Valente

18 jul17:06

Filme "Valente" traz a primeira protagonista feminina da Pixar

Daniel Feix  | daniel.feix@zerohora.com.br

É um conto de fadas o primeiro longa que a Pixar, o revolucionário estúdio de animação incorporado pela Disney, reservou para ser protagonizado por uma mulher. Valente está em cartaz no Cinema Arcoplex Shopping Pátio Chapecó.

A história é a de uma princesa de cachos ruivos esvoaçantes que vive nas Terras Altas da Escócia num período não identificado, mas certamente algumas centenas de anos atrás. Merida (voz de Kelly Macdonald no original) é apaixonada por arco e flecha, tem espírito aventureiro e não suporta as formalidades da corte. Toda a trama se passa entre a insistência de sua mãe, a Rainha Elinor (Emma Thompson), em escolher o pretendente ideal para a donzela, e a sua revolta adolescente contra esta imposição.

A diversão maior está na graciosa rudez do Rei Fergus (Billy Connolly), nas composições dos tipos concorrentes ao posto de príncipe e em seus respectivos pais, além do trio de ruivinhos capetas, irmãos mais novos de Merida. Mas o foco de Valente, aquilo que amplia seu apelo aos adultos e o caracteriza como um filme da Pixar, é a complexidade da abordagem da relação entre mãe e filha.

Inconformada com a determinação da rainha em fazer dela uma princesa delicada e regrada, algo que vai contra a sua natureza serelepe, Merida foge. Encontra uma bruxa (Julie Walters) e encomenda dela um feitiço para mudar a personalidade de Elinor.

Um dos pontos negativos de Valente é a sua previsibilidade, excessiva mesmo em se tratando de um filme voltado, em grande parte, para o público infantojuvenil: o feitiço vai dar errado, e a rainha será transformada em um monstro, o que faz com que as duas, mãe e filha, tenham de unir forças para desfazer a maldição.

É neste ponto que o interesse do público adulto pela história diminui, e Valente se torna uma das mais limitadas e menos inspiradas produções da Pixar desde que ela foi incorporada pela Disney, em meados dos anos 1990. O filme também é o mais sombrio e assustador da série que inclui Toy Story, Wall-E, Up, Ratatouille e Procurando Nemo. Isso porque o monstro em que Elinor se transforma é, na verdade, um urso gigante semelhante ao que destroçou a perna de Fergus antes de ele se tornar rei. E, quando o pai de Merida descobre que há um daqueles animais soltos pelo reino, dá início a uma caçada cheia de tensão e com alguma dose de violência. Não dá tempo nem de a princesa explicar a ele que se trata da própria rainha transformada naquela horripilante figura – o trauma com ursos monstruosos deixa Fergus transtornado, sem tempo para ouvir os apelos da filha antes de partir em perseguição à besta.

O estranho é que Valente não é apenas o primeiro longa da Disney/Pixar protagonizado por uma personagem feminina, mas também o primeiro produzido e dirigido por duas mulheres – a produção é de Katherine Sarafian, e a direção, assinada em conjunto por Brenda Chapman e Mark Andrews. O filme tem pretensões e momentos inspirados que fazem jus à fama dos projetos anteriores que levam o mesmo selo. Entretanto, no fim das contas, lembra mais aquelas fábulas infantis que a Disney produzia sozinha, antes da união com a Pixar.


ZERO HORA



Comente aqui
13 jul09:25

Cinema: Ela é “Valente”

Ela tem os cabelos longos como os da Rapunzel, o coração puro como o da Branca de Neve e sonha com um amor verdadeiro como a Cinderela. Mas não espere que a princesa Merida adormeça à espera de um beijo que a desperte ou de uma fada madrinha que tenha um truque capaz de ajudá-la. Em Valente (Brave, no original), pela primeira vez o estúdio Pixar mostra uma princesa, uma figura dominante no cinema de animação desde A Bela Adormecida (1959) da Disney. Merida é uma habilidosa e impetuosa arqueira escocesa, filha do rei Fergus e da rainha Elinor. Determinada a trilhar seu próprio caminho, ela desafia a tradição, o destino e os mais ferozes monstros.

Valente une um novo conto à sabedoria popular sobre as batalhas épicas e lendas míticas escocesas. Na história, Merida é uma jovem de caráter forte que rejeita as tradições familiares, em particular, o casamento acertado com um dos herdeiros da corte.

Muitos dos conflitos entre Merida e sua mãe acontecem porque elas não querem ouvir uma a outra. Querem que a outra renuncie a tudo porque cada uma considera que sua maneira de ver as coisas é a melhor. Decidida a convencer a mãe, que é a guardiã das tradições, a mudar de ideia, a princesa pede a ajuda de uma bruxa, que lança um feitiço poderoso sobre a rainha, obrigando assim Merida a revisar suas prioridades.

>> Galeria de fotos “Valente” da Pixar

A princesa acaba despertando a ira dos ruidosos senhores da terra: o imponente lorde MacGuffin, o carrancudo lorde Macintosh e o perverso lorde Dingwall. Assim, faz com que o caos se instale no reino. Os perigos resultantes a forçam a descobrir o significado da verdadeira valentia para poder mudar o curso dos acontecimentos.


Pioneira

O estúdio Pixar, da Disney, é considerado o mais confiável de Hollywood durante a sua história de 17 anos de produção de filmes. Valente foi a 13ª estreia da Pixar a liderar as bilheterias norte-americanas no fim de semana de sua estreia mundial, que ocorreu no dia 18 de junho.

A Pixar, que construiu sua reputação com filmes que subvertem os padrões da animação tradicional, demorou sete anos para produzir Valente, que faz sua estreia nacional hoje, com sessões no Cinema Arcoplex Shopping Pátio Chapecó. O estúdio, geralmente elogiado pela qualidade dos roteiros, enfrentou um desafio duplo com o filme: contar a história de uma princesa (um gênero trabalhado durante décadas pela Disney, a casa matriz da Pixar) e confiar o papel principal, pela primeira vez na história do estúdio, a um personagem feminino.

O filme multiplica as proezas técnicas que caracterizam a Pixar, em particular com a fascinante animação dos cabelos ruivos da princesa e a representação das paisagens escocesas.Além disso, guarda duas curiosidades: Brenda Chapman, ex-diretora da animação, foi a primeira mulher a dirigir um filme da Pixar, sendo que o longa também é a primeira produção da casa que traz uma menina à frente da história.

A outra é o fato de o novo diretor, Mark Andrews, antes mesmo da produção, usava um kilt (típica saia escocesa) nas festas da Pixar, sem contar que, como a personagem, é arqueiro.



‘Valente’ (Brave)

Direção: Mark Andrews e Brenda Chapman

Com: vozes de Luciano Szafir, Murilo Rosa, Rodrigo Lombardi e Manu Gavassi

Produção: EUA, 2012, 100min, animação (dublado)

Classificação: livre

Confira a programação completa e horários das sessões


DIÁRIO DE SANTA MARIA

Comente aqui