Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

...tens que andar no cantinho!

02 de julho de 2014 3

Um relato escrito nesta quarta dia 02 de julho de 2014.
Um fato, infelizmente, ainda comum em nosso trânsito, reflexos da irresponsabilidade de alguns motoristas que desconhecem o CTB e a inteligência coletiva. Entendo muito bem, as palavras aqui escritas, quase um desabafo da Ciclista, pelas “finas educativas” que alguns motoristas individualistas insistem realizar em imprudente manobra, ameaçando a integridade física e emocional dos ciclistas.
Não podemos esquecer que a prioridade em nosso trânsito inclusive estando de acordo com a Política Nacional de Mobilidade Urbana, são pedestres e ciclistas.

“Bicicleta não atrapalha o fluxo de veículos, apenas transita em velocidade segura para todos.”

nllomo

Tem certos dias que a minha vontade é ser igual a todo mundo, comprar um carro e reclamar das faltas de vagas. São dias que a minha vontade é de largar a bicicleta com o pneu murcho em alguma garagem obscura. Não é por preguiça ou modismo, mas sim pelo cansaço ser agredida e ter que conviver com falta de respeito com tanta frequencia. Hoje, no meu trajeto, tive que ouvir os infelizes “sai da estrada” e o maravilhoso “tens que andar NO CANTINHO, entendeu? custa colaborar?” e umas outras asneiras que quem tá com a cara na rua, está sempre sujeito a escutar.

Eu não sou nada zen e confesso que a minha vontade é de arremessar uma pedra na testa de cada ser humano desaforado que me aparece pela frente, mas não dá. Só me resta tentar me colocar no lugar da pessoa e tentar entender que raios passa na cabeça duma pessoas destas. Eu explico: quando em vias que os motoristas assumem altas velocidades, ciclistas experientes (normalmente) ocupam 1/3 (ou até mais) da pista, para que o motorista precise reduzir e ocupar um pouco da outra faixa para nos ultrapassar. Não é por birra ou para medir forças, é para nos proteger de levar finas e acabar caindo e sendo esmagado por outro veículo que vem logo atrás. Você pode ou não concordar, mas todo ciclista tem o direito de fazê-lo perante o código de trânsito. Por outro lado, o motorista vê um ~desaforado em cima duma bicicleta, ocupando um espaço que “não é dele” e o atrasando em doze segundos a chegada do mesmo até o próximo congestionamento.
Eis que hoje, enquanto eu tentava manter meu espaço sem ser esmagada, tive que ouvir motoristas gritarem comigo e dizerem o quão errada eu estava, o que me faz crer em duas possibilidades: não conhecerem o código de trânsito ou serem uns completos babacas.

A verdade é que ainda sofremos muito com a falta de cultura das pessoas, que acham que só anda de bicicleta quem não tem dinheiro nem para comer ou completos desocupados (e, se assim o fosse, ainda não teriam o direito de se comportar assim). Não conseguem entender que um motorista que para entre a calçada e a pista para comprar pão ou outro procurando vagas atrasam centenas de vezes mais o sagrado trânsito, que um frágil ciclista é capaz de fazer.

Ninguém vai morrer (literalmente) se você tiver dois segundos de paciência e fazer a sua ultrapassagem com segurança. Por favor, parem de achar que ciclistas atrapalham ou não fazem parte do trânsito.

Pare de dar conselhos ou tentar desencorajar quem pedala. Não é para ser gentil ou bonzinho não, é para sobrarem mais vagas para você estacionar o seu carrinho mesmo.

Eu, novamente, suplico: use o seu cérebro, adquira conteúdo e tente entender o que as pessoas estão fazendo de diferente de você. Não dói e eu juro que estou tentando fazer o mesmo na hora de (buscar) entender o seu comportamento.

E, lembre-se sempre que estiver muito irritado no trânsito: a SUA pressa vale UMA VIDA?

P.S.: a maioria dos motoristas são extremamente gentis e cordiais com os ciclistas, mas os que se comportam de maneira selvagem acabam sendo mais notados.

P.S.2: escrevo tanto porque preciso, se não jogar pro mundo tudo isto, vai me dar câncer. malzaê.

Por Naiara Lima,
ciclista de Floripa, usa a Bicicleta como transporte e lazer.
(e Plano de saúde)

Comentários (3)

  • António Madeira diz: 3 de julho de 2014

    Olá Naiara
    São artigos como o seu que podem ajudar a alterar as mentalidades apesar de eu achar que poucos (apenas) automobilistas lerão artigos onde a bicicleta é a rainha.
    Sou um português que utilizava a bicicleta para ir para o trabalho mas como chegou a hora da aposentação agora utilizo-a para o meu novo “emprego”. Pego na estrada às 08:30h e assim passo todos os dias “fazendo o melhor pela vida”!
    Mais saudável não há, no entanto hoje mesmo ia tendo um “acidente de trabalho” quando circulava bem dentro de uma rotunda e uma carrinha de transporte de valores me ia abalroando. O motorista ficou furioso porque eu não devia estar ali a atrapalhar o “seu” trânsito.
    Nestas situações e sempre que possível devemos encarar os automobilistas e mostrar de alguma forma que a bicicleta é um veículo com direitos e deveres à luz do Código da Estrada.
    Gostei da sua expressão relativamente ao atraso de 12 segundos até ao próximo congestionamento, pois também conduzo automóvel e sabemos bem que assim é…
    Continue escrevendo e alertando Naiara, pois é dever dos ciclistas activistas ajudar a mudar os comportamentos nesta matéria de circulação
    Bem haja.
    António Madeira

  • Naiara Lima diz: 4 de julho de 2014

    Olá, Antônio,

    Obrigada pelas suas palavras :) É uma pena que tenhamos que passar por tudo isto, mas creio num futuro próximo melhor.

    Espero mesmo conseguir mudar a mentalidade de algumas pessoas, afinal, já é um grande começo e que consigamos cada vez mais pessoas andando e pedalando pelas rua.

    Um grande abraço,
    Naiara.

  • Fábio Roberto Teodoro diz: 4 de julho de 2014

    passo pelo mesmo, as vezes, escrevi a respeito uma vez tbm, e filmei: http://vazio1.livejournal.com/30683.html

Envie seu Comentário