Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Em busca dos 500 gols

03 de outubro de 2012 0

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Ao marcar um dos gols da Chapecoense na vitória por 3 a 1 contra o Duque de Caxias, no domingo, o atacante Rodrigo Gral ficou a apenas um de atingir a marca de 500 gols, segundo seus cálculos.

Para se ter uma ideia do quanto isso representa, Pelé fez 1283 e, Ronaldo Nazário, maior artilheiro de todas as Copas, fez 518 gols. No entanto o jogador da Chapecoense não está levando em conta apenas jogos oficiais. Seu critério é o seguinte: se teve juiz e súmula, tá valendo.

Sirli Freitas/Agência RBS

Com isso entram até os seis gols que marcou num Torneio Metropolitano de Porto Alegre, que disputou em 1993, aos 16 anos, pelo Inter-RS, até o gol no empate por 2 a 2 no amistoso da Chapecoense com o time Sub 23 do Atlético Paranaense, em agosto, no Índio Condá.

Uma boa parcela dos gols é das categorias de base. Dos gols que marcou pelo Grêmio, 172 são das categorias de base. O jogador de 35 anos está confiante de que essa marca pode acontecer já no próximo sábado, quando a Chapecoense enfrenta o Brasiliense, às 16 horas, no Índio Condá. Tanto que já mandou fazer camisetas com sua foto e a marca 500 gols.

– Vou distribuir para os familiares – declarou Gral.

Até agora ele jogou apenas um tempo no amistoso contra o Atlético-PR, onde marcou um gol, 57 minutos contra o Caxias, onde participou de dois gols, e 53 minutos contra o Duque de Caxias, contra quem fez um gol.

Desde que chegou na Chapecoense, Rodrigo Gral tem feito a diferença. Quanto estreou, contra o Caxias, o time estava há três jogos sem marcar. Nesse jogo, fez quatro, três com Gral em campo. Na partida seguinte, contra o Macaé, Gral foi poupado devido a uma lesão na coxa esquerda e o time ficou no 0 a 0. No jogo seguinte, contra o Duque de Caxias, ele voltou e a Chapecoense fez 3 a 1, dois enquanto estava em campo. Mesmo tendo atuado em apenas dois tempos dos 14 jogos que a Chapecoense disputou, ele estava em campo em 1/3 dos gols do time no campeonato. Por isso ele está confiante que vai atingir logo sua marca pessoal. E assim poderá ajudar um objetivo coletivo, que é levar a Chapecoense para a Série B. Mas aí são outros 500.

Entrevista:

“O gol 500 será consequência do trabalho”

DC: Ansioso para fazer o gol número 500?

Gral: O gol 500 foi consequência do trabalho. Uma hora vai sair, até pela minha função em campo, que é a de atacante. Mas o objetivo principal é levar a Chapecoense para a Série B.

DC: Mesmo tendo chegado durante o campeonato o seu entrosamento está bom, tanto que nos dois tempos que você estavam em campo, na Série C, o time fez cinco gols, o segredo é a conversa durante o jogo?

Gral: O grupo é muito bom, sozinho a gente não consegue nada. Além disso o Gilmar posiciona o time mais ofensivo, o que colabora, pois ficamos mais perto do gol. A equipe conta com jogadores inteligentes, como Neném e o Athos. E a gente conversa bastante para facilitar o passe ou ajudar o companheiro.

DC: Você já se considera um ídolo da torcida?

Gral: Não, eu sou um torcedor. Isso me fez voltar para cá. Fiquei 10 anos fora do país e me propus a voltar para jogar no clube do meu coração. Saí daqui cedo e nunca tinha jogado pela Chapecoense ou disputado um catarinense. Aqui, quando fiz o gol, depois do jogo era um monte de gente ligando, mandando mensagens. Vejo as pessoas na rua pedindo para fazer gol. Posso ir visitar minha avó, comer feijão e arroz com meus tios, ver meus amigos do colégio e do futsal. Isso que é mais gostoso. Abri mão de muitas coisas para viver isso.

GOLS MAIS IMPORTANTES

# Grêmio 2 x 1 Guarany-PAR, pelas oitavas de final da Taça Libertadores de 1997- “Tínhamos perdido o primeiro jogo por 1 a 0, no Paraguai. Estávamos vencendo o jogo e, aos 40 minutos, o Guarany empatou. Houve uma confusão e o técnico Evaristo de Macedo tinha sido expulso. Saímos com a bola no meio, o Marcos Paulo deu uma casquinha e ela sobrou para o Paulo Nunes, que não dominou e na sobra eu chutei prensado com o zagueiro empatando a partida. Fomos para os pênaltis e vencemos.

# Jubilo Iwata 1 x 0 Cerezo Osaka, na final da Copa do Imperador do Japão, em 2003- “Aos 25 minutos do segundo tempo recebi um cruzamento na área, dominei, driblei o zagueiro e, quando o goleiro saiu, coloquei no canto, fazendo o gol do título.

# Brasil 2 x 2 Uruguai, pelas eliminatórias do Mundial Sub-20, em 1999- “Estávamos perdendo por 2 a 1 e eu recebi um lançamento na área e, quando dominei, consegui tirar o zagueiro, só que fiquei com pouco ângulo, mesmo assim chutei e bola passou pelo meio das pernas do goleiro, empatando o jogo. O gol garantiu a classificação para o Mundial da Nigéria.”

# Chapecoense 2 x 2 Atlético-PR, amistoso, em agosto de 2012. “É um gol que marcou bastante pois foi meu primeiro gol pela Chapecoense. O Dudu cruzou no primeiro pau e eu fiz o gol de cabeça.”

Ficha técnica

Data de nascimento: 21/02/1977

Local: Chapecó/SC

Altura: 177cm

Clube atual: Chapecoense/SC

Clubes

- Inter (1993)

- Grêmio/RS (1994-1997)

- Juventude/RS (1998)

- Grêmio/RS (1999-2001)

- Flamengo/RJ (2001)

- Sport/PE (2001)

- Júbilo Iwata/Japão (2002-2005)

- Yokohama Marinos/Japão (2005)

- Omiya Ardija/Japão (2006)

- Al-Khor/Qatar (2007-2009)

- Al-Sadd/Qatar (2009)

- Bahia/BA (2010)

- Santa Cruz/PE (2011)

- DPMM/Brunei (2012)

Títulos

- Singapure League 1st stage (2012)*

- Campeonato Pernambucano (2011)

- Qatar Crow Prince Cup (2008)

- Xerox Cup (2004)

- J.League (2002)

- Campeonato Carioca (2001)

- Campeonato Gaúcho (1999)

- Copa Sul-Minas (1999)

- Campeonato Gaúcho (1998)

- Troféu Colombino/Espanha (1997)

- Copa do Brasil (1997)

- Campeonato Brasileiro (1996)

- Recopa Sul-Americana (1996)

- Campeonato Gaúcho (1996)

- Campeonato Gaúcho (1995)

*A equipe do DPMM disputa desde 2009 a Liga Nacional da Cingapura

Títulos/Base

- Brasileiro de Seleções (1996)

- Campeonato Gaúcho (1996)

- SBS Cup/Japão (1996)

- Torneio Romeu Goulart Jacques (1994)

- Campeonato Gaúcho (1994)

- Campeonato Metropolitano (1993)

Gols*

- Inter/RS (1993) | 6

- Grêmio/RS (1994-1997) | 195

- Juventude/RS (1998) | 27

- Grêmio/RS (1999-2001) | 20

- Flamengo/RJ (2001) | 1

- Sport/PE (2001) | 25

- Júbilo Iwata/Japão (2002-2005) | 88

- Yokohama Marinos/Japão (2005) | 9

- Omiya Ardija/Japão (2006) | 12

- Al-Khor/Qatar (2007-2009) | 52

- Al-Sadd/Qatar (2009) | 8

- Bahia/BA (2010) | 22

- Santa Cruz/PE (2011) | 4

- DPMM/Brunei (2012) | 5

- Chapecoense (2012) | 2

* Mais 23 assinalados pela Seleção Brasileira de Base

Envie seu Comentário