Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Noite de terror

13 de julho de 2011 3

Cinéfilo, estudante de jornalismo e nosso bruxo, Pedro Henrique Gomes conta abaixo como foi a sessão do controvertido A Serbian Film – Terror sem Limites no Fantaspoa, nesta terça-feira (12). Segundo ele, teve gente fechando os olhos e se contorcendo na poltrona. Pedro, que representou Zero Hora no Júri Popular do Festival de Gramado de 2010 – integrado por leitores dos principais jornais do país -, é autor do site Tudo É Crítica e tem colocado lá suas impressões sobre a programação do Fantaspoa e sobre tantos outros filmes.

Por Pedro Henrique Gomes

Um dos filmes mais aguardados pelo público do Fantaspoa neste ano, A Serbian Film – Terror Sem Limites, polêmica produção sérvia, teve sua primeira exibição na última terça-feira, na sala Paulo Amorim da Casa de Cultura Mario Quintana. Com bom número de espectadores, o longa do diretor Srdjan Spasojevic efetivamente mexeu com a plateia presente na sessão.

A Serbian Film conta a história de Milos, um ator pornô aposentado (e frustrado) que, ao aceitar um convite para um novo e misterioso trabalho, acaba descobrindo um mundo muito diferente daquele ao qual estava habituado. O novo filme, que promete lhe render dinheiro suficiente para garantir o sustento de sua família por muitos anos, envolve sadomasoquismo e pedofilia. Quando ele tenta abandonar o projeto, se vê preso no desejo insano de um magnata da indústria pornográfica.

O diretor Srdjan Spasojevic aposta em um clima obscuro desde o início (amplificado pela fotografia quase monocromática), mas não abre mão de um humor negro pontual para servir de alívio cômico. Durante as cenas mais fortes, principalmente na parte final, foi notável o desconforto de alguns espectadores, que alternaram entre risos nervosos e suspiros de agonia, além de se remexerem nas poltronas diversas vezes e levarem as mãos aos olhos.

Narrativamente, o filme nunca se decide entre o horror e a comédia, e a junção dos gêneros jamais encontra, de fato, uma força que o sustente. A bem dizer, ao abordar um tema tão delicado como a violência sexual, faltou um poder maior de confrontamento, de discussão. O filme instaura o humor pelo humor, o choque pelo choque sem questionar suas próprias essências. Mas se o objetivo é mexer com os sentidos dos espectadores, então A Serbian Film efetivamente cumpre o que promete. Para o bem ou para o mal.

Comentários (3)

  • Vinícius diz: 22 de julho de 2011

    Buenas, Marcelo.
    Só pela repercussão que este filme esta rendendo nos meios de comunicação, eu já fiquei com a curiosidade aguçada. Como eu poderia ver este filme? Há algum meio para baixa-lo, ou assistir em alguma outra sala de cinema da cidade? Desde já, no aguardo e agradecido!
    um abraço!

  • Daniel Feix diz: 22 de julho de 2011

    Oi, Vinícius. Há uma sessão programada para o Cine Odeon, no Rio, sábado (dia 23). Por enquanto, é só isso. Mas o filme terá distribuição em circuito no Brasil, pela Petrini Filmes…

  • Repúdio à censura de A Serbian Film | Cineclube diz: 22 de julho de 2011

    [...] carioca (entenda o caso clicando aqui; saiba como foi a exibição do longa no Fantaspoa clicando aqui; e veja o trailer do filme aqui). Assinamos [...]

Envie seu Comentário