Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Nivaldo, o eterno

19 de fevereiro de 2012 2

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Em maio o goleiro Nivaldo completa seis anos de clube. Provavelmente é o titular com mais tempo atuando em Santa Catarina. Também é o jogador com mais conquistas na Chapecoense, dois catarinenses, uma Copa Santa Catarina e um acesso para a Série C do Campeonato Brasileiro. Foi o herói na conquista de 2007. Tanto que ganhou uma faixa com os dizeres “Nivaldo Eterno”, nos jogos do Índio Condá.

Teve também alguns momentos de baixa, como no frango que levou na semifinal da Série “C” de 2009, em que o time venceu por 3 a 2 mas ficou fora da final. Em 2010 machucou-se e o time acabou rebaixado. No ano passado também se lesionou e acabou perdendo a titularidade para Rodolpho, que foi o titular na conquista do tetracampeonato. Em 2012, Rodolpho lesionou-se e Nivaldo reassumiu a titularidade em grande estilo, até pegando pênalti. Tanto que mesmo Rodolpho já tendo condições ele continua titular.

No vestiário, Nivaldo é uma das lideranças. –Isso é normal até pelo tempo que estou no clube- comentou. Já são 177 jogos defendendo a Chapecoense. Para o goleiro, ficar tanto tempo num clube tem suas vantagens e desvantagens. A vantagem é o que o goleiro já se identifica com o torcedor e a cidade, sendo conhecido por onde vai. Até seu filho, João Pedro, de 1,5 ano, nasceu em Chapecó. A desvantagem é que, segundo ele, esse tempo cria algum desgaste. –Tem gente que diz que não dá mais- lembra. O certo é que a faixa Nivaldo Eterno continua nas arquibancadas do Condá. Sua meta é ajudar a Chapecoense a chegar na Série B do Campeonato Brasileiro. Mas, com os 38 anos que vai completar em março, não sabe se estará no time quando isso acontecer.

Comentários (2)

  • luana diz: 20 de fevereiro de 2012

    ele vai ta la em março sim por que ele e guerreiro
    Zé Nivaldo

  • CARLOS ROCHA diz: 20 de fevereiro de 2012

    Estará lá sim, e com muito merecimento. Profissionais desta qualidade estão se tornando raridade aqui no país.

Envie seu Comentário