Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Chapecoense treina na Capital

28 de fevereiro de 2012 0

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A Chapecoense não voltou para casa após o empate contra o Criciúma, no Heriberto Hülse, no domingo. Para evitar o desgaste do retorno a Chapecó o time ficou hospedado em Florianópolis, onde enfrenta o Avaí amanhã.

De acordo com o supervisor do clube, Chinho Di Domênico, se retornasse a Chapecó o time chegaria em casa ás 13h30 e, às 13h30 de hoje, teria que embarcar novamente para Florianópolis.

– Não vale a pena pois prejudicaria a recuperação dos atletas- disse o supervisor, que entende do assunto pois já foi preparador físico do clube. Por isso ele já fez uma logística que minimizasse o desgaste dos atletas. Mesmo indo de avião Chinho calculou que entre a preparação, deslocamento, check-in, espera no aeroporto e viagem propriamente dita, seriam oito horas desperdiçadas na viagem.

Esse é um tempo que os atletas podem ficar descansando. –Isso pode ser decisivo num jogo- afirmou o supervisor, lembrando que a partida em Criciúma foi muito desgastante. Além disso o time vem de duas viagens cansativas, uma em Ibirama, na quarta-feira, onde o deslocamento foi por ônibus, e, logo em seguida, a viagem para Criciúma. Nesses dois confrontos o time do Oeste só empatou.

O técnico Gilberto Pereira também comemora a possibilidade de ter um tempo a mais para treinar. Se voltasse para Chapecó ele teria 24 horas para fazer dois treinamentos. Assim, o time tem dois dias para trabalhar.

– Nossa logística é muito boa – disse o treinador, que elogiou o esforço da diretoria em bancar mais diárias de hotel e ao trabalho do supervisor.

Apesar de perder o título do turno o treinador está contente com a campanha do primeiro turno, onde a Chapecoense terminou com a vice-liderança, com 18 pontos. Ele previa dificuldades na fase final do turno, pois o time jogaria três partidas foras. Coincidência ou não, o time não vence a quatro jogos. – Mas também não perdemos há três jogos- rebateu Pereira.

Ele prevê um returno mais competitivo, pois Joinville e Criciúma estão se recuperando e outros times como Metropolitano e Altético têm bons times. Além disso tem o Avaí na parada. E restam apenas três vagas no returno. Mas a Chapecoense é a que está melhor na briga por uma das duas vagas por índice técnico. O técnico calcula que, com mais 14 pontos, a Chapecoense estará na semifinal.

Para o jogo de amanhã contra o Avaí Gilberto Pereira não poderá contar com o ala Gustavo, que não pode enfrentar o clube que o emprestou, e Diogo Roque, suspenso. Em compensação conta com o retorno do zagueiro Fabiano, o volante Diego Teles e o atacante João Paulo.

Envie seu Comentário