Transporte

04 dez11:07

Três caminhões abastecem Seara com água

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Moradores dos pontos mais altos de Seara sofrem mais uma vez com a falta de água no município. Desde o meio-dia da segunda-feira, dia 3 de dezembro, três caminhões estão transportando água do Rio Uvá em Itá, para o Rio Caçador, onde fica a Barragem de captação de água da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan).

Cada caminhão carrega 35 mil litros de água por viagem. O percurso de 18Km entre Itá e Seara, demora 1h30. Neste período já foram realizadas 20 viagens.

Segundo o chefe da agência da Casan em Seara, Carlos Pressoni Filho, esse serviço é para garantir o abastecimento de água em toda a cidade, já que a barragem está seca.

O poço profundo, que seria uma das soluções, está com problemas técnicos na bomba e não consegue puxar água há duas semanas.

- Nesta quarta-feira técnicos devem fazer uma avaliação para constatar o problema – disse Pressoni.

Caso a chova e o nível da barragem volte ao normal o transporte será suspenso. Caso contrário o serviço será mantido.



Comente aqui
25 out19:01

Feira de Logística e Transporte deve atingir meta de R$ 120 milhões

A Feira Internacional de Logística, Transporte e Comércio Exterior (Logistique), encerra nesta sexta-feira, em Chapecó, com a previsão de atingir a meta de R$ 120 milhões em negócios. De acordo com o coordenador do evento, Leonardo Rinaldi, os expositores estão contentes com o movimento e a previsão de faturamento leva em conta negócios fechados e projetados para os próximos dois anos. Somente a Randon Brantech, que fabrica câmaras frigoríficas, basculantes e graneleiros para caminhões, deve fechar R$ 6 milhões em negócios durante os quatro dias de feira. São 150 marcas de caminhões, equipamentos e softwares ligados ao setor. Os portões abrem das 15 horas às 22 horas. Quem quiser visitar a feira, gratuitamente, deve se credenciar no site www.logistique.com.br .

Comente aqui
14 ago09:56

Motoristas e cobradores do transporte coletivo de Chapecó fazem paralisação

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Quem precisou pegar ônibus do transporte coletivo urbano em Chapecó para ir ao trabalho na manhã desta terça-feira precisou ter paciência. Motoristas e cobradores realizaram uma paralisação, o que geral atraso na saída de alguns horários. Segundo o Sindicato dos Condutores de Veículos e Trabalhadores nas Empresas de Transporte Coletivo Urbano e Transporte Intermunicipal e Interestadual de Chapecó e Região (Sintracol), a categoria quer um aumento de salário e do vale alimentação, além da redução do intervalo de 4 para 2 horas e melhores condições de trabalho. A paralisação iniciou às 4 horas da manhã e até a metade da manhã alguns horários haviam sido normalizados.

- Estamos em negociação desde o dia 4 de abril quando entregamos a pauta de reivindicações . Até agora participamos de quatro reuniões e não tivemos acordo – disse Rubismar Cruz, presidente do Sitracol.

Cruz disse ainda que o salário dos profissionais é o mais baixo do estado. Os cobradores recebem R$ 630 e os motoristas R$ 1.093.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Oeste Catarinense (Sintroeste), disse que já foi oferecido um aumento salarial nas negociações, mas o sindicato da categoria recusou.

Em Chapecó duas empresas têm a concessão do transporte coletivo. Segundo informações do Sintroeste , uma delas, com 350 funcionários, está com 10% dos funcionários parados, a maioria cobradores. A outra com 100 funcionários disse que apenas cinco profissionais estão parados.


Comente aqui
13 jul18:20

Motoristas do transporte urbano de Chapecó podem paralisar as atividades no domingo

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Oeste (Sintroeste) foi notificado que a partir das 14h deste domingo pode acontecer paralisação no transporte coletivo urbano de Chapecó. A notificação foi feita na última quinta-feira, 12 de julho, às 14h, pelo Sindicato dos Condutores de Veículos e Trabalhadores nas Empresas de Transporte Coletivo Urbano e Transporte Intermunicipal de Passageiros (Sittracol).

Por determinação da Procuradoria Regional do Ministério Público do Trabalho, devem permanecer em operação 70% do sistema de transporte coletivo urbano, no período de eventual greve. Conforme o Sintroeste, as empresas vão se empenhar para manter os serviços em caso de paralisação.

Além disso, usuários que tiverem dificuldade em seus deslocamentos devem manter contato com as empresas que realizam a atividade de transporte urbano em Chapecó.


Comente aqui
10 jul09:40

Greve obriga pessoas a tentar vários bancos antes de conseguir sacar

Felipe Pereira |  felipe.pereira@diario.com.br

Na quinta tentativa a estudante de Economia Letícia Albano finalmente consegue sacar. Um alívio para quem acabara de pendurar a conta no dentista e estava sem dinheiro para pagar o estacionamento.

Ela aproveita e pega dinheiro para a semana toda. Fez bem porque a greve dos trabalhadores de valores continuará pelo menos mais alguns dias. Em audiência realizada na segunda-feira, dia 9,  na Justiça do Trabalho de Itajaí não houve acordo e o Tribunal Regional do Trabalho vai marcar um dissídio coletivo.

Não há data marcada, mas a expectativa é que ocorra ainda nesta semana. O prazo regimental é de 20 dias, mas geralmente a decisão vem antes. De acordo com os grevistas, cerca de 80% dos 1,5 mil funcionários estão parados e a adesão ao movimento é total em Florianópolis, Criciúma, Blumenau, Chapecó e Itajaí.

Eles querem aumento de 10% vale-refeição, 14,88% nos salários e plano de saúde integral. A diferença para a proposta dos empresário é grande, eles oferecem 4% de reajuste salarial.

Diante do impasse, Letícia defende que pelo menos um contingente mínimo de funcionários mantivesse os serviços. A estudante diz que na sexta-feira passada tentou sacar nos caixas eletrônicos do Banco do Brasil na UFSC. Nada feito. Por isso foi obrigada a cancelar a balada naquela noite. No sábado, só saiu de casa porque os amigos dividiram a conta dela de R$ 25. Ontem, conseguiu dinheiro na agência da Praça XV de Novembro, no Centro, durante a quinta tentativa.


Movimento no comércio cai

Na agência da Tenente Silveira do Banco do Brasil havia um aviso na parede avisando que os caixas estavam desabastecidos. Um funcionário anunciava a lista de onde não havia como sacar e ela era longa. No Bradesco, situado no mesmo endereço, havia dinheiro e muita esperando a vez de sacar.

Na Caixa Econômica da Felipe Schmidt, as pessoas se espremeram, mas ainda assim a fila estava no calçadão. Noeli Gonçalves, 67 anos, tentou sacar duas vezes nesta agência. Meia-hora depois chegou ao caixa eletrônico que estava vazio. Ficou irritada e afirmou que a paciência havia acabado e voltaria para casa.

A situação é ruim para os correntistas e quem tem comércio. Dono de um pastelaria, Juarez Fernandes Filho, se acostumou a servir 400 refeições por dia, mas conforme a greve avança o movimento cai. Ontem, a previsão era fechar em 300.

Também aumentou o uso de cartão de débito e crédito inclusive em pequenos estabelecimentos de bairro. Caso do Mercado Carvoeira, onde a utilização do dinheiro de plástico cresceu 20% de acordo como gerente Alison Fiuza. Ele lembrou que com esta forma de pagamento é preciso pagar uma comissão para a operadora.

Comente aqui
09 jul17:34

Greve continua e caixas seguem sem dinheiro em Santa Catarina

Em audiência realizada agora à tarde, em Itajaí, não houve acordo entre os sindicatos trabalhista e patronal das empresas transportadoras de valores.

Em contato com o tesoureiro da Sintravesc, Júlio Maranhão, ele disse que não houve acordo porque a proposta dos patrões foi mantida. O Sindicato das Empresas de Segurança Privada de Santa Catarina (Sindesp) oferece aumento de 4%, e a classe trabalhista reivindica 14,88% (que é o INPC mais aumento real de 10%), mais o retorno do vale-alimentação nas férias, além de resjuste do valor de 15,90 para 18 reais, e ainda plano de saúde integral.

>> Dicas para driblar a falta de dinheiro e pagar contas

Sem o acordo, os sindicatos encaminham documentação para o Tribunal Regional do Trabalho, em Florianópolis. Segundo o Sintravesc, os trabalhadores só vão voltar ao serviço no momento que for marcado o julgamento deste caso.

A paralisação começou no dia primeiro de julho, e prejudica o abastecimento de cédulas nos caixas eletrônicos que ficam fora das agências bancárias.

Semana passada, o Procon estadual autou 10 bancos que, com a falta de dinheiro, por limitar o saque feito na boca do caixa, o que vai contra o Código de Defesa do Consumidor. Houve filas nas lotéricas, e algumas chegaram a fechar mais cedo. Uma equipe da RBS TV flagrou, inclusive, funcionários de uma empresa transportando malotes com valores em carro comum, o que é proibido.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
09 jul12:56

Audiência em Itajaí poderá por fim à paralisação dos transportadores de valores, em Santa Catarina

Uma audiência de conciliação na Justiça do Trabalho em Itajaí, nesta segunda-feira à tarde, vai tentar por fim à greve dos transportadores de valores em Santa Catarina, cuja paralisação começou no dia 1º e já compromete o abastecimento das agências bancárias e terminais de autoatendimento.

Na última sexta-feira, estimativas apontavam que 50% dos caixas eletrônicos destacados das agências (em supermercados e rodoviárias, por exemplo) estariam sem cédulas para saque.

Patrões e empregados divergem quanto ao índice de reajuste. Enquanto o Sindicato das Empresas de Segurança Privada de Santa Catarina (Sindesp) oferece aumento de 4%, o Sindicato dos Empregados em Transportes de Valores de Santa Catarina (Sintravasc) reivindica 14,88%, mais vale-alimentação nas férias e plano de saúde integral. Uma assembleia dos trabalhadores deve ser feita à noite para avaliar eventual nova proposta.

Segundo o Sintravasc, a greve alcança 100% dos trabalhadores de Florianópolis, Criciúma, Blumenau, Itajaí, Joinville, Chapecó e Tubarão.

Se a audiência na 2ª Vara de Trabalho em Itajaí não resultar em acordo, será encaminhado um dissídio coletivo, o que prorrogará a paralisação por mais alguns dias.

JORNAL DE SANTA CATARINA



Comente aqui
04 jul11:53

Começa a faltar dinheiro em alguns caixas eletrônicos

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

No terceiro dia de greve dos empregados no transporte de valores em Santa Catarina alguns caixas eletrônicos estão sem dinheiro. O último abastecimento foi realizado no domingo, dia 1º de julho. Nesta tarde será realizada, às 14 horas, uma audiência no Ministério Público em Florianópolis, entre representantes das empresas de transportes de valores e o Sindicato dos Empregados em Transportes de Valores de Santa Catarina (Sintravasc).

O diretor do sindicato em Chapecó, Ademir Dall Bello, que esta na capital, espera que a reunião seja positiva e caso as reivindicações não sejam atendidas a greve deve continuar.

- Não queríamos paralisar as atividades e causar problemas para a população, mas essa é única solução – disse.

Em Chapecó, alguns caixas eletrônicos externos da Caixa Econômica Federal estão com falta de nota. Nos caixas das agências, até o momento, o atendimento está normal, pois eles podem ser abastecidos pelos funcionários.

Já na Grande Florianópolis, desde a terça-feira, um cartaz na entrada das agências orienta que os clientes realizem transferências de valores e procurem as lotéricas para efetuar saques maiores, pois foi estipulado um limite de saque, no valor de R$ 1 mil por cliente, na boca do caixa. A Assessoria da Instituição disse ainda que está conseguindo administrar bem a situação e não está com grandes problemas.

De acordo com o Sintravasc a paralisação ocorre em Florianópolis, Criciúma, Blumenau, Tubarão, Itajaí, Joinville, Joaçaba, Lages e Chapecó. São 1,5 mil trabalhadores parados desde a segunda-feira, dia 2. Os trabalhadores reivindicam10% de aumento de salário, vale alimentação nas férias e plano de saúde integral.


Comente aqui
28 mai12:19

Unidade da BRF em Concórdia faz transporte de água do Rio Rancho Grande

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Desde a sexta-feira, dia 25 de maio, vinte carretas fazem o transporte de água para atender a unidade da Brasil Foods em Concórdia. Segundo o assessor de comunicação da BRF, Gilmar Monticelli, a água está sendo captada do Rio Rancho Grande e o transporte não tem prazo para terminar.

– Tudo vai depender das condições climáticas nos próximos dias – disse.

A unidade utiliza mais de 13 mil metros cúbicos de água e abate cerca de 280 mil frangos e 4 mil suínos por dia.

No estado, 147 municípios estão em situação de emergência devido a estiagem.


Comente aqui
09 mai17:01

Estudantes de Santiago do Sul recebem transporte gratuito

A prefeitura de Santiago do Sul incentiva os alunos de curso superiores e ensino médio técnico do município subsidiando o transporte dos estudantes para universidades da região. Com esse apoio os alunos chegam a economizar R$ 160 por mês. Dinheiro que seria usado para pagamento do deslocamento até a instituição de ensino.

Neste ano 13 alunos da cidade, que estudam em universidades de Chapecó, Xaxim e Xanxerê, recebem a ajuda. – São pagas, trimestralmente, quatro parcelas anuais no valor de R$ 160 para cada aluno – disse o prefeito Luis Ferdinando Pacazza.

Também recebem o auxílio transporte 11 alunos que frequentam na Educação de Jovens e Adultos (EJA), UNOPAR e Casa Familiar Rural de Quilombo. – A intenção é proporcionar uma continuidade da qualificação dos estudantes – completou Pacazza.


Comente aqui