Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Com Porto Seco interditado, trabalho mudou de lugar para as escolas de samba

06 de fevereiro de 2014 0


Para fazer Carnaval, é preciso ter criatividade. E, com a interdição dos barracões do Porto Seco, na Capital, devido à falta de um Plano de Prevenção e Combate a Incêndio (PPCI), o jogo de cintura é ainda mais necessário para que as escolas encontrem outros espaços de trabalho. A 23 dias da festa,
o tempo é artigo de luxo e não pode ser desperdiçado.

Transferência para São Leo

Além dos ateliês que, tradicionalmente, já confeccionam fantasias, quadras e espaços alugados se
transformaram em opções para continuar a montar os bastidores da festa. A Imperadores do Samba, por exemplo, transferiu parte do trabalho para salas em São Leopoldo.

– É onde estamos fazendo as esculturas de isopor. E muitas funcionárias levaram fantasias para fazer em casa – relata o carnavalesco da escola, Silvio Oliveira.

Ele teme que, com a interdição, seja preciso acelerar o ritmo de trabalho nos próximos dias e a
qualidade da festa seja comprometida.

Uma nova organização

Na Bambas da Orgia, além da confecção de fantasias nos ateliês, a quadra da escola, na Avenida Voluntários da Pátria, está acolhendo a equipe de trabalho. Os adereços e esculturas dos carros são
montados ali, e depois serão aplicados nas alegorias.

– Bagunçou um pouco, mas o pessoal não se abalou. A logística mudou. Algumas coisas a gente trouxe, outras têm de esperar para fazer lá – explica o carnavalesco Marco Aranha.

O vice-presidente da escola, Edgar Damião dos Santos, conta que precisa ir e voltar diversas vezes ao Porto Seco para buscar material e levar o que está ficando pronto. Ele é um dos que têm autorização para entrar rapidamente nos barracões.

– Estamos nessa luta. Tive de dispensar dois serralheiros, porque não tem como eles trabalharem.
Depois, assim que tiver liberado, a nossa ideia é funcionar 24 horas – planeja.

Liberação para essa quinta-feira

Conforme o coordenador de Manifestações Populares da Secretaria Municipal da Cultura de Porto
Alegre, Joaquim Lucena, na quarta-feira foram finalizados os ajustes necessários nos barracões
e entregue o pedido para uma nova vistoria do Corpo de Bombeiros. Ele acredita que o problema seja resolvido.

– A expectativa é que quinta-feira seja liberado – afirmou Lucena.

Envie seu Comentário