Vítimas

06 jun14:53

De cada três pessoas vítimas de queimaduras, duas são crianças

No Brasil, um milhão de pessoas são vítimas de queimaduras a cada ano. De cada três pessoas queimadas, duas são crianças, que passam a conviver com as sequelas destes traumas pelo resto da vida.

— Na maioria dos casos, elas se queimam em casa, em especial na cozinha e no pátio, e quase sempre na presença de um adulto, que apesar de estar responsável por aquele menor não está atento aos riscos daquela situação — explica o cirurgião pediátrico Maurício Pereima, diretor científico da SBQ (Sociedade Brasileira de Queimaduras).

Outro agravante nestes acidentes, segundo o especialista, é a facilidade com que o álcool líquido é adquirido no Brasil. Vendido livremente em qualquer mercado, este inflamável responde por 20% das causas de queimaduras, ocupando assim uma posição ímpar no mundo. Nos demais países, a literatura científica nem ao menos o menciona como causa de lesões térmicas.

— As queimaduras motivadas pelo manuseio indevido do álcool líquido diminuíram 60% no período em que a Anvisa proibiu a sua livre comercialização, mas nem mesmo este dado tão promissor parece ter sido suficiente para demover nossos legisladores da intenção de manter o livre comércio do álcool líquido no Brasil — lamenta Dr. Maurício.

São consideradas queimaduras graves aquelas que atingem mais de 30% da superfície corporal, são motivadas por choques elétricos e lesões inalatórias, por exemplo. No Brasil, das vítimas de queimaduras graves internadas em hospitais, vão a óbito em média 5% das crianças e 10% dos adultos. As queimaduras estão entre as principais causas externas de morte, perdendo apenas para outras causas violentas, que incluem acidentes no trânsito e homicídios.


Orientações da ONG Criança Segura para evitar queimaduras

• Mantenha a criança longe da cozinha e do fogão, principalmente durante o preparo das refeições;

• Cozinhe nas bocas de trás do fogão e sempre com os cabos das panelas virados para trás, para evitar que as crianças entornem os conteúdos sobre elas. O uso de protetores de fogão é um cuidado a mais para evitar que a criança tenha acesso às panelas;

• Evite carregar as crianças no colo enquanto mexe em panelas no fogão ou manipula líquidos quentes. Até um simples cafezinho pode provocar graves queimaduras na pele de um bebê;

• Quando estiver tomando ou segurando líquidos quentes, fique longe das crianças;

• Não utilize toalhas de mesa compridas ou jogos americanos. As mãozinhas curiosas podem puxar estes tecidos, causando escaldadura ou queimadura de contato;

• Durante o banho do bebê: coloque primeiro a água fria e verifique a temperatura da banheira com o cotovelo ou dorso da mão;

• Não deixe as crianças brincarem por perto quando você estiver passando roupa nem largue o ferro elétrico ligado sem vigilância. Cuidado com os fios dos outros eletrodomésticos. Se possível, mantenha-os no alto;

• Fogos de artifício devem ser manipulados por profissionais e nunca por crianças.

Nas festas juninas não permita brincadeiras com balões ou de saltar fogueira.


VIDA E SAÚDE



Comente aqui
29 jan14:02

Corpo de Bombeiros de Xaxim atendeu seis graves acidentes em 30 dias na BR 282

Os últimos 30 dias foram de muito trabalho para o Corpo de Bombeiros Militar de Xaxim. Neste período foram registrados pelo menos seis graves acidentes de trânsito na BR 282, no trecho de pouco mais de 12 km entre Xaxim e o trevo de Chapecó.

Segundo os Bombeiros, a combinação de alta velocidade e veículos pesados é um dos fatores que contribuem para estes dados preocupantes.

– Em um mês foram contabilizados cinco vítimas fatais neste trecho – destaca o Soldado Ewerton Luiz Oliveira.

>> Duas pessoas morrem em acidente na BR 282 em Xaxim

>> Homem morre em acidente na BR 282 em Xaxim

>> Advogado morre em colisão na BR 282

Na manhã da sexta-feira, dia 27, outra grave ocorrência foi atendida pelos oficiais.Foi uma colisão frontal entre um automóvel e um ônibus de transporte coletivo interestadual. Apesar da gravidade e dos danos ocasionados nos veículos, apenas o condutor do automóvel teve ferimentos leves e foi encaminhado ao Hospital pela guarnição do Corpo de Bombeiros Militar de Xaxim.


Comente aqui
07 set19:08

Quatro vítimas de acidente com van de Nova Erechim permanecem internadas em Blumenau e Brusque

Permanecem internados nos hospitais de Blumenau e Brusque quatro adolescentes vítimas do acidente de sábado na BR-470, no trevo em Gaspar.


Guilherme Pagani está em estado grave na UTI do Hospital Azambuja, em Brusque. Gustavo Simoni Weschenfelder respira com auxilio de aparelhos na UTI do Hospital Santa Isabel, em Blumenau. Também em Blumenau, mas no Hospital Santo Antônio, estão Renata Corso e Vinicius Sirtuli. Ele apresenta melhoras, mas permanece em estado grave e na UTI. Renata continua em estado grave.


O motorista da van que se envolveu em um acidente com um caminhão na BR-470, em Gaspar, sábado dia três, recebeu alta na manhã desta terça-feira. Valdir Inácio Thomas foi liberado após apresentar melhora e ter sido levado para o quarto segunda-feira. Na colisão, três adolescentes e uma professora de Nova Erechim (SC) morreram.


JORNAL DE SANTA CATARINA

Comente aqui
04 set10:55

Prefeito decreta Luto em Nova Erechim

O velório das quatro vítimas do acidente entre van e caminhão, em Gaspar no Vale do Itajaí, acontece no ginásio da Escola Estadual Rudolfo Luzina em Nova Erechim. Às 10h15min está marcada uma missa. A cada 15min, após a cerimônia , um corpo será encaminhado para o cemitério municipal. Três corpos serão enterrados no cemitério da cidade. Danielly Ana Hining será enterrada no cemitério da linha São José, interior do município. O prefeito Volmir Pirovano decretou luto de três dias. As aulas também foram canceladas nesta segunda-feira, dia cinco.



Bruna morreu cinco meses após o irmão, também no trânsito


A morte do irmão Rafael Zenni, ocorrida num acidente de trânsito em 19 de março, em Pinhalzinho, ainda perturbava Bruna Zenni, de 16 anos. De acordo com a cunhada, a viúva Elisete Wichroski, no início ela nem queria viajar.


O namorado, Douglas Morelli, contou que ela estava deprimida pela perda do irmão. Por isso ele e os pais de Bruna ajudaram a pagar a viagem.


-Foi um presente de aniversário- disse a mãe, Olirdes Ana Zeni, lembrando que a filha tinha completado 16 anos no dia 18 de agosto. Ela também iria conhecer a praia pela primeira vez.


Depois que perdeu Rafael, Olirdes se apegou mais à filha. Na quinta-feira foi comprar uma barra de chocolate preto, tênis e chiclete, que Bruna havia pedido.


-É doído, agora fiquei sem nenhum- disse a mãe, desolada. O namorado, Douglas Morelli, também continha o choro. –Ela era uma guria muito parceira, dedicada e esforçada- comentou.


Ele recebeu um toque no celular uma hora antes do acidente. Duas horas depois soube que tinha acontecido algo. Quatro horas depois veio a pior noticia. Ele havia ficado sem a companheira de danças gauchescas com quem frequentava os bailes.


Sonho de Renata era conhecer a praia


A viagem para Balneário Camboriú, Itapema e Penha era a primeira que Renata Pezenatto, 14 anos, faria sozinha. –O sonho dela era conhecer a praia- disse a irmã, Ivanilde Pezenatto Giorgio. Renata passou oito dias arrumando a mala para a viagem.


Na escola, era referência tanto no estudo, quanto no esporte. –Ela era atleta- comentou a diretora da E.E.B.Rudolfo Luzina, Noeli Soletti.


Ela jogava futebol de campo e futsal. Em 2009 Renata ajudou o time da escola na conquista do vice-campeonato do Moleque Bom De Bola, nas finais disputadas em São João do Oeste.


Gostava de música e iria começar um curso de violão. Era a caçula de três irmãos e tinha um bom relacionamento com a família. –Se eu pudesse abriria mão da minha vida para ter ela de volta- disse a irmã, Ivanilde.


Apesar da dor, a imagem que ficará de Renata é de alguém que brincava com todo mundo. –Para ela não tinha tristeza- completou Ivanilde, visivelmente emocionada. E Renata morreu alguns quilômetros antes de realizar seu sonho.


Danielly gostava de tocar violão e cantar


Um dos passatempos prediletos de Danielly Hining, 14 anos, era tocar violão e cantar com o tio e padrinho, Wolmey Pandolfo. –Ela gostava de música sertaneja- conta o tio, que ajudou a cuidar da menina nos primeiros meses e vida, enquanto a mãe se curava de um câncer.


Danielly ajudava os pais na cozinha, na alimentação dos porcos e dos bezerros. Gostava tanto de animais que tinha como objetivo fazer curso de Medicina Veterinária.


Estava empolgada com a viagem. –Pai, estou tão feliz, me belisca para eu ver se é verdade- disse na véspera.


O tio, que foi buscá-la na quinta-feira, em Pinhalzinho, onde ela fazia um curso de computação, disse que a menina estava muito feliz.


–Ó padrinho, tirei tudo 10- mostrava. A viagem também era um sonho para ela. Para os familiares, restou lembrar do sorriso da menina que alegrava todos por onde passava.


Professora deixa a filha de 13 anos


Julia Mascarello, de 13 anos, foi uma das sobreviventes do acidente em Gaspar. Mas a mãe, Jocicler Mascarello, não pôde compartilhar esse momento com a filha. A professora foi uma das vítimas fatais. Julia, que já não tinha o pai, falecido cinco dias antes do nascimento, ficou também sem a mãe.


Restaram os avós, tios e primos para cuidá-la. A avó Josefina Catarina Mascarello disse que Júlia está em choque emocional.


–Ela só acordou no hospital- explicou Josefina. Ela agradeceu o apoio da comunidade, principalmente dos familiares, que trouxeram conforto num momento tão difícil.


Josefina disse que a filha sempre quis ser professora, profissão que exercia há 27 anos. Desde 1997 dava aula na escola Rudolfo Luzina, onde foi diretora e atualmente exercia o cargo de supervisora.


Era uma pessoa dinâmica e comunicativa. E morreu junto com aqueles para quem dedicou sua vida: os alunos.



Seis adolescentes feridos continuavam hospitalizados na noite de sábado. A batida provocou a morte de quatro pessoas e deixou outras 11 feridas.



Comente aqui
04 set09:23

Capotamento em Chapecó

O Corpo de Bombeiros atendeu na Rua Fernando Machado, esquina com a Lauro Muller, no centro de Chapecó, um capotamento. O acidente foi às 3h56min, de domingo. De acordo com os Bombeiros, o veículo colidiu em uma rótula e em seguida capotou diversas vezes. O motorista e a carona foram lançados para fora do veículo.


Após colidir na rótula o veículo capotou diversas vezes.



Após o atendimento no local as vítimas foram encaminhadas para o Hospital Regional de Oeste.


>> Leitor gravou o atendimento do Corpo de Bombeiros.


Outro acidente envolvendo dois automóveis e um caminhão foi registrado às 5h45min de domingo, na BR 282 entre Cordilheira Alta e Xaxim. Uma mulher foi atendida com politraumatismos e encaminhada para o Hospital Uniclínicas de Chapecó. Outras duas vítimas foram encaminhadas para o Hospital de Xaxim.


O Corpo de Bombeiros de Chapecó atendeu desde a manhã de sábado, dia três até a manhã de domingo, 22 ocorrências emergenciais. Nove acidentes de trânsito com vítima, duas vítimas de disparo de fogo, três vítimas de agressão e prestou oito auxílios.



1 comentário
04 set08:37

Prefeito decreta três dias de luto em Nova Erechim

O velório das quatro vítimas do acidente entre van e caminhão, em Gaspar no Vale do Itajaí, acontece no ginásio da Escola Estadual Rodolfo Luzina em Nova Erechim. Às 10h15min está marcada uma missa. A cada 15min, após a cerimônia , um corpo será encaminhado para o cemitério municipal. Três corpos serão enterrados no cemitério da cidade. Danielly Ana Hining será enterrada no cemitério da linha São José, interior do município. O prefeito Volmir Pirovano decretou luto de três dias. As aulas também foram canceladas nesta segunda-feira, dia cinco.


Seis adolescentes feridos continuavam hospitalizados na noite de sábado. A batida provocou a morte de quatro pessoas e deixou outras 11 feridas.


A van transportava adolescentes e professores da Escola Estadual Rodolfo Luzina, de Nova Erechim, Oeste catarinense. O grupo de 72 pessoas seguia para Balneário Camboriú, onde faria passeios e participaria de palestras sobre ecologia. No domingo, passaria o dia no Parque Beto Carrero.


Alunos e professores seguiam para o Litoral em dois veículos — um ônibus e a van. Em Gaspar, pararam para tomar café. Momentos após retomarem a viagem, aconteceu o acidente na BR-470. Os alunos são do 9º ano e tem idade entre 14 e 15 anos.


Não resistiram aos ferimentos as estudantes Danielly Ana Hining, Bruna Zenni, Renata Júlia Pezenatto e a supervisora educacional Jocicler Mascarello. Os corpos foram liberados e encaminhados para Nova Erechim às 18h.


Na van estavam 15 ocupantes. Foram encaminhados a hospitais da região Caroline Bizangninde de Melo, Matheus Gomes Ferreira, Julia Mascarello de Souza, Thaiane Maiara da Silva, Daniela Cristina Rambo, Vinicius Sirture, Gustavo Weschenfelder, Renata Corso, Guilherme Paganini, Brenda Paseo e Valdir Thomas (motorista).


Por volta das 15h, Matheus, Caroline e Brenda já haviam recebido alta. À noite, Juliana e Daniela também deixaram o hospital. Todos que receberam alta já voltaram para casa.


Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a batida teria ocorrido depois que um carro saiu do trevo de Gaspar e invadiu a pista. Para não bater no carro, o motorista da van teria invadido a pista contrária e batido no caminhão.


DIÁRIO CATARINENSE

Comente aqui