Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Uh, é Fabiano, o zagueiro goleador

30 de janeiro de 2012 0

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Com um gol aos 46 minutos do segundo tempo a Chapecoense garantiu a vitória por 2 a 1 diante do Camboriú, a liderança isolada e os 100% de aproveitamento. E o nome do jogo foi novamente o zagueiro Fabiano, que já havia sido decisivo contra o Avaí, marcando o gol da vitória por um a zero.

Ontem Fabiano foi ainda melhor. Ele marcou o primeiro gol da Chapecoense aos 15 minutos do primeiro tempo, aproveitando o cruzamento na cobrança de falta de Gilberto Matuto. Ele aproveitou seus 1,88 metro de altura e superou a zaga do Camboriú, novamente com uma cabeçada forte para o gol. Não deu para o goleiro Cairo.

-Nós ensaiamos muitas jogadas de bola parada nos treinamentos- disse o zagueiro que ajudava a família na lavoura quando era adolescente, no interior de São João do Oeste.

A atuação de Fabiano só não foi perfeita porque ele deixou Geninho livre às suas costas. O meia do Camboriú aproveitou um cruzamento que veio da direita e empatou, também de cabeça. Foi o primeiro gol que a Chapecoense sofreu no campeonato.

O Camboriú gostou do jogo e seguiu com novas investidas para o atauqe. Na bola pelo alto, Fabiano era soberano. Por baixo ele contava com o auxílio de Souza e Leonardo. Quando não dava, Nivaldo segurava.

No segundo tempo o técnico Gilberto Pereira fez três alterações para tentar a vitória. Fabiano via o time pressionar mas perdia muitos gols. Parecia que o time iria tropeçar em casa. A bola passada na área e ninguém aproveitava.

Fabiano resolveu novamente ir para o ataque em outra cobrança de falta de Gilberto Matuto. Ele desviou a bola que parou no poste. Na volta ele novamente chutou mas foi marcado impedimento.

Até que aos 46 minutos Esquerdinha cobrou escanteio para a área e lá encontrou novamente o zagueiro artilheiro. Fabiano, novamente de cabeça, fez o segundo gol a Chapecoense. Quase todo o time correu para abraçá-lo. Mas faltavam ainda alguns minutos para acabar. Wanderson foi expulso por uma falta. Na cobrança, a bola foi alçada para a área da Chapecoense. Sabe quem estava lá para tirar de cabeça? Fabiano. Foi dele o último toque na bola antes do árbitro terminar a partida. Daí só foi receber o abraço dos companheiros e ir cumprimentar a torcida que gritava: Uh, é Fabiano. O jogador de 20 anos simboliza a raça de um time que não vem encantando, mas mostra uma luta incansável até conseguir a vitória.

“Faltam 21 pontos para nossa classificação, acho que com 30 pontos estamos dentro. O resultado foi o melhor da tarde, evoluímos, mas precisamos crescer” – Gilberto Pereira, técnico da Chapecoense

Envie seu Comentário