Silvestre

27 ago14:43

Dez espingardas utilizadas para a prática ilegal de caça de animais silvestres foram apreendidas em São José do Cedro

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Na manhã desta segunda-feira a Polícia Civil de São José do Cedro apreendeu 10 espingardas que eram utilizadas para a prática ilegal de caça de animais silvestres. Quatro integrantes de uma quadrilha foram presos em flagrante pelos crimes de posse ilegal de arma de fogo de uso permitido, posse ilegal de acessório de uso restrito e ter em depósito e guardar espécimes da fauna silvestre. Eles devem ser encaminhados para o Presídio de São Miguel do Oeste.

As investigações da Polícia Civil iniciaram há dois meses e nesta segunda-feira foram cumpridos três mandados de busca e apreensão.

Os policiais apreenderam em três residências 10 espingardas de calibres .32, .22, .28, um silenciador, três lunetas, duas lanternas, munições dos calibres .32, .22 e .28, carregadores, cartucheiras para acondicionar as munições, acessórios utilizados para recarga das munições (espoletas, pólvoras, socador de pólvora, diversos apitos utilizados para “chamarisco” de animais, além de 13 quilos de carne de lebre e tatu e 4,7 quilos de carne de paca.

Segundo o delegado Cléverson Luis Müller as investigações continuam, pois existe a possibilidade de que mais pessoas estejam envolvidas.


Comente aqui
30 mar10:03

Veado é baleado em Chapecó

Um veado foi encontrado baleado na noite da quarta-feira, dia 28, próximo a Floresta Nacional de Chapecó (Flona). O agricultor André Schleiscer, ouviu latidos do cão da família, foi até o galpão da propriedade e encontrou o animal silvestre assustado. A fêmea passou a noite no local e pela manhã André a levou até funcionários da Flona.

Após os primeiros atendimentos a fêmea foi encaminhada para uma clínica veterinária.

Segundo o médico veterinário, Ari Scapini, que atendeu o animal, a fêmea que pesa 25 Kg apresenta características de que estava amamentado de dois a três filhotes. O veterinário acredita que os filhotes com dois meses conseguem sobreviver comendo verduras sem a presença da mãe cerca de 10 dias. Os filhotes não foram encontrados.

A polícia militar ambiental, que já tem suspeitos do crime, acompanham a recuperação do animal.


1 comentário