Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "morte"

Tchau, Abujamra

28 de abril de 2015 0
Crédito: Divulgação

Crédito: Divulgação

Morreu nesta terça-feira Antônio Abujamra, um dos grandes nomes das artes no Brasil. Além dos personagens clássicos na tevê e das produções nos palcos de teatro, o paulista também tem vasta participação no cinema nacional. Escolhi um vídeo aqui com Abujamra entrevistando o cineasta Ugo Giorgetti, responsável pelo filme Festa, comédia de 1989 pela qual Abujamra recebeu o kikito de melhor ator em Gramado. Uma dupla cheia de ideias, assistam..

Adeus a Robin Williams

12 de agosto de 2014 4

Poxa, gente, o que há com esse 2014, hein? Que triste ver tanta gente importante para a cultura indo embora. Fica minha homenagem ao ator e excelente comediante Robin Williams, encontrado morto na segunda, aos 63 anos.

Uma cena de Sociedade dos Poetas Mortos (1989):

Tchau, Wilker

05 de abril de 2014 1

conselheiro1

Cena do filme Guerra de Canudos (1997)

Descanse em paz, Wilker (1947 – 2014)

Adeus a um caça-fantasma

24 de fevereiro de 2014 0

ghostbusters_ramis1

O adeus do dia vai para Harold Ramis, o eterno Egon Spengle do clássico Os Caça-Fantasmas (1984). Ele morreu nesta segunda-feira, aos 69 anos, de uma doença inflamatória que atingia os vasos sanguíneos.

Além do papel importante no atrapalhado grupo que capturava almas penadas, Ramis também contribuiu para o roteiro do longa (uma das tantas comédias inesquecíveis dos anos 1980, aliás, quem não lembra daquela musiquinha da trilha?). Ele esteve no primeiro e na sequência, Os Caça-Fantasmas 2, de 1989.

Comediante aclamado, o cara trabalhou ainda na direção e roteiro de filmes como Máfia no Divã, A Máfia Volta ao Divã, Recrutas da Pesada, etc. Por Feitiço do Tempo, de 1993, ganhou um BAFTA de melhor roteiro original. Seu último trabalho, Ano Um, é de 2009 e conta com Jack Black no elenco.

Nos planos de Ramis estava uma terceiro filme sobre os caça-fantasmas. Talvez algum estúdio banque o projeto, resta saber quem substituirá o talentoso Ramis.

Tchau, Nico!

07 de fevereiro de 2014 0

Mais uma perda… se vai um baita ator, um baita músico.

nico1

Minha amiga Cíntia Hecher, contribuidora lá do portal Coisas de Cinema, lembrou de uma participação memorável de Nico Nicolaiewsky no cinema. No curta-metragem super premiado O Pulso, de 1997.

Está disponível aqui no PortaCurtas. Vale a pena conferir a atuação dele!

Descanse em paz, Nico!

Domingo triste

02 de fevereiro de 2014 2

Difícil falar qualquer coisa sobre as mortes chocantes deste domingo. Primeiro, fiquei sabendo sobre o assassinato de Eduardo Coutinho, um dos documentaristas mais espetaculares que o cinema já conheceu. A sensibilidade que possuía para retratar histórias e pessoas comuns será lembrada para sempre por meio de suas obras.

Quando eu penso no Coutinho, sempre lembro daquele senhor emocionado cantando My Way (do Sinatra) sentado na sala do apartamento, em Edifício Master (2002). Ele canta a música inteira no filme, escancarando a maneira de Coutinho fazer cinema: dar tempo — e por vezes até a câmera — aos seus entrevistados. Era um diretor que se deixava conduzir pelo olhar do outro, para depois entregar uma experiência única ao espectador…

Tristeza profunda em saber que Coutinho se foi, ainda mais de uma forma tão trágica (o filho dele, que sofre de esquizofrenia, é o principal suspeito de ter esfaqueado o cineasta de 81 anos).

Como se não bastasse, o domingo ainda reservou mais uma notícia dolorosa para o mundo do cinema. O ator Philip Seymour Hoffman, 46 anos, foi encontrado morto em Nova York. A suspeita é que uma overdose de drogas tenha feito seu coração parar.

Outro talento gigante, capaz de nos fazer sentir através da arte. Outro que se entregava de forma assombrosa em cada atuação — fosse somente trabalhando com a voz (lembram da animação Mary & Max?), fosse tomando forma e trejeitos iguais a de um cinebiografado (sua atuação em Capote rendeu-lhe um Oscar).

Lamento muito a perda de ambos, farão uma falta tremenda. Que domingo triste…