UTI

31 out15:56

Sobrevivente de acidente no Goio-Ên está na UTI

Laura Ribeiro de seis meses foi a única sobrevivente do acidente ocorrido no final da tarde deste domingo, 30, que tirou a vida de três pessoas da mesma família, na cabeceira da Ponte do Goio-Ên em Chapecó. O motorista Darlei André Ribeiro, 32 anos, a esposa Andreia Rodrigues Ribeiro, 31 e uma das filhas gêmeas de seis meses não resistiram e morreram na hora. Outros três veículos se envolveram na ocorrência.

Laura está internada em estado grave no Hospital Regional de Chapecó. Segundo informações da Instituição a menina está sedada, com ventilação mecânica e passando por exames.

A família Ribeiro, que morava em Erechim, está sendo velada no Cemitério Parque dos Ervais, onde serão sepultados no final da tarde, desta segunda-feira, 31.

Uma carreta bitrem Mercedes Benz carregada com milho, que ia nos sentido Chapecó/Nonoai, perdeu o controle, invadiu a pista contrária, bateu num Corsa Placas de Cascavel/PR e noutro Corsa de Chapecó/SC que vinha em sentido contrário. Morreram três dos quatro ocupantes do Corsa do Paraná. O motorista da carreta, Flaviomar Luchtemberg, teve ferimentos leves e também foi encaminhado ao hospital.


Comente aqui
19 out15:08

Motociclista sai da UTI

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Depois de uma semana internado na UTI do Hospital Regional do Oeste, em Chapecó, o motociclista José Valdomiro Eufrázio, 21 anos, foi para um quarto da ala de neurocirurgia. Ele foi transferido no final da tarde de terça-feira. De acordo com o neurocirurgião Clézio Alex Onuki Castro, o quadro do motociclista melhora a cada dia. No entanto o quadro dele ainda não é de tranquilidade.

- Ele está confuso, não sabe onde está e suas frases são desconexas – avaliou o médico.

De acordo com o médico, essa fase de confusão é normal pela situação do motociclista, que ficou cinco dias caído à beira da estrada, com um braço quebrado e a motocicleta por cima, até ser encontrado.

O médico acredita que o impacto causou lesões microscópicas.

-Ele deve ter sofrido um trauma craniano que o impossibilitou de pedir socorro- avaliou o médico.

Eufrázio está recebendo tratamento com antibióticos para tratar a infecção generalizada, causada pela fratura do braço direito, que precisou ser amputado. A amputação, que foi na altura do úmero, também está sendo acompanhada. Ele está fazendo fisioterapia e tratamento psicológico para se recuperar do trauma.

Além disso há sinais de comprometimento pulmonar, pelo tempo que ele ficou caído próximo da vegetação, num período de chuvas. Castro estima em 10 dias para que ele possa ter alta do hospital.

Eufrágio saiu do coma no domingo e está consciente. Segundo os médicos, ele já teria conversado com a mãe e deve começar a comer sozinho ainda nesta quarta-feira. Por conta da medicação, ele permanece sonolento e confuso.

A mãe Maria Eufrázio, que  acompanha o filho desde o dia que ele chegou no hospital, disse que José a reconhece e pergunta onde está.

- Vou ficar do lado dele o tempo que for necessário para ele ficar bom – disse emocionada.

O motociclista de Passos Maia teve um braço amputado. O acidente foi na noite do dia 7 de outubro, na SC 465, em Passos Maia.

Comente aqui
19 out10:27

Motociclista saiu da UTI

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br*

atualizado 14h35

O motociclista José Valdomiro Eufrazio, que sobreviveu cinco dias no mato após um acidente com moto e está internado desde o dia 12 de outubro, saiu da UTI do Hospital Regional do Oeste, em Chapecó, no final da tarde de terça-feira.

De acordo com o neurologista Cleiton Piekala, na manhã desta quarta foi realizada uma avaliação da saúde do paciente, que estava em coma até domingo. Eufrazio está falando desde domingo mas ainda está confuso e sonolento.

-O quadro dele é estável- disse Piekala.

O motociclista de Passos Maia teve um braço amputado. O acidente foi na noite do dia 7 de outubro, na SC 465, em Passos Maia.


Ex-namorada quer reencontrá-lo para dizer que ainda o ama

O motociclista foi encontrado pela ex- namorada, Géssica Aguilheira, 15 anos, quando retornava para Passos Maia. Géssica voltada de uma atividade do Programa Educacional de Resistência as Drogas (Proerd) na cidade de Ponte Serrada. Devido à altura do ônibus ela conseguiu observar a moto e o homem. Géssica não pediu para o motorista parar, apenas comentou com uma amiga o que tinha visto.

– O ônibus passou rápido e não deu tempo de parar, mas quando eu vi a moto, sabia que era ele – disse a ex namorada.

Quando Géssica chegou em casa contou para a mãe e, com uma amiga, voltaram ao local.

- Se eu não tivesse voltado ele estaria morto – se emociona.

Segundo a ex namorada, José estava sem o capacete e sem um dos tênis, mas mexia a perna. As estudantes pediram ajuda a um morador que passava pela rodovia para comunicar a Polícia. O casal morou junto por um ano. E há 5 meses estavam separados.

A estudante espera José  sair da UTI para conversar com ele.

– Meu coração anda angustiado. Eu quero falar com ele para dizer o quanto o amo – disse.


* Colaborou Sirliane Freitas e Juliano Zanotelli

Comente aqui
17 out08:31

Caminhoneiro que bateu em ônibus na BR-282, em Nova Erechim, recebe alta médica

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O caminhoneiro Osmar Gonçalves de Lima, de 47 anos, estava internado e teve alta na noite do domingo, dia 16. Outra vítima do acidente entre um ônibus de turismo e um caminhão na BR 282 em Nova Erechim, permanece internada na UTI do Hospital Regional de Chapecó.

Rosiliane Salete Barbosa Skinato, 56, passageira do ônibus, atingida por barra de ferro no abdômen passou por uma cirurgia. Segundo informações do Hospital ela segue internada na UTI.


Como foi o acidente

Um ônibus com 33 ocupantes e um caminhão bateram na BR 282 no fim da noite de sexta-feira. Sete pessoas ficaram feridas.

A batida aconteceu perto do trevo de acesso à cidade de Nova Erechim, por volta das 23h. O coletivo seguia para Foz do Iguaçu (PR), quando foi atingido de frente pela carreta, que estava carregada com aproximadamente 32 toneladas de milho.

O grupo no ônibus seguia para o Paraná para uma viagem de turismo. Ele voltaria no dia 17 para o Rio Grande do Sul.

Após a batida, a carreta caiu num barranco às margens da rodovia. Parte da carga ficou espalhada sobre a pista. A rodovia ficou fechada para a limpeza e remoção das vítimas. Porém, os motoristas que trafegavam pela região conseguiram passar por um desvio.


O leitor Ricardo Tobin, que mora em Nova Erechim encaminhou essas fotos para o participe@clicrbschapeco.com.br. Ele esteve no local logo após o acidente.


Comente aqui
21 set14:20

Adolescentes de Nova Erechim que estavam na van que se acidentou no trevo de Gaspar deixam a UTI

Os estudantes Renata Corso e Guilherme Pagani, ambos com 14 anos, adolescentes que estavam na van que se acidentou dia 3 na BR-470, no trevo de Gaspar, não estão mais na UTI.

Renata saiu da UTI do Hospital Santo Antônio, em Blumenau, dia 15 e foi transferida para o Hospital Santa Isabel. De acordo com o boletim médico desta quarta-feira, ela está no quarto e se recupera bem.

Guilherme também está em um quarto, no Hospital Azambuja, em Brusque. O hospital não passa mais informações sobre seu estado de saúde.

Os adolescente estavam em uma van que seguia de Nova Erechim, para uma viagem de estudos no Litoral. Todos eram estudantes da 8ª série de uma escola.

No trevo de Gaspar, na BR-470, um carro que saía da cidade teria cortado a frente da van. Para evitar o acidente, o motorista invadiu a pista contrária e bateu em uma carreta.

Danielly Ana Hining, Bruna Zenni, Renata Júlia Pezenatto e a professora Jocicler Mascarello morreram na hora. Gustavo Weschenfelder, de 15 anos, morreu dia 10.


JORNAL DE SANTA CATARINA

Comente aqui
09 set11:36

Duas pessoas na UTI em São Miguel do Oeste

Duas passageiras do ônibus envolvido no acidente na BR 163, em São José do Cedro, Hedy Freitag e Debora Cavalheiro permanecem sedadas em estado grave na UTI do Hospital Regional Terezinha Gaio Basso em São Miguel do Oeste.

Das 12 pessoas encaminhadas para o Hospital de São Miguel do Oeste, 11 continuam internadas, duas estão na UTI. De acordo com a médica Katia Bugs, na tarde de quinta, Debora Cavalheiro, apresentou suspeita de Tromboembolismo pulmonar e foi transferida para a Unidade de Terapia Intensiva. Na manhã da quinta-feira, Ana Paula Tosin recebeu alta.


Comente aqui