Zagueiro

25 set12:26

Leonardo está liberado e poderá jogar no domingo

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O zagueiro Leonardo está liberado e poderá vestir a camisa da Chapecoense no jogo do domingo contra o Duque de Caxias/RJ. Ele foi julgado na noite desta segunda-feira pelo Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no Rio de Janeiro/RJ. Leonardo foi para o banco dos réus após a expulsão no jogo contra o Vila Nova/GO, no dia 8 de setembro.

Na partida Leonardo recebeu cartão vermelho aos 24 minutos do segundo tempo. Segundo o árbitro Jânio Pires Gonçalves,o zagueiro deu uma cotovelada na altura do peito do adversário, que recebeu atendimento e retornou à partida.

>> Novo atacante da Chapecoense deve ser anunciado nesta quarta-feira

O zagueiro, que foi acusado de praticar agressão física, poderia ficar até 12 jogos fora, mas pegou apenas uma partida de suspensão.

Como não jogou em casa na vitória por 4 a 0 sobre o Caxias/RS, Leonardo está liberado.

Se ele irá jogar ou não no domingo, a resposta está com o técnico Gilmar Dal Pozzo.

Comente aqui
11 jul16:18

Souza levou quatro pontos na cabeça após dividida com Thuram

O zagueiro Souza levou quatro pontos na cabeça após uma dividida com o atacante Thuram. Os pontos foram no supercílio. O incidente foi na manhã desta quarta-feira, durante o treino no campo do Trevo.

Atleta da Chapecoense foi atendido pela equipe e levado para o Hospital.

Ele está bem e acompanhou a equipe no treino da tarde, também no campo do Trevo.


Comente aqui
10 mai17:58

Souza é absolvido pelo STJD

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

O zagueiro Souza foi absolvido hoje pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) do Rio de Janeiro no julgamento do lance em que fraturou a tíbia e a fíbula do atacante Heber, no jogo contra o Figueirense, dia 25 de março.

Na partida o juiz José Acácio da Rocha não marcou nem falta, pois o zagueiro teria visado a bola e o choque foi posterior. No entanto, na semana seguinte o Tribunal de Justiça de Santa Catarina afastou preventivamente o jogador por 30 dias, por entender que o jogador utilizou força excessiva na jogada. Depois Souza foi julgado e condenado a ficar fora dos gramados até a recuperação de Heber, prevista em 180 dias.

A Chapecoense recorreu ao STJD e conseguiu uma liminar liberando o jogador na véspera do jogo contra o Cruzeiro, até que o caso fosse julgado. Ontem, ele foi absolvido por unanimidade. A

O time do Oeste foi representado pelo advogado Martinho Miranda. Na próxima terça-feira o zagueiro enfrenta outro julgamento no Tribunal de Justiça de Santa Catarina, pela expulsão contra o Criciúma, após desentendimento com o zagueiro Ozéia, na última rodada do returno.



Comente aqui
02 mai13:12

Chapecoense deve contratar três atletas para a Série C

O diretor de futebol da Chapecoense Mauro Stumpf disse que devem ser contratados três reforços para a equipe. – Estamos em busca de um zagueiro, um volante e um atacante – disse.

Os novos só serão divulgadas após a assinatura do contrato com os atletas e a diretoria do clube.

Eles vão reforçar a Chapecoense na Série C do Campeonato Brasileiro 2012. O Verdão estreia na competição no sábado, dia 26 de maio, contra o Santo André em Araras/SP.

Comente aqui
27 abr14:21

Concórdia Atlético Clube contrata zagueiro

O Concórdia Atlético Clube (CAC) apresentou a 14ª contratação para temporada 2012. O zagueiro Jajá, 27 anos, vai compor a equipe que disputará o Campeonato Catarinense da Divisão Especial.

Jajá estava no Atlético de Ibirama que não conseguiu chegar nas fases semifinais do Catarinão 2012. O zagueiro deve se apresentar com os demais jogadores contratados no dia 10 de maio.

A direção do Galo do Oeste procura ainda mais reforços para a equipe.


Comente aqui
13 abr09:21

Souza: herói do Verdão

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Foram 17 dias fora dos gramados em que o zagueiro Souza foi do inferno ao céu. Comparado quase a um bandido pelo carrinho que fraturou a perna do atacante Heber, do Figueirense, no dia 25 de abril, ficou 17 dias afastado dos gramados por decisão do Tribunal de Justiça de Santa Catarina e, voltou a jogar na quarta-feira, graças a um efeito suspensivo do Superior Tribunal de Justiça, onde foi o herói do empate contra o Cruzeiro.

Nesse período o jogador chegou a ser acusado de ter dado uma entrada irresponsável num colega de profissão. Foi afastado preventivamente, julgado e punido com o afastamento até a recuperação de Heber.

Advogados da Chapecoense tentaram efeito suspensivo no Tribunal de Justiça, que foi negado. Souza viu de fora dos gramados a Chapecoense vencer o Joinville, vencer o Metropolitano e perder para o Atlético Hermann Aichinger.

Nesse período viu a torcida escrever cartazes em apoio. Contra o Atlético, o time da Chapecoense entrou em campo com uma faixa e camisas de apoio ao capitão do time. Souza se sentiu injustiçado pelo ocorrido alegando que foi disputar a jogada e tocou na bola, sem a intenção de machucar o colega de profissão. O juiz José Acácio da Rocha nem deu falta.

Souza disse que chorou, xingou, mas não deixou de trabalhar e tentar influenciar positivamente o grupo. Na segunda e terça-feira treinou forte. No final da tarde de terça-feira, quando estava no refeitório do clube, recebeu a notícia do diretor de futebol Cadú Gaúcho de que estava liberado para o jogo, devido a um efeito suspensivo no Superior Tribunal de Justiça.

O capitão estava mais feliz que uma criança que pela primeira vez participa de um campeonato. Ele foi correndo buscar a mochila para ir na concentração. Para ele não importava sair jogando ou atuar na partida, já que não tinha treinado entre os titulares. Ele queria estar lá, participar do vestiário e ajudar no confronto contra o Cruzeiro.

Souza não só foi escalado contra o Cruzeiro, mas recebeu de volta a faixa do capitão. E aos 16 minutos fez o gol contra o Cruzeiro, que depois acabaria empatando por 1 a 1. Souza vibrou muito com os companheiros e com a torcida. Para ele, o gol era a redenção do que tinha sofrido nos últimos dias.


“Fiquei comovido com o carinho e apoio que recebi”

Ontem foi um dos dias mais felizes da carreira do zagueiro Souza, que já está nos 30 anos. Além de voltar a jogar, graças a um efeito suspensivo do Superior Tribunal de Justiça, ele marco o gol do empate contra o Cruzeiro, na quarta-feira. No gramado do Índio Condá ele concedeu entrevista a seguinte entrevista ao Diário Catarinense, que também foi acompanhada por outros colegas da imprensa.


Diário Catarinense: Como foi ficar duas semanas sem jogar e marcar o gol na sua volta?

Souza: Eu me comovi com o apoio, o carinho e o afeto dos companheiros, da torcida e das pessoas que vinham me dar força. Por tudo isso eu vou trabalhar ainda mais, vou me dedicar ainda mais.


DC: Você vibrou muito com o gol, o que lhe passou pela cabeça na hora do gol?

Souza: Só pensei em agradecer a Deus. Antes do jogo um torcedor me disse que eu faria um gol nos primeiros 20 minutos pois o que havia sofrido era uma injustiça. Isso não tem preço.


DC: Chegaste a pensar que não iria mais atuar neste semestre?

Souza: Xinguei, chorei mas não me preocupei com isso. Deixei na mão de Deus. Quando negaram o pedido suspensivo disse para o advogado que Deus sabe o que faz. E ele estava escrevendo . Quando a bola foi daquela maneira pra área ele disse: É pra ti negão.


DC: Esse episódio fortaleceu o grupo?

Souza: Nós estamos cada vez mais unidos porque o objetivo não era prejudicar o Souza. Não querem deixar nós sermos bicampeões. Mas nós estamos juntos com o objetivo de sermos bicampeões.




Comente aqui
05 abr09:23

Chapecoense vai tentar efeito suspensivo para Souza

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A Chapecoense ingressou ontem com um pedido um efeito suspensivo na punição de Souza, que na terça-feira foi condenado pelo Tribunal de Justiça Desportiva a ficar fora dos gramados até a recuperação de Heber, atacante do Figueirense, que teve fratura de fíbia e tíbula após um carrinho do zagueiro.

No lance da partida Figueirense 3 x 0 Chapecoense o árbitro José Acácio da Rocha não marcou nem falta, por entender que o zagueiro foi na bola. Mas posteriormente o Tribunal de Justiça Desportiva suspendeu preventivamente o jogador, por entender que houve força desproporcional no lance. Mesmo antes do julgamento de terça-feira Souza já não atuou contra Joinville e Metropolitano.

O advogado Marcelo Zolet, que é assessor jurídico da Chapecoense, disse que o clube vai tentar mostrar que o zagueiro não representa risco para seus colegas, como entendeu o tribunal, pois atua há três anos em Santa Catarina e nunca foi expulso. Zolet disse que o lance foi uma fatalidade e espera que o zagueiro possa atuar até o julgamento final, já que a Chapecoense também encaminhou um recurso ao pleno do TJD, pedindo a absolvição do zagueiro ou redução da pena. Zolet considera que a punição é desproporcional ao lance. Caso não consiga resultado o passo seguinte é recorrer ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva, no Rio de Janeiro. A Chapecoense vai lembrar o caso do zagueiro Bolívar, do Internacional, que também foi condenado num primeiro julgamento a ficar afastado dos gramados até a recuperação do jogador Dodô, do Bahia, que teve rompimento de um ligamento do joelho esquerdo. No STJD Bolívar teve a pena reduzida para quatro jogos.

Ontem Souza era a imagem da insatisfação. Ele chegou a fazer alguns exercícios na academia mas depois pediu para ser dispensado do treinamento, para conversar com o advogado e o técnico Itamar Schulle. Ontem a direção pediu para ele não dar entrevista.


Comente aqui
04 abr09:38

Souza ficará sem atuar até Héber se recuperar de fratura na perna

O zagueiro Souza da Chapecoense foi suspenso pelo Tribunal de Justiça Desportiva de Santa Catarina até que o atacante Héber, do Figueirense, esteja recuperado, ou por um período máximo de 180 dias. A Chapecoense pode recorrer da decisão.

Atleta da Chapecoense pode ficar de fora até 180 dias.

No dia 25 de março Héber fraturou o terço da tíbia e a fíbula no jogo contra a Chapecoense, pela quarta rodada do returno do Campeonato Catarinense, após sofrer uma entrada do zagueiro Souza. O prazo para voltar aos gramados é de três meses.

Em sua defesa o jogador da Chapecoense repetiu o que disse no dia após o incidente, que não entrou com maldado e que a fratura foi um acidente. Porém, isso não foi o bastante para os auditores do TJD/SC, que condenaram o jogador.

— Foi um carrinho lateral que eu fui tirar a bola. A minha perna direita estava dobrada justamente para não machucar o atleta, mas como ele estava com a perna apoiada ela acabou pegando na minha perda dobrada e sofreu a fratura. Nunca entrei com a intensão de machucar, foi uma fatalidade. Até o próprio atleta, esses dias, conversou comigo pelas redes sociais e falou para eu ficar tranquilo — disse Souza em sua defesa.

Comente aqui
27 mar16:06

Zagueiro Souza é suspenso preventivamente por 30 dias

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsoline.com.br

O presidente do Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol de Santa Catarina, Luciano Hostins encaminhou na tarde desta segunda-feira uma intimação, baseada nos artigos 35 (prevê a possibilidade da suspensão preventiva) e 282 (visa a defesa da moralidade do desporto) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que determina a suspensão preventiva do zagueiro Souza da Chapecoense, por 30 dias.

Hostins, que está no Rio de Janeiro, disse que desde o ano passado foi implantado um sistema informatizado para o envio das súmulas após as partidas. – Sempre depois do jogo é encaminhado para o sistema os fatos ocorridos no jogo, por isso os processos estão mais rápidos – disse.

Na súmula o árbitro José Acácio da Rocha não citou o lance que originou a fratura do atacante Heber. – Como houve denúncias do clube e também na imprensa sobre o caso e após encaminhamento do Procurador Geral Giovane Mariot, analisamos e decidimos pela suspensão preventiva do atleta – disse o presidente.

A Chapecoense recebeu a denúncia no meio da tarde desta terça-feira. Segundo o gerente de futebol, Carlinhos Almeida a diretoria vai conversar com o jurídico para definir qual será o procedimento a ser tomado.

O julgamento do caso, que pode ser acompanhado pela internet, já está marcado, será às 18h30, no dia 3 de abril na sede do TJD em Balneário Camboriú.

Na súmula o árbitro disse que foram arremessados objetos para dentro do campo. Essa questão sobre a perda ou não do mando de campo do Figueirense também será julgada na terça-feira.


Comente aqui
27 mar09:29

Triste mas tranquilo, Souza deseja recuperação rápida para Heber

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Triste mas tranquilo. Esse era o sentimento do zagueiro Souza no treinamento de ontem da Chapecoense. – Como atleta fico triste pela situação, mas tranquilo pois não agi com maldade – explicou Souza, que no domingo acabou fraturando a tíbia e a fíbula da perna esquerda do atacante Héber, do Figueirense.

Após o jogo contra o Figueirense o zagueiro Souza até tentou falar com o empresário do jogador, Marcos Paulo, mas não conseguiu. – Pedi para os companheiros dele que mandassem um abraço- disse Souza. Ele afirmou que deseja uma recuperação rápida ao jogador. – Espero na semana que vem poder falar com ele – afirmou.

Souza disse que não merece algumas acusações de que é um jogador violento. –Estou há três anos em Santa Catarina e nunca fui expulso por agredir alguém- argumentou. No catarinense deste ano, levou seis cartões amarelos.

A Chapecoense chegou ás 6h30 da segunda-feira em Chapecó, após a viagem de 10 horas a partir de Florianópolis, onde perdeu por 3 a 0 para o Figueirense.

Na quarta-feira o time enfrenta em casa o Joinville. Os ingressos já estão à venda com preço promocional para arquibancada coberta, R$ 30, e Geral, R$ 20. O preço é R$ 10 a menos que o normal. Mas vale somente até às 14 horas de amanhã. Estudante paga meio ingresso.

Os pontos de venda são Posto de Marco, Maidana Esportes, Palácio dos Esportes, Sensação do Mate e na Avenida Getúlio Vargas, na esquina com a rua Marechal Bormann.

Comente aqui