Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de fevereiro 2011

Cartas na mesa

27 de fevereiro de 2011 0

O tênis brasileiro entrou no fim de semana com expectativas elevadas, mas elas acabaram evaporando no ar. Foram três derrotas em menos de 24 horas.

Bellucci caiu na semi de Acapulco. Ele poderia ter derrubado Almagro, que esteve longe de fazer uma boa partida. O espanhol estava visivelmente incomodado com o fato de estar enfrentando um rival canhoto com golpes pesados.

Foram inúmeras as oportunidades que o brasileiro não soube aproveitar no primeiro set. Depois de perder o tie-break, é claro, tudo ficou um pouco mais difícil.

Ainda falta ao Thomaz ter mais cartas, seja para colocar na mesa ou esconder na manga. A impressão que se tem é que ele ainda depende única e exclusivamente dos golpes, previsível demais para um jogador top.

Nas duplas, não tivemos melhor sorte, apesar de mais uma semana de boas campanhas.

Melo e Soares chegaram a mais uma decisão em Acapulco, mas caíram diante da dupla romena Hanescu/Tecau. Em Delray Beach, Ferreiro e Sá foram semifinalistas.

David Ferrer foi o campeão em Acapulco, depois de bater Dolgopolov na semi e Almagro na final. Já em Delray, a final é hoje, e será entre o argentino Del Potro e Tipsarevic.

Em Dubai, principal evento da semana, tivemos a esperada final Federer x Djokovic, com mais uma vitória do sérvio em sets diretos.

Assisti o jogo e percebi que nenhum dos dois jogou seu melhor tênis. Longe disso, eles mostraram até certo desleixo, como se estivessem treinando e o resultado não fosse realmente importante.

Os melhores do mundo, simplesmente, não colocam todas as cartas na mesa quando têm de se enfrentar em torneios menores. Faz parte do jogo.

Futebol em xeque

26 de fevereiro de 2011 1

O futebol brasileiro está exposto.
A verdade, aos poucos, está aparecendo.
Koff está velho e já não tem nada a perder.
Alguns clubes estão mostrando sua verdadeira cara.
Ricardo Teixeira está há 22 anos no poder.
Dizem que ele manda mais que o Presidente da República.
Em um país que vive de futebol, acredito.
Certa vez, Lula quase ousou criticá-lo. Quase.
Ou seja, trata-se de um ditador à moda antiga.
Um ditador que é apoiado pela grande mídia nacional.
Conclusão antiga: a mídia, quando lhe convém, abraça até o capeta.
Afinal, dinheiro é dinheiro, ibope é ibope, poder é poder.
Não percamos as próximas cenas desse filme de horror.

Bellucci na semi

25 de fevereiro de 2011 0

Depois de bater o top-10 Verdasco na estréia e abrir a chave, Bellucci aproveitou a chance e está na semi no ATP 500 de Acapulco.

Mas não foi nada fácil. Na segunda rodada, ele sofreu um bocado para superar o espanhol Navarro, apenas o 190° do mundo. Ontem, nas quartas, mais dureza, desta vez contra o irregular – mas perigoso – polonês Kubot.

Seu próximo adversário vai ser Nicolas Almagro, que vem de dois títulos consecutivos – Sauípe e Buenos Aires. O espanhol está tão confiante quanto desgastado pela maratona, de modo que as chances do brasileiro são boas.

A outra semi também promete ser um jogaço: Ferrer x Dolgopolov.

Em Dubai, tudo se encaminha para uma grande final entre Federer x Djokovic. Antes, o suíço tem que passar pelo francês Gasquet na semi. Agora há pouco, Djoko bateu Berdych e já está na decisão.

Em Delray Beach, fim da linha para Ricardo Mello. Ele caiu diante do americano Fish em dois sets. Fish e o argentino Del Potro são os principais favoritos.

Os brasileiros seguem fazendo boa campanha nas duplas: Melo/Soares está na semi no México, Ferreiro/Sá nas quartas na Flórida. Nada como uma boa e sadia concorrência.

Goleada

24 de fevereiro de 2011 4

O Inter não jogou grande coisa, mas ganhou bem dos mexicanos.
Lauro, Bolatti, Zé Roberto, Damião e Oscar foram os destaques.
Bolatti e Zé Roberto chegaram para substituir Sandro e Taison.
Com seis meses de atraso, mas tudo bem.
Lauro não é um goleiro brilhante, mas é seguro, falha pouco.
Foi uma injustiça ele ter sido barrado no ano passado.
Damião não é nenhum craque, mas é alto, forte e luta muito.
Se continuar fazendo gols, não sai mais do time.
O garoto Oscar mostrou, em cinco minutos, que tem bala na agulha.
Um novo time começa a se desenhar.
Estará Roth de olhos abertos desta vez?
Mais uma vez, só quem está no RS pôde ver o Inter.
É proibido ser colorado em outros estados?

Mais resultados

23 de fevereiro de 2011 0

Mais três ATP nesta semana: Dubai, Acapulco e Delray Beach.

Em Dubai, os destaques são Federer e Djokovic, que já estão nas quartas. Será que eles vão chegar na final?

Em Acapulco, os principais favoritos são Ferrer, Almagro, Wawrinka e Dolgopolov.

O brasileiro Bellucci começou muito bem: derrotou Fernando Verdasco, cabeça dois, em três sets. Seu próximo adversário é outro espanhol, Ivan Navarro. A chave dele está ‘aberta’.

Em Delray, destaque para o argentino Del Potro que, semana a semana, vem mostrando boa recuperação.

Ricardo Mello tenta repetir 2005, quando foi o campeão do torneio. Ele passou pelo alemão Schuettler na primeira rodada e agora encara Mardy Fish, cabeça dois e um dos favoritos.

Resultados da semana

19 de fevereiro de 2011 0

Em Buenos Aires, as semifinais prometem bons jogos, ainda na noite deste sábado. De um lado, os espanhóis Almagro e Robredo se enfrentam. Do outro, o surpreendente veterano Chela desafia o suíço Wawrinka.

Nas duplas, Ferreiro e Sá estão na final, a primeira deles. Belo resultado. Em simples, Feijão Souza foi o único representante brasileiro e perdeu na primeira rodada.

Em Memphis, a revelação canadense Raonic fará um duelo de sacadores contra o americano Roddick valendo o título. Ricardo Mello caiu logo na estréia, enquanto a dupla Melo/Soares perdeu na segunda rodada.

Em Marselha, mais um duelo de gigantes: Soderling e Cilic estão na final.

Castigo merecido

17 de fevereiro de 2011 3

Como estou fora do RS, quase fiquei sem ver o Inter.
Globo, Band e Sportv mostraram Flamengo x Muricy.
Fui salvo pela internet, bendita internet.
Na Libertadores, empatar fora de casa nunca é ruim.
Mas levar gol no último segundo é sempre doloroso.
Bolatti e Damião foram os melhores do time.
E Lauro foi bem, apesar de ter falhado no gol.
A partida esteve sempre sob nosso controle.
Roth, mais uma vez, não funcionou.
A primeira substituição veio com atraso.
A segunda substituição estragou o time.
O jogo, que era tranquilo, ficou complicado.
A terceira substituição não veio, erro grave.
A bola ficou rondando a nossa área até entrar.
O resultado foi injusto, mas o castigo foi merecido.
Que sirva de lição.

Símbolo de uma era

15 de fevereiro de 2011 1

Ronaldo parou de jogar.
Disse que ‘perdeu para o seu corpo’.
Ele, que já havia deixado de ser atleta há muito tempo.
Todos nós, atletas ou não, perdemos do mesmo jeito.
Aliás, já nascemos sabendo disso.
Ronaldo foi marketing até o fim.
Como a Globo, trocou o Flamengo pelo Corinthians.
Dentro de campo, foi um craque genuíno.
Sua técnica e habilidade eram diferenciadas.
Sua carreira foi marcada pelos gols, sua vida pelos exageros.
Pelé, em seu lugar, teria se aposentado em 2002.
Mas Ronaldo pertence a outra geração.
Cujo mito não é mais Pelé, mas Ayrton Senna.
É preciso vencer sempre, e a qualquer preço.
Até tudo terminar em tragédia.
Ronaldo aguentou enquanto pôde.
A derrota para o Tolima foi a sua curva fatal.
O bando de loucos foi a sua Williams.
Ele é um símbolo de uma era que está chegando ao fim.

Realidade

14 de fevereiro de 2011 0

Além do Brasil Open, tivemos mais dois torneios ATP na semana passada: Rotterdam e San José.

Os dois eventos estavam bem mais fortes que o nosso, até por questões geográficas. Na Holanda, por exemplo, jogadores como Murray, Soderling, Ferrer e Tsonga estavam na chave. A final foi entre Soderling e Tsonga, vencida pelo sueco em dois sets. Nenhuma surpresa no torneio, a não ser a queda de Murray logo na estréia.

Já em San José, na Califórnia, o título ficou com o ‘novato’ canadense Milos Raonic, que na final bateu o espanhol Verdasco. Outra novidade, se é que podemos chamar assim, foi o argentino Del Potro ter chegado na semifinal, mostrando estar recuperado da lesão que o afastou do circuito por quase um ano.

A ascensão de tenistas como Raonic e Dolgopolov – eles já haviam feito excelente campanha na Austrália – apenas confirma algumas tendências do tênis masculino atual.

Raonic é um tenista muito alto, obviamente um grande sacador, mas que também consegue se movimentar bem na quadra e suportar as trocas de bola. Já Dolgopolov não é tão alto, mas é tecnicamente completo e joga um tênis tão veloz quanto variado. Nenhum dos dois chegou a ter grande destaque no ranking juvenil.

A conclusão é a de sempre: seguimos distantes da realidade do tênis mundial. E olhando pra trás, o que é ainda mais grave.

Jogos de sábado

13 de fevereiro de 2011 0

A final do Brasil Open foi mais ou menos aquilo que se esperava. O favorito Almagro bateu Dolgopolov em dois sets disputados. O espanhol manteve a bola profunda e fez o adversário correr o tempo inteiro. O jovem ucraniano sentiu essa diferença de ‘peso de bola’ e errou mais do que nos jogos anteriores. O título ficou em boas mãos.

Pelo menos, ficamos com as duplas. Depois de um 2010 sem brilho, Melo e Soares conquistaram seu segundo título consecutivo e prometem uma temporada bem diferente, querem lutar por uma vaga no Masters. Algo que se torna possível à medida que eles tenham bons resultados nos torneios maiores.

Mais tarde, vi a goleada da seleção sub-20 sobre os uruguaios. A verdade é que nossos meninos sobraram no torneio, foram muito superiores a todos os adversários. Neymar é titular da seleção principal, outros são titulares em seus times. Todos os jogos poderiam ter terminado com uma goleada brasileira.

O colorado Oscar também foi muito bem. Trata-se de um jogador inteligente, que se movimenta bastante e tem bom passe. Não é um velocista, mas um armador clássico que já faz por merecer uma chance no time titular.