Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de agosto 2013

Muitos Dráculas

30 de agosto de 2013 3

Entre as dezenas de cenas cinematográficas que eu adoro _ e por vezes invadem minha memória nos horários mais esdrúxulos _ está a de Bela Lugosi pálido como só o Drácula poderia ser, surgindo na escada de seu castelo, com uma vela em mãos e aterrorizando o visitante ao exclamar: “listen to them, children of the night, what music they make!“. Lindo!

Bom, mas “puxei” esse assunto porque li que a Universal Studios, detentora desse clássico do cinema, assinou parceria com a produtora Legendary (aquela que está trabalhando numa nova versão de Godzilla). Dessa união deve nascer mais um filme sobre o personagem imortalizado por Lugosi em 1931. Parece que a história vai mudar, mostrando a origem do vampiro. Desta vez, o escolhido para o papel é o galã Luke Evans. Tenho minhas dúvidas com relação ao que pode vir por aí, mas..aguardemos.

Crédito: Reprodução

Crédito: Reprodução

Muitos atores viveram vampiros e, não sei por que, lembrei de dois super  bisonhos.. Gerard Butler em Dracula 2000 e Eddie Marphy em Um Vampiro no Broooklyn. Bah! Em compensação, curti muito (muito!) o Gary Oldman em Drácula de Bram Stoker..

E vocês, têm algum vampiro preferido?

Caminho inverso

29 de agosto de 2013 0

Achei bem massa esta ideia. Latitudes é um longa dirigido por Felipe Braga que se transformou em série para ser exibido antes na internet e na TV, só depois é que ganhará as telonas de cinema, no formato tradicional de longa metragem. Caminho inverso que pode (tomara) resultar em formação de público.

O primeiro “pedaço” estreou no YouTube na quarta e vai ao ar pelo canal pago TNT, na próxima segunda (dia 2) numa versão estendida. Parece que a ideia é testar o potencial da internet como meio para a difusão de obras audiovisuais, especialmente as de ficção. Então, vai funcionar assim: os outros setes episódios da série/filme irão ao ar sempre às quartas (às 11h) pelo canal Latitudes Filme no YouTube, e na segunda-feira seguinte no TNT, às 22.

Além de atuarem, Alice Braga e Daniel de Oliveira também são produtores de Latitudes. Ela vive uma editora de moda e ele um fotógrafo, protagonistas de encontros e desencontros em cenários distintos.

Achei a iniciativa tri interessante. Confere aqui o primeiro episódio divulgado na internet e não perde a versão com 22 minutos que vai ao ar no TNT, segunda-feira.

Veneza 70

28 de agosto de 2013 2

Começa nesta quarta um dos mais importantes festivais de cinema do mundo, aquele lá em Veneza sabe… A mostra que comemora 70 edições neste ano será aberta pelo longa Gravity, do mexicano Alfonso Cuaron. O filme tem George Clooney e Sandra Bullock no elenco. Dá uma olhadinha no trailer.

O júri que escolherá o vencedor do tradicional Leão de Ouro é liderado pelo italiano Bernardo Bertolucci. Essa mostra não tem filme brasileiro, mas parece estar repleta de boas pedidas. Em especial, fiquei curiosa para ver Child of God, dirigido por James Franco. O filme é uma adaptação do livro de Cormac McCarthy sobre um jovem sexualmente reprimido que busca vítimas para satisfazer sua luxúria. Também fiquei feliz em ver o nome de Xavier Dolan, um gurizão (ao que consta, ele tem 24 anos) que já realizou alguns filmes bem bacanas.

Bom, da uma olhada na lista dos filmes que concorre ao prêmio principal. O Festival de Veneza segue até o dia 7 de setembro.

Les terrasses, de Merzak Allouache (Argélia-França)
El intrépido, de Gianni Amelio (Itália)
Miss Violence, de Alexandros Avranas (Grécia)
Tracks, de John Curran (Grã-Bretanha-Austrália)
Via Castellana Bandiera, de Emma Dante (Itália-Suíça-França)
Tom à la ferme, de Xavier Dolan (Canadá-França)
Child of God, de James Franco (EUA)
Philomena, de Stephen Frears (Grã-Bretanha)
La jalousie, de Philippe Garrel (França)
The Zero Theorem, de Terry Gilliam (Grã-Bretanha-EUA)
Ana Arabia, de Amos Gitai (Israel-França)
Under the skin, de Jonathan Glazer (Grã-Bretanha-EUA)
Joe, de David Gordon Green (EUA)
Die Frau des Polizisten, de Philip Grning (Alemanha)
Kaze Tachinu, de Hayao Miyazaki (Japão)
The Unkown known: the life and times of Donald Rumsfeld, de Errol Morris (EUA)
Night moves, de Kelly Reichardt (EUA)
Sacro GRA, de Gianfranco Rosi (Itália)
Jiaoyou, de Tsai Ming-Liang (Taiwan-França)
Parkland, de Peter Landesman (EUA)

Só porque nevou

27 de agosto de 2013 23

Só porque nevou aqui na Serra Gaúcha e porque neve fica muito bem na telona do cinema…aqui vão três filmes com neve que eu adoro. Me digam os preferidos de vocês…

Fargo (1996)

Fargo (1996)

Edward Mãos de Tesoura (1990)

Edward Mãos de Tesoura (1990)

O Iluminado (1980)

O Iluminado (1980)

Vejam 'Grey Gardens'

26 de agosto de 2013 2

A primeira vez que ouvi falar de Grey Gardens foi por meio do professor e cineasta Carlos Gerbase. Confesso que demorei para assistir mas, agora que o fiz, tenho que “dizer” algumas coisas aqui.

Antes, explico que me refiro ao telefilme produzido pela HBO sobre a vida de Edith Bouvier Beale (Jessica Lange) e da filha dela, Edie (Drew Barrymore). A produção é de 2009 e remonta parte da trajetória dessas duas ex-socialites norte-americanas parentes de Jacqueline Kennedy. O filme faz referência direta ao documentário de mesmo nome, lançado em 1975, com as personagens reais em cena. Tanto um como o outro são chocantes.

O Grey Gardens ficcional causa espanto, primeiramente, pela aparência das atrizes principais. Elas estão iguais a Edith e Edie de 1975 e reproduzem muitas das falas que estão no doc original, acrescentando uma carga de interpretação sempre na medida (Jessica e Drew foram premiadas por suas atuações). O filme de 2009 mostra o primeiro contato das duas com a dupla de cineastas que filmaria o documentário sobre a vida delas. Mas até as cenas ficcionais mais banais mostradas ali carregam veracidade — tipo os documentaristas tendo que se virar para lidar com as pulgas e carrapatos presentes no “cenário” em que filmavam.

A própria história de Edith e Edie é chocante por si só, e foi isso que chamou a atenção dos cineastas que decidiram filmar a vida das duas na década de 1970. Elas ficaram conhecidas depois que vizinhos denunciaram o estado da residência em que viviam para a vigilância sanitária. A casa que já havia sido reduto de festas glamourosas e ensolaradas décadas antes, estava repleta de entulhos, lixo e animais. As imagens recriadas no Grey Gardens de 2009 são impressionantes (no documentário elas quase não aparecem). Apoiando-se uma na outra, mãe e filha transportaram para as paredes sujas e mofadas da mansão no East Hampton as fronteiras de seus próprios universos.

Mas o que me deixou extremamente emocionada foi a maneira de Grey Gardens (o de 1975 e o de 2009) tocar num aspecto pertinente a qualquer espectador: a estranha forma como abandonamos nossas aspirações. Personificadas em figuras decadentes — numa, o cabelo que já não está presente, na outra, os dentes é que faltam — está a loucura inevitável a cada um de nós. Num certo momento do filme de 2009, Edie acusa a mãe de tê-la mantido presa na casa, e impedindo-a de ter realizado seus sonhos. Eis que a velha de cabelos desgrenhados diz algo parecido com isso: “você podia ter saído a qualquer momento, você ficou presa dentro de si mesma”.

Assista, conheça essas personagens maravilhosas e reflita…

No Youtube dá para ver o documentário de 1975 completo e com legendas:

E aqui está o trailer da produção de 2009:

Gondry vem aí

25 de agosto de 2013 0

Olha aí pessoal, quem perdeu Os Amantes Passageiros, de Pedro Almodóvar, na Sala de Cinema Ulysses Geremia, tem a última chance para assisti-lo neste domingo, às 20h. Na próxima quinta, o espaço estreia A Espuma Dos Dias, último filme do francês Michel Gondry. Ainda não assisti a esse, mas sei que o Gondry é um diretor bem loucão que adora viagens estéticas. Se eu contar que ele dirigiu vários clipes da Björk a maioria vai entender o que quero dizer, certo..

Bom, mas o cara também é o responsável pela obra-prima Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças (2004), o que contabiliza milhares de pontos a seu favor. Li algumas críticas sobre A Espuma dos Dias e a maior parte delas enaltecia a beleza cenográfica criada pelo diretor, MAS, descrevia a história como arrastada. Bom, tem que ver para criticar né, o filme fica em cartaz até o dia 8 de setembro…

O longa é sobre os apaixonados Chloé e Colin (interpretados por Audrey Tautou e Romain Duris). A vida deles vai mudar quando a mocinha descobrir que tem uma flor de lótus crescendo em seu pulmão.

E como falei que Gondry é diretor de clipes também, vou compartilhar com vocês um que acho muito legal. Parece mesmo que essa atmosfera de sonho é o que mais guia os trabalhos do diretor.

Sábado de Suspiria

24 de agosto de 2013 0

suspiria-Technicolor1

Passo só para lembrar do compromisso para este sábado à tarde. A partir das 16h tem sessão gratuita do filme Suspiria (1977), clássico do cineasta italiano Dario Argento. Depois da exibição, haverá bate-papo com os fotógrafos Priscila Poletti e Diego Bertoldi, responsáveis pela exposição fotográfica Profondo Giallo, que pode ser conferida no corredor da Sala de Cinema Ulysses Geremia. Eles se inspiraram em obras de Argento, Lucio Fulci e Mario Bava para compor as imagens.

O crítico de cinema e profundo conhecedor do gênero giallo Cristian Verardi também participa do debate. Vale a pena conferir o que eles têm a dizer sobre a estética e as histórias do horror italiano que inspiraram dezenas de outros filmes de terror mais atuais.

Batman, Hobbit, Pica-pau

23 de agosto de 2013 2

E aí pessoal? Não se fala em outra coisa a não ser a escolha do novo Batman. Pois é, o Ben Affleck. Ele vai dividir atenções com o atual Homem de Aço, Henry Cavill, no filme que reunirá os dois heróis pela primeira vez. Mas eu não quero falar disso, hehe. Deixo a função para o pessoal que é mais entendido nesses lances de DC Comics…

Como é sexta, queria mesmo era postar um vídeo bonitinho de outro blockbuster. Já havia compartilhado com vocês por aqui minha paixão por Lego né? Olha só o que os caras fizeram agora: uma versão igualzinha a do trailer oficial de O Hobbit: A Desolação de Smaug. Como ainda não tinha publicado esse trailer aqui, acho que ele foi divulgado dias antes de estrear o blog, vale ver agora com esses bonequinhos fofos no lugar dos atores.

Ah, só um comentário inútil, aquela cena de um dos anões caindo de barril numa cachoeira me lembrou muito um episódio do Pica-pau que eu adorava quando era criança. Bom final de semana!

Aos fãs de terror

22 de agosto de 2013 0

Olha aí que legal, um dos novos projetos da recém implantada Unidade de Cinema da prefeitura de Caxias já está chegando à segunda edição. É o Pesadelo Coletivo, que leva filmes de horror para a Sala de Cinema Ulysses Geremia em madrugadas temáticas, cheias de sangue na telona. Desta vez, os principais nomes do terror italiano serão homenageados. A partir da meia-noite, de sexta (23) para sábado, os espectadores poderão conferir os filmes Banho de Sangue (1971), de Mario Bava, e Pavor na Cidade dos Zumbis (1980), de Lucio Fulci. Dá uma olhada nos trailers ali embaixo e vê se te encoraja a ir no cinema. O ingresso custa R$ 10, com direito a guloseimas.

A novidade desta edição fica por conta de uma exposição fotográfica no corredor central do Centro de Cultura Ordovás. As imagens de de Priscila Poletti e Diego Bertoldi, são inspiradas em filmes de Mario Bava, Lucio Fulci e Dario Argento. E o mais legal é que no sábado, às 16h, haverá um bate-papo sobre as fotos e a exibição gratuita do filme Suspiria (1977), de Dario Argento _ outro italiano chegado num sanguinho. Curte uma prévia aqui embaixo:

Posso dizer que a segunda edição do Pesadelo Coletivo está, no mínimo, imperdível para quem curte cinema gore (ou para quem quer descobrir o que isso significa). Todo mundo lá!

Conhecimento imortalizado

21 de agosto de 2013 0

bordadeiras1

Preservar o saber-fazer, o patrimônio cultural imaterial. Esse é um dos objetivos do documentário Mestres Bordadeiras, finalizado este mês. A iniciativa é louvável, pensem comigo, conhecimentos como o dessas mulheres que fazem arte com linhas — passados geralmente de mãe para filha — estão sendo engolidos pela evolução inevitável do mundo, dos gostos, dos costumes. Guardar é preciso. E se for em forma de cinema, melhor ainda.

O filme mostra 12 bordadeiras (quatro de Antônio Prado, uma de Caxias do Sul, duas de Flores da Cunha, duas de Nova Pádua, duas de Santa Tereza e uma de Nova Roma do Sul). A estreia para o público será em outubro, mas o doc já começou a ser distribuído em escolas, secretarias da cultura e entidades das cidades participantes.

A direção é de André Costantin, a direção de fotografia e montagem é de Daniel Herrera e a coordenação geral e produção de Fernando Roveda. O projeto resulta de parceria entre o Círculo Cultural Ítalo-Brasileiro de Antônio Prado (Cibrap) e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).