Sexta-feira

16 ago11:53

Novo "Vingador do Futuro" é genérico em ritmo de videogame

Marcelo Perrone | marcelo.perrone@zerohora.com.br

Além de contar uma boa história e usar com eficiência as ferramentas narrativas e dramatúrgicas que o gênero em questão exige, até mesmo um blockbuster precisa mostrar um algo além relevante que o faça ser lembrado após a sessão: o contexto histórico e político da época em que é lançado, um ator que ali desponta para o estrelato, uma inovação que apresenta e se torna referencial, uma cena marcante que se fixa no imaginário coletivo, uma expressão que se agrega à cultura pop.

Filme entra em cartaz nesta sexta-feira no Cinema Arcoplex Shopping Pátio Chapecó.  Serão disponibilizadas duas salas e versões dubladas e legendadas. Confira a programação completa.

O Vingador do Futuro original, de 1990, reúne vários desses elementos. E mesmo que a divertida aventura de Paul Verhoeven tenha envelhecido um tanto mal no quesito efeitos visuais (e apenas nesse, e mesmo assim parcialmente), o reeencontro com esse universo é o que melhor tem a oferecer a nova versão da ficção científica adaptada do conto Lembramos para Você a Preço de Atacado, escrito em 1966 por Philip K. Dick.

A lógica que move uma refilmagem é complexa e tem entre seus fatores determinantes, de um lado, o potencial de lucro vislumbrado pelos produtores e, do outro, o interesse do público no reencontro afetivo – arrebanhando junto uma nova plateia seduzida pelo marketing maciço que, muitas vezes, sequer sabe estar diante de uma refilmagem. Tão velho como o próprio cinema, o remake já transformou filmes mudos em sonoros, deu cor ao preto e branco, transformou títulos obscuros em clássicos e permitiu pertinentes adaptações ao gosto de distintas épocas, idiomas e culturas.

Esse novo O Vingador do Futuro, que entra em cartaz nesta sexta-feira no Brasil, traz um pouco de cada um desses fatores para justificar ter sido feito, destacando-se coo exemplo de um recurso cada vez mais frequente diante da alarmante falta de ideias originais na linga de produção de Hollywood: a repaginação de um grande sucesso de bilheteria contando que o raio caia duas vezes no mesmo lugar.

Os diferenciais que tem a oferecer o diretor Len Wiseman – conhecido pela cinessérie de vampiros e lobisomens Anjos da Noite, protagonizada por sua mulher, Kate Beckinsale – são a batelada de efeitos visuais e a correria frenética que ditam o ritmo hoje das supreproduções como essa, espelhando nos filmes as etapas a vencer de um videogame.

Colin Farrell, no papel que foi de Arnold Schwarzenegger, vive um operário que, disposto a mudar sua rotina enfadonha, busca num implante de memória emoções que jamais teria. Ocorre que ele teve, sim, mas não lembra, uma vida pregressa das mais agitadas e perigosas. O despertar dessas memórias o torna alvo de uma grande caçada, inclusive daquela que imaginava ser sua mulher (Kate, incorporando a personagem de Sharon Stone e, por ser mulher do diretor, deve ter sido isso, ganhando um destaque na trama muito maior do que a loira no filme original).

>>> Leia entrevista com o ator Colin Farrell sobre o novo Vingador do Futuro

O enredo sofreu mudanças consideráveis. Marte sai de cena, e a ação agora é toda na Terra, que após uma guerra química ficou reduzida a apenas dois blocos habitáveis pelos humanos: a região europeia da Bretanha, onde vive a elite politica e econômica, e a Colônia (região da Austrália), um favelão futurista onde vivem os operários – lá é sempre noite, chove o tempo todo, e a publicidade toma conta de outdoors televisivos (óbvia referência visual decalcada de Blade Runner, também originado da obra de Dick). A conexão entre essas regiões é feita em minutos numa viagem ultrasônica por túnel. A ameaça de uma revolução dos trabalhadores é o pretexto para a grande corporação que manda em tudo colocar em curso uma ação militar, e é nesse conflito que o protagonista tem papel decisivo.

É quase tudo diferente (a personagem de Kate incorpora também a figura do caçador do herói no filme de 1990), mas Wiseman lança algumas piscadelas para os fãs do longa original emulando algumas situações parecidas, como a mulher de três seios. Como passatempo, a nova versão cumpre a função para quem aprecia o gênero. Mas lhe falta todo um contexto que assegure sua permanência na memória. Daqui a 22 anos, quando se falar em O Vingador do Futuro, a imagem referencial desse filme continuará sendo a consagrada pela combinação do talento visionário de Verhoeven com a divertida canastrice coberta de músculos de Schwarzenegger e a exuberância de Sharon Stone no auge da beleza. Esses elementos fizeram a fórmula funcionar apenas uma vez, proporcionando um prazer que não pode ser reproduzido por um genérico qualquer.


ZERO HORA

Comente aqui
20 abr10:22

Prazo para entrega da declaração do Simples termina nesta sexta-feira

O prazo para entrega da Declaração Anual do Simples Nacional (DASN-2012), ano-calendário 2011, termina nesta sexta-feira, às 23h59min. A entrega é feita apenas pela internet no Portal do Simples Nacional, disponível no site da Receita Federal. Inicialmente, o prazo final era 16 de abril, mas a Receita prorrogou a data de entrega devido a problemas técnicos no portal do Simples.

Dúvidas sobre a declaração podem ser tiradas no próprio endereço do Simples Nacional na internetonde se encontra uma lista de perguntas e respostas sobre o regime especial unificado de arrecadação de tributos e contribuições de microempresas e empresas de pequeno porte.

O Simples Nacional é a forma encontrada pelo governo para simplificar a arrecadação de impostos federais e estaduais, entre os quais o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ), Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e o Imposto sobre Serviços (ISS), que é municipal.

O último balanço, divulgado pela Receita Federal na segunda-feira passada, registrava a entrega de 3 milhões declarações. O número equivale a 78% das quase 3,8 milhões de empresas obrigadas a declarar.

O prazo não se aplica ao Microempreendedor Individual (MEI), que deve entregar a declaração até o dia 31 de maio.


AGÊNCIA BRASIL



Comente aqui
06 abr10:29

Tradição Santa

Sirli Freitas | sirliane.freitas@diario.com.br

A rotina do motoboy Antonio Moraes, na Sexta-feira Santa, é a mesma desde que era pequeno. Antes do sol nascer e sem lavar o rosto ele, como muitas famílias do Oeste, saem de casa a procura de uma florzinha amarela. Antonio acredita na tradição da colheita da Macela.

Depois de colher ele faz o chá da planta, bebe, lava o rosto e faz a barba. – Faço isso para não ter dor de dente e também para os pelos da barba não encravar – disse o chapecoense.

No Oeste de Santa Catarina a tradição da colheita da macela, ou marcela como é popularmente conhecida a erva, que passa de geração para geração, reúne famílias que acreditam que colher a planta com o orvalho sobre as flores faz com que o chá não perca parte do poder curativo.

Airton Moraes, primo de Antonio, andou 30 quilômetros de moto para colher a planta, mas não reclama. – Aprendi a colher com meu pai e faço isso todos os anos –disse Airton. A erva pode ser encontrada na beira das rodovias ou nos campos.

A planta é utilizada em chás e no chimarrão durante o ano todo. A dona de casa Irene Munis Claus disse que as flores do chá não podem ser fervidas. – Se ferver a macela perde todas as propriedades medicinais – recomenda. Ela disse que as flores devem ser colocadas em um copo, acrescentar a água quente e fazer infusão.


Para que serve

O chá é bastante utilizado devido a suas propriedades antiinflamatórias e analgésicas, estimulante da circulação capilar, peles e cabelos delicados, digestiva, indicada para dores abdominais e cólicas, contra diarréia, inflamações, conjuntivite, entre outras.


Comente aqui
03 abr16:11

Sexta-feira Santa

O Grupo de Teatro Ministério de Artes Kairós, formado há quatro anos, realiza nesta sexta-feira Santa, dia 6, a apresentação da Paixão e Morte de Jesus Cristo em Coronel Freitas. O grupo está ensaiando para a apresentação todos os domingos, há mais de dois meses. Nesta terça-feira será realizado o último ensaio antes da apresentação.


Grupo durante apresentação realizada em 2011.


Segundo Gelcimar Barela, um dos coordenadores do grupo, a ideia de realizar a apresentação surgiu do intuito de Evangelizar através da arte. – Participam do grupo pessoas ligadas à Igreja Católica – disse.

Atualmente o grupo é composto por 100 pessoas, de 0 a 70 anos.

O cenário e figurino é todo confeccionado na cidade.

- Queremos convidar a população da região para a apresentação da peça “ Vida, Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo” – convida Barela.

A apresentação acontece na sexta-feira, dia 6 de abril a partir das 20h, em frente ao Salão Paroquial, na Rua Pará, em Coronel Freitas.


Comente aqui
02 abr16:15

Teatro da Paixão de Cristo será apresentado em Abelardo Luz

Será realizado na sexta-feira Santa dia 6, a partir das 19h30, o espetáculo da Celebração da Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo, no Estádio Municipal Valdir Stefani de Abelardo Luz. O evento é uma realização do Governo Municipal e conta com o apoio de várias igrejas cristãs do município.

O Teatro da Paixão é um grande espetáculo cristão ao ar livre, com grandes cenários e figurinos de época. – Estamos ensaiando há alguns dias com atores da cidade e do interior. Com certeza será grande evento de arte e fé que promete emocionar o público do município e toda região – afirma o responsável pelo espetáculo, Avito Correia.

A encenação terá duração de 90 minutos e vai envolver cerca de 200 atores. Serão apresentadas cenas marcantes da bíblia como a passagem de Moisés pelo Mar Vermelho, do batismo de Jesus por João Batista, da crucificação até a ressurreição de Cristo, entre outras.

O espetáculo abordará também o tema da Campanha da Fraternidade 2012, Fraternidade e Saúde Pública, quem tem como lema: “Que a Saúde se difunda sobre a terra” (Cf. Eclo,38,8). O evento tem entrada gratuita.


Comente aqui