Teste

07 abr10:08

A importância do Teste da Orelhinha

Em comemoração ao dia mundial da saúde, 07 de abril, o Hospital Regional Terezinha Gaio Basso, alerta para a importância do Exame de Emissões Otoacústicas Evocadas, mais conhecido como teste da orelhinha. O teste da orelhinha é o método mais moderno para constatar problemas auditivos nos recém-nascidos. O exame consiste na produção de um estímulo sonoro e na captação do seu retorno, através de uma delicada sonda introduzida na orelha do bebê.

De acordo com a fonoaudióloga, Bruna Cecin Grzebieluchas, o exame é feito com o bebê dormindo, em sono natural, a partir de 48 horas de vida, preferencialmente ainda no primeiro mês. – No Hospital Regional, solicitamos que os pais agendem o exame até sete dias após o nascimento, o teste é rápido, seguro e não provoca dores – disse.

Ao receber alta hospitalar os pais do bebê podem realizar o agendamento na recepção do hospital, ou telefonar para (49) 3631-1832 ou 3631-1843.

Bruna explica ainda, que a audição é fundamental para a aquisição e o desenvolvimento da fala e da linguagem. – Qualquer problema auditivo deve ser detectado precocemente, antes dos três meses de idade, com intervenção clínica e educacional, visando aproveitar o período crítico de estimulação – salienta.

A prevalência de perda auditiva neonatal no Brasil situa-se entre dois e seis casos para mil recém-nascidos vivos..




Comente aqui
17 out15:48

SUS vai oferecer teste rápido para sífilis

O Sistema Único de Saúde (SUS) vai oferecer teste rápido de triagem para diagnóstico de sífilis. A iniciativa é parte das ações do Dia Nacional de Combate à Sífilis, lembrado sempre no terceiro sábado do mês de outubro. De acordo com o Ministério da Saúde, até o fim de 2011 o governo vai comprar 392 mil kits para testagem na rede pública de saúde.

O Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais da Secretaria de Vigilância em Saúde capacitou 350 multiplicadores para treinar profissionais de saúde para implantar a testagem rápida. Até o final do ano, 680 técnicos estarão capacitados a orientar sobre como realizar o exame, de acordo com o ministério.

Um dos públicos alvo da iniciativa são as gestantes, grupo que registra índices altos de contaminação pela doença. No Brasil, a prevalência de sífilis em parturientes é cerca de quatro vezes maior que a prevalência da infecção pelo HIV.

De 2005 a 2010, o Ministério da Saúde registrou 29,5 mil casos de sífilis em gestantes. De 2000 a 2010, os dados apontam 54,1 mil casos de sífilis congênita em crianças menores de um ano de idade.


A doença

A sífilis é uma doença infecciosa causada pela bactéria Treponema pallidum. Sem tratamento adequado, a doença pode comprometer a pele, os olhos, os ossos, o sistema cardiovascular, o sistema nervoso e levar à morte. Além da transmissão de mãe para filho, o contágio ocorre em relações sexuais sem proteção ou por transfusão de sangue contaminado.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), por ano, ocorrem cerca de 12 milhões de casos da doença no mundo. No Brasil, segundo a OMS, são registrados anualmente 937 mil novos casos de infecção de sífilis por transmissão sexual.


AGÊNCIA BRASIL

Comente aqui