Trigo

13 out18:09

Novos círculos voltam a aparecer em plantações de trigo no Oeste

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Novos círculos misteriosos foram encontrados em áreas agrícolas do Oeste de Santa Catarina, por volta das 12h deste sábado. Mais de 30 agroglifos – nome dado à formação - apareceram em uma lavoura de trigo no interior do município de Ipuaçu, a 500 metros do centro da cidade.Essa é primeira formação do ano encontrada no Oeste.

Segundo o ufólogo, Ivo Hugo Dohl, desde que as formações começaram a aparecer, essa foi a primeira localizada no início do mês.

- Desde 2008 as formações sempre eram localizadas no final do mês de outubro – lembrou.

O ufólogo esteve no local e disse que esta é uma das maiores formações encontradas na região Oeste.

- Há um círculo central de 40 metros de circunferência e 30 pequenos, com três metros de diâmetro, todos interligados – disse o ufólogo.

Hugo fez fotografias do local e deve encaminhar material para especialistas.

Os círculos começaram a aparecer no Oeste em 2008 e de lá para cá já foram cinco formações, a maioria em plantações de trigo na cidade de Ipuaçu.

>> Leia mais sobre os Agroglifos encontrados no Oeste em 2011


Veja o vídeo gravado por Marcelo Franzosi, morador de Ipuaçu:



1 comentário
09 fev16:42

Ocesc apoia uso do trigo na ração animal

A proposta de uso do trigo na nutrição animal para amenizar a escassez de milho foi bem recebida pelas classes produtoras. O presidente da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (Ocesc), Marcos Antônio Zordan, considera a medida positiva, mas alerta para a necessidade de um programa de incentivo que estabeleça condições de preço, armazenagem e distribuição.

A previsão de quebra na safra de milho originou a pressão para o uso do trigo na ração animal. Por isso, o Ministério da Agricultura promoverá leilões para a venda do cereal. As expectativas das entidades representativas do agronegócio – especialmente aquelas ligadas à produção de aves e suínos – é de que, numa primeira etapa, pelo menos 500 mil toneladas de trigo sejam incluídas no mecanismo de leilões da Companhia Nacional de Abastecimento.

Zordan observa que a utilização do trigo na alimentação animal é uma alternativa viável em face da escassez de milho e da oferta de trigo no mercado. O Brasil consome mais de 10 milhões de toneladas de trigo, produz a metade e importa 5 milhões de toneladas da Argentina, Canadá e Rússia.

Santa Catarina, por outro lado, importa anualmente cerca de 2 milhões de toneladas de milho. Neste ano de 2012, em face da estiagem que assola as áreas produtoras, a importação pode chegar a 3 milhões de toneladas.

- Está faltando milho e há possibilidade de uso do trigo disponível no Brasil e no mercado internacional, mas é necessário estabelecer políticas para uso do trigo no arraçoamento dos plantéis – expõe o dirigente. Lembra que o cenário de alta dos preços do milho e baixa oferta deve persistir, exigindo alternativas de suprimento do grão.


Possível

O presidente da Ocesc calcula que Santa Catarina necessitará de 600 mil toneladas de trigo se adotar a indicação de substituição parcial do milho. O Estado abate cerca de 700 milhões de aves por ano.

Marcos Zordan informou que as cooperativas fizeram testes para substituição parcial (em 20%) do milho por trigo utilizado na formulação das rações para aves. Habitualmente, o milho representa 65% da composição das rações para aves. Os resultados indicaram uma conversão (transformação da ração em carne) menor, o que significa aumento dos custos totais de produção.

A conclusão, de acordo com os testes, é esta: o uso parcial do trigo na formulação da ração para aves se torna viável se a diferença de preço entre os dois insumos for maior que 10% – ou seja, o milho custar 10% mais caro que o trigo.


Comente aqui
14 nov13:57

Safra boa, mas o preço preocupa

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A safra de trigo que iniciou no Estado está com bom rendimento, quase igual ao do ano passado. Mas nada que empolgue o produtor. Pelo menos isso também indica que não deve ter oscilação de preços para o consumidor. O agricultor Valdomiro Cambrussi, de Guatambu, está com rendimento de 50 sacas por hectare, igual ao do ano passado. Ele plantou 125 hectares do cereal, 25 a mais do que no ano passado, estimulado por um preço próximo de R$ 28 a saca. Só que agora, na colheita, o preço está próximo de R$ 23. –A colheita está boa mas, tirando a despesa, não vai sobrar quase nada- calculou o agricultor.

Para o vice-presidente da Cooperativa Agroindustrial Alfa (Cooperalfa), Cládis Furlanetto, mesmo com o preço tendo baixando cerca de R$ 4 a saca na colheita, o resultado ainda deve ser positivo para a maioria dos agricultores. Além disso a qualidade do grão está boa em cerca de 70% dos grãos, o que é bom para a produção de farinha. O motivo é o tempo seco no período da colheita. A Cooperalfa industrializa toda a safra que recebe. Neste ano deve receber 1,2 milhão de sacas. Deve ocorrer uma redução de pelo menos 15% no recebimento, em virtude de redução de 5 a 10% na área plantada e na produtividade. Cerca de 25% das lavouras já foram colhidas.

Mesmo com uma safra considerada boa a cooperativa terá que comprar mais um milhão de sacas para industrialização, da Argentina e Paraguai. O motivo é que o Brasil tradicionalmente tem produção insuficiente para a demanda. De acordo com a economista do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola da Epagri, Márcia Janice da Cunha Varaschin, disse que o Brasil produz apenas metade do consumo anual, que é de 10,4 milhão de toneladas. Um dos motivos é o clima, que é favorável somente na região Sul. O Rio Grande do Sul e Paraná são responsáveis por mais de 80% da produção. Santa Catarina responde por cerca de 5%.

A previsão de colheita é de 210 mil toneladas, 12,% a menos que no ano passado. Márcia disse que a dificuldade de comercialização no ano passado desestimulou o plantio, que caiu 9,18%. A produtividade também caiu um pouco, 3,6%. Isso faz com que o trigo seja uma alternativa pouco atrativa. O agricultor Valdomiro Cambrussi, por exemplo, disse que planta trigo para o solo parado no inverno e deixar em boas condições para a o plantio da lavoura de soja, que vem dando melhor resultado.


Trigo

Área plantada (hectares)

2008: 81,6 mil

2009: 122,9 mil

2010: 117,1 mil

2011: 87,4 mil


Produção (toneladas)

2008: 203,3 mil

2009: 323,6 mil

2010: 275,1 mil

2011: 241 mil



Comente aqui
08 nov10:18

Invasão de círculos no Oeste

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br*

Atenção Terra! O Oeste Catarinense está sendo invadido por círculos misteriosos nas lavouras de trigo. No dia 31 de outubro os dois primeiros apareceram em Bom Jesus. No dia 4 de novembro apareceu mais um em Ouro Verde. Agora, em Ipuaçu, foram oito no domingo, igual no filme Thor, e mais dois na segunda-feira. O interessante é que os sinais são sempre em lavouras de trigo. Vai ver que os extraterrestres estão sem farinha.

O primeiro a encontrar os círculos foi o supervisor de uma empresa de Ipuaçu, Marcelo Bianchi, que voltava de um jogo de futebol em Abelardo Luz. Ele disse que tinha tomado umas cervejas e parou para liberar o excesso de líquido no organismo, quando avistou os sinais a um quilômetro de distância. –Olha lá, baixaram os ETs- exclamou. -Um colega logo me chamou de burro- completou.

Ele logo ligou para alguns conhecidos e foi até o local verificar os sinais. –Quando cheguei aqui me arrepiei- contou, acreditando na possibilidade de que não se trata de obra de um terráqueo.

Ufólogo Ivo Dohl afirma que os círculos foram feitos com tecnologia.

O radialista de Xanxerê e ufólogo Ivo Hugo Dohl está crente de que os círculos de Ipuaçu são feitos por uma energia de uma tecnologia mais avançada, diferente do que ocorreu em Bom Jesus e Ouro Verde. –O trigo não está quebrado e sim como se tivesse dobrado pé por pé- explicou. Ele já enviou o material para centros de estudo de ufologia em São Paulo e na Inglaterra. Mas não sabe explicar porque esses círculos surgem desde 2008 na região Oeste.

A estudante de Jornalismo Mirian Cruz até tentou pisotear o trigo pra ver se ficava igual. –Não tem como fazer- constatou. Funcionários da propriedade onde foram encontrados os sinais, informaram que não viram nenhum movimento diferente no domingo, muito menos nave espacial. –Acho que vieram a pé- disse um dos funcionários.

-É sacanagem, não passa de brincadeira de uma piazada- disse Alessandro Brinquer, que trabalha em outra propriedade do mesmo dono da área. Na cidade de Ipuaçu, alguns dão risada quando questionados sobre o fato. Outros ficam apreensivos. –É um mistério- diz o borracheiro Valdecir Vargas. A proprietária de um posto de combustível, Eliamar Serraglio, disse que um monte de gente já parou no local para pedir informações. –Bastante gente está perguntando- afirmou.

Para o astrônomo e presidente do Grupo de Estudos do Planetário da UFSC, Adolfo Stotz Neto, os sinais são grotescos e de fácil confecção, além de terem sido feitos rapidamente. –Mais uma vez se trata de brincadeira- concluiu o professor.

O certo é que os sinais viram atração turística. Tanto que a Prefeitura de Ipuaçu até adotou fotos dos primeiros círculos, que apareceram em 2008, no material de divulgação do município. Coisa de outro mundo.


*Colaborou Juliano Zanotelli


1 comentário
07 nov09:27

Oito novos círculos no Oeste

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A formação encontrada na lavoura de trigo no começo da noite do domingo, dia 6, em Ipuaçu, surpreende pelo tamanho. São oito agroglifos, denominação dada aos círculos, estão em uma área de 50 metros.

Em novembro de 2008 desenhos semelhantes foram encontrados numa plantação da cidade. Para o ufólogo Ivo Hugo Dohl, que esteve no local, a formação parece ser autêntica. Já o astrônomo e presidente do Grupo de Estudos do Planetário da Universidade Federal de Santa Catarina Adolfo Stotz Neto, diz que as marcas podem ter sido produzidas por moradores.

— Não é possível que esses desenhos só apareçam em campos de cereais. Por que não acontece pouso em uma plantação de café, ou de cana-de-açúcar? Porque só é fácil confeccionar com uma corda, uma tábua e uma estaca, em duas pessoas, em um campo de trigo, cevada ou qualquer coisa semelhante — explicou.

Nos últimos dias foram encontrados três círculos na região Oeste, um em Ouro Verde e dois em Bom Jesus.


6 comentários
04 nov14:21

Círculo encontrado em Ouro Verde

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A formação circular, denominada agroglifo, encontrada na manhã desta sexta-feira, dia 4, em Ouro Verde é idêntica aos dois círculos encontrados em Bom Jesus, na segunda-feira, dia 31 de outubro. Os desenhos foram localizados na Propriedade de Delazir Barreta, na linha Barreta, interior do município.

O terceiro círculo encontrado na região Oeste tem cerca de 12 metros de diâmetro, com anel externo de um metro da planta em pé e outro amassado também de um metro. Em novembro de 2008 um círculo semelhante também foi encontrado numa lavoura de trigo.

Segundo o ufólogo, Ivo Hugo Dohl, que visitou a plantação, no local existem marcas de equipamento agrícola, como um trator. Ele acredita que os desenhos tenham sido feitos por moradores.

- Próximo ao grande círculo encontrei pequenas formações de 30 centímetros. Parece que alguém treinou para fazer um desenho perfeito. Foi usado uma espécie de estaca no centro como um compasso para amassar a planta. Mais acredito que a formação não foi feita por seres extraterrestres – disse o ufólogo.


Círculo pode ser visto da Prefeitura

O círculo é visível do prédio da prefeitura de Ouro Verde, que fica no centro da cidade.

O secretário de planejamento, Douglas Costacurta, que trabalha no terceiro andar, ficou surpreso ao olhar pela janela e ver o círculo.

- Na verdade olhei agora pela manhã e fiquei surpreso ao ver algo diferente na lavoura. Ele fica a uma distância de 1500 metros da prefeitura – disse Costacurta.

Na segunda-feira, dia 31, dois agroglífos foram encontrados em Bom Jesus, também no Oeste.

De acordo com Cesar Luiz Radaeli, responsável pela Delegacia de Bom Jesus, o caso não será investigado, porque até o momento não foi registrado nenhum Boletim de Ocorrência.


Astrônomo diz que não se trata de fenômeno sobrenatural

Para o astrônomo Adolfo Stotz Neto, presidente do Grupo de Estudos do Planetário da Universidade Federal de Santa Catarina, os desenhos encontrados na região são mal confeccionados. Ele garante que não se trata de nenhum fenômeno sobrenatural.

- Estes círculos em campos de cereais aconteceram inicialmente na Grã-Bretanha em fazendas com o mesmo tipo de plantação e depois se espalharam pela Europa e mundo afora – disse. O professor explica que esses círculos surgiram na década de oitenta e recentemente aportaram em solo catarinense, bem tardiamente em relação aos primeiros e que, ainda no século XX foram confessados pelos autores que os fizeram com cordas e tábuas.

- A técnica aprimorou-se e com uso de trenas e com um leve domínio de geometria e matemática desenvolveram-se verdadeiras obras de arte, bem distintas destas nossas aparições – explicou. De acordo com o astrônomo, em muitos casos ficou evidente a concordância dos proprietários que garantiam um certo marketing à sua fazenda .


1 comentário
31 out23:45

Dois agroglífos são encontrados em Bom Jesus

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Dois agroglífos foram encontrados em uma plantação de trigo na tarde desta segunda-feira, 31, na SC 467 que liga Abelardo Luz a Bom Jesus. Moradores avistaram os desenhos, visíveis da rodovia na linha Tiradentes, e comunicaram a Prefeitura de Bom Jesus. O ufólogo, Ivo Hugo Dohl foi até o local analisar as imagens. Ele acredita que os círculos não são autênticos e podem ter sido feitos por populares.

As duas formações distantes cerca de 150 metros uma da outra e a 300m da rodovia, tem formações com cerca de 12 metros de diâmetro com anel dobrado de 30 cm.

Para o Ufólogo, um deles pode ter sido feito há mais de duas semanas, pois o trigo já está voltando a ficar em pé.

- Acredito que os desenhos tenham sido feitos por pessoas. Eles não são autênticos pela posição disforme das plantas e caules que estão dobrados e quebrados. Posso estar enganado, mas acredito que não foram feitos por extraterrestres – disse.

Ele encaminhou fotografias para análise. O caso será investigado.

Desenhos como os encontrados nesta segunda-feira já foram registrados na região Oeste. Em novembro de 2008, Ipuaçu ficou conhecida internacionalmente com desenhos semelhantes encontrados em lavouras de trigo. No mesmo ano, os agroglifos surgiram também em Faxinal dos Guedes, Formosa do Sul e Xanxerê.

Em 2009, um desenho em forma de seta em uma plantação de trigo levou muitos curiosos a uma fazenda em Ipuaçu. Neste mesmo os desenhos levantaram polêmicas sobre fraudes.


Diferenças

Ivo explica que o desenho autêntico é aquele produzido por algum tipo de energia. – O trigo não é dobrado ele é acamado – disse. Diferente do encontrado em Bom Jesus. – Esses desenhos podem ter sido criados com ajuda de garrafas pets cheias de areia amarradas em um cabo de vassoura – acrescenta.


3 comentários
28 out18:38

IGC espera produção recorde na safra global de milho

A produção global de milho deve crescer 3,5% em relação à temporada anterior, atingindo um recorde de 855 milhões de toneladas em 2011/12, afirmou ontem o Conselho Internacional de Grãos (IGC, na sigla em inglês). A estimativa anterior do IGC era de 845 milhões de toneladas.

A produção da Europa é estimada pelo IGC no volume sem precedentes de 63,8 milhões de toneladas, superior ao recorde de três anos atrás e 8 milhões de toneladas a mais do que temporada 2010/11. O IGC espera que a China produza 183 milhões de toneladas, 3 milhões de toneladas a mais do que previa em setembro. Enquanto isso, a safra de milho do Brasil é estimada em 27 milhões de toneladas e a da Argentina, em 60 milhões de toneladas.

— As perspectivas para a produção global de milho melhoraram durante o último mês, de modo que a previsão de safra é recorde, ou está perto, em muitos dos principais produtores — disse o IGC.

Embora haja mais grãos disponíveis do que o esperado anteriormente, o consumo também deve aumentar, segundo o IGC. Portanto, os estoque finais são estimados em apenas 5 milhões de toneladas a mais, totalizando 123 milhões de toneladas.

As importações da China foram revisadas para cima em 1 milhão de toneladas, para 4 milhões de toneladas – ainda abaixo as estimativas da indústria -, enquanto a expectativa é de que a Europa consuma mais grãos para ração.


Trigo

A expectativa também é de uma safra global de trigo maior, com produção estimada em 684 milhões de toneladas. O IGC aumentou sua previsão, portanto, em 5 milhões de toneladas. Os estoques finais foram estimados no recorde em dez anos de 202 milhões de toneladas.

A produção total de grãos esperada é de 1,819 bilhão de toneladas, um aumento de 13 milhões de toneladas em relação à projeção anterior do IGC. As informações são da Dow Jones.


AGÊNCIA ESTADO

Comente aqui