Trabalho

05 out09:34

Nível de estresse entre trabalhadores brasileiros cresceu 41%, diz pesquisa

O nível de estresse entre trabalhadores brasileiros cresceu 41% no último ano de acordo com pesquisa realizada pela multinacional Regus, empresa de projetos para escritórios. Parece muito — e provavelmente é. No entanto, trata-se do terceiro menor percentual entre os 14 países pesquisados, à frente de Holanda (40%) e Austrália (38%).

Os campeões de estresse são os chineses (75%) e alemães (58%), enquanto a média percentual foi de 48%. De modo geral, fatores como a falta de infraestrutura interna para suportar o crescimento que o país vive, assim como a contínua instabilidade da economia mundial, parecem ter contribuído para essa pressão crescente.

Os participantes disseram que a maioria dos gatilhos que elevam o estresse não é de natureza pessoa, mas profissional. Preocupações com emprego, finanças pessoais e clientes encabeçaram a lista de causas.

O Brasil obteve o maior percentural no item Eu acredito que flexibilidade no trabalho reduz o estresse, com 66% — mesmo índice constatado nos Estados Unidos e Austrália e menor do que entre mexicanos (67%), belgas (69%), indianos (72%) e canadenses (73%).

— No Brasil, um em cada cinco trabalhadores descreve o estresse sentido no trabalho como “excessivo”. E a carga de estresse não recai apenas sobre eles, reflete também nos negócios, pois é aí que se percebe o rendimento das equipes abaixo do esperado, a necessidade de maior número de afastamentos por motivo de doença e a diminuição da eficiência — diz o diretor-geral da Regus no Brasil, Guilherme Ribeiro.

Além dos já citados, participaram da pesquisa trabalhadores da França, Reino Unido, África do Sul e Japão.


Em relação ao Brasil, a pesquisa também indicou que:

:: As principais causas do estresse são: emprego (55%), finanças pessoais (45%) e clientes (38%).

:: 66% dos participantes afirmam que meios flexíveis de trabalho reduzem o estresse.

:: Mais da metade (58%) dos participantes acredita que meios flexíveis de trabalho fazem muito bem para a família.

:: Os trabalhadores de pequenas empresas estão mais propensos ao estresse causado pelos clientes (41%) que os trabalhadores de grandes empresas (33%). Em compensação, são menos cobrados pelos gerentes (21%) que seus colegas de empresas maiores (42%).

:: 42% dos participantes consideram que meios flexíveis de trabalho são mais baratos que locais fixos de trabalho, e 83% dizem que tais meios melhoram a produtividade.

VIDA E SAÚDE



Comente aqui
05 set11:34

Confira dicas para otimizar o tempo no trabalho

A capacidade de organizar bem o tempo de trabalho, produzindo adequadamente dentro dos horários de expediente, evitando horas extras e dando os retornos necessários, desafia trabalhadores nas diversas atividades profissionais.

— O ritmo alucinante das mudanças, a avalanche de dados e informações, a pressão do mercado para se produzir mais, com menor custo e tempo possíveis, reforçam a necessidade de gestão compartilhada e produtiva do tempo para garantir lucratividade, empregos bons e estáveis com qualidade de vida — diz Ricardo Barbosa, diretor de uma empresa de consultoria organizacional.

Segundo ele, alguns pontos potencializam essas dificuldades:

— Ausência de foco: o colaborador acumula várias obrigações e deseja resolver tudo ao mesmo tempo, o resultado é que nenhuma das obrigações é feita;

— Falta de concentração na tarefa em execução: o colaborador leva para empresa problemas pessoais, além de conversas paralelas que faz com que o resultado fique prejudicado;

— Ausência de planejamento: não sabendo se planejar, ocorre confusão e não se estabelece prioridades;

— Acomodação que gera desmotivação: muitos colaboradores não buscam fazer um trabalho diferenciado, criando um ciclo vicioso na relação acomodação e desmotivação;

— Procrastinação: deixar tudo que se pode fazer hoje para o amanhã;

— Refém de ferramentas tecnológicas: as pessoas ficam apegadas ao celular e ao uso de e-mail de forma errada, como checar a caixa de correspondência toda hora.


Uma forma eficaz, segundo Barbosa, é utilizar o quadrante do tempo, onde você irá separar suas atividades em: Crises, o que é importante e urgente; Urgências, o que é urgente mas não importante; Planejamento, o que é importante mas não urgente; e Rotina, nem importante e nem urgente.

— A pessoa estabelecendo bem esta relação com o tempo terá muito mais tempo para sua vida pessoal, caindo com o mito de que o colaborador dedicado é o que só pensa no trabalho. Só pensar no trabalho não é bom, pois afeta diretamente a nossa saúde, família e qualidade de vida. Quando planejamos nossas atividades, conseguiremos ser produtivos — alerta o consultor.


Veja as principais dicas para otimizar seu tempo de trabalho:

:: Estabelecer prioridades;

:: Disciplinar reuniões;

:: Disciplinar horários para conversas;

:: Estabelecer código de conduta telefônica e para eletrônicos;

:: Classificar atividades que são importantes e urgentes;

:: Evitar acumular funções que não sejam suas.


BEM-ESTAR



Comente aqui
31 mai15:24

O que fazer quando o chefe se torna um amigo?

A jornada de trabalho dos brasileiros dura, em média, oito horas a cada dia. É inevitável, portanto, que se criem laços afetivos no ambiente da empresa, inclusive com o chefe do setor.

Porém, a amizade entre gestores e subordinados pode não ser bem recebida pelo restante da equipe. Não há como definir a melhor maneira de lidar com relacionamentos pessoais no trabalho, mas é certo que eles não devem influenciar a tomada de decisão dentro da empresa.

Especialistas enfatizam que a primeira regra é evitar que aspectos pessoais e profissionais se confundam. Além disso, o amigo deve estar preparado para receber críticas do gestor e, em algumas situações, até ser mais cobrado.

Quem vai definir os limites da relação é o chefe, pois dele se esperam ações compatíveis com o posto, entre elas a boa convivência com a equipe.


É preciso ter cautela

Segundo a psicóloga Juliana Bertoletti, diretora de uma empresa de desenvolvimento de pessoas, o estreitamento do vínculo entre os funcionários depende da personalidade de cada um e é preciso tomar cuidado para que a amizade não atrapalhe o trabalho ou cause constrangimentos.

— É importante que os envolvidos avaliem seu comportamento, ponderando se o relacionamento amistoso está invadindo o ambiente profissional e se há informalidade ou favorecimento devido a essa relação, o que pode gerar um grande desconforto entre os colegas — aconselha a psicóloga.


Não esconda

Para Luiz Victorino, professor de recursos humanos, a amizade entre chefe e subordinado não é um problema e, dependendo da cultura da empresa, ela deve até ser demonstrada, jamais escondida.

— Você não é proibido de ser amigo de ninguém — atesta.

Victorino sugere que as discussões sobre o trabalho não saiam do ambiente da empresa, pois quem não tem o mesmo relacionamento com o gestor pode ser prejudicado com isso.


Discussão é caminho

A psicóloga Juliana Bertoletti explica que, do ponto de vista emocional e afetivo, é difícil ser subordinado do amigo. Por isso, o relacionamento profissional precisará ser avaliado e discutido com os envolvidos.

No quadro ao lado, veja dicas que ajudam a definir limites para que o trabalho não interfira na amizade.


Como evitar atritos com a equipe


Seleção

::: O processo seletivo deve ser aberto e claro para toda a equipe, proporcionando situações que comprovem a competência do novo contratado. Outros funcionários devem participar da escolha.


Cobrança

::: A amizade deve aumentar a preocupação do gestor em deixar claro para a equipe quais são as responsabilidades de cada um e o que se espera deles em termos de resultados.


Promoções

::: Devem ser pautadas pelo conjunto de competências e qualificações necessárias para o cargo. A empresa deve ter um programa de gestão de pessoas para servir como guia nesses casos.


Limites

::: Estabelecer limites para a relação profissional é prerrogativa do chefe. Ele pode fazer críticas ao trabalho do amigo, atender ou não a pedidos de aumento ou promoção, e até demitir.


Liderança

::: O chefe tem de estar consciente do poder que possui. Precisa fugir do estilo arrogante e definir objetivos pelos quais todos são desafiados. Assim, o que importa são as competências de cada um.


Fontes: Consultora da área de gestão de pessoas Juliana Bertoletti e coach Isabel Macarenco.


HORA DE SANTA CATARINA



Comente aqui
15 mai15:43

Parceria para fomentar o mercado de trabalho

Para fomentar a inserção no mercado de trabalho dos estudantes de cursos técnicos, bem como ampliar a agilidade nas contratações por meio da CDL Empregos, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Chapecó (CDL) firmou convênio com o Centro de Educação Profissional Chapecó (CEDUP).

A parceria possibilitará a divulgação do serviço oferecido pela CDL Chapecó, bem como a propagação dos cursos disponibilizados pela escola estadual para a comunidade local e regional. Os alunos interessados também poderão cadastrar o currículo no novo sistema da CDL Empregos, que auxilia as empresas associadas no recrutamento e seleção de profissionais qualificados, adequando o perfil profissional, psicológico e comportamental, de acordo com as necessidades das organizações.

O diretor executivo da CDL Chapecó, Valdemir Manoel da Silva, ressalta que a parceria dinamizará a inserção ao mercado de trabalho.

- Há inúmeras vagas em aberto que são disponibilizadas pelo serviço, porém faltam profissionais qualificados para atender a demanda. Com os alunos se especializando o processo se tornará mais ágil, o que é bom para a empresa e para o profissional – complementa.


CDL Empregos

Segundo a coordenadora do CDL Empregos, Aline Borges Schoeninger, o sistema realiza todo o processo de seleção dos currículos com base nos dados do candidato, como escolaridade e experiência, conforme o perfil exigido pela vaga. O modelo de currículo também permite cadastrar todas as informações do candidato, a exemplo de laudos e pareceres psicológicos. – Com essa pré-seleção, o processo de triagem é dinamizado e informatizado – afirma.

O custo à empresa interessada é de R$ 30 por todo o processo e para o candidato é gratuito. Aline orienta aos profissionais cadastrados no sistema antigo para que efetuem nova inscrição do currículo.

As vagas disponíveis podem ser visualizadas no site www.cdlempregoschapeco.com.br. Mais informações pelo telefone 3319-4300 ou pelo e-mail vagas@cdlempregoschapeco.com.br.


CEDUP

O CEDUP visa consolidar a educação profissionalizante através de um processo voltado para a expansão dos cursos, de forma comprometida com os princípios educativos vigentes, garantindo a formação e qualificação profissional do cidadão.

Atualmente oferece qualificação técnica em três turnos, com aulas práticas e teóricas. Os cursos oferecidos gratuitamente são: Técnico em Massoterapia (quatro módulos e duração de dois anos), Técnico em Cozinha (três módulos e duração de um ano e meio), Técnico em Manutenção e Suporte em Informática (quatro módulos e duração de dois anos), Técnico em Vestuário (quatro módulos e duração de dois anos), Técnico em Transações Imobiliárias (três módulos e duração de um ano e meio) e Técnico em Enfermagem (quatro módulos e duração de dois anos).

De acordo com a diretora da Cedup, Maria de Lurdes Seben, hoje são 500 alunos em 19 turmas, porém a capacidade para atender é de 800, nos três turnos. – Nossa proposta é mostrar para a sociedade os cursos que são oferecidos gratuitamente. As pessoas não podem perder a oportunidade de se qualificarem, pois os alunos que estão no segundo módulo estão sendo contratados – explica.

A equipe da unidade é de 50 profissionais, sendo 42 professores com pós-graduação ou mestrado. As matrículas para as novas turmas iniciam em julho e dezembro. Mais informações pelo telefone (49) 3322-0447.


Comente aqui
02 mai14:43

II Feirão do Emprego será neste sábado em Chapecó

Será realizado neste sábado, dia 5, o II Feirão do Emprego em Chapecó. Promovido pela Prefeitura em parceria com o Grupo Crescer RH, o evento será das 8h30 às 17h, na Praça Coronel Bertaso, em frente à Catedral Santo Antônio.

Aproximadamente cinco mil vagas de trabalho serão apresentadas à população através do Feirão que envolverá cerca de 10 empresas e entidades interessadas em divulgar as vagas de emprego.

De acordo com o Secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Diógenes Lang, o evento deve facilitar o acesso à oportunidade de trabalho e também minimizar a falta de mão de obra nas empresas.

- O objetivo é gerar oportunidades de trabalho, agilizando o processo de recrutamento e seleção e promovendo aos profissionais este contato com as empresas sem custo algum – explica.


Comente aqui
01 mai14:49

Prefeitura e Ministério Público do Trabalho discutem possibilidades de qualificação indígena em Chapecó

Através de reunião realizada no Ministério Público do Trabalho de Chapecó, entre o Procurador do Trabalho, Marcelo Ambrosio, Secretário Municipal da Agricultura e Serviços Rurais Altair Silva, Diretora do Senac, Silvana Marcon, Gerente de Assuntos Indígenas da Secretaria da Agricultura, Alexandra Jãn-Fef Paliano, o Agrônomo da Epagri Alexandre da Veiga e a Representante da FASC, Vera Sistherenn foram apresentadas necessidades e possibilidades de realização de qualificação de jovens indígenas.

O Programa de Qualificação e Cursos para Indígenas será realizado com parceria do Sistema-S, composto por Senac, Sebrae, Senai, Sest, Senat e Senar. Através de cursos de tecnologia, os jovens acima de 18 anos serão capacitados para atuar tanto nas comunidades bem como no mercado. – O intuito do projeto é preparar os Índios para atuar em serviços importantes nas comunidades, mas também em empresas da cidade – explica Alexandra Paliano.

Inicialmente será levantada demanda para os cursos apresentados pelas entidades de ensino, bem como o grau de escolaridade, para posteriormente traçar as estratégias e possibilidades de realização destes cursos nas próprias comunidades indígenas.

- A iniciativa do Ministério do Trabalho foi muito importante pois atenderá a demanda das empresas de Chapecó, que precisam cada vez mais de mão de obra qualificada. Para os Índios também é uma excelente oportunidade de aprendizado e melhora da qualidade de vida – completa Altair Silva.

Em Chapecó existem duas comunidades Indígenas e ambas possuem especificidades. Na Aldeia Condá os membros mantém as origens como língua e costumes e no caso da Aldeia Toldo Chimbangue, os costumes estão sendo retomados. Com essa diversidade será possível atuar dentro das comunidades bem como fora delas, pois existem Índios que já trabalham em empresas de Chapecó e também os que desejam trabalhar dentro das comunidades.


Comente aqui
29 abr12:17

Saiba como enfrentar a rotina sem estresse e aumentar a produtividade no trabalho

O que é o trabalho para você? Longe de ser apenas uma forma de subsistência, eles dizem muito sobre sua personalidade. Não importa qual seu talento: médico, engenheiro, professor, publicitário ou psicólogo. Cada vez mais, o mundo corporativo valoriza pessoas que sabem o que querem, têm autonomia para agir e são peças-chave para o sucesso de qualquer negócio. Porém, para produzir bem, é necessário se sentir bem no ambiente de trabalho.

A qualidade de vida depende muito da satisfação que as pessoas têm em sua vida profissional. Muitas vezes, não se trata de um trabalho remunerado. O engajamento num projeto social, por exemplo, é tão válido quanto o empenho de um executivo de multinacional. Ser valorizado pelo que você faz é importante, mas hoje, muito mais do que dinheiro, as pessoas querem ser capazes de decidir seus rumos e de enfrentar seus problemas. E este conceito de qualidade de vida — que apresenta tantas variações, muitas vezes divergentes — têm muito a ver com felicidade e auto-realização, com independência e estado de satisfação ou, ainda, com as condições sociais e econômicas.

Os aspectos físico, emocional, social, profissional, intelectual e espiritual devem funcionar em plena harmonia. Ao longo do ano, falaremos um pouco sobre todos estes temas, entre outros valores responsáveis pelo nosso bem-estar. Assim como já abordamos Cultura e Lazer, neste especial, vamos abordar a Relação com o Trabalho e Autonomia e Liberdade, duas dimensões avaliadas na edição 2011 do Índice de Bem-Estar (IBE), pesquisa realizada pela Unimed Porto Alegre. Até sexta-feira, dicas e informações de especialistas serão publicadas para servir como um guia para ajudá-lo a levar uma vida mais leve, prazerosa e saudável, tanto no aspecto pessoal quanto profissional. Também falamos com profissionais de diferentes perfis, que contam suas dicas de como ter satisfação no trabalho — e também como fugir do estresse e do sedentarismo.


Esgotamento físico e mental leva ao desenvolvimento de doenças

Para muitas pessoas, o local que deveria ser sinônimo de satisfação profissional e financeira acaba se transformando em fonte de problemas físicos e emocionais. As doenças do trabalho são inúmeras e estão relacionadas, muitas vezes, ao estresse. Esse problema coloca em risco a saúde dos trabalhadores e gera doenças de fundo psicossomático. O estresse leva o indivíduo a ter um desempenho ruim, baixa moral e absenteísm. Segundo especialistas, o problema pode gerar até mesmo depressão.

De acordo com a presidente do Instituto Brasileiro de Qualidade de Vida, Elizabet Garcia Campos, as consequências para o funcionário são inúmeras. Vão da queda de produtividade ao esgotamento físico e mental. Daí para o desenvolvimento de doenças é um pulo.

— As empresas precisam detectar a forma de adequar os profissionais aos cargos, medir o nível de satisfação dos trabalhadores, verificar o grau de comunicação e integração de equipes, desenvolver políticas de benefícios e observar as condições ambientais — ensina Elizabet.

Ela conta que até a poluição sonora e o tempo gasto pelo trabalhador para chegar à empresa são fatores que podem levar ao estresse. Do ponto de vista ergonômico, as condições ambientais inadequadas podem provocar os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (Dort) que, de acordo com um cruzamento de dados feito pelo Ministério da Previdência, lideram, juntamente com os transtornos mentais, os motivos de afastamento do trabalho.

As LER/Dort são síndromes que atacam os nervos, músculos e tendões, e que atingem principalmente os membros superiores e o pescoço. São degenerativas e acompanhadas de dor, não só por causa da intensidade do trabalho, mas também devido a atividades desempenhadas sob estresse intenso. Os prejuízos vão para o funcionário e para a empresa: segundo o Instituto Nacional de Prevenção às LER/Dort, as companhias gastam mais de R$ 90 milhões por ano devido ao afastamento dos trabalhadores afetados pelas síndromes correlatas.


Alerta para as dores

A fisioterapeuta Heloísa Guimarães explica que a dor não significa, necessariamente, uma patologia. É, porém, o alerta do corpo para que a pessoa verifique se há algo de errado com ela. Muitas vezes, porém, o trabalhador subestima a sensação e, sem mudar os hábitos, contribui para o surgimento de problemas musculares e circulatórios.

— No início, a pessoa sente uma pressão na nuca. Muda a postura, sente alívio. Depois, a dor vai se intensificando e ela nota que só melhora depois de uma noite de sono. A dor fica cada vez mais grave e pode se tornar crônica — alerta.

Segundo Heloísa, o corpo desenvolve um mecanismo de proteção para “esconder” a dor. E a tendência é que a musculatura e os tendões encurtem ou atrofiem. A fisioterapeuta explica que, além dos cuidados necessários com a postura, é preciso estimular o organismo com exercícios físicos, que podem ser caminhadas, sessões de dança ou musculação. E a diversidade de atividades ajuda o corpo a ficar mais dinâmico. Quem é sedentário sofre mais.

Além dos problemas ergonômicos, os funcionários devem ficar atentos aos males respiratórios provocados pelo ar-condicionado. Mudanças bruscas de temperatura podem diminuir a resistência do organismo e torná-lo alvo fácil para infecções.

— Mas o maior problema é a higienização. No ar-condicionado, a umidade fica presa na tubulação, o que favorece a proliferação de ácaros e fungos. A pessoa pode ter desde infecções fúngicas a sinusite — diz a alergista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, de São Paulo, Iara Mello. Segundo a médica, o ideal é que a manutenção do aparelho seja feita a cada seis meses.


BEM-ESTAR



Comente aqui
27 abr11:49

Duas pessoas ficam feridas em acidente de trabalho em Concórdia

Os trabalhadores auxiliavam na montagem pré-moldada do prédio quando uma das vigas se desprendeu e destruiu parte de uma laje. O acidente foi na tarde desta quinta-feira, no centro da cidade. No local está sendo construído um supermercado.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, um dos trabalhadores atingidos teve apenas ferimentos leves e foi atendido no próprio canteiro de obras e liberado. O outro, um rapaz de 20 anos, foi conduzido ao hospital com ferimentos na face e nos braços. Ele caiu de uma altura de aproximadamente nove metros.

Ainda não se sabe o que provocou a movimentação da viga.


Seminário Regional em Concórdia

Na tarde desta sexta-feira, a partir das 13h30 será realizado Seminário Regional Trabalho e Adoecimento – em memória das vítimas de doenças e acidentes decorrentes do trabalho no Alto Uruguai Catarinense. O encontro será na Casa de Cultura de Concórdia.

O evento vai contar com palestras, debates e exibição de um documentário. Durante a tarde o tema em pauta são os programas públicos de prevenção dos acidentes na construção civil e organização do trabalho. Já pela noite tem palestra sobre direitos trabalhistas e deveres do empregador.

A inscrição pode ser feita na hora e é de gratuita.


RBS TV CONCÓRDIA


Comente aqui
18 mar16:22

Vagas no Sine de Concórdia

O  Sine de Concórdia oferece vagas de emprego.


Para mulheres há vaga de:

- Empregada Doméstica

- Vendedora

- Costureira em geral com experiência

- Operadora de caixa


Já para homens há vaga de:

- Auxiliar de linha de produção

- Auxiliar de Soldador

- Auxiliar de mecânico

- Ajudante de pintor

- Mecânico e eletricista de automóveis

- Soldador

- Servente de obras

- Pedreiro

- Representante Comercial

- Trabalhador de manutenção de edifícios

- Torneiro mecânico

- Oficial de serviços gerais

- Operador de guilhotina


O Sine de Concórdia oferece ainda vagas de Cozinheiro, Vendedor de serviços, Professor de Autocad e Supervisor de produção da indústria alimentícia para ambos os sexos.

Interessados devem comparecer no Posto do Sine de Concórdia, com identidade, CPF e Carteira de Trabalho.


Comente aqui
26 jan15:13

Concórdia teve mais de mil novos empregos formais em 2011

O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) divulgou em Brasília, os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) correspondente ao mês de dezembro do ano e consequentemente de todo ano.

Concórdia teve um saldo positivo, em 2011. Foram 1.012 novos postos formais de trabalho.

Os níveis setoriais que mais contribuíram para a obtenção do índice foram agropecuária (12.45%), serviços (10,32%) e comércio (6,12%).

Apresentaram desempenho negativo, a construção civil (-3,52%) e indústria da transformação (-1,70%).


Comente aqui