Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "talentos daqui"

Vem aí, o Canal da Velha

30 de julho de 2015 0
Crédito: Fábio Vergani, Divulgação

Crédito: Fábio Vergani, Divulgação

Piada velha é piada clássica. Nasceu mais ou menos a partir dessa premissa o nome do canal que o produtor audiovisual bento-gonçalvense Fernando Menegatti está colocando na roda. Ou melhor, no YouTube. O canal Da Velha promete imprimir referências mais “old school” no tão difundido formato de esquetes de comédia na internet.

– Acho que tá faltando uma coisa um pouco mais refinada – comenta Menegatti, que tem dirigido os amigos atores Fábio Vergani, Lafa Lafaiete, Daniel Luis Rasador e Alex Barros nos vídeos.

O canal vai entrar no ar oficialmente no dia 11 de agosto, às 19. A ideia é adicionar um vídeo semanalmente, sempre às 19h de cada terça-feira. Cada episódio terá pouco mais de três minutos de duração.

A produção está a todo vapor e elege como influência mais direta os mestres britânicos do Monty Python.

– Queremos fazer uma coisa mais polida, mas é politicamente incorreto e tem muito humor negro – diz Menegatti, diretor de curtas como Parasitas do Lodo.

Por enquanto o diretor (ao lado, à direita) tem assinado também os roteiros e torce para que os vídeos ganhem o mundo:

– Cinema é caro e ainda muito elitista, concentrado nas mãos de grandes produtoras. O YouTube tem servido como vitrine e tem a vantagem da resposta instantânea do público.

Confira um pequeno teaser do projeto:

** Na semana que vem, Fernando Menegatti estará no Festival de Roteiro Audiovisual (Frapa), que ocorre em Porto Alegre. Ele vai apresentar a premissa de uma série para a televisão. O projeto se chama Letargo e prevê 13 episódios de 52 minutos cada.

** A sinopse diz : “Uma série de terror e mistério sobre um padre controverso, uma família de fachada, um foragido da polícia e uma detetive com sede de vingança, todos reféns de uma pequena cidade sob a tirania do próprio Lúcifer em carne e osso.”

Conheça a Dona Oldina

02 de julho de 2015 0
Crédito: Ricardo Ghiorzi

Na foto, Dona Oldina com o neto cineasta, Felipe M. Guerra. Crédito: Ricardo Ghiorzi

Oi, pessoal

Querem saber mais sobre a personagem da coluna desta semana? Conheçam a espetacular Dona Oldina Cerutti Do Monte, uma atriz de filmes de terror que mora em Carlos Barbosa e vai completar 85 anos neste sábado…

Uma vovó do barulho

Sangue falso, maquiagens macabras e cinema amador não costumam fazer parte da rotina de muitas idosas por aí. De fato, para quem vê Dona Oldina Cerutti Do Monte fazendo a liturgia de alguma missa em Carlos Barbosa, sua terra natal, pode ser difícil visualizar a distinta senhora como uma das

musas do cinema de horror gaúcho. Mas ela é. A simpática vovó que completa 85 anos neste sábado (eis o porquê desta homenagem) tem até página própria no site do IMDb (Internet Movie Database).
Tudo começou depois que ela foi figurante no filme O Quatrilho, de 1995. Aí veio o teatro e as participações nos curtas sangrentos do neto, Felipe M. Guerra.
– Mudou minha vida, sabe? – resume Dona Oldina, que superou a depressão tornando-se uma estrela do cinema trash.
Entre participações em curtas e longas, a vovó destaca a produção que estrelou ao lado do apresentador Luciano Huck, Mistério na Colônia, além do sangrento D.R., que ela foi até São Paulo gravar, e claro, o macabro A Maldição do Sanguanel, do qual a atriz guarda tensas lembranças:
– Eu ficava perguntando para o Felipe se faltava muito para acabar, estava muito cansada. Quando ele disse que tinha terminado, eu me fui. Tiveram de chamar a ambulância, me levaram toda suja de groselha (sangue falso), passei a noite no hospital daquele jeito (risos) – conta a vovó.
Enfrentando com muito humor qualquer percalço – como a dificuldade em decorar textos ou uma tendinite recente no ombro –, Dona Oldina nem pensa em abandonar a carreira de atriz.
– Me divirto muito – resume ela, que usou esta mão bizarra da foto em um dos episódios de 13 Histórias Estranhas, seu trabalho mais recente no cinema.

Reconhecida

Um troféu chama atenção entre as fotos de família que Dona Oldina guarda na estante de casa. Imitando o formato de um Oscar, a distinção pelo “conjunto da obra” foi entregue a ela em 2011, durante o festival de cinema fantástico Fantaspoa.

– Conheci tanta gente, tudo gente de cinema – orgulha-se ela.
Em Carlos Barbosa, a dupla também recebeu homenagem da Câmara de Vereadores pela contribuição cultural. Sempre que Dona Oldina acompanha Felipe M. Guerra em festivais e encontros de cineastas, vira sensação entre os fãs do cinema de horror. Nos planos dela, no entanto, está estrelar uma comédia:
– Digo pro Felipe: “não dá pra fazer uma coisinha melhor pra tua vó?”– brinca, sobre os papéis em filmes repletos de sangue.

Agnolino para todos

26 de novembro de 2014 0
Crédito: Marcelo Casagrande

Crédito: Marcelo Casagrande

Está marcada para esta quinta, a partir das 20h, a disponibilização do filme É Proibido Falar Italiano no YouTube. Sim, o queridão do Seu Agnolino Capobanda (interpretado pelo talentoso Joanin Andrighetti) vai dar o ar da graça na internet, a um clique do acesso de todos.

A produção levou três troféus no Cineserra 2013: melhor roteiro, melhor ator (para o Seu Joanin), e direção (para Robinson Cabral). Além disso, Seu Agnolino já havia circulado pelo Brasil e até pela Europa em outros festivais e sessões especiais.

Com humor e sensibilidade, o falso documentário relembra um período bem real, quando imigrantes italianos tiveram de deixar de falar em dialeto. Recentemente, essa herança oral foi reconhecida como referência cultural brasileira. Avançamos, felizmente.

Você vai poder acessar o filme por meio deste link. Depois passa por aqui para contar o que achou.

 

Vencedores do Cineserra

26 de outubro de 2014 0
Crédito: Divulgação

Crédito: Conrado Heoli

Então pessoal, a noite deste domingo foi de premiação para os participantes do festival Cineserra. O festerê foi lá no no Teatro do Sesc. Estavam no páreo 43 produções (entre documentário, ficção e videoclipe), 19 concorreram no certame regional e 24 no estadual. A programação do Cineserra começou na quinta-feira, e incluiu mostras de filmes em Caxias, Garibaldi e Bento Gonçalves.

Entre os destaques, legal ver a galera do cinema “do it yourself” conquistando prêmios, como o Ia Dizer que Voltei, que levou para casa melhor roteiro e melhor atriz, Perspective (produzido durante uma disciplina de universidade), que levou edição e direção, e a produção colaborativa APPOMBA, que levou menção honrosa na categoria regional de documentário.

Outros premiados como a ficção Crianças e o documentário Heranças, ambos filmados com recursos do Financiarte, e bons exemplos do belo potencial da produção atual na Serra.

No certame regional, também legal ver caxienses premiados, como Marcelo Andrighetti (que levou estatuetas pelo seu Boca de Rua) e Deivis Horbach (vencedor pela segunda vez na categoria videoclipe).

Confira a lista completa de vencedores:

CERTAME REGIONAL
Categoria: Ficção
Melhor filme: CRIANÇAS (Ruy Fritsch)
Melhor direção: LUIS RECH/NICOLAS TESSARI/RODRIGO MACHADO, por Perspective
Melhor roteiro: MATEUS FRAZÃO, por Ia dizer que voltei
Melhor fotografia: RUY FRITSCH, por Crianças
Melhor direção de arte: RUY FRITSCH / SHAIANE DARTORA, por Crianças
Melhor edição: RODRIGO MACHADO / NICOLAS TESSARI, por Perspective
Melhor trilha sonora original: ELOY FRITSCH, por Crianças
Melhor ator: GIRLEY PAES, por Crianças
Melhor atriz: MARIA DO HORTO COELHO, por Ia dizer que voltei
Menção honrosa: PARASITAS DO LODO (Fernando Menegatti)

Categoria: Documentário
Melhor filme: HERANÇAS (Maicon Dewes)
Melhor direção: MAICON DEWES, por Heranças
Melhor roteiro: ELISÂNGELA SILVA, por Heranças
Melhor fotografia: MAICON DEWES, por Heranças
Menção honrosa: APPOMBA (produção colaborativa)

Categoria: Videoclipe
1º Lugar: I Hang my Head – Spangled Shore (Danni Rossi)
2º Lugar: Up in The Sky – Mindgarden (Daniel De Bem)
3º Lugar: Cosmopolita – Projeto Ccoma (Robinson Cabral)

CERTAME ESTADUAL
Categoria: Ficção
Melhor filme: LINDA – UMA HISTÓRIA HORRÍVEL(Bruno Gularte Barreto)
Melhor direção: EMILIANO CUNHA, por Tomou café e esperou
Melhor roteiro: BRUNO GULARTE BARRETO, por Linda – Uma História Horrível
Melhor fotografia: PABLO CHASSERAUX, por Kassandra
Melhor direção de arte: ANA GUSSON, por Kassandra
Melhor edição: ABEL ROLAND / EMILIANO CUNHA, por Lobos
Melhor trilha sonora original: CHICO PEREIRA, por Kassandra
Melhor ator: MILTON MATTOS, por Tomou café e esperou
Melhor atriz: SANDRA DANI, por Linda – Uma História Horrível

Categoria: Documentário
Melhor filme: CINE BRASÍLIA (Boca Migotto)
Melhor direção: MARCELO ANDRIGHETTI, por Boca de Rua – Vozes de Uma Gente Invisível
Melhor roteiro: BOCA MIGOTTO, por Cine Brasília
Melhor fotografia: GREG KUHN, por Boca de Rua – Vozes de Uma Gente Invisível
Melhor edição: ALFREDO BARROS / SAMUEL BOVO, por Boca de Rua – Vozes de Uma Gente Invisível

Categoria: Videoclipe
1º Lugar: Contando Estrelas (Deivis Horbach)
2º Lugar: Dia Feliz – General Bonimores (Carlos Teston)
3º Lugar: Tit for Tat – Luciano Leães (Renata Heinz)

Tem clipe quentinho

28 de agosto de 2014 1
Crédito: Reprodução

Crédito: Reprodução

oitavos2-ok

A banda caxiense Os Oitavos lançou, nesta quinta, o clipe da música Frases Feitas. Trata-se do primeiro vídeo extraído do álbum Armas de Distração em Massa. O roteiro e a direção são de Marcelo Andrighetti, da produtora Bigode de Gato.

— Encontrei em Frases Feitas uma forma de fazer arte com a arte que já existe, que são as pichações, as mensagens deixadas ao acaso. Encontrei algo que me aguçou a percepção, uma música que grita em silêncio, grita sem chamar a atenção. Como pichação, como o cinema em que acredito, que toca e é profundo, mas não grita, não quer se destacar, quer apenas existir. Porque precisa, porque é feito de coração — comenta o diretor, sobre o tom da produção.

A equipe que trabalhou no clipe ainda inclui Filipe Mello (direção de fotografia), Bruno Kriger, Arthur Bovo e Greg Kuhn (imagens), Jonatas Rubert (montagem) e Ricardo Tonet Dini (direção de produão).

Dá uma olhadinha no resultado.

Roteiristas selecionados

16 de agosto de 2014 0
Crédito: Divulgação

Crédito: Divulgação

Foram divulgados os selecionados em Caxias do Sul para o projeto Alfaiataria Itinerante, promovido pela produta de roteiros audiovisuais Coelho Voador. Foram 107 inscritos de seis cidades do interior. Aqui em Caxias este seleto quinteto abaixo vai trabalhar ao lado de Felipe Gue Martini na criação de um roteiro para uma série de tevê.

Parabéns aos escolhidos, conheço a maioria aí da lista e tenho certeza de que farão um ótimo trabalho. Boa sorte!

CAXIAS DO SUL


Breno Dallas

Caroline Weber Echer
Felipe Boff
Fernando Menegatti
Lara Klinger

Coordenador Local: Felipe Gue Martini

No interior do Maranhão

21 de maio de 2014 0
Éverton (de azul à esquerda), Seu Zequinha (segurando a claquete) e Milton (de vermelho, à direita), com a equipe que trabalhou nas gravações no Maranhão. Crédito: Chica's Produtora

Éverton (de azul à esquerda), Seu Zequinha (segurando a claquete) e Milton (de vermelho, à direita), com a equipe que trabalhou nas gravações no Maranhão
Crédito: Chica’s Produtora

Além de estar à frente do documentário sobre a história do Bar do Joe, em Garibaldi (falamos sobre essa produção aqui no blog, lembram?), o realizador audiovisual Éverton Rigatti embrenhou-se recentemente em outro projeto bem legal. Ele foi até a cidade de Icatú, no interior do Maranhão, para trabalhar como diretor de fotografia do documentário Bendito de São Benedito.

O filme acompanha o personagem José Tomás dos Santos, mais conhecido como Zequinha de Militão, de 92 anos, figura importante para as expressões populares do lugar. O filme será exibido nas cidades sede da Copa do Mundo.

Rigatti contou para o blog como foi a experiência de quatro dias na cidade.

— Foi uma experiência incrível tanto no sentido da produção em si, trabalhando com uma equipe super profissional e bastante jovem, quanto na questão de conhecer culturas de um Brasil que nos parece tão diferente. Os maranhenses são um povo extremamente acolhedor e vou guardar para sempre o carinho com que fomos tratados por lá — comenta Rigatti, da produtora caxiense La Fábrica.

A direção do filme fica por conta do maranhense Milton Martins, que conheceu Rigatti durante especialização em cinema na Universidade de Caxias do Sul.

Tem curta caxiense saindo do forno

04 de setembro de 2013 0
Crédito: Ruy Fritsch

Crédito: Ruy Fritsch, divulgação

Há poucos filmes de suspense no cinema nacional, em se tratando de produção local então, menos ainda. Esse é um dos motivos pelos quais estou bem curiosa para assistir o curta-metragem Crianças, dirigido por Ruy Fritsch (você talvez já tenha ouvido falar dele por causa da banda de rock progressivo Apocalypse). Custeado pelo Financiarte, o trabalho será lançado oficialmente na próxima quarta (dia 11/09), na Sala de Cinema Ulysses Geremia. Haverá sessões às 19h e às 20h, ambas com entrada franca.

O filme foi totalmente produzido e filmado em Caxias. No elenco, o experiente (e gente boníssima) ator porto-alegrense Girley Paes — que, a propósito, deixou a carinha de vovô querido em casa e aparece com um olhar um tanto aterrorizante na maior parte das fotos do curta. Também tem a estreia da atriz mirim Nicole Buzin.

A trama de Crianças fala de desaparecimento infantil e pretende provocar reflexão sobre a responsabilidade dos pais sobre os filhos. A trilha é assinada por Eloy Fritsch (irmão de Ruy, também integrante da Apocalypse).   A produção é assinada pela Moving! Filmes.

Muitos projetos

21 de junho de 2013 0

É muito legal ver o pessoal produzindo audiovisual em Caxias, mas também é bacaníssimo quando a galera sai daqui, vai para a Capital e segue trabalhando com isso, mostrando a que veio mesmo. É o caso do Marcelo Andrighetti, que estudou Jornalismo na UCS, se apaixonou por cinema e vem trabalhando num monte de projetos entre Caxias e Porto Alegre. Uma amostra do trabalho do cara pode ser conferida neste sábado, às 12h30min, no Curtas Gaúchos, da RBS TV. Andrighetti é o roteirista da comédia romântica O Último Chocolate. A história acompanha a batalha de Vanessa (foto), gordinha que decide travar uma luta contra a balança depois de ser confundida com uma grávida.

— Acho que o Brasil, com a nova lei da TV, passa por um momento fundamental e o roteiro nunca foi tão bem aceito como necessidade. Hoje nós temos visto muitos roteiristas ajudarem na escolha de elenco, na montagem dos projetos, na mudança de diálogos, no processo inteiro, na edição, etc, etc. Isso não é tão novo. Mas a novidade é que essa divisão de áreas facilitou para que as pessoas pudessem escrever não só para amigos, mas também para o mercado. Foi o que ocorreu dessa vez — conta ele.

Atualmente comandando a produtora Bigode de Gato, ao lado da namorada, Nicole Fischer, Andrighetti adianta alguns dos projetos em que está envolvido, seja na direção, no roteiro, na coprodução ou em parcerias. Alguns deles envolvem cenários e pessoas de Caxias do Sul.

— Os editais têm sido nosso carro chefe. Mas também estamos com projetos para canais de TV por assinatura e abertos, principalmente séries. Em novembro eu lanço o documentário Boca de Rua – Vozes de uma Gente Invisível, um filme de 10 minutos para a web que foi aprovado no Itaú Rumos, um dos mais importantes editais do país. Também entro no roteiro e direção do curta-metragem Ao Teatro, aprovado pelo Financiarte. Deve ficar pronto em setembro. Da mesma forma, pelo Financiarte, a Bigode vai lançar o videodança Abre Aspas, com direção geral da Nicole Fischer e com participação dos bailarinos da Cia. Municipal de Dança de Caxias. Sai em setembro o clipe Frases Feitas, da banda Os Oitavos, aí de Caxias, do qual assino como diretor e roteirista.

Pelo jeito, além do curta deste sábado (que, aliás, conta com outro talento daqui na equipe: o diretor de fotografia Bruno Polidoro) muita coisa boa virá por aí…