Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Solitário, torcedor acompanha chegada da Chapecoense a Florianópolis

09 de novembro de 2012 0


TIAGO PEREIRA | tiago.pereira@rbsonline.com.br

O estudante Daniel Giovanaz roubou a cena na chegada dos jogadores da Chapecoense a Florianópolis, na noite desta sexta-feira, após a conquista da vaga na Série B. Solitário, ele foi o único torcedor do Verdão a prestigiar o retorno dos atletas, que entraram para a história do clube. Após o desembarque, o grupo seguiu para o ônibus da delegação, que se encontrava estacionado no pátio do aeroporto. Em clima de festa, eles deram continuidade á viagem de volta para Chapecó, onde devem chegar por volta das 8h de amanhã e receber o carinho do torcedor.

_ Os jogadores merecem todo o respeito. Eles fizeram história no clube e nos colocaram em um lugar que nunca imaginamos – disse o jovem, que chegou ao aeroporto minutos antes do time desembarcar. Com a bandeira da Chapecoense nas costas, o torcedor não se intimidou pelo fato de estar sozinho e aplaudiu os jogadores que passavam pelo saguão do aeroporto Hercílio Luz. No final, recebeu o cumprimento dos atletas e um forte abraço do técnico Gilmar Dal Pozzo.

>>> Confira as fotos do desembarque do elenco do Verdão

O estudante, natural de Chapecó e que mora em Florianópolis há três a nos, aproveitou o momento especial para relembrar passagens que marcaram a campanha do acesso.

- O jogo de ida contra a Luverdense foi emocionante. O estádio não estava cheio, mas os torcedores que estiveram na Arena fizeram um espetáculo e deixaram o ambiente com uma energia diferente. Ali, sabíamos que o time ia subir – declarou Daniel.

A ligação do torcedor com a Chapecoense vem de berço. Filho de João Carlos Maringá, ex-jogador do clube e atual vice-presidente de Futebol, o garoto cresceu indo aos jogos na Arena Índio Condá e acompanhou praticamente todos os momentos do time nas duas últimas décadas.

– É como uma criança, que você carrega no colo, vê crescer e quando percebe, já não tem mais como segurar. Eu acompanhei todos esses anos da Chapecoense e me sinto cada vez mais orgulhoso desse time. Antigamente, o time era visto como um patrimônio da cidade. Agora, estamos entre os 40 melhores do Brasil, então não precisamos ter outro time e podemos dizer que somos Chapecoense com orgulho – completou.

Envie seu Comentário