná).

Cartões amarelos: Cassiano


Local: Estádio Índio Condá, em Chapecó

Comente aqui