Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Bloco Panela do Samba leva 30 mil às ruas de Porto Alegre

25 de janeiro de 2015 1

RENATO DORNELLES
renato.dorneles@diariogaucho.com.br

 

00aa18db

Se o primeiro bloco a oficialmente sair às ruas em 2015 for parâmetro, o recorde de foliões na Capital deverá ser batido com sobras, neste ano. No sábado, entre o final de tarde e a noite, o Panela do Samba arrastou um público estimado em 30 mil pessoas por ruas da Cidade Baixa.
Foi só o começo de uma temporada que envolverá 22 blocos, em 13 datas. A concentração começou às 16h, com uma roda de samba do Grupo Puro Asthral. Apesar do sol forte e do calor, a prévia reuniu milhares de pessoas.
Por volta das 18h, o caminhão de som, com cantores e instrumentistas, escoltado pela bateria do bloco, partiu pela João Alfredo no sentido da Rua da República. No repertório, o vocalista Leandro Antunes (Lelê), do Grupo Louca Sedução, e outros cantores interpretavam sambas, marchinhas, axés, e ainda MPB e até rock em ritmo de Carnaval. A cada transversal cruzada, outros milhares de foliões juntavam-se ao Panela do Samba.

Estrutura foi ampliada

Estreante em Carnavais de blocos, a estudante Kelli Cristina Medeiros, 19 anos, de Porto Alegre, ficou impressionada.
– Não imaginava que teria tanta gente e que fosse tão divertido. Quero vir sempre que puder – disse, eufórica.
A estrutura foi ampliada em relação ao ano passado. Em 2014, quando o Panela do Samba foi às ruas, foram disponibilizados 15 banheiros químicos. Neste sábado, havia 60. Para a dispersão, a prefeitura, a Brigada Militar e a Polícia Civil montaram uma estrutura em frente à Paróquia Pão dos Pobres. A BM utilizou, também, uma Plataforma de Observação Elevada, com uma torre telescópica que atinge 15m de altura, equipada com câmeras de alta resolução. Pontualmente às 21h, a aparelhagem de som foi desligada, sem que qualquer ocorrência grave tivesse sido registrada ao longo do percurso.
Hoje à noite, representantes de órgãos públicos, de associações de moradores da Cidade Baixa e do bloco Panela do Samba e dos três que saem no próximo final de semana (Maria do Bairro, Do Jeito Que Tá Vai e Império da Lã) reúnem-se na Secretaria de Turismo para avaliar o evento.

Blocos carnavalescos retomam as ruas de Porto Alegre

24 de janeiro de 2015 0

00aa0282

 

RENATO DORNELLES
renato.dorneles@diariogaucho.com.br

O Carnaval de Porto Alegre cresce a partir da retomada de suas tradições. Deste sábado até o dia 8 de março, blocos e bandas estarão tomando ruas centrais, atraindo milhares de foliões. Serão 23 agremiações animando a cidade, em 13 dias de festa.
O destaque neste pré-Carnaval, nos útlimos anos, tem sido os blocos. Retomando uma característica de Porto Alegre nas décadas de 40, 50 e 60, quando existiram entidades humorísticas, como o To Com a Vela, a Canela de Zebu, Te Arremanga e Vem, Saímos Sem Querer e Tira o Dedo do Pudim, entre outros – extintos durante o período da ditadura militar, na década de 70 –, foliões têm tomado as ruas com muita alegria e colorido.
A largada do circuito, neste ano, será dada pelo Panela do Samba, que concentra a partir das das 16h deste sábado, na esquina das ruas Joaquim Nabuco e João Alfredo, pela qual o bloco seguirá até a República, a partir das 18h. No sábado seguinte, será a vez o Maria do Bairro, que no ano passado bateu o recorde, atraindo cerca de 40 mil pessoas, e do Do Jeito Que Tá Vai. Os dois blocos deverão se encontrar na Rua Sofia Veloso.
_ Começamos com uma roda de samba e, com a volta dos blocos, decidimos criar um também. Desde 2008 a gente se reúne, temos alguns instrumentos, outros são levados por ritmistas e saímos sem ensaio sem nada, nem com diz o nome do bloco _ explica o publicitário Daniel Mendes, 39 anos, um dos idealizados do Do Jeito Que Tá Vai.
Fazem parte do circuito blocos característicos, como o Galo de Porto, fundado por pernambucanos e especializado em frevos, o Turucutá, de maracatu, e o Deixa Falar, que só executa marchinhas tradicionais.
– Temos sim um carnaval de blocos forte para atrair o turismo e que engloba diferentes ritmos do país – afirma o coordenador-geral do Carnaval de Bairros da prefeitura, Leonardo Maricato.

 

Pedido de mais banheiros químicos

Reuniões entre associações de moradores do Bairro Cidade Baixa, representantes dos blocos e órgãos públicos como EPTC, DMLU, Governança Local, Brigada Militar e Polícia Civil acertaram detalhes para que os ritmos não atravessem neste Carnaval. Foi prometido, principalmente, um aumento significativo no número de banheiros químicos.
A cada segunda-feira, será realizada nova reunião entre os órgãos e as entidades, para avaliar os eventos realizados no final de semana, visando possíveis ajustes.

 
Escolha o(s) seu(s)
24 de janeiro
Panela do Samba
Horário: 16h às 21h
Itinerário: Rua João Alfredo, Rua da República, Praça Isabel, a Católica

31 de janeiro
Maria do Bairro
Horário: 16h às 21h
Itinerário: Rua Sofia Veloso (sem deslocamento)

Do Jeito que Tá Vai
Horário: 18h às 21h
Itinerário: Largo João Alfredo, Rua da República e Rua Sofia Veloso

2 de fevereiro
Império da Lã
Horário: 16h às 21h
Itinerário: Orla (do Gasômetro ao Anfiteatro Pôr-do-sol)

7 de fevereiro
Galo de Porto
Horário: 16h às 21h
Itinerário: Rua Joaquim Nabuco, Rua Lima e Silva até a Avenida Perimetral

Deixa Falar
Horário: 16h às 21h
Itinerário: Rua da República (em frente à padaria Padoka, sem deslocamento)

8 de fevereiro
Areal do Futuro
Horário: 16h às 21h
Itinerário: Rua Joaquim Nabuco, Rua João Alfredo, Rua da República – praça Isabel, a Católica

14 de fevereiro
Banda DK
Horário: 16h às 21h
Itinerário: Rua da República, Rua João Alfredo, Avenida Aureliano de Figueiredo Pinto, Praça Garibaldi

17 de fevereiro
Rua do Perdão
Horário: 16h às 21h
Itinerário: Rua da República (em frente ao Teatro de Câmara Túlio Piva, sem deslocamento)

21 de fevereiro
Filhos di cumpadi Washington
Horário: 16h às 21h
Itinerário: Orla (do Gasômetro ao Anfiteatro Pôr-do-sol)

Deixa Falar
Horário: 13h às 22h
Itinerário: Rua da República (em frente à padaria Padoka, sem deslocamento)

22 de fevereiro
Da Trinca
Horário: 15h às 19h
Itinerário: Orla (do Gasômetro ao Anfiteatro Pôr-do-sol)

Queridão
Horário: 19h às 21h
Itinerário: Orla (do Gasômetro ao Anfiteatro Pôr-do-sol)

28 de fevereiro
Da Diversidade
Horário: 16h às 21h
Itinerário: Ponte de Pedra, Avenida Perimetral, Praça Brigadeiro Sampaio

Isopor
Horário: 18h às 22h
Itinerário: Rua Joaquim Nabuco, Rua João Alfredo, Avenida Aureliano de Figueiredo Pinto, Praça Isabel, a Católica

Tem Tudo para Dar Errado
Horário: 14h às 18 h
Itinerário: Orla (do Gasômetro ao Anfiteatro Pôr-do-sol)

1º de março
Foliões da Vila
Horário: 14h às 18h
Itinerário: Orla (do Gasômetro ao Anfiteatro Pôr-do-sol)

Skafolia
Horário: 18 h às 21 h
Itinerário: Orla (do Gasômetro ao Anfiteatro Pôr-do-sol)

7 de março
Ziriguidum _ Batucada Social Clube
Horário: 16h às 21h
Itinerário: Orla (do Gasômetro ao Anfiteatro Pôr-do-sol)

8 de março
Tucurutá
Horário: 15h às 21h
Itinerário: Rua Luiz Afonso, Rua João Alfredo, Avenida Perimetral, Praça Isabel, a Católica

Di Brincadeira
Horário: 14h às 18h
Itinerário: Orla (do Gasômetro ao Anfiteatro Pôr-do-sol)

Olha o Passarinho do Mário
Horário: 14h às 18h
Itinerário: Rua Sete de Setembro, Avenida Borges de Medeiros, Praça dos Açorianos

Colo da Mãe
Horário: 18h às 21h
Itinerário: Orla (do Gasômetro ao Anfiteatro Pôr-do-Sol)

Dicas para os moradores
Informe-se sobre horários e percursos dos desfiles.

Evite trafegar nas imediações do evento.

Respeite a sinalização e a orientação dos agentes de trânsito.

Evite estacionar ao longo do percurso dos blocos.

Se houver necessidade de se deslocar com o automóvel durante o desfile, deixe-o estacionado em uma rua próxima ao evento.

Dicas para os foliões
Dê preferência ao uso de transporte público para chegar até o evento, pois a oferta de vagas de estacionamento na via pública é limitada.

Não estacione em locais proibidos, como em frente a guias rebaixadas, em canteiros centrais, em fila dupla ou onde haja cones e cavaletes.
Dicas do DG
O bloco é uma festa para a qual não é necessário convite. É só chegar e se divertir.

Leve apenas o necessário, como um documento de identificação e dinheiro suficiente para o que pretender consumir.

O folião pode levar comidas e bebidas, mas evite garrafas.

Na hora do aperto, lance mão dos banheiros químicos. A promessa é de que haverá equipamentos suficientes para atender aos foliões.

O mundo não acaba neste Carnaval. Extravase sua alegria, mas sem excessos ou exageros. As leis seguem valendo no período de folia.

Ambulantes terão de estar cadastrados na Smic.

 

Império da Zona Norte aposta na África

22 de janeiro de 2015 0

00a9edc7

 

RENATO DORNELLES
renato.dorneles@diariogaucho.com.br

Sete anos após o seu mais recente título, quando desfilou com o enredo “Da África à Zona Norte, Sim Senhor. Esta é a História do Samba”, a Império da Zona Norte volta a apostar em um tema do continente negro. Desta vez, será a Nigéria que estará representada no desfile, que comemorará os 40 anos da escola.
A exemplo do que ocorreu este ano com a maioria das escolas, a Império também teve de driblar problemas financeiros. Mas está dando a volta por cima, garante o presidente Antônio Ademir Moraes, o Urso.
– Os problemas atingiram praticamente todas as escolas e, com a gente, não foi diferente. Mas vamos para disputa, com certeza – garante.
A alegria do povo nigeriano estará retratada em alegorias e fantasias. Pelo enredo, o país africano é convidado a comemorar o 40º aniversário da escola. No país africano, Osun-Osogbo é uma floresta sagrada às margens do Rio Osun, no Estado de mesmo nome. É considerada a casa de Osun, uma das divindades do panteão yoruba. Por isso, o orixá Osun (Oxum no Brasil) estará bem representada no desfile. Assim como Iemanjá, que é a padroeira da Império.
Neste Carnaval, a entidade da Avenida Sertório terá a estreia de sua ex-passista Ana Marilda como porta-bandeira, em Porto Alegre. Ela já desempenhou a função na escola de samba Deu Xuxa na Zebra, de Uruguaiana. Na Império, formará o casal com o mestre-sala Caio, que também já foi passista.
O diretor de bateria Chiquinho Capelão retornou e vai comandar os ritmistas. A direção de Carnaval está nas mãos de Elbdes Rodrigues, o Turco, que marcou época nesta função, na Imperadores do Samba.
Cores: amarela, branca e prata
Símbolo: dois leões alados coroados
Bairro: Navegantes
Presidente: Antônio Ademir de Moraes (Urso)
Carnavalesco: Chico das Espumas
Intérpretes: Everton Rataiscki e Wantuir
Diretor de carnaval: Elbdes Rodrigues (Turco)
Diretor de bateria: Mestre Chiquinho
Mestre-sala e porta-bandeira: Caio e Ana Marilda
Enredo: Do Coração da África Negra, a Luz Dourada que Anuncia Novos Tempos. Nigéria, o Gigante Africano Vem Para a Festa.

Como vai:
Serão quatro carros alegóricos. No primeiro, haverá uma imagem do orixá Oxum, um leão alado (símbolo da escola). O segundo será uma alegoria com esculturas gigantescas de africanos, zebras e outros elementos ligados à Nigéria. O terceiro abordará a culinária, os costumes, a indústria e o petróleo. No último, serão celebrados os 40 anos da escola.

O samba
Compositores: Tabajara Ortiz, Wilson da Silva, Fred Inspiração, Viny Machado, Conrado Laurindo, Ricardo Abraham e Willian Tadeu

Lanço o olhar no horizonte
Vejo um gigante a surgir
Terra da deusa morena
Minh’alma é pequena diante de ti
Eu vi a ira do rei “inflamar”
E três mulheres, em rios, se transformar

Oxum! Oxum! Vem me abençoar!
Ô ô Oxum… quem veio de lá?
É a magia que inicia a minha fé
O alimento da alma… axé!

Oh, Nigéria, posso ouvir o teu clamor
Que chora a opressão do invasor
A aurora então raiou
Liberdade em teu solo semeou
Reluz em ouro a tua cultura
Beleza que a arte “escultura”
Forjando o valor de um país
Prepara oferenda pro meu orixá
Que pimenta não pode faltar
Na mistura de um povo feliz
Que “refletiu” a sua imagem na face do Brasil
Das profundezas, vem a riqueza
Pro novo tempo… vem festejar
Com a Zona Norte… rumo ao futuro prosperar

Odoiá, agô-iê!
Ora-iê-iê-ô, Oxum! Ora-iê-iê-ô!

É mais que amor, é “religião”
É canto, é “raça”, é constelação
De quem fez do império paixão da sua vida
40 razões pra te amar na avenida

Imperatriz Dona Leopoldina leva Cuba para o Porto Seco

21 de janeiro de 2015 1

00a9b58a

 

RENATO DORNELLES
renato.dorneles@diariogaucho.com.br

A Imperatriz Dona Leopoldina segue à esquerda. A escola da Zona Norte da Capital, que no ano passado, homenageou Luiz Carlos Prestes, nos 90 anos da famosa coluna, agora terá a ilha de Cuba como tema.
– Tínhamos cinco temas como opções, mas optamos por Cuba – explica a presidente da escola, Juciane Afrausino.
A escolha do enredo ocorreu antes do início das negociações entre Cuba e Estados Unidos, que colocaram a ilha nas principais manchetes da mídia mundial.
– Foi uma coincidência, pois já tínhamos decidido quando o (Barack) Obama (presidente norte-americano) e o Raúl Castro (presidente cubano) resolveram conversar – brinca Juciane.
A União Nacional dos Estudantes (UNE), com suas lutas, e o ex-governador do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro Leonel Brizola já foram também homenageados pela Imperatriz, dentro de uma linha esquerdista.
Para o enredo deste ano, intitulado Tenho Samba Com Rumba! Sou Imperatriz y soy Cuba!, a escola conta com apoios importantes, como o da Associação Cultural José Martí e da Associação Luiz Carlos Prestes. Duas alas abordarão a Revolução Cubana, comandada por Fidel Castro em 1959.
Haverá espaço também para motivos religiosos. A Santería (que é um conjunto de sistemas religiosos relacionados que funde crenças católicas com a religião tradicional iorubá, praticada por escravos e seus descendentes em Cuba), virá ao lado do Candomblé, que é uma religião semelhate praticada no Brasil.
A escola
Cores: laranja, preta e branca
Símbolo: coroa de Imperatriz ornada com os louros da vitória
Bairro: Rubem Berta
Presidente: Juciane Afrausino
Carnavalesco: Leandro Valente
Intérprete: Alexandre Belo
Diretor de carnaval: comissão
Mestre-sala e porta-bandeira: Chula e Priscila
Enredo: Tenho Samba Com Rumba! Sou Imperatriz y soy Cuba!

Como vai:
A escola vai desfilar com quatro carros alegóricos e dois pede passagem. Além da Santería e do Candomblé (que estarão no carro sobre as religiões). Outros aspectos que aproximam ou assemelham Cuba do Brasil serão abordados. O abre-alas lembrará a capital Havana e o bairro boemio da Lapa, no Rio. Canavais também estarão presentes. Por fim, a quarta alegoria retratará a integração Brasil-Cuba.

O samba
Tenho Samba Com Rumba! Sou Imperatriz y soy Cuba!
Autores: Vinicius Maroni, Vinicius Brito, Saimon, Tom Astral e Arilson Trindade

Venha cantar com a Leopoldina
Revolução, comunidade
Cubana, laranja, latina
E caribenha a preferida da cidade

Aos olhos de um pescador
Que leva a vida tecida na rede
A água abençoou
Banhou de fé a alma dessa gente
Mãe negra do Rio de cá
E Índia do mar de lá
Senhora Aparecida
“la Virgen de Caridad”
Duas terras, uma origem
No destino, um só clamor
E os tambpres da Negra Imperatriz
Rompem os grilhões da dor

“Soy batuquero en la Santería”
Sou batuqueiro no Candomblé
“Mi Madre Rumba” na Leopoldina
Dona do Samba, “muy caliente” é…
Na Liberdade, hei de acreditar
“Tener” bravura, revolucionar
“Arriba, pero sin” perder ternura
A esperança desse povo a imperar
Toque o tambor, traz a cachaça
E uma dose de rum…
“Yo me voy” com a Imperatriz
A bailar na multidão
Sou um eterno devoto do meu pavilhão
(Minha cubana Imperatriz)

Embaixadores do Ritmo aposta na sustentabilidade como enredo

20 de janeiro de 2015 0

00a81a7c

 

Na entrada do barracão da Embaixadores do Ritmo, no Porto Seco, em um mural é estabelecida a “receita para um bom Carnaval”, na visão da escola: “cantar, sorrir, sambar e muita descontração”.
É nesse clima que a tradicional entidade, a segunda mais antiga da Capital ainda em atividade, pretende conquistar o seu primeiro título no Grupo Especial –  a Embaixadores completa 65 anos no próximo mês e só perde para a Bambas da Orgia, que completa 75 anos em maio.
E a tranquilidade com que toca seus preparativos pode ser notada no barracão, onde dois carnavalescos confeccionam alegorias e outras cinco pessoas trabalham nas fantasias. A polêmica fórmula de comprar o material utilizado por uma escola de samba paulista no ano anterior e transformá-lo para o desfile em Porto Alegre vem dando certo. Tanto que a vermelho e branco vem se mantendo com classificações e, esporadicamente, retornando na Noite das Campeãs 9da qual participam apenas as seis primeiras colocadas).
Para este ano, a Vermelho e branco do presidente Gustavó Giró aposta em um tema politicamente correto. A escola vai falar de sustentabilidade, utilizando, para isso, os quatro elementos: terra, fogo, água e ar.
– Não alteramos nada em nossa forma de fazer Carnaval. Continuamos trabalhando do mesmo jeito em busca do título. A escola entra brincando, sem correria. nem na saída. A competição é por quesitos e vamos trabalhar cada um deles – garante Giró.

Como vai:
Serão 17 alas e cinco carros alegóricos: abre-alas (com dois ursos polares que fazem parte do símbolo da escola), Água e Ar, Terra e Fogo, Sustentabilidade e Alerta Geral. No total, a expectativa é de 1,2 mil componentes. Na bateria, serão 180 ritmistas sob o comando do Mestre Joubert.
A escola
Cores: vermelha e Branca
Símbolo: Cartola com luvas, uma bengala brancas e doiNo barracão da Embaixadores do Ritmo, em um mural, está descrita a “receita para um bom Carnaval”, na visão da escola: “cantar, sorrir, sambar e muita descontração.
E é nesse clima que a tradicional entidade, segunda mais antiga entre as que ainda estão em atividade na Capital pretende conquistar o seu prieiro título no Grupo Especial _ a Embaixadores completa 65 anos em 2015, ficando atrás, em longevidade, apenas da Bambas da Orgia, que completa 75 anos.

Bairro: Sarandi
Presidente: Gustavo Giró
Carnavalesco: Alexandre Silva (Kiko) e Marcelo Dornelles
Intérprete: Farelo
Diretor de carnaval: Gustavo Giró
Diretor de bateria: Joubert
Mestre-sala e porta-bandeira: Robson e Nathiely
Enredo: Sustentabilidade: Alerta Geral! A Importância dos Quatro Elementos Para a Vida Humana!

O samba
Sustentabilidade: Alerta Geral! A Importância dos Quatro Elementos Para a Vida Humana!
Compositores: Vinicius Maroni, Vinicius Brito, Saimon, Tom Astral, Arilson Trindade e Rafael Tubino
Quem plantar vai colher da terra
O futuro é forjado do fogo
Da água essência a purificar
O vento espalha esperança pelo ar

Deus foi quem criou a natureza
Rara beleza que o homem faz chorar
Solo sagrado, abençoado
Terra do teu tempo em que brotar
Chama da evolução
Fogo que transforma a vida
E de semente virou carvão
E há de renascer das cinzas
É a água a fonte divina´
Lágrimas do criador
Vem me benzer, trás energia
E lava a alma nesse mar de amor
No ar mais um mistério a se desvendar
O invisível pode nos tocar
Encher o peito de esperança
E ver a criança brincando sem medo e de pé no chão
Deixando no passado a destruição
Desperta humanidade eis o alerta
Embaixadores manifesta
Em samba o seu pedido de perdão

Bambas da Orgia: Bahia é o enredo de 2015

19 de janeiro de 2015 0

00a9bc95

 

 

A mais antiga escola de Porto Alegre e, também, a que conquistou mais títulos aposta na Bahia como tema neste Carnaval. A Bambas da Orgia, que em maio completa 75 anos de fundação, quer o seu 21º campeonato no Grupo Especial investindo em fatores como a religiosidade, a musicalidade, o turismo e as festas baianas.
O enredo está sendo desenvolvido pelo carnavalesco Guilherme Xavier, que faz sua estreia na escola.
Além do candomblé e do catolicismo, da infinidade de ritmos e artistas, de eventos como a lavagem das escadarias da Igreja Nossa Senhora do Bonfim e do próprio Carnaval, a Bambas levará para o Porto Seco projetos ambientalistas. Neste contexto, entram os trabalhos do Instituto Baleia Jubarte e o projeto Tamar, sobre tartarugas marinhas.
Neste ano, foi uma das primeiras entidades a iniciarem o seu trabalho de barracão e, faltando pouco menos de um mês parta o Carnaval, está com seus cinco carros praticamente concluídos.
Os ensaios têm sido outro pontos positivo. A quadra tem rebebido um bom público nas Quinta em Azul e Branco. O trabalho é coordenado pelo diretor de Carnaval Walmir Oliveira, que neste ano retorna à escola.
Mas, como a maioria das escolas também terá de superar dificuldades, principalmente as causadas pelo parco orçamento.
Campeão em 2013 e quinta colocada no ano seguinte, a Azul e Branco mais uma vez será a quinta e última escola a desfilar na primeira noite do Grupo Especial, na virada de 13 para 14 de fevereiro.

A escola
Cores: azul e branca
Símbolo: Águia
Bairro: Floresta
Presidente: Cleomar Rosa
Carnavalesco: Guilherme Xavier
Intérprete oficial: Fábio Ananias
Diretor de carnaval: Walmir Oliveira
Diretor de bateria: Biskuim
Mestre-sala e porta-bandeira: Evandro Ferraz e Fabiana
Enredo: Bahia, Terra de Bambas!
Como vai:
A escola desfilará com cinco carros alegóricos. Estarão presentes representações de cartões postais baianos, como o Elevador Lacerda, o Pelourinho, a Igreja do Nossa Senhor do Bom Fim. No último carro, que representará um trio elétrico, desponta uma gigantesca escultura da cantora Ivete Sangalo, além de tambores ao estilo Olodum.

O samba
Bahia, Terra de Bambas!
Compositores Alex Bagé, Gustavinho Oliveira, Diego Nicolau, Danilo Garcia, Fadico, Victor Alves e Leo da Paysa, para o enredo “Bahia: terra de bambas”.

Sagrada Bahia
Os deuses de Orum vão despertar
Terra de encanto e alegria
Raças se encontram em um só lugar
Na benção de nosso Senhor do Bonfim
Vou lavar a escadaria, e benzer meu patuá
A chama da fé se renova em mim
Tem batuque no terreiro
Menininha saravá!

Tem dendê no seu tempeiro, baiana!
Põe pimenta pra queimar, pra queimar! ( bis)
Já armei meu tabuleiro, o sabor baila no cheiro
Quem quiser pode provar!

Meu rei vem conhecer , o que a Bahia tem
”Porto Seguro” de felicidade
Nas praias eu vou mergulhar
Suave é a brisa do mar
Vem se encantar em cada cidade
Descer a ladeira, jogar capoeira
A arte faz morada nesse chão
Terra de gênios imortais
Que arrastam multidões em tantos carnavais
Bahia, inspiração de lindas melodias
Muito prazer, sou Bambas da Orgia
A sua história vou eternizar

Tem magia ô, lá em São Salvador
Meu samba vai sacudir o Pelô ( bis)
Lá vem minha Águia a emocionar
Sou Bambas da Orgia e ninguém vai me derrubar

Acadêmicos de Gravataí apresenta o enredo Eis que Tudo Transformei

17 de janeiro de 2015 0

00a9bcaf

Foto: Luiz Armando Vaz

Cada vez mais, a Onça Negra carrega Gravataí em seu desfile no Porto Seco. Única escola em atividade entre as três do município, a Acadêmicos, além de representante, tem sido um orgulho para a cidade. Principalmente com os bons resultados nos mais recentes carnavais: um sexto lugar em 2013 e um quarto em 2014.
Esse orgulho de Gravataí é demonstrado por meio de apoios diversos. A prefeitura firmou um convênio com a entidade, empresas têm demonstrado disposição em ajudar _ algumas mediante leis de incentivos fiscais à cultira, outras por simples doações.
– O importante é mostrar um desfile cada vez melhor – afirma a presidente da Acadêmicos, Rita Bittencourt.
Além do poder público e da iniciativa privada, entidades culturais, assistenciais, sociais e até religiosas estão se envolvendo. Já são quatro os CTGs no desfile, incluindo o consagrado Aldeia dos Anjos que, neste ano, estará representado na comissão de frente, juntamente com bailarinos da Ulbra Gravataí. Todos sob a coordenação da coreógrafa Lúcia Brunelli.
Também estarão presentes clubes de mães, associações de moradores e de teatro e até um Curso de Liderança Jovenil (CLJ), um movimento da Igreja Católica.
– Será um ano de mais luxo em termos visuais _ garante Rita.
Tudo isso para apresentar o enredo Eis Que Tudo Transformei, do carnavalesco Chico Passos, campeão em 2010 com a Imperatriz Dona Leopoldina. O tema é subjetivo e envolve espiritualidade, natureza e outros elementos.
– A Onça, como protagonista, entrega ao ser humano um mundo transformado, cheio de amor, justiça e alegria. Tudo essa transformação feita com o auxílio dos cinco sentidos – resume Chico.
A escola
Cores: vermelho, preto e branco
Símbolo: Onça Negra
Presidente: Rita Bittencourt
Carnavalesco: Chico Passos
Intérprete: Lu Astral
Diretor de carnaval: Jorge Farias
Diretor de bateria: Jr. Aruanda
Mestre-sala e porta-bandeira: Choco Pereira e Andreisa
Enredo: Eis Que Tudo Transformei!

Como vai:
A representante de Gravataí vai desfilar com cinco carros alegóricos. Neste ano, o símbolo da escola, a Onça Negra, não estará no abre-alas. Vai passar no último carro, que representará uma grande festa, na qual a Acadêmicos e Gravataí recebe suas coirmãs do Grupo Especial de Porto Alegre. A escola projeta desfilar com 2 mil componentes.
O samba
Eis Que Tudo Transformei!
Autores: Arilson Trindade, Alex Bagé, Acioli, Shazam, Chocolate, Jr. Silva, Léo Doido e Igor Vianna

Desfila a magia em poesia
Na passarela, um sonho imortal.
No ar… O sopro da natureza
A seiva da vida que traz a beleza
Semente que brota a transformação
Florescem nos jardins de aroma,
A flor do ritual!
Num toque de magia o sobrenatural
Desafiando o culto da existência
Desejo um beijo…
Das mãos que recriam, renascem.
O artista é a renovação, a força da arte!

Se tem banquete pro paladar!
Na alma o bem estar,
“Temperando o saber” do dia-a-dia!
Divina fonte de energia

Ecoam…palavras de amizade
Revelam…o amor em primeiro lugar
A voz que faz ensinar a viver
As ondas e sons, harmonia ao trazer
A perfeição, sabedoria e emoção
Maestro, a sua orquestra é a liberdade
A sinfonia da felicidade
Em cada olhar vejo a pureza
No mundo das cores,
Um cenário especial
A chama do meu carnaval

É raça, paixão que me domina.
Lá vem a escola da minha vida!
Quem é gravataí? Eu sou!
A onça negra chegou!

Restinga levará Torres para o Porto Seco

16 de janeiro de 2015 0

00a9bc9f

Luiz Armando Vaz

RENATO DORNELLES
renato.dorneles@diariogaucho.com.br

A mais bela das praias gaúchas é o tema com o qual a Estado Maior da Restinga pretende retomar a hegemonia do Carnaval de Porto Alegre. Bicampeã em 2011 e 1012, vice em 2013 e terceira colocada em 2014, a Tricolor da Zona da Sul cantará Torres no Porto Seco, no desfile deste ano, com o enredo Com o Cisne se Banhando no Rio Mampituba, a Tinga Embarca no Balão Para Contar as Histórias, Cultura, Mitos e Lendas de Torres, a Mais Bela do Litoral Gaúcho.
Por conta disso, o carnavalesco Edson Santos, o Dico, em seu segundo ano na escola, apostará muito no colorido.
– Torres é verão, é praia é alegria. Não tem como não não deixar a escola colorida – explica.
Pela concepção de Dico, os dois primeiros setores da escola na avenida abordarão a lenda e a história do município, com índios, portugueses e espanhóis, que foram o seus primeiros habitantes. Na sequência, em outros três setores, serão mostrados os atrativos de Torres.
– A gastronomia, o farol, a igreja, os eventos, como o Festival de Balonismo, enfim, os pontos turísticos de um modo geral serão mostrados – adianta o Carnavalesco.
As “saias” (parte de baixo) dos carros alegóricos serão todas azuis, representando o mar. Serão três cisnes (símbolo da escola), um deles gigantesco, outro muito colorido e o terceiro estará passeando sobre uma alegoria.
Uma representação de uma tela de Debret também passará na avenida, bem como um navio pirata. Uma escultura gigantesca de uma índia “vai chorar” na avenida, representando a lenda de Ocarapoti (em tupi-guarani significa flor silvestre), cujas lágrimas teriam criado a Lagoa do Violão.

Como vai:
Serão 18 alas e 2 mil componentes. A comissão de frente estará interagindo com a primeira alegoria. Na última, duas esculturas de um misto de homens e siris estarão com trajes de garçons, servindo a famosa casquinha de siri, iguaria tradicional em Torres.

Cores: verde, vermelho e branco
Símbolo: cisne
Bairro: Restinga
Presidente: Robson Dias (Preto)
Carnavalesco: Edson Santos (Dico)
Diretor de Carnaval: comissão de Carnaval
Intérprete: Renan Ludwig
Diretor de bateria: Mestre Guto
Mestre-sala e porta-bandeira: João Boff e Giza
Enredo: Com o Cisne se Banhando no Rio Mampituba, a Tinga Embarca no Balão Para Contar as Histórias, Cultura, Mitos e Lendas de Torres, a Mais Bela do Litoral Gaúcho

O samba
Com o Cisne se Banhando no Rio Mampituba, a Tinga Embarca no Balão Para Contar as Histórias, Cultura, Mitos e Lendas de Torres, a Mais Bela do Litoral Gaúcho
Autores: Valmer, Xilico, Leandro, Alexandre e Renan Ludwig

Vou navegar nas águas desse mar
Deixar a vida me levar
E a emoção vai “explodir”
Quando eu cantar sou Tinga! E daí?

Amor
Vem mergulhar na fantasia
É lenda, mistério, magia no ar
Na busca de um “ouro” vai se revelar
Corsários, piratas, sereia do mar
Meu cisne!
Foi ela que encontrou você, meu grande amor
Cidade tão exuberante
Em torres tudo é fascinante
O “astro” fez do meu calor, minha inspiração
A vida de um povo com seus rituais
Sua natureza que ao mundo encantou
Se banhando nas curvas de um rio
Que Deus abençoou

Soldado valente guerreiro à lutar
Eu sou
Batida tão forte que rufa o tambor
Anunciou
Sou tinguerreiro vencedor
Meu escudo é tricolor

Na tribo o amor acabou
E o farol, de longe o imigrante avistou
A fé na minha religião
Por total devoção na igreja eu senti
Sonhei fiz um turismo, viajei
Pintei torres na tela de debret
É pesca, é sol, é verão
Vai subir o balão
Só faltava você
E na gastronomia, tudo é maravilhoso
É festa, feliz ano novo!
Uma índia eu avistei
Abraçada sobre um violão
Lágrimas de paixão
Amor que se iguala ao meu pavilhão
É a tinga do meu coração

 

União da Vila do IAPI: Revolução, Coragem e Liberdade! Um Mundo Preto e Branco, Ela Coloriu. A Vila Apresenta: A Juventude do Brasil

15 de janeiro de 2015 2

00a9b590

Foto: Luiz Armando Vaz

RENATO DORNELLES
renato.dorneles@diariogaucho.com.br

No ano passado, bateu na trave. Por muito pouco, a União da Vila do IAPI não conquistou o primeiro título de sua história, no Grupo Especial do Carnaval de Porto Alegre. Neste ano, porém, a escola da Zona Norte não quer deixar por menos.
– Esperamos que sim. Estamos trabalhando muito para sermos campeões, como todas. Mas acreditamos no nosso potencial – diz o presidente Jorge Sodré (foto).
O vice-campeonato de 2014 foi muito semelhante ao de 1991. A escola realizou belos desfiles, mas acabou superada, daquela vez pela Estado Maior da Restinga e, no ano passado, pela Imperadores do Samba. Outro bom resultado foi obtido em 2004, quando o Trem da Alegria (apelido da Vila) ficou em terceiro lugar.
Na busca pelo título inédito, a Vila falará sobre a juventude, suas lutas, batalhas, vitórias e enfrentamentos, com o enredo Revolução, Coragem e Liberdade! Um Mundo Preto e Branco, Ela Coloriu. A Vila Apresenta: A Juventude do Brasil. A aposta é da dupla de carnavalescos Sérgio Guerra e Renan Delavega. Os grandes festivais da canção, o combate à ditadura militar e à censura estão entre os temas que serão abordados.
A Vila será a terceira escola a pisar na passarela do Porto Seco, na primeira noite de desfiles, na virada do dia 13 (Sexta-feira) para 14 de fevereiro. O trabalho de barracão é intenso. Como o da maioria das entidades, está em um estágio atrasado, se comparado a anos anteriores. Mesmo assim, os carnavalescos estão tranquilos e confiantes.
– Vamos agora decorar os carros. Três dias para cada um deles é o suficiente – explica Sério Guerra.
A escola
Cores: azul, vermelha e branca
Símbolo: locomotiva
Bairro: Sarandi
Presidente: Jorge Sodré
Carnavalescos: Sérgio Guerra e Renan Delavega
Intérprete: Tinga, Marcynho Ferraz e Wilsinho
Diretor de carnaval:
Diretor de bateria: Boneco
Mestre-sala e porta-bandeira: Gustavo Tiriri e Suelene Neves
Enredo: Revolução, Coragem e Liberdade! Um Mundo Preto e Branco, Ela Coloriu. A Vila Apresenta: A Juventude do Brasil.

Como vai: a escola vai levar cinco carros e terá cinco setores: Um grito de liberdade, igualdade e fraternidade; Não vi, não sei, se ouvi, neguei, calei mas resisti; nos braços da censura, os membros de uma ditadura; na Era dos festivais, faço a minha expressão; e eternamente jovens. Serão cerca de 1,7 mil componentes, distribuídos em 18 alas.

O samba
Revolução, Coragem e Liberdade! Um Mundo Preto e Branco, Ela Coloriu. A Vila Apresenta: A Juventude do Brasil
Compositores: Rafael Tubino, Gustavinho Oliveira, Thiago Meiners, Victor Alves e Léo do Paysa

Eu sei… não dá mais pra esperar
Eu sei… a vitória vai chegar
“Viajando pelo tempo”
Seguindo a clamor da razão
Trazendo a coragem, traçando a revolução
Abaixo a ditadura! queremos cultura!
“viver é melhor que sonhar” então
Os anos de chumbo ficaram para trás
Destino nos une pela igualdade
Lutamos… acreditamos…
Em paz, amor e liberdade

“Vêm” vamos embora
Quem sabe faz a hora, no tom da canção
“Pra não dizer que não falei das flores”
“Na tropicália” a voz da inspiração

Acordes que invadem minh’alma
Acorde pra realidade
“As tribos” na rua de “cara pintada”
Somos jovens para eternidade
Gerações… conectadas em um mesmo ideal
Inspirações… unificando o bem social
Em cada “borboleta” ainda pulsa um coração
Azul, vermelho e branco, vai marcando esse chão
Onde você quer chegar, não deixe a vida passar
Um sonho, futuro… sou a juventude do brasil
Um amanhã melhor… oh pátria mãe gentil

Lá vem o Trem da Zona Norte
Eu quero ver me segurar,
Chegou a Vila, “essência do samba”
É por amor o meu cantar!

Imperadores do Samba: A Magia dos Opostos, Ponto de Equilíbrio do Universo

14 de janeiro de 2015 0

Imperadores2015

 

Opostos, polaridades e rivalidades são ingredientes nos quais a Imperadores do Samba aposta na busca do bicampeonato no Carnaval de Porto Alegre. O enredo – A Magia dos Opostos, Ponto de Equilíbrio do Universo – é ousado e conta com a assinatura do carnavalesco Silvio Oliveira, campeão com a escola em 2009 e 2014, e o desenvolvimento de Ramão Carvalho.
Como já é costume de Silvio, o público pode esperar muita movimentação humana sobre as cinco alegorias. Para apresentar os opostos, o carnavalesco ousará. Principalmente no último setor do desfile, quando abordará Os Opostos Que se Atraem. Nele, homenagerá a maior rival da Imperadores no Carnaval, a Bambas da Orgia, inclusive apresentando fantasias com suas cores (azul e branca) e uma alegoria com o seu símbolo, a águia, ao lado do Leão, da Imperadores.
No texto do enredo, a justificativa: “A maior rivalidade que há no Carnaval gaúcho, sem desmerecer as demais co-irmãs, sem dúvida acontece entre os opostos vermelhos dos Imperadores do Samba e os azuis da Bambas da Orgia… Historicamente muito do que uma destas escolas fazia, estava sempre em função das constantes disputas de campeonatos, são 17 de Imperadores do Samba (fundada em 1959) e 20 títulos de Bambas da Orgia (fundada em 1940).
Podemos ver a rivalidade das escolas nos diversos gritos de guerra, onde uma escola sempre responde a outra, como por exemplo: a torcida da Imperadores grita: (…) sou… sou Imperador até morrer… (…) e a torcida da Bambas retruca: (…) …e eu sou Bambas!

 

Imperadores20151

A escola
Cores: vermelha e branca
Símbolo: dois leões africanos guardando a coroa imperial
Bairro: Praia de Belas
Presidente: Rodrigo Costa
Carnavalesco: Silvio de Oliveira
Intérprete: Vinícius Machado
Diretor de carnaval: Érico Leotti
Diretor de bateria: Urso
Mestre-sala e porta-bandeira: Ceeh e Simone Ribeiro
Enredo: A Magia dos Opostos, Ponto de Equilíbrio do Universo

Como vai:
A escola será dividida em cinco setores: As Trevas e a Luz, A Água e o Fogo, A Razão e a Emoção, o Passado e o Futuro, e Os Opostos Que se Atraem. Serão cinco carros alegóricos (um por setor) e há uma estimativa de 2 mil componentes.

O samba
A Magia dos Opostos, Ponto de Equilíbrio do Universo
Compositores: Victor Nascimento, Andy Lee e Roberto Nascimento

Clareia que vai passar o Mar Vermelho de amor
Vem no embalo do Imperador
Hoje a razão não é maior que a emoção
Na escola do povo fala a voz do coração

Brilhou na escuridão divina luz no infinito
O caos em harmonia se desfez
Mutações, o universo em movimento
Transformações para surgir os elementos
Essenciais da natureza
Polaridades se fazem presentes em tudo que existe
O diferente se torna igual do lado oposto ao seu
As energias fundamentais que se complementam
Buscando equilíbrio natural

Tremeu lá em cima… Orun
O rugido aqui de baixo… aiyê
Num sopro de amor um milagre aconteceu
Obatalá então a vida me deu

Sentimentos bons ou maus
Se manifestam para o bem e para o mal
Da atração da bela e a fera não se pode duvidar
Um no outro se completa pra brigar ou para amar
Torcida se agita no Gre-Nal e Carnaval
O azul que ilude o céu contra o vermelho pôr do sol
Porém, há um problema nesse amor
Que não tem como resolver
Enquanto se falar de samba “sou Imperador até morrer”
Superando os desafios vou sorrindo
Em meio a saudade respeitando as diferenças
Pra encontrar a felicidade