Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

A grande poluição do Centro

16 de abril de 2012 5

Um assunto promete tornar-se centro das atenções nesta semana: é a fixação de regras para disciplinar a publicidade e impedir a poluição visual na cidade. Projeto substitutivo assinado por 14 vereadores deve retornar à pauta da Câmara. Um pedido de vistas do vereador Mauro Pereira (PMDB), na quinta-feira, adiou a discussão por mais três dias. Antes, Marcos Daneluz (PT) também havia pedido vistas. Se devolvido no prazo, como deve ser, o importante debate será retomado esta semana.
A justificativa para essas novas protelações é “mais tempo para o debate”. Mas o assunto tramita na Câmara há oito anos, desde 2004, quando Vinícius Ribeiro (PDT) protocolou o projeto original, tempo mais do que suficiente para uma boa decisão. Em 2005, Edson da Rosa (PMDB) encaminhou outro projeto, que serve de base ao substitutivo atual.
A poluição visual nas ruas de Caxias, que alcança prédios históricos, é indiscutível e precisa de regulação urgente. Medida semelhante, aplicada em São Paulo, conseguiu o milagre de limpar as ruas da capital paulista.
Na foto acima, as fachadas de prédios com características históricas na Avenida Júlio, ao lado da Praça Dante, bem no Centro, não deixam dúvidas de que tem poluição visual demais nas ruas da cidade. O resultado é uma cidade mais feia e com grande prejuízo à sua memória.
Entre as regras do projeto em discussão, a proposição limita a publicidade em prédios históricos a 1,5 metro quadrado e proíbe mais de uma divulgação na mesma edificação.
O vereador Renato Nunes (PRB) assina medida aditiva para que não sejam considerados anúncios aqueles que contenham denominação de templos e a logomarca da igreja.
Regrar a publicidade será uma ótima iniciativa.

(Foto: Daniela Xu)

Além das placas, fios por todo lado

16 de abril de 2012 10

Nem só de placas de publicidade é feita a poluição visual no centro de Caxias do Sul.
Repare na imagem acima o emaranhado de fios na esquina da Visconde de Pelotas com a Avenida Júlio, atingindo em cheio o visual da fachada do prédio onde funciona a Joalheria Beretta.
Em Gramado, a administração municipal investiu na retirada da fiação aérea, transformando-a em subterrânea. É o investimento pesado, mas que oferece retornos na hora de divulgar a imagem de uma cidade.

Barbárie

15 de abril de 2012 3

Os assassinatos de uma mulher e um menino de sete anos seguidos de um suicídio, uma mulher em quem foi ateado fogo no corpo, outra de 15 anos atirada na represa do Samuara (foto) e um jovem morto no Santa Fé deverma ser mais do que suficientes para fazer a cidade refletir. Provavelmente não sejam.
Os episódios ocorreram todos eles em um só final de semana.
Uma civilização assim não se sustenta. No que nos diz respeito, uma cidade assim não se sustenta.
Diante da contrariedade, a saída mais banal é sair atirando, até matando, queimando mulheres, estrangulando geral, atirando em represa.
Não era para ser moderno, o nosso tempo?

(Foto: Juan Barbosa)

Para o PP, tudo é possível

15 de abril de 2012 0

O PP reuniu o diretório neste final de semana. Ainda não decidiu o que fará na eleição de outubro. Promete decidir até o final de abril.
O PP é a grande noiva da eleição. Todas as quatro candidaturas já postas oferecem a vaga de vice para o PP. Contatos já foram mantidos pelo PT de Marisa Formolo, pelo DEM de Milton Corlatti e pelo PCdoB de Assis Melo. A costura feita pelo PDT de Alceu Barbosa Velho é natural, pois ambos fazem parte da administração municipal. E essa útlima é a tendência dos progressistas.
O PP ainda examina a candidatura própria. O partido é um primor de possibilidades, um sinal clássico da flexibilidade política de nossos dias.
Para o PP, os convites vieram de todos os lados. Tudo é possível.

A pressa, até no domingo

15 de abril de 2012 0

A pressa está presente no cotidiano de Caxias até mesmo no domingo. É uma evidência da foto enviada por Daltro Santos de Souza da colisão traseira de um Tempra em um Prisma no Viaduto Campo dos Bugres.
O Prisma capotou na pista lateral ao viaduto.
O acidente foi às 17h45min.
Era para ser um dia mais tranquilo o domingo, aos finais de tarde.

(Foto: Daltro Santos de Souza, Divulgação)

Mariani dá exemplo

15 de abril de 2012 0

A comunidade do loteamento Mariani dá exemplo de como se fortalecem os vínculos entre os moradores. De como se fortalece o bairro, portanto.
Neste domingo, os moradores não perderam a oportunidade que o calendário lhes oferecia se reuniram para comemorar os 15 anos do loteamento (foto acima). Oeferecer espaço e momento apropriados para a convivência melhora a autoestima e a qualidade de vida.
Ainda que muito haja por fazer no Mariani, comunidade que se encontra tem mais força para buscar os objetivos coletivos, que melhoram a vida de todos.

(Foto: Juan Barbosa)

Confusão habitual em esquina do Centro

15 de abril de 2012 3

A educadora Clarissa Ravalha de Oliveira registrou a complicação do trânsito caxiense em duas noites na esquina das ruas Sinimbu e Garibaldi, bem no Centro. O último registro (foto acima) foi neste sábado.
Ela constatou carros em cima da faixa e em fila dupla. O que, aliás, tornou-se comum, mas não pode ser encarado dessa forma.
– Para fazer a conversão, é uma demora – lamenta ela, que fez a foto de dentro do ônibus.
Quanto à tradicional observação sobre a ausência de fiscais, é preciso ressaltar mais que, apesar da nomeação recente de aprovados em concurso para a função, eles seguem sendo muito poucos para uma cidade do tamanho de Caxias do Sul.

(Foto: Clarissa Ravalha de Oliveira, Divulgação)

No ladinho da Perimetral Oeste

15 de abril de 2012 1

A feira está instalada já faz tempo na Perimetral Oeste, perto do viaduto ao lado do Enxutão. Os carros passam tinindo, bem ao lado (foto).
Na curva do Reolon, logo adiante, também tem caminhão que estaciona na Perimetral Oeste para montar outra feira. O risco de acidente está presente.
Nada contra a capacidade de iniciativa do pessoal em ir à lutar para ganhar o seu. Mas, se a moda pega, a Perimetral vai ficar pontilhada de feiras, do início ao fim.

(Foto: Daniela Xu)

Obras frenéticas à volta da Casa Rosa

14 de abril de 2012 8

Estão acelerados os trabalhos para a construção de duas torres de 19 pavimentos na Rua Alfredo Chaves. Elas irão emoldurar a tradicional Casa Rosa, onde residiu a família Eberle. A obra, que chegou a ser embargada, foi retomada em fevereiro, e a previsão de conclusão é de 40 meses _ ou junho de 2015.
O cenário na Alfredo já está fortemente alterado (foto acima). A Casa Rosa será preservada e integrada ao complexo do condomínio. Ela funcionará como um espaço de lazer para os moradores, destinado a grandes recepções e eventos, com jardim de inverno, sala de jogos, espaço gourmet e cinema.

Leia mais: Confinada entre as construções 

(Foto: Daniela Xu)

Confinada entre as construções

14 de abril de 2012 0

No momento, são feitas as escavações no terreno, que deixam o casarão bem no alto. A edificação histórica, aliás, ficará confinada entre construções (foto acima). O empreendimento contemplará duas torres: um prédio residencial e outro comercial, com lojas no térreo e no mezanino, mais dois pavimentos no subsolo destinados a estacionamento.
Há cidades preocupadas em cuidar de seu patrimônio visual, histórico, cultural. Petrópolis, no Rio, por exemplo. Antônio Prado, se quisermos um município mais próximo.
Não é o caso de Caxias. O cenário da cena final de O Quatrilho será emoldurado, em pouco tempo, por torres imponentes.
Não falta quem julgue bobagem tal preocupação. Esquecem que uma cidade pode divulgar sua imagem, e obter retornos, com tais cuidados. O que não é a questão principal, mas ajuda a argumentar.

(Foto: Daniela Xu)