Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

O caminho é pelo alto na Chapecoense

31 de março de 2012 0

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A Chapecoense viajou de ônibus até Blumenau, mas conta com uma Força Aérea poderosa para tentar derrotar o Metropolitano, neste domingo, no estádio do Sesi. Dos 29 gols marcados pelo time no Catarinense e na Copa do Brasil, 15 foram de cabeça. E destes, nova foram de zagueiros.

Tanto que o goleador do time é o zagueiro Fabiano, com seis gols, todos de cabeça. E o atleta disse que nunca jogou de atacante. -Nós treinamos bastante bola parada- explicou Fabiano, que tem a vantagem da estatura de 1,88 metro.

Seu colega no setor defensivo, Souza, fez três dos quatro gols de cabeça. E, na goleada por 4 a 1 diante do Joinville, foi a vez de Leonardo usar a cabeleira para balançar as redes. Falta só o Dema marcar o seu.

Leonardo disse que não é sua prioridade mas ficou feliz em ajudar o time no ataque. Além do gol ele escorou a bola para o gol de Fabiano, após cobrança de Athos. O zagueiro disse que a chegada de Athos, com quem atuou no Criciúma, contribuiu bastante com o time. Ele quer repetir o sucesso da dupla que foi campeã catarinense em 2005.

O técnico Itamar Schulle disse um dos focos do trabalho é o treinamento de bola parada. Contra o Metropolitano, ele reconhece que um empate não é mau resultado, pois segura um adversário direto. Mas o pensamento é de jogar para vencer, para que o grupo não se acomode.

Ele deve fazer apenas uma mudança em relação ao time que aplicou 4 a 1 no Joinville. Wanderson, que cumpriu suspensão, entra no lugar de Diego Teles, expulso na quarta-feira. O zagueiro Souza segue fora por punição preventiva do Tribunal de Justiça Desportiva.

Envie seu Comentário