Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Itamar Schulle quer buscar títulos na Chapecoense

13 de março de 2012 2

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

O técnico Itamar Schulle foi anunciado no final da manhã desta terça-feira como o substituto de Gilberto Pereira no comando da Chapecoense. Natural de Ituporanga/SC, o técnico de 44 anos atuou quatro anos no Juventus de Jaraguá do Sul, onde conquistou um acesso no Catarinense. Também treinou Brusque onde conquistou o primeiro turno do Catarinense de 2011 e uma vaga na Série D do campeonato Brasileiro. Passou ainda por Figueirense, Criciúma, Joinville, Brasil de Pelotas, e Novo Hamburgo, entre outros.

O novo técnico, que vai comandar a equipe no domingo contra o Marcílio Dias na Arena Condá, deve ser apresentado na tarde desta quinta-feira em Chapecó. Por telefone, concedeu a seguinte entrevista para o Diário Catarinense.

Diário Catarinense: Vocês estava bem no Novo Hamburgo, onde foi vice campeão da Taça Piratini, o que o fez optar pela Chapecoense?

Itamar Schulle: Já estava há quase 10 meses no Novo Hamburgo o que no Brasil é muito tempo. Na Chapecoense tenho a chance de disputar o Catarinense, a Copa do Brasil e a Série C. É uma vitrine maior. E eu estou sempre em busca de novos desafios.

DC: Quem você conhece do atual grupo?

Schulle: Já trabalhei com o Marcos Alexandre, o Leandrinho, o Leonardo e mais um ou dois. Outros eu joguei contra. Conheço a maioria do plantel.

DC: Acha que tem condições de brigar pelo Catarinense?

Schulle: A Chapecoense nos últimos anos sempre está brigando por título. Acho que temos condições de disputar o título do Catarinense, fazer uma boa campanha na Copa do Brasil e conseguir a vaga para a Série B do Campeonato Brasileiro.

DC:Precisa de muitos reforços para o atual elenco?

Schulle: Primeiro vou precisamos avaliar bem o atual grupo.

DC: Você foi escolhido para dar uma mexida no grupo que parecia apático nas últimas rodadas, esse é o perfil que pretende dar ao time?

Schulle: Tem que ter vibração, dedicação e vontade, principalmente no futebol. Todo o dia tenho que provar que sou capaz.

DC: Em outras vezes você chegou a ser cogitado para treinar a Chapecoense, por que não houve acerto?

Schulle: Nunca recebi convite oficial da Chapecoense.

DC: Então sua meta na Chapecoense será brigar por títulos?

Schulle: Quero deixar de ser vice. Fui vice pelo Botafogo da Paraíba, vice da Taça Piratini, agora quero ser campeão.

DC: Isso lembra o técnico Mauro Ovelha, que tinha só vices e foi campeão na Chapecoense?

Schulle: Torci muito por ele na final do ano passado. Ele merecia. Agora quero realizar os meus sonhos, os sonhos da torcida, dos jogadores e da direção.

Comentários (2)

  • Edson Peiter diz: 13 de março de 2012

    Boa sorte Itamar. Nós torcedores queremos um time que jogue com raça, determinação e objetividade. O atleta não precisa ser craque, mas deve demonstrar muita vontade de vencer. Avante Verdão!

  • BrUnO diz: 14 de março de 2012

    Boa Sorte Itamar Schulle !!!…
    Que a Chapê possa ser sua Casa por muito tempo…

    Da-Lhe, Da-Lhe Verdão !!!

Envie seu Comentário