Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Solidariedade perigosa na RSC-453

24 de maio de 2012 21

A situação é tão crítica na RSC-453, em frente à Codeca e ao Posto São Luiz, que muitos motoristas, por solidariedade, estão subvertendo as regras de trânsito.
O trevo é acesso aos moradores da populosa Zona Norte, que precisam cortar a rodovia. Como os carros se acumulam no refúgio, os motoristas que trafegam pela rodovia e detêm a preferência, compadecidos, param para permitir a passagem a quem espera para transpor a RSC em direção ao posto. A foto acima, de Maicon Damasceno, é um belo flagrante do problema.
O município se dispõe a fazer uma rotatória, mas precisa de liberação pelo Daer.

(Foto: Maicon Damasceno)

Perimetral é campo minado, toda ela

23 de maio de 2012 1

As perimetrais, vias em que o trânsito é mais rápido, guardam uma série de armadilhas e pontos críticos ao longo do caminho.
Na manhã desta quarta-feira, houve uma colisão com capotagem entre dois carros da família Fiat na Perimetral Oeste, na altura do acesso ao Hospital da Unimed, na Rua Carlos Bianchini.
Quando juntam-se pontos perigosos com a imprudência dos motoristas, hábito tristemente comum e presente na maioria dos acidentes, fica um campo minado.

(Foto: Roni Rigon)

Sinaleira para já no Travessão Solferino

22 de maio de 2012 6

A Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade decidiu na terça-feira: irá instalar semáforos em um cruzamento crítico da cidade, na esquina das ruas Luiz Michielon e Travessão Solferino, no bairro Cruzeiro. E é para já.
A montagem dos equipamentos deve ocorrer até o final desta semana e, mais tardar até segunda-feira, começa a implantação das colunas na esquina.
O cruzamento coleciona acidentes. Ainda na quarta-feira passada, houve a colisão entre um Corsa e uma caminhonete D-20 da foto ao lado, enviada por Nilson Novelo. Pelo menos uma pessoa ficou ferida.
Parece que agora sai.

(Foto: Nilson Novelo, Divulgação)

No pódio, a parceria entre escola e bairro

22 de maio de 2012 0

Escola e comunidade andam juntas na Zona Norte de Caxias do Sul. Prova disso é a parceria de quase uma década na realização da Rústica do Loteamento Millenium e da Escola Municipal Zélia Rodrigues Furtado. A nona edição da rústica e minirrústica ocorreu no dia 12 e envolveu cerca de 180 atletas (foto). Alunos, moradores e visitantes correram por uma boa causa: além da prática esportiva, doaram 142,5 quilos de alimentos não-perecíveis para o Banco de Alimentos.
A competição festejou os nove anos do prédio da escola e de fundação do loteamento. Para o diretor do colégio, Marcos Fernando Pagani, a comunhão de esforços ajudou a rústica a tornar-se uma iniciativa duradoura:
– No instante em que chamamos as pessoas para uma atividade esportiva, criamos uma identidade da escola com o bairro. É o espaço-escola partilhado com a comunidade.
O presidente da Amob Millenium, Clovis Barboza, também suou a camisa e conquistou o primeiro lugar na categoria 45 a 49 anos.
– O colégio é sempre muito parceiro do bairro. Juntos, desenvolvemos importantes ações para comunidade – valoriza Barboza.
A Zélia Rodrigues Furtado fica no loteamento Parque Oásis, mas atende a crianças de bairros e loteamentos próximos, como o Millenium.

(Foto: Tatiana de Oliveira, Divulgação)

BR deve ter lombofaixa no Planalto

22 de maio de 2012 0

A Polícia Rodoviária Federal já enviou ofício à Secretaria de Trânsito, Transporte e Mobilidade em que solicita a instalação de lombofaixa na BR-116 no caminho mais percorrido por alunos da Escola Melvin Jones, no Planalto, para a travessia da rodovia.
Fica ao redor do Km 151,5, entre o viaduto da Tronca e o acesso ao bairro.
A iniciativa da PRF facilita a intervenção do município. O martelo deve ser batido pela secretaria na quinta. Como o Daer está responsável pelo trecho urbano, é preciso a autorização, mas a secretaria entende que, com a solicitação da PRF, boa parte do caminho está percorrida.
Também está em estudo na secretaria a instalação de sinaleira no acesso ao Planalto. A PRF solicitou ainda lombofaixas nos bairros Mariland (proximidades da Volvo) e São Ciro (região prevista para receber a passarela).
A lombofaixa é um quebra-mola estendido de 7,5m de comprimento e 7 a 10cm de altura. É erguido em pontos em que se pretende fazer a travessia do pedestre com mais segurança. Em Caxias, há lombofaixas na Rótula Nelson Bazei (foto acima). Há um leve aclive de um metro de extensão, com faixa amarela, mas a faixa de segurança é plana.
Por fim, o veículo deve parar para a travessia do pedestre.

(Foto: Daniela Xu)

Praça do Universitário desbastada

18 de maio de 2012 3

A praça do bairro Universitário, que faz interface com a Rua Botafogo e ladeia o Hospital do Círculo, foi bem desbastada. Dia 14 de maio, sete árvores foram cortadas. Seis delas eram exóticas (quatro ligustros, um eucalipto e um pinus), a outra era nativa, uma capororoca. Sete árvores em uma praça é um corte expressivo.
O pedido partiu de moradores. A praça, que historicamente é um espaço abandonado, atrai gente desocupada, o que preocupa a vizinhança. Então surgiu o pedido para o corte, atendido pela Secretaria do Meio Ambiente. Quatro das árvores ficavam ao lado da parada de ônibus.
Sobrou para as árvores, que nada têm a ver com a insegurança urbana.
Segundo a Semma, houve outras razões para o corte:
* Uma vistoria constatou que o estado fitossanitário (saúde) de algumas das árvores não era dos melhores, com risco de queda.
* Havia um pedido de corte da Secretaria de Trânsito, Transporte e Mobilidade para revitalização do trânsito, com reparos no meio-fio e no abrigo do transporte coletivo.
* As árvores estariam quase chegando nos fios de alta tensão.
A Semma fará a reposição de 55 árvores nativas (de estatura bem menor) em locais apropriados da praça ou dentro do bairro.
(Foto: Roni Rigon)

Novo cenário ao lado do Macaquinhos

18 de maio de 2012 2

Um novo cenário surgiu esta semana na Rua Dr. Montaury, ao lado do Parque dos Macaquinhos, que alteram a fisionomia do espaço:
* O estacionamento paralelo no trecho entre a Antônio Prado e a Tronca.
* Uma terceira via para escoamento do tráfego.
* O asfalto com sinalização horizonta.
A consequência é que a pressa e o burburinho se aproximam do parque.

Publicidade na calçada na Júlio

18 de maio de 2012 1

Na onda da discussão que tomou conta da cidade, sobre publicidade nas fachadas de prédios, um estabelecimento comercial na Avenida Júlio, entre Dr. Montaury e Visconde de Pelotas, divulga promoções por meio de adesivos, um deles de bom tamanho, aplicados nas pedras da calçada. São lajotas, e não pedras portuguesas, como pode parecer.
Adesivos, até certo ponto, facilitam a remoção. Mas a situação é vedada pelo novo regramento da publicidade, recém-aprovado na Câmara. A brecha é o prazo de 18 meses para adequação à nova lei.

(Foto: Roni Rigon)

Sofá na rota turística

18 de maio de 2012 0

Poderia ir muito melhor o turismo na região, não fosse o desleixo. Senão, vejamos:
* Na estrada para Linha 80, em Flores da Cunha, um caminho entre tantos roteiros turísticos, tem sofá abandonado na beira da estrada (ao lado).
* A placa de sinalização que indica a localidade está toda entortada, o que denota completa falta de cuidado com uma região onde essa precaução deveria ser básica.
* Há mais lixo esparramado nos valos laterais à estrada.
E pensar que o interior dos municípios da região é lindo! É um desperdício.

(Foto: Roni Rigon)

Quando estarão limpos os arroios?

16 de maio de 2012 4

Padre Roque Grazziotin exercitou sua porção fotógrafo no final de semana. Quando se dirigia até a fazenda da Pastoral de Apoio ao Toxicômano Nova Aurora, a Patna, em Santa Corona, testemunhou grande formação de espuma no Arroio Pinhal.
– Em alguns pontos, tinha mais de metro (a espessura da espuma), e isso desde a Avenida São Leopoldo – lamentou ele.
Da reportagem desta terça-feira, no Pioneiro, surge uma informação decepcionante. A prefeitura está investindo, com recursos financiados pelo BNDES, no tratamento de esgoto, com impacto que se esperava garantido na limpeza dos arroios. Foram construídas redes coletoras de esgoto, que, se supõe, coleta o esgoto para ser levado até as estações de tratamento.
Mas eis a revelação do diretor-presidente do Samae, Marcus Vinicius Caberlon: além do tratamento, será necessária a fiscalização para evitar que esgoto industrial seja lançado diretamente no Tega, por exemplo. Como é hoje, quando a fiscalização, logicamente, não funciona. Então o Tega seguirá espumando, ou com a coloração avermelhada, ou turva, ou completamente preta.

(Foto: Padre Roque Grazziotin, Divulgação)