Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Sobre os indicados a melhor filme

22 de fevereiro de 2015 0
Crédito: FOX Filmes

Crédito: FOX Filmes

O Oscar chega a sua 87ª edição neste domingo e com oito longas concorrendo na categoria principal — um a menos do que no ano passado. Apenas três dos candidatos a levar a estatueta de Melhor Filme passaram pelos cinemas de Caxias do Sul, apesar de todos terem estreado no Brasil. Ano passado, os títulos que chegaram por aqui vieram com atraso, depois da premiação. Que vergonha né…

Bom, seguem breves considerações a respeito de cada um dos concorrente a melhor filme, além de informações sobre as categorias de ator, atriz, direção e roteiro.

Bom Oscar a todos!

 

O GRANDE HOTEL BUDAPESTE
O longa de Wes Anderson carrega “grande” no nome e na forma. É impossível não se impressionar com takes muito coloridos, com belas composições que envolvem arquitetura, design, fotografia, moda, etc; da mesma forma que não dá para sair ileso das peculiaridades de cada um dos personagens um tanto bizarrinhos (a cara do diretor) do longa. Apesar do elenco cheio de estrelas (Ralph Fiennes, Adrien Brody, Willem Dafoe, Tilda Swinton), O Grande Hotel é favorito a abocanhar categorias mais técnicas, como design de produção, figurino, maquiagem e afins. Trata-se de uma aventura envolvente ao melhor estilo mocinhos e vilões, porém empacotada num visual de tirar o fôlego.
Outras indicações: diretor (Wes Anderson), roteiro original, fotografia, edição, design de produção, figurino, maquiagem e cabelo e trilha sonora
Em Caxias: o filme foi ignorado por GNC e Cinépolis em 2014, quando estreou. O UCS Cinema resgatou-o em duas sessões na semana passada, ambas com grande procura de público.

BOYHOOD
Vencedor do Globo de Ouro na categoria Drama, Boyhood carrega a mão na sensibilidade para falar da passagem do tempo. O aspecto mais inovador com relação à obra de Richard Linklater é ter filmado o mesmo elenco durante 12 anos, condensando em quase três horas de filme uma reflexão visual sobre o banal, o ordinário, ou seja, a vida de todos nós. É um filme para degustar com calma, observando grandes atuações (Ethan Hawke e Patricia Arquette estão ótimos) e se deixando levar pela proposta minuciosa do diretor. Merece a estatueta pela mescla de ousadia na forma com a poesia no conteúdo.
Outras indicações: diretor (Richard Linklater), ator coadjuvante (Ethan Hawke), atriz coadjuvante (Patricia Arquette), roteiro original, edição
Em Caxias: chegou em Caxias em dezembro, com um mês de atraso e somente no GNC

BIRDMAN
Junto com O Grande Hotel Budapeste, Birdman carrega o maior número de indicações neste Oscar: nove. O longa de Alejandro Gonzáles Iñárritu tem um valioso potencial crítico em seu roteiro, colocando o dedo na ferida da indústria cinematográfica “blockbusteriana”. Na história, um ator ex-intérprete de super-herói tenta reencontrar o sucesso. Com atuações memoráveis de Michael Keaton e Edward Norton, ambos super cotados para levar estatuetas, o longa também surpreende visualmente investindo no plano sequência como regra (ainda que não levada à risca) de montagem. É um tapinha na cara bem contemporâneo, que versa com inteligência e humor sobre redes sociais, celebridades, egos e, claro, arte.
Outras indicações: diretor (Alejandro Gonzáles Iñárritu), ator (Michael Keaton), ator coadjuvante (Edward Norton), atriz coadjuvante (Emma Stone), roteiro original, fotografia, edição de som e mixagem de som
Em Caxias: estreou no Brasil em 29 de janeiro — não há previsão para chegar em Caxias

O JOGO DA IMITAÇÃO
O maior trunfo aqui é revelar um personagem real antes pouco conhecido do grande público — salvo os viciados em History Channel. Apesar da infinidade de filmes sobre a Segunda Guerra Mundial, o britânico Alan Turing ainda habitava uma espécie de sombra face a grandes figuras do período. O filme dirigido por Morten Tyldum mostra o feito desse matemático brilhante em desvendar o código de comunicação usado pelos nazistas. Mas o mais interessante nem é isso, e sim adentrar o universo pessoal de Turing, compartilhando de seus dramas. A reflexão sobre violência que o filme propõe também é muito interessante.
Outras indicações: diretor (Morten Tyldum), ator (Benedict Cumberbatch), atriz coadjuvante (Keira Knightley), roteiro adaptado, edição, design de produção e trilha sonora
Em Caxias: o único entre os concorrente ao Oscar de Melhor Filme que está em cartaz em Caxias atualmente, no GNC e Cinépolis

SELMA – UMA LUTA PELA IGUALDADE
Selma é sobre a marcha histórica encabeçada pelo ativista Martin Luther King em luta pelos direitos dos negros ao voto, em 1965. Mas é em pequenas salas, gabinetes de políticos, auditórios e igrejas que a história se desenvolve, geralmente sob belas iluminações em tons quentes. É um filme de diálogos e discursos — e vale destacar a boa performance do protagonista David Oyelowo. O tema conduzido pela diretora Ava DuVernay é importantíssimo, mas parece pouco provável que a academia repita o prêmio para um filme com temática semelhante a do vencedor do ano passado, 12 Anos de Escravidão. Tem mais chance com Glory, bela canção original que fecha o filme.
Outras indicações: canção
Em Caxias: estreou no Brasil no dia 5 de fevereiro — não há previsão para chegar em Caxias

A TEORIA DE TUDO
Não espere uma grande viagem pela mente de um de um dos cientistas mais importantes e conhecidos da atualidade. Claro, ainda é Stephen Hawking o grande personagem do filme, mas o roteiro convencional prioriza o ponto de vista da primeira esposa dele, Janel Wilde, já que se baseia no livro de sua autoria. Apesar de ser um pouco chapa branca ao retratar personagens vivos, é mesmo assim envolvente e vale pela transformação que a doença degenerativa de Hawking provoca na vida do casal. A direção é de James Marsh.
Outras indicações: ator (Eddie Redmayne), atriz (Felicity Jones), roteiro adaptado e trilha sonora
Em Caxias: estreou no Brasil no dia 29 de janeiro — não há previsão para chegar em Caxias

WHIPLASH – EM BUSCA DA PERFEIÇÃO
Começa com um garoto meio antipático obstinado em se tornar o melhor baterista de jazz de sua época. Aí ele encontra um professor carrasco e, aos poucos, o longa do jovem diretor Damien Chazelle toma rumos inesperados e revela a provavelmente mais visceral das tramas concorrentes ao Oscar. A música é elemento dos mais importantes _ será baita injustiça se Whiplash não levar algum prêmio de som —, mas há uma carga de tensão que não deixa o espectador relaxar, mesmo com os ouvidos embalados pela beleza do jazz.
Outras indicações: ator coadjuvante (JK Simmons), roteiro adaptado, edição e mixagem de som
Em Caxias: estreou no Brasil no dia 8 de janeiro — não há previsão para chegar em Caxias

SNIPER AMERICANO
Mais recente incursão do gigante Clint Eastwood na direção, o filme foca atenções na vida do soldado Chris Kyle, que matou pelo menos 150 pessoas durante a Guerra do Iraque. Considerado um herói nos EUA, o personagem ganha a telona potencializado pelo talento de Bradley Cooper. Porém, num contexto político, Sniper é quase tão simplista quanto os faroestes recheados de americanos bonzinhos e índios vilões. Sobra patriotismo, o que prejudica outros bons aspectos com relação ao longa, porém, não o tira a chance de ser premiado com o Oscar (lembram de Guerra ao Terror?).
Outras indicações: ator (Bradley Cooper), roteiro adaptado, edição, edição de som e mixagem de som
Em Caxias: estreou no Brasil na última quinta-feira — não há previsão para chegar em Caxias

ATORES/ATRIZES
É claro que os prêmios que antecedem o Oscar dão um panorama do que deve acontecer na festa deste domingo, mesmo assim, sempre pode rolar aqueles azarões inesperados. Na categoria Melhor Ator, isso é mais fácil de acontecer, tendo em vista a disputa acirrada entre cachorros grandes. O favorito ainda é Eddie Redmayne e sua transformação física (a academia adora isso!) para viver o físico Stephen Hawking. Porém, a campanha a favor do jovem pode ter ficado estremecida com a estreia do fraco O Destino de Júpiter, sobre o qual a atuação de Redmayne tem recebido duras críticas. Por outro lado, temos Benedict Cumberbatch, que fez um trabalho espetacular em O Jogo da Imitação, Bradley Cooper, em sua terceira indicação ao Oscar consecutiva, além de Michael Keaton (arrasando em Birdman) e Steve Carell (outro que impressiona pela transformação física).

Já na categoria Melhor Atriz, é improvável que alguém tire o prêmio de Julianne Moore e seu sensível trabalho no filme Para Sempre Alice. Ela vive uma professora de 50 que descobre estar com Alzheimer. Vale lembrar que essa é a quarta vez que Julianne concorre.
Enquanto na escolha de Melhor Ator apenas um dos indicados está num filme que não concorre ao prêmio de Melhor Filme _ Steve Carell por Foxcatcher _ na categoria Melhor Atriz ocorre o oposto. Apenas Felicity Jones concorre por um filme que também está entre os melhores do ano: A Teoria de Tudo. As demais atuações foram reconhecidas por filmes não tão badalados, como o próprio Para Sempre Alice, Dois Dias, Uma Noite (com Marion Cotillard), Garota Exemplar (com Rosamund Pike) e Livre (com Reese Witherspoon).

DIREÇÃO
Não é muito comum que o prêmio de Melhor Filme, sempre o último a ser apresentado, seja entregue para a mesma obra que já ganhou a estatueta de Melhor Diretor. Num ano com tantos filmes bons concorrendo então, isso de fato não deve acontecer. Os mais cotados para receberem o prêmio são Alejandro Gonzáles Iñárritu (por Birdman) e Richard Linklater (por Boyhood). O mexicano recebeu apenas o prêmio do Sindicato dos Diretores, enquanto que o americano já levou Globo de Ouro, Critc’s Choice e Bafta. Talvez essa seja uma pista, mas não dá para esquecer que ainda temos o minuciosos trabalho de Wes Anderson frente O grande hotel Budapeste.

ROTEIRO ORIGINAL
Wes Anderson, em parceria com Hugo Guinness, pode abocanhar o prêmio pelo divertido roteiro de O Grande Hotel Budapeste. Mesmo assim, a disputa maior deve ficar, novamente, entre Birdman e Boyhood. O primeiro é mais ousado e engraçado, o segundo é mais reflexivo e poético. Os outros concorrentes são E. Max Frye e Dan Futterman (por Foxcatcher) e Dan Gilroy (por O Abutre).

ACOMPANHE
* O que: Oscar 2015
* Onde: diretamente do Dolby Theatre de Los Angeles
* Apresentação: Neil Patrick Harris (conhecido pela série How I Met Your Mother)
* Na tevê: a premiação será exibida por três canais neste domingo. A partir das 19h30min, o E! apresenta o Red Carpet. No TNT, a função da chegada das celebridades começa às 20h30min e a cerimônia às 22h. Na TV aberta, o Oscar será transmitido pela RBS TV após Big Brother Brasil. A apresentação será comandada por Maria Beltrão, com comentários do jornalista Artur Xexéo e do ator Lázaro Ramos

Envie seu Comentário