Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Alguém faz o favor de trazer?

25 de junho de 2013 13

Mas que lamentáável. O Lugar Onde Tudo Termina, com Ryan Gosling no elenco, não deve estrear nos cinemões daqui (pelo menos em Caxias). A produção de Derek Cianfrance (que já tinha dirigido Gosling em Blue Valentine) estreou no Brasil na sexta passada, mas aqui, necas… Bento Gonçalves poderia nos surpreender (como já aconteceu outras vezes) e trazer a boa pedida para Serra.

No longa, Gosling aparece como Luke, um motoqueiro cheio de tatuagens, cabelo descolorido e camiseta do Metallica (até aí, eu já curti) que precisa de uma grana para cuidar da mulher e do filhinho recém-chegado. Daí que a história dele vai cruzar com a de Avery, policial honesto vivido pelo talentoso Bradley Cooper.

Malvado, porém com boas intenções, o personagem de Gosling me lembrou um pouco (me refiro apenas ao estereótipo) o motorista sangue frio de Drive. Parece que o palitinho nos dentes, neste caso, foi trocado por um cigarro — o olhar apático e o pezinho na criminalidade permanecem, mas a quantidade de sangue escorrendo, creio que não será a mesma.

Ah, e como se não bastasse, o filme tem até Ray Liotta (do clássico absoluto Os Bons Companheiros, que vale por qualquer outro filme ruim que ele tenha estrelado depois) no elenco.

Curte o trailer!

Comentários (13)

  • Saulo José diz: 26 de junho de 2013

    Esse tem lugar garantido na minha lista!
    É uma pena que nem sempre podemos conferir um ou outro título no cinema. Nossos cinemas são uma ”incógnita”.

  • Camila Ruzzarin diz: 26 de junho de 2013

    Sili, parabéns pelo blog. Está ótimo, amiga!!

  • Greice Demoliner Tedesco diz: 26 de junho de 2013

    Sili, que luxo, amiga! Adorei a novidade. Tá de parabéns. Saudades! Bjão

  • Cláudio diz: 27 de junho de 2013

    este é o problema do cinema de hoje. Drive é um bom filme, não mais que isso, então fazem um filme com o mesmo ator, vivendo um personagem parecido para buscar o mesmo público . Dá aquela sensação de que já vi este filme. O que falta para as pessoas que gostam de cinema é assistir aos clássicos ( a saga Crepúsculo não é um clássico, é uma porcaria). Fica como sugestão, fazer post sobre do
    filmes imperdiveis. Segue algumas sugestões:
    O Poderoso Chefão I e II ( o III é bom mas nem tanto)
    Era uma vez no Oeste
    Lawrence da Arábia
    A vida de Brian
    Aguirre, a cólera dos Deuses
    Pulp Ficcion

  • Fábio diz: 27 de junho de 2013

    Cláudio, eu concordo em parte com vc. Acho que a indústria do cinema, Hollywood em especial, vive uma fase (q já dura algum tempo) de uma certa “preguiça criativa” misturada com “medo de investir”. Aí vá adaptação de quadrinho, remake, relançamento em 3D e filmes com temática parecida repetindo atores. Parece que não se quer investir em nada realmente novo, o q é triste.

    Junte-se a isso um público cada vez menos qualificado e menos exigente e o resultado é a baixa qualidade de muitos filmes atuais, maioria de sessões de filmes dublados, DVDs com filmes com aspecto de tela mutilado e etc. Pra fechar o “caldo” temos a péssima educação do espectador de cinema atual (pelo menos em Porto Alegre), q atende o celular durante o filme, passa na frente pra ir no banheiro ou pegar mais pipoca, conversa em volz alta; e o cenário é trágico para os amantes do cinema.

    Os filmes que vc citou são excelentes, sou “fãzasso” de todos, e certamente iria gostar de alguns posts sobre eles, mas o foco do Blog, pelo que diz a descrição é “novidades do cinema”, então não sei se aqui é o lugar certo para procurares por referência a esses clássicos…

  • Cláudio diz: 27 de junho de 2013

    tem razão Fábio, faz tempo que, na minha opinião, não surge um filme realmente bem feito. Citei alguns que gosto acima, porque são verdadeiras aulas de como fazer Cinema. Todo.mundo quer inovar, mas isto não é sinónimo de filme bom. No caso de Pulp Ficcion é um filme inovador até para os padrões de hoje, é um ” Cães de Aluguel” com mais grana. Como filme achei Cães de Aluguel melhor. Não sei se você concorda.

  • Saulo José diz: 28 de junho de 2013

    Fábio (meu novo colega de papo no blog da Siliane – risos)…
    Se por aí o espectador falta com educação, por aqui a coisa é pior! O povo só quer ver ação e comédia tosca. As redes ”espertinhas” já sacaram isso e (quase) só mandam esse tipinho pra cá. Quando vem algo bom, logo sai de cena.
    É complicado…
    Quanto aos filmes do Cláudio, preciso confessar:
    - É impossível não dançar com Uma Thurman e John Travolta na clássica cena de ”Pulp Fiction” (risos).

  • Fábio (cuidado, tenho um homônimo por aqui heheh) diz: 5 de julho de 2013

    Eu tb acho que Pulp Fiction é uma espécie de “Cães de Aluguel com Grife”. Adoro os dois, mas acho que Cães de Aluguel tem uma crueza que me agrada mais. Durante muito tempo eu achei o Tarantino um cara meio limitado; ainda que eu adorasse os filmes. A fórmula era meio repetida, as idas e vindas no tempo, violência meio caricata, diálogos fortes e surreais, e etc. Mas nos últimos trabalhos dele eu já percebo, mesmo com as velhas marcas ainda visíveis, algumas coisas novas e diferentes, então o cara subiu (ainda mais) no meu conceito.

    Quanto à mudança de público, eu vejo com preocupação… Tenho a sensação de que as pessoas encaram a ida ao cinema como um programa de entretenimento no qual o filme em si é mero acessório. Não quero parecer (muito) ranzinza, mas pra mim o principal é ver o filme. Sim, é legal ir com amigos, é legal dar uma passeada pelo shopping antes, eu tb gosto de pipoca, coca-cola e etc, mas o mote do programa “ir ao cinema”, pra mim é assistir um bom filme… E assistir um filme, na minha modesta opinião, implica em ficar quieto, dando atenção ao filme e sem tirar o traseiro da cadeira durante as duas horas de projeção… E tenho a sensação q as pessoas simplesmente não conseguem… A galera um pouco mais nova, principalmente… Parece q para a velocidade e dinâmica a que esse pessoal está habituado, não há como aguentar pacientemente duas horas “sem fazer nada” vendo o filme, sem “estar conectado”, etc etc… enfim, tenho medo de me alongar e de filosofar demias… Eu devo ser muito chato e reclamão mesmo, mas o q me satisfaz é ver filme quieto, no escuro e sem qqr outra distração…

  • Fábio F diz: 8 de julho de 2013

    Vim reinvindicar minha condição de Fábio 1, já que comentei no Blog antes do companheiro homônimo!! :-) Fábio 2 é ele… hahahahah

    Daqui por diante vou colocar o F do meu oprimeiro sobrenome pra n confundir mais… hehehehehe

Envie seu Comentário