Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

“Ele não é o Salvador da Pátria”, frase de Schulle após a partida contra o Vila Nova

08 de setembro de 2012 1

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Após a derrota para o Vila Nova/GO por 1 a 0, o técnico da Chapecoense Itamar Schulle disse em entrevista na rádio que abriria mão de parte do salário dele para a contratação de reforços no ataque.

- Ele não é o Salvador da Pátria – disse Schulle se referindo ao atacante Rodrigo Gral, que foi contratado e até agora não vestiu a camisa do clube em jogos oficiais.

- Precisamos ter outras opções no ataque – completou.

De acordo com o diretor de futebol Mauro Stumpf, a liberação do atleta ainda não saiu porque Gral tem ainda uma restrição com o DPMM, de Brunei.

O presidente da Chapecoense Sandro Pallaoro, que ouviu a declaração pelo rádio, ficou surpreso com as declarações do técnico.

- Vamos esperar ele chegar e conversar pessoalmente – disse Pallaoro. O encontro deve ser na manhã desta segunda-feira, na Arena Condá.

Comentários (1)

  • Celo Gahan diz: 9 de setembro de 2012

    Ele está certo! Um time não pode depender de um só jogador para fazer gols. É preciso ter um bom elenco, boas opções no banco de reservas. Ninguém ganha e nem perde nada sozinho. Fato.

Envie seu Comentário