Uniformes

13 dez15:09

Chapecoense apresenta uniforme 2013

Foi lançado no 14 Bis Studio Bar o novo uniforme da Associação Chapecoense de Futebol para a temporada de 2013. Estiveram presentes no evento, diretoria verde e branca, autoridades, imprensa e convidados. Foram mais de 200 pessoas presentes no evento. 

A festa começou com um show de embaixadinhas da Campeã Brasileira de Futebol Freestyle, Marisa Cintra. Marisa é paulista e deu show de habilidade com a bola nos pés, cabeça, entre outras.  

Na sequencia falaram da importância em lançar os produtos o presidente do clube, Sandro Pallaoro, e o gerente da Umbro, Dorlei Mattei. Ambos foram categóricos ao dizer que “era uma reinvindicação nossa e do nosso torcedor, em lançar os produtos da equipe antes do Natal. 

E por fim, o grande momento da noite. O lançamento de mais de 30 peças que vai compor o fardamento da equipe para 2013. Foram apresentados uniformes de viagem, moletons, uniforme de treinos, camisa retro, camisa feminina, de goleiro, as oficiais de jogo (verde, branca), além de uma alusiva aos sócios, com os dizeres “Somos mais do que 11, somos Chapecoenses”.  As camisetas não possuem patrocínio ainda, mas em discurso,  o presidente do clube informou aos presentes, que o primeiro patrocinador fechado com a Chapecoense para 2013, é a Aurora.   

Para encerrar a noite, após o lançamento dos novos uniformes da equipe, aconteceu show com Diego Strada que animou a festa.  A equipe do Verdão se reapresenta dia 26 e já começa a pré temporada da equipe para 2013. O primeiro desafio da equipe pelo Campeonato Catarinense ocorre dia 20 de Janeiro em Joinville, contra os donos da casa.

1 comentário
19 fev11:49

Escola de São Lourenço do Oeste realiza assembleia com pais

A Secretaria Municipal de Educação realizou no dia 15 a primeira assembleia de pais da Escola Básica Municipal Santa Catarina – extensão Sóror Angélica deste ano. O local ficou lotado com a presença dos pais que tiveram a oportunidade de conhecer toda a estrutura oferecida aos alunos matriculados naquela unidade de ensino.

O Prefeito Tomé Francisco Etges, participou e falou dos objetivos da municipalização, enfatizando principalmente a igualdade de condições que a municipalização pode oferecer. A Secretária Municipal de Educação Loreci Smaniotto de Oliveira, falou da inclusão na grade curricular, das disciplinas de inglês, espanhol e informática, desde o 1º ano que oferecerão aos alunos, condições de ampliar ainda mais seus conhecimentos.

Ela falou ainda da educação inclusiva que atende alunos com necessidades especiais e ainda sobre o programa de correção de fluxo (atendimento aos alunos com defasagem idade/série), bem como da estrutura que a Secretaria disponibiliza com o trabalho de profissionais (fonoaudióloga, psicóloga e nutricionista) bem como, informações inerentes ao funcionamento da escola.

Durante o encontro foram entregues uniformes para os alunos, cada um recebeu um conjunto composto por: camiseta manga curta e manga longa, calça e jaqueta, confeccionados com tecido de alta qualidade e grande durabilidade.

As assembleias de pais devem acontecer também nas demais escolas da Rede Municipal de Ensino.


Comente aqui
10 jan08:55

Governo de Santa Catarina não irá dar uniformes para os alunos da rede estadual de educação

Julia Antunes | julia.antunes@diario.com.br

Pelo segundo ano consecutivo, os cerca de 400 mil alunos de ensino fundamental da rede estadual vão começar o ano letivo sem uniforme novo. Dessa vez, o governo alega que para aumentar o salário dos professores foi preciso cortar verba de outros investimentos da Secretaria de Educação (SED).

O secretário da Educação, Marco Tebaldi, explica que por causa da nova folha de pagamento, que terá aumento de R$ 600 milhões, foi preciso cortar verbas de alguns setores, como a dos uniformes, que custavam cerca de R$ 70 milhões.

De acordo com ele, as gerências regionais também tiveram corte no orçamento, por causa do reajuste salarial dos docentes. Em 2011, não houve uniformes porque a licitação para compra das roupas foi suspensa.

Em 2010 — último ano em que as roupas foram entregues — cada aluno de ensino fundamental recebeu um agasalho, uma camiseta de manga longa, dois pares de meias, um par de tênis, uma bermuda, duas camisetas de manga curta e um par de chinelos. Os uniformes já não eram entregues aos cerca de 210 mil estudantes de ensino médio.

A ideia é que eles voltem em 2013. Para isso, a secretaria vai rever a distribuição do material porque muitos alunos não usavam o uniforme.

Já os kits, com cadernos, mochila, lápis de cor, borrachas, cola, régua, transferidor e outros materiais, que não foram entregues em 2011, voltaram a ser distribuídos a todos os alunos da rede estadual.

Para a coordenadora do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte), Alvete Bedin, o gasto com os uniformes sempre foi visto como exagerado pelos professores. De acordo com ela, muitos alunos não usavam a roupa porque achavam a malha ruim e muito quente.

Importantes para segurança dos alunos, os uniformes também ajudavam famílias sem condições financeiras. A costureira Leila da Costa Ramos, que mora em Blumenau, está preocupada como fará para comprar roupas para as duas filhas. A comerciante Janice Silva, que mora em Biguaçu, diz que já esperava por isso, porque no ano passado os dois filhos, de sete e nove anos, também ficaram sem uniforme. Além disso, ela lembra que, quando entregues, eles chegavam só na metade do ano, depois que ela já tinha comprado agasalho e camisetas por conta própria.

— Pesa muito no orçamento.

O educador Antônio Pazeto acredita que todo o dinheiro em educação deve ter uma prioridade: a aprendizagem. Para isso, é preciso professores motivados, bem preparados e boas condições de infraestrutura:

— Partindo disso, o uniforme não se enquadra porque é um acessório.

Pazeto considera a roupa importante, principalmente para atender famílias sem condições financeiras.

O presidente do Conselho Estadual de Educação, Maurício Pereira, afirma que o ideal seria ter o uniforme e o aumento do salário.

— Como isso não é possível, o importante é valorizar os professores e cumprir o piso nacional do magistério — ressalta.


Comente aqui