Vereador

28 nov12:17

Um ano da morte de Marcelino Chiarello

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Cerca de trezentos alunos da Escola Pedro Maciel, em Chapecó, participaram na manhã desta quarta-feira de uma celebração em homenagem ao vereador Marcelino Chiarello. Há um ano o vereador, que foi encontrado morto dentro de casa, dava aulas de Filosofia no local.

A aluna, Fabiana Alves Gonçalves, 17 anos, que participou do ato, foi uma das últimas alunas, da turma 104, a conversar com Marcelino antes da morte do vereador.

- Ele disse que estava com dor de cabeça e antes de sair da sala de aula deu um trabalho para a gente fazer – contou Fabiana.


Um ano depois do ocorrido a aluna conta que o sentimento ainda é de tristeza.

– Não consigo explicar é uma dor muito grande – disse Fabiana.

A aluna não acredita que o professor tenha tirado a própria vida.

– Ele sempre dizia que a vida valia muito a pena – lembrou Fabiana.

>> Caso ainda não foi esclarecido se foi homicídio ou suicídio

Na tarde desta quarta, às 17h30, acontece outro ato, em frente à Câmara Municipal de Vereadores, em Chapecó.


1 comentário
27 nov20:09

Morte de Chiarello completa um ano

Darci Debona|darci.debona@diario.com.br

A morte do vereador Marcelino Chiarello completa um ano nesta quarta-feira e ainda não foi esclarecido se houve suicídio ou homicídio. Para marcar a data acontece uma celebração, às 10h30, na Escola Pedro Maciel, em Chapecó, onde o vereador dava aulas de Filosofia. Às 17h30 acontece outro ato, em frente à Câmara Municipal de Vereadores.

Depois de três meses de investigação a Polícia Civil de Chapecó encerrou o inquérito de forma inconclusiva, principalmente devido a laudos contraditórios do Instituto Geral de Perícias.  Em virtude da comoção que o caso causou na cidade, o Ministério Público decidiu dar prosseguimento às investigações. Para isso pediu auxílio para a Polícia Federal. Em julho o corpo foi exumado e mandado para nova perícia no Centro Médico Legal da Universidade de São Paulo, em Ribeirão Preto-SP.

O delegado da Polícia Federal, Oscar Biffi, disse que solicitou uma prorrogação por 30 dias para a conclusão dos exames, que vence na próxima semana. Ele deve pedir nova prorrogação.

O Ministério Público informou que não vai se manifestar enquanto não receber as informações da Polícia Federal.

A viúva de Chiarello, Dione Chiarello, afirmou que vai participar dos atos desta quarta  mas prefere não dar entrevista. Mesmo assim, durante a conversa, desabafou:

- É um ano de indignação, perdi um marido, um pai de família, a gente quer justiça – declarou.

Para o advogado da família, Sérgio Martins de Quadros, o caso é de homicídio.

Comente aqui
09 out09:20

O “Dino” da Câmara de Chapecó

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Uma das cadeiras da Câmara de Vereadores de Chapecó tem um único dono desde 1988. Há 24 anos Delvino Dall Rosa é vereador do município e acaba de ser eleito para mais um mandato, o sétimo consecutivo. Isso que alguns de seus eleitores já morreram.

Por coincidência, o seu apelido, usado na campanha, é Dino. Não porque ele seja um dinossauro no legislativo chapecoense. O apelido vem de infância, quando ainda morava no interior de Chapecó e, de origem italiana, tinha dificuldade em se comunicar em português.

Aliás, é surpreendente o desempenho eleitoral de Dall Rosa, que foi agricultor, depois comerciante, mas nunca frequentou uma escola. Ele aprendeu a ler e escrever graças ao incentivo do padre Jandir Santin. Em dois meses frequentando o seminário, conseguiu o básico para se virar. Agora, já discute até com advogados as leis do legislativo.

– Aprendi muita coisa com a experiência- disse.

Dall Rosa acredita que, se tivesse estudado, poderia ter concorrido à prefeito ou deputado. Mas está contente com seu desempenho no legislativo, pois não perdeu nenhuma eleição. Dall Rosa disse que o segredo para esse desempenho são o grande número de amigos que tem e as pessoas que ajudou durante a sua trajetória.

Antes de ser vereador ele já ajudava os vizinhos no bairro Bela Vista a conseguir que a prefeitura aterrasse um terreno, consertasse um bueiro, arrumasse uma rua. Com isso foi ganhando a simpatia do eleitorado e aumentando sua base eleitoral. Na primeira eleição, visitava os eleitores de casa em casa e fez 556 votos. Agora, visitou os mais conhecidos e fez 1731 votos.

Como peemedebista histórico, recebe muitos votos dos partidários fiéis. Afirma que nunca votou fora do partido a não ser quando o PMDB não concorria nos segundos turnos. Lembra que no primeiro mandato, a Câmara de Chapecó tinha só um telefone e um banheiro, e não tinha gabinete.

Durante sua trajetória Dino disse que foi o autor dos projetos de criação dos bairros Cristo Rei, Alvorada e Eldorado. Neste mandato, pretende trabalhar no auxílio à saúde, creches e acessos nas propriedades do interior. Dino disse que já brincaram que ele devia dar espaço para outras lideranças. Mas ele reluta.

– Só vou sair quando tiver uma liderança forte no meu bairro para me substituir- afirmou.

Na política, esse é um Dino que está longe da extinção.



Comente aqui
07 out20:48

Valduga é o vereador mais votado pela segunda vez em Chapecó

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Pela segunda vez o candidato a vereador em Valduga (PC do B), é o mais votado em Chapecó. Em 2004 ele fez 3.115 votos e, agora, fez 3.502.

O inusitado é que, na eleição de 2008, ele foi o quinto mais votado e não se elegeu pois o partido não atingiu coeficiente eleitoral. Por isso neste ano ele até abriu mão de ser candidato a prefeito, como estava cogitado inicialmente, para ser candidato a vereador, desde que coligado com o PT.

Valduga tem 51 anos, é bancário e foi presidente da Organização Não Governamental Verde Vida, que faz trabalhos sócio-educativos com adolescentes de baixa renda.


Comente aqui
07 out14:58

Candidato a vereador de Saltinho é preso acusado de compra de votos

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Um candidato a vereador do município de Saltinho foi preso nesta manhã acusado de compra de votos. Após denúncia a Polícia Militar abordou o candidato e encontrou com ele R$ 2.064,00 em dinheiro e material de propaganda eleitoral.

Ele foi encaminhado para a Delegacia de Campo Erê onde foi registrado Boletim de Ocorrências. O candidato ficou preso cerca de três horas e foi liberado após pagar fiança no valor de R$ 3.110,00.

O Ministério Público vai apurar o caso.


Comente aqui
04 out12:28

RBS TV reúne candidatos a prefeito para confrontos finais antes da votação

Chapecó

> Serão três blocos. No primeiro, os temas foram definidos entre organização e candidatos. Quatro deles serão sorteados ao vivo, com perguntas entre os candidatos. Eles terão 30 segundos para perguntas, dois minutos para respostas, um minuto para réplica e 45 segundos para tréplica. O segundo bloco tem as mesmas regras, mas com tema livre. O terceiro será para as considerações finais.


Quem vai participar:

> José Claudio Caramori (PSD)

> Pedro Uczai (PT)

Mediador: Fabian Londero


Florianópolis

> Os candidatos vão priorizar a preparação para o encontro na televisão. Angela, Cesar e Gean se reúnem com a equipe para organizar a participação, estudar as regras e os temas. Elson pretende tirar um tempo para descansar e chegar bem fisicamente ao debate. Serão cinco blocos, com duração prevista de 1h30. Os partidos sem representação na Câmara (PSTU e PPL) não participarão do debate e serão ouvidos hoje, em entrevista ao vivo no Jornal do Almoço.


Quem vai participar:

> Angela Albino (PC do B)

> César Souza Júnior (PSD)

> Elson Manoel Pereira (PSOL)

> Gean Loureiro (PMDB)}

Mediador: Mário Motta


Blumenau

> A coordenação de campanha de Ana Paula Lima diz que ela pretende aproveitar o debate para apresentar propostas. A campanha de Jean Kuhlmann afirma que a estratégia será mostrar que o candidato vai dar continuidade ao governo de João Paulo Kleinübing. A aposta de Napoleão Bernardes é estabelecer as diferenças entre os quatro candidatos. Osni Wagner afirma que vai aproveitar o último debate na televisão para tentar apresentar seus projetos para a cidade.


Quem vai participar:

> Ana Paula Lima (PT)

> Jean Kuhlmann (PSD)

> Napoleão Bernardes (PSDB)

> Osni Wagner (PSOL)

Mediador: Joelson dos Santos


Joinville

> O candidato Carlito Merss tem agenda de campanha só até o início da tarde, depois se prepara para o debate. Kennedy Nunes aproveita o dia para descansar e fazer alguns contatos pelo telefone antes ir para a RBS. Marco Tebaldi vai se reunir com a equipe para se preparar. Udo Döhler tem somente um compromisso agendado para às 7h30min. Logo depois, vai para o Sítio Parati, no Itinga, para descansar. Leonel Camasão se reúne com dirigentes e candidatos do PSOL na casa dele.


Quem vai participar:

> Carlito Merss (PT)

> Kennedy Nunes (PSD)

> Leonel Camasão (PSOL)

> Marco Tebaldi (PSDB)

> Udo Döhler (PMDB)

Mediador: Rafael Custódio


Criciúma

> O debate terá três blocos. O primeiro, com perguntas com 15 temas pré-determinados, dos quais serão sorteados seis, o segundo com perguntas livres entre os candidatos e o terceiro, reservado para as considerações finais, com dois minutos para cada candidato. Nos dois primeiros, serão 30 segundos para perguntas, um minuto para respostas e 45 segundos para réplica e para a tréplica.


Quem vai participar:

> Clésio Salvaro (PSDB)

> Romanna Remor (PMDB)

> Odelondes de Souza (PSOL)

Mediador: Raphael Faraco


Lages

O debate terá dois blocos iniciais, com duração de 20 minutos cada. No primeiro, os temas foram definidos pela organização e previamente acordado entre os candidatos. Destes, quatro serão sorteados ao vivo, e os candidatos fazem perguntas entre si. O segundo bloco tem as mesmas regras, mas com temas livres. O terceiro bloco será para as considerações finais.


Quem vai participar:

> Antônio Ceron (PSD)

> Eliseu Mattos (PMDB)

Mediador: Renato Igor


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
04 out08:26

Candidatos encerram nesta quinta propaganda no rádio e na televisão

Termina nesta quinta-feira a propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão. Nos últimos 45 dias, candidatos a prefeito, a vice-prefeito e a vereador puderam divulgar suas plataformas de campanha visando a conquistar o voto do eleitorado do seu município. Com o fim do horário político, as emissoras de rádio e TV poderão voltar a exibir sua programação normal.

Nas cidades com mais de 200 mil eleitores onde nenhum dos candidatos conseguir a maioria dos votos e for necessária a realização de segundo turno, a propagando eleitoral no rádio e na televisão voltará a ser exibida a partir do dia 13 de outubro, com término no dia 26.

De acordo com o calendário eleitoral, hoje também é o último dia para a realização de comícios e propaganda política com reuniões públicas e a utilização de aparelhagem de sonorização fixa entre as 8h e as 24 horas. Do mesmo modo, só até hoje poderá ser realizado debate entre candidatos. A legislação prevê, contudo, que se o debate for iniciado hoje, poderá se estender até as 7h de amanhã.

Pelo cronograma das eleições, hoje é o prazo final para que o juiz eleitoral envie ao presidente da mesa receptora o material destinado à votação. Os partidos políticos ou coligações têm até o fim do dia para indicar o nome das pessoas autorizadas a expedir as credenciais dos fiscais e delegados habilitados a acompanhar os trabalhos de votação.

A sexta-feira será o último dia para a divulgação paga, na imprensa escrita, e a reprodução na internet do jornal impresso, de propaganda eleitoral. Pelo calendário, amanhã será o prazo final para que o presidente da mesa receptora que não tiver recebido o material destinado à votação solicite o envio.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), cerca de 140 milhões de pessoas deverão ir às urnas no próximo domingo. Apenas no Distrito Federal — que elege governador e deputados, como os Estados — e em Fernando de Noronha (PE) — distrito de Pernambuco, sem autonomia administrativa — não haverá eleição.

Além disso, os brasileiros que vivem no exterior também não participarão do pleito, porque votam apenas para escolher o presidente da República.


AGÊNCIA BRASIL



Comente aqui
03 out10:17

Você sabe as atribuições do prefeito e do vereador?

Você leva em consideração as atribuições do prefeito e do vereador para escolher seu candidato? Se sim, você está certo. Se não, deveria. Aproveite os últimos dias da propaganda eleitoral no rádio e na televisão, que termina nesta quinta-feira, para avaliar.

Fique atento se o candidato está prometendo algo que terá competência legal para cumprir. Pensando em te dar subsídio na comparação, o Santa traz uma lista de funções do vereador e do prefeito.


O que faz o prefeito?

Nomeia e exonera secretários municipais

Envia à Câmara as diretrizes orçamentárias, orçamentos anuais e plurianuais do município

Veta projetos de lei total ou parcialmente

Cria e extingui cargos públicos municipais em forma de lei

Decreta desapropriações por necesidade ou utilidade pública ou interesse social

Presta à Câmara informações solicitadas no prazo de 30 dias. O prazo pode ser prorrogado diante da complexidade do assunto

Solicita o auxílio da polícia para garantir o cumprimento de seus atos

Decreta calamidade pública ou estado de emergência, sempre que ocorrem fatos que justifiquem

Convoca extraordinariamente o Legislativo

Administra, paga funcionários, executa obras

Faz a intermediação política com os poderes estadual e federal em busca de benefícios para a população da cidade

Zela pela cidade: limpeza urbana, manutenção dos postos de saúde, transporte público

Coordena a arrecadação de tributos, como é o caso do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU)

Fixa tarifas dos serviços públicos, como por exemplo o transporte coletivo


O que faz o vereador?

Fiscaliza e zela pelo bom desempenho do Poder Executivo (as ações do prefeito, da administração e os gastos da prefeitura)

Representa os eleitores e faz a ponte, intermediando a relação entre a população e o responsável pela prefeitura

Propõe leis sobre os anseios da sociedade com emenda à Lei Orgânica, leis complementares, leis ordinárias, decretos legislativos e resoluções

Julga o prefeito e os colegas vereadores nas infrações político-administrativas previstas em lei

No caso de encontrar irregularidades na administração, pode até afastar prefeito ou vice, se tiver o apoio da maioria do Legislativo

Age com base na Lei Orgânica e o Regimento Interno da Câmara

Fixa subsídios do prefeito, vice-prefeito, vereadores e secretários municipais, observando a Constituição Federal e a Lei Orgânica

Autoriza o prefeito, por necessidade de serviço, a se ausentar do país ou do município

Cria comissões de inquérito para investigar fatos da competência da Câmara

Autoriza a realização da plebiscitos

Concede título honorário ou homenageia pessoa ou entidade que prestou relevantes serviços à comunidade

Solicita intervenção do Estado no Município


JORNAL DE SANTA CATARINA



Comente aqui
28 set19:35

Ato ecumênico marca 10 meses da morte de Marcelino Chiarello

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Um ato ecumênico na Praça Coronel Bertaso com posterior caminhada pela a Avenida Getúlio Vargas, em Chapecó, marcou os dez meses da morte do vereador Marcelino Chiarello. Compareceram familiares, amigos, professores, lideranças políticas e pessoas ligadas a movimentos sociais, que tinham apoio do vereador. Eles usavam uma camiseta preta com a foto de Chiarello.

- Queremos manter viva a luta e ação que ele fez, ele foi um mártir- afirmou o amigo Jaime Bianchi.

Rosângela Dal Bosco, da coordenação do Fórum de Lutas por Justiça, Vida e Democracia, disse que todos os meses é realizado um ato para lembrar a data da morte de Chiarello.

– Não podemos ficar sem uma resposta sobre quem matou e porque matou- afirmou, sobre a demora nas investigações, convencida de que Chiarello não praticaria suicídio, pelo seu perfil de lutas.

>> Leia mais notícias sobre o caso Marcelino Chiarello

No dia 28 de novembro do ano passado, Chiarello foi encontrado morte no quarto de visitas de sua casa, numa cena que dava impressão de suicídio. No entanto a Polícia Civil declarou que se tratava de uma simulação.

Posteriormente o médico legista que fez a necropsia do corpo apontou para homicídio. Análises posteriores de outros profissionais do Instituto Geral de Perícias apontaram para suicídio. Diante da imprecisão dos laudos a Polícia Civil concluiu o inquérito apontando que o vereador morreu enforcado, mas sem definir se isso ocorreu por suicídio ou homicídio.

O Ministério Público deu prosseguimento às investigações e solicitou apoio da Polícia Federal. Em julho o corpo de Chiarello foi exumado, levado para São Paulo, onde ficaram algumas amostras para exames mais detalhados.

A Polícia Federal não está repassando informações sobre a investigação.


Comente aqui
28 set15:14

Ato marca dez meses da morte de Chiarello

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Um ato em memória da morte do ex-vereador Marcelino Chiarello será realizado na tarde desta sexta-feira em Chapecó. O parlamentar foi encontrado morto dentro de casa no dia 28 de novembro de 2011.

Organizado pelo Fórum em Defesa da Vida, por Justiça e Democracia o ato vai contar com culto ecumênico e depois caminhada pela Avenida Getúlio Vargas. A celebração será às 17h30 na Praça Coronel Bertaso em Chapecó.

Após dez meses da morte o caso ainda não foi esclarecido. Em julho o corpo de Chiarello foi exumado e levado para São Paulo. Amostras do pescoço e do nariz ficaram no Centro de Medicina Legal da Universidade de São Paulo, para exames mais detalhados. Estes exames devem indicar  se houve homicídio ou suicídio.  O caso está com a Polícia Federal.

>> Leia mais notícias sobre o caso Marcelino Chiarello

Comente aqui