Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "documento brasil"

'Mataram Meu Irmão' no finde

25 de julho de 2014 0
Crédito: Bela Filmes

Crédito: Bela Filmes

Entrou em cartaz na quinta e fica até este domingo o documentário Mataram Meu Irmão, de Cristiano Burlan. O filme encerra a programação da mostra Documento Brasil, na Sala de Cinema Ulysses Geremia. Neste final de semana, sessões às 20h, com ingressos a R$ 8 e R$ 4 (estudantes e idosos).

Achei o filme muito impactante, apareçam por lá e vejam se concordam comigo…

Ruído social

Há alguns ruídos estéticos no documentário Mataram Meu Irmão, última estreia dentro da mostra Documento Brasil, na Sala de Cinema Ulysses Geremia (Rua Luiz Antunes, 312), em Caxias. Tem foco que foge da imagem, câmera que treme, vozes externas que surgem no meio das entrevistas, etc. Talvez essas características possam afastar os olhos acostumados com produções visualmente mais harmônicas. Porém, é preciso entender que esses ruídos encontram-se em perfeita harmonia com o território explorado pelo filme. A temática que ganha voz no documentário não deixa de ser também um ruído, como uma faceta da sociedade que muitos insistem em não ver, nem ouvir.

Talvez exatamente por isso, a voz em off do diretor repita logo no início do filme um trecho do livro Demian (Hermann Hesse), obra que Cristiano Burlan lia em 2001, quando o irmão, Rafael, foi morto a tiros aos 22 anos: “não é agradável a minha história, não é suave e harmoniosa como as histórias inventadas”.  Numa tentativa de recompor a trajetória do irmão e da própria família, Burlan acaba por traçar um duro panorama sobre a realidade em periferias como a do Capão Redondo, onde cresceu.

Drogas, crime, violência, família são temas que surgem interligados nas entrevistas que o diretor encabeça com os familiares. Geralmente, as conversas começam com “o que você lembra do Rafael?” e acabam em reflexões muito mais profundas e tocantes. O documentário foi escolhido como melhor filme no festival É tudo Verdade (júris oficial e popular).

Lerner votou sim no referendo

27 de julho de 2013 0

Crédito: Cíntia Helena

A boa para este sábado é conferir a última sessão comentada da programação do Documento Brasil na Sala de Cinema Ulysses Geremia. O diretor do documentário Referendo, Jaime Lerner, estará em Caxias a partir das 16h para conversar com os espectadores sobre o seu filme.

Como eu já tinha escrito aqui, o filme foca atenções no referendo que ocorreu em 2005 no Brasil. Os eleitores puderam votar SIM ou NÃO para a pergunta: “o comércio de armas e munição deve ser proibido no Brasil?”. O NÃO venceu com 64% dos votos e Jaime Lerner resolveu investigar o porquê oito anos depois.

Em entrevista ao blog Cinecessário, Lerner revelou que votou SIM em 2005:

– Manteria o mesmo voto hoje. Mas não abro o voto no filme, embora ele não busque ser “neutro”, não acredito em filme neutro, sem um ponto de vista. Mas o filme não é panfletário e não está a serviço do meu voto. Ele busca, mais do que formar opiniões, levantar questionamentos, esclarecer, informar, fazer ligações e causar uma reflexão.

Bem, para ouvir o cineasta falar mais sobre a produção é só correr lá na Sala de Cinema neste sábado, às 16h.

Saiba mais sobre Referendo

25 de julho de 2013 0

Crédito: Jaime Lerner

Pessoal, nesta quinta-feira estreia o último filme da programação do Documento Brasil, iniciativa engajada em trazer bons documentários nacionais para a Sala de Cinema Ulysses Geremia. Depois de títulos como Elena, Doméstica e O Dia que Durou 21 Anos, o filme que encerra a mostra é Referendo, que discute a questão das armas no Brasil. A produção propõe uma reflexão sobre o plebiscito do desarmamento, votado pelos brasileiros em 2005.

Atualmente, o filme também está na programação do 9º Festival Internacional de Cine de Los Derechos Humanos, que vai até domingo, na Bolívia. Em Caxias, dá para assistir as sessões nesta quinta e sexta, às 19h30min, e sábado e domingo, às 20h. No sábado também haverá sessão comentada com a presença do diretor Jaime Lerner, às 16h.

Aliás, Lerner conversou com o blog Cinecessário sobre o filme. Confira algumas das respostas (vou deixar uma delas para sábado, dia em que ele estará em Caxias)

Cinecessário: Qual foi tua principal motivação para fazer esse documentário?
Jaime Lerner:
Fiquei perplexo com a virada. Até julho, as pesquisas apontavam uma vitória do SIM, pela proibição da venda de armas. Havia todo um movimento, todo um engajamento da população no sentido de pedir o desarmamento (das armas e dos espíritos). A vitória do SIM, na minha opinião, teria um valor simbólico muito forte. E, de repente, de maneira constante, esta onda começou a virar até que o SIM sofreu uma derrota acachapante. Fiz o filme para tentar entender, refletir sobre o que realmente aconteceu.

Cinecessário: Como o filme tem sido recebido pelos espectadores ao redor do Brasil?
Lerner:
O filme é polêmico, ele é construído como um grande debate. Nas sessões que acompanhei, que debati com o público, as reações que obtive de pessoas que viram são no sentido de que é um filme forte, que trata de um tema importante de uma maneira impactante. O filme foi visto também em Montevideo (no festival Atlanticdoc) e em Buenos Aires ( no Festival de Cinema Político de Buenos Aires). E o público não brasileiro também respondeu ao filme. Na pagina do FB sobre o filme (www.facebook.com/referendolongametragem), há muitos comentários do pessoal pró armas, que só viu o trailer mas questiona muito por que fazer um filme sobre o assunto. Acho que o tema é e infelizmente será atual ainda por muito tempo.

Cinecessário: O que mais te surpreendeu enquanto filmava Referendo?
Lerner:
Tive algumas surpresas, mas certamente o personagem de Ricardo Santos que cumpre pena por assalto a banco foi o mais surpreendente.

As boas do final de semana

20 de julho de 2013 0

O final de semana está aí e tenho dicas para os cinéfilos de plantão. Bom, neste sábado, às 16h, tem sessão comentada do documentário O Dia que Durou 21 Anos (trailer abaixo), na Sala de Cinema Ulysses Geremia. O filme de Camilo Tavares traz uma abordagem interessantes sobre os fatos que levaram ao Golpe de 1964, no Brasil. A exibição terá comentários do historiador Ramon Tisott e da jornalista Cíntia Hecher. Para quem perder esta, tem outras sessões do filme às 20h, do sábado e do domingo. Ingressos custam R$ 8 e R$ 4 (estudantes e idosos).

E a Semana do Audiovisual (Seda) está chegando ao fim, mas ainda promete um monte de ações bacanas. Neste sábado, ali no ponto de cultura Núcleo Audiovisual TME (na Coronel Flores, 810), serão realizadas duas oficinas. A primeira, às 15h, trata da Organização Cineclubista e a Arte de Programar, com Ernani Viana Neto. A segunda, às 17h, aborda As Múltiplas Narrativas da Imagem, com Adri Antunes. Mais tarde, às 19h, tem captação e edição de imagens madrugada adentro e oficina estendida com Alvin Bernardi e Julia Zortéa, lá na Casa Paralela.

Para encerrar a Seda, no domingo, a Sala de Cinema Ulysses Geremia abriga sessão comentada do filme Fantasmas da Cidade (já publiquei o trailer aqui, lembram?), com a presença do diretor Daniel de Bem. Aliás, que baita iniciativa do pessoal da Seda que, pelo segundo ano, organizou tudo sem praticamente nada de verba e trouxe uma programação cheia de atrativos para o pessoal de Caxias.

Vejam Elena

06 de julho de 2013 1

Hoje tem programa imperdível para quem gosta de cinema em Caxias. O projeto Documento Brasil, promovido pelo Unidade de Cinema e Vídeo da Secretaria da Cultura só com documentários nacionais, começou na quinta, mas é neste sábado que ocorre a primeira sessão comentada da programação. A partir das 16h, tem a exibição do filme Elena, seguida de bate-papo com o pessoal do CineClube Papo de Cinema, de Porto Alegre.

Vale dizer que o filme foi um dos mais comentados no ano passado, principalmente pela sensibilidade com que conduz a história pessoal da diretora e atriz Petra Costa. O documentário mostra a busca dela pela irmã, Elena, em Nova York. A produção foi premiada no 45° Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, com os prêmios de melhor direção, montagem, direção de arte e melhor filme pelo júri popular. Além disso, recebeu também o prêmio de melhor documentário do Films de Femmes 2013.

Confesso que estou muito curiosa para ver. Ainda mais depois de assistir, no site do filme, um vídeo com o depoimento emocionado da atriz Júlia Lemmertz, gravado quando ela saía do cinema, com olhos vermelhos de quem se deixou levar pela delicadeza da história. Ela disse:

— É realmente um filme transformador, ele leva você para lugares tão profundos, que fica ecoando durante muito tempo. Excelentemente sensível, profundo e bonito.

Bom, dá uma olhada no trailer e não perde a sessão na Sala de Cinema Ulysses Geremia. Ah, se não der para pegar a das 16h, tem mais exibição de Elena às 20h, e outra neste domingo, também às 20h.

Docs nacionais

24 de junho de 2013 2

Tem projeto bem bacana vindo por aí na Sala de Cinema Ulysses Geremia, que fica lá no Centro de Cultura Ordovás. Já consolidada em Caxias por oferecer opções menos comerciais na telona, a sala deve abrigar em julho a primeira edição do Documento Brasil. Será uma mostra de documentários nacionais com sessões nos horários e dias já tradicionais: quintas e sextas, às 19h30min, e sábados e domingos, às 20h. Conforme o coordenador da Unidade de Cinema e Vídeo da prefeitura, Conrado Heoli, a ideia é que o projeto se torne anual. Nesta primeira edição deve rolar ainda alguma sessão comentada, fica ligado que a gente avisa aqui..

Confira a lista de títulos que você poderá assistir:
Elena: acompanha a busca de Petra Costa (que também dirige a produção) pela irmã atriz, em Nova York
Doméstica: com direção de Gabriel Mascaro, o doc surgiu a partir do material de sete cineastas, que filmaram o cotidiano de suas empregadas domésticas
O Dia que durou 21 Anos: de Camilo Tavares, revela o envolvimento norte-americano num dos momentos históricos mais terríveis da história do Brasil: o Golpe de 1964 e a ditadura militar
Referendo: de Jaime Lerner, aborda a discussão sobre o desarmamento no Brasil

Ah, por causa dessa programação especial em julho, a estreia desta semana na Sala de Cinema, o francês Depois de Maio, ficará em cartaz apenas até domingo.

Documentário Elena. Crédito: Espaço Filmes