Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

A frase da quinta-feira

22 de dezembro de 2011 0

CHATEADO
“O que a gente fica bastante chateado é que aqui em Caxias sempre tem dois lados. Tem de haver novas propostas. Estou torcendo que tenhamos vários candidatos a prefeito para enriquecer o debate”
RENATO NUNES
(PRB), vereador e presidente do partido em Caxias, autodeclarado candidato à prefeitura em 2012, sobre a tradicional escassez de candidaturas ao Executivo.
Ele tem a chance de mudar essa história: é só manter sua candidatura.

Assédio forte sobre o PRB

22 de dezembro de 2011 0

O assédio sobre o PRB intensificou-se esta semana. Na segunda-feira, o presidente da sigla em Caxias do Sul, vereador Renato Nunes, recebeu a visita do deputado estadual e candidato do PDT à prefeitura, Alceu Barbosa Velho. Assim como Alceu, Nunes também é candidato ao Executivo. Na quarta-feira à tarde, foi a vez de uma linha de frente influente da atual administração visitar o gabinete do PRB na Câmara. Nunes recebeu o chefe de Gabinete e presidente do PDT caxiense, Edson Néspolo, o diretor-presidente da Codeca e presidente do PTB local, Adiló Didomenico, e o secretário de Gestão e Finanças, o peemedebista Carlos Búrigo. O esforço dos integrantes do atual governo e de legendas da base é para manter o PRB na atual aliança de 15 partidos que administra o município.
O momento de Nunes e do PRB, no entanto, é de “analisar cautelosamente cada proposta”, como está escrito no blog do vereador. Inclusive a proposta da oposição. E a ideia de uma candidatura própria à prefeitura ainda está de pé, anunciada por Nunes no início de julho, ainda está de pé.

(Foto: Júlio Fernandes, PRB, Divulgação)

Sede de R$ 2,5 milhões para Sindiserv

22 de dezembro de 2011 1

O Sindiserv (Sindicato dos Servidores Municipais) entregou aos associados e à comunidade a nova sede social da entidade, que representou um investimento de R$ 2,5 milhões. Desse valor, R$ 2 milhões são recursos próprios da entidade. Os R$ 500 mil restantes, para mobiliário, foram obtidos por meio de linha de crédito com o Banrisul.
O edifício de seis andares fica na Rua Carlos Giesen, 1.217, no bairro Exposição. O prédio foi projetado para contemplar cuidados e interação com o meio ambiente. Os vidros, por exemplo, foram revestidos com película para proporcionar um melhor aproveitamento da luz natural. Também um sistema de captação da água da chuva foi implantado para aproveitamento em banheiros e jardins.
O Sindiserv atualizou mensalmente em seu Portal da Transparência (www.sindiserv.com.br/portal_transparencia.php) os investimentos feitos na obra.
O auditório será inaugurado em 2012.
Veja o que vai funcionar em cada pavimento:
* 1º andar: Hall de entrada com jardim interno, dois acessos a 18 boxes de garagens, escadarias e elevadores.
* 2º andar: Espaço para ser locado para restaurante com descontos para associados, com banheiros masculino e feminino, estrutura para cozinha completa e churrasqueira.
* 3º andar: Salão de festas para 200 pessoas com banheiros masculino e feminino e estrutura para cozinha completa e churrasqueira.
* 4º andar: Será utilizado para o setor administrativo e para a direção da entidade, com cinco salas e quatro guichês para atendimento dos servidores. Além disso, haverá sala de atendimento para assessoria jurídica e para orientação na pré-aposentadoria.
* 5º andar: Haverá salas de reuniões e arquivo.
* 6º andar: Auditório para 300 pessoas, com hall de visitantes, banheiros e sala de som.

(Foto: Renata Machado, Divulgação)

Era uma vez o Natal em Caxias

22 de dezembro de 2011 2

Era uma vez a decoração natalina em Caxias do Sul. Os prédios iluminados ofereciam um encanto natalino e comunitário à cidade.
Hoje não há mais cenários como anos atrás. Uma perda.
Mesmo assim, há alguns resistentes. Como Pedro Moro, que é eletricista de uma empresa no bairro De Lazzer. Ele decorou uma araucária de cerca de 12 metros de altura com a utilização de 116 metros de mangueira de luz. Para a tarefa, foi utilizado um guincho-lança com cestinho.
A comunidade constituída pela empresa (Traço Desemvolvimento Industrial) certamente ganhou em envolvimento e integração.
Quem fez a foto foi Claudia B. Sandi.

A linha de frente do atual governo

22 de dezembro de 2011 0

A linha de frente da atual administração chega à Câmara para a retribuição da visita do prefeito José Ivo Sartori (PMDB) ao presidente do Legislativo, Marcos Daneluz (PT). No dia anterior, o petista foi recebido por Sartori em seu gabinete.

Na foto, o chefe de Gabinete, secretário de Governo e presidente do PDT caxiense, Edson Néspolo, a líder do governo na Câmara, Geni Peteffi (PMDB), o prefeito Sartori e o secretário de Gestão e Finanças, Carlos Búrigo (PMDB).

(Foto: Luiz Chaves, Divulgação)

A frase da quarta-feira

21 de dezembro de 2011 0

REALISTA
“Esse plano é resultado de um planejamento realista. Se nós fizermos a metade, já será o dobro do (que foi feito no) governo anterior”
TARSO GENRO
, governador, sobre o Plano Rodoviário do Rio Grande do Sul, lançado nesta quarta-feira, que prevê investimentos de R$ 2,6 bilhões com recursos procedentes de negociação com o governo federal, empréstimos com BNDES e Banco Mundial e recursos próprios do Tesouro do Estado. Entre as obras, a duplicação da RS-122, entre São Vendelino e Nova Milano

Ninguém passa na estradinha

21 de dezembro de 2011 1

Na estrada vicinal de Jaquirana que leva à comunidade do Poço Redondo, moradores ficam impedidos de transitar para a manobra de carregamento de um bi-trem com toras de madeira apoiado por uma estrutura menor, o chamado muque. Quem envia a foto acima é Roberto Duarte.
- Às vezes, chega a demorar até 40 minutos para liberar a estrada – alerta ele.
A economia da região está ancorada na extração da madeira. Que precisa ser muito bem acompanhada e conduzida para que a própria economia da região não desande, junto com o meio ambiente. E que se busque uma solução para a circulação de quem precisa passar pela estrada.

(Foto: Roberto Duarte, Divulgação)

O pavor continua à solta

21 de dezembro de 2011 1

Sobre a recuperação de veículos roubados ou furtados recuperados, que a polícia anunciou alcançar um índice de 68%, um caxiense, que tem a identidade preservada, lamenta não ter tido a mesma sorte. Ele foi vítima de um sequestro-relâmpago na segunda-feira à tarde e levado até uma estrada às margens do Rio Caí, na localidade de Sebastopol. Foi feito refém por mais de duas horas, mas saiu com vida, o que é decisivo, apesar dos estragos emocionais e financeiros. O pavor continua à solta na cidade.
Na foto que ele envia, o que restou de seu veículo Troller, no cenário do lugar para onde foi levado.

(Foto: Divulgação)

Os cabelos de Neymar e Messi

21 de dezembro de 2011 0

Existe o que, particularmente, caracterizo como uma neurose da diferença. Busca-se a diferença com obstinação: um detalhe, uma mecha no cabelo, ou o cabelo todo, um brinco, um adereço, um piercing ou uma coleção deles, tatuagens convenientemente à mostra, o jeito e a preferência no vestir. Até aí, nada demais. Diferença é bom, diria até quase essencial. As diferenças enriquecem, instigam, movem o mundo, o comportamento e as relações. O problema é quando se pretende medir, julgar e valorizar pelas diferenças. Aí complica.
Tomemos uma situação banal, uma mera questão capilar, os cabelos de Neymar e Messi, por exemplo. Neymar é a experimentação, ainda que um tanto previsível. Mas é um visual que ditou moda, e muita gente ficou igual. Neymar preocupa-se com a diferença, está evidenciado. Messi, ao contrário. Messi afronta as normas mais elementares dos modernos manuais de comportamento e estilo. Messi não busca a diferença exterior. Messi tem o cabelo rigorosamente comum, repartido ao lado na tradição secular. Não expõe tatuagens nem usa brincos e é avesso a exposições. Messi é comum. Tem uma namorada discreta. Faz o dele muito bem feito e vai embora para casa. Neymar também tem talento, claro que tem, mas não abre mão do estilo pessoal, amplificado com apoio midiático, que se interessa muito pelas diferenças.
Mas esse Messi comum faz toda a diferença. Messi é mais decisivo. Messi é diferente, portanto. A diferença que importa, não aquela exterior. Porque a neurose da diferença chegou a tal ponto que obscurece o que realmente deveria interessar. Pessoas comuns correm o risco de ser deixadas de lado, e haverá as que passam desvalorizadas, porque são banais na aparência, ainda que reúnam conteúdo, educação e talento. Mas basta a distinção visual, o chamado estilo, para largar com pontinhos a mais no conceito de nossos luminosos dias.
Nada contra as distinções visuais, as diferenças, a luz própria. Claro que não. Apenas fica o lembrete: estilo é só uma manifestação exterior, que não garante absolutamente nada. Messi que o diga. Essenciais mesmo continuam sendo conteúdo, talento e educação. Do que tantos se esquecem, com boa frequência.

A frase da terça-feira

20 de dezembro de 2011 3

LOTEAMENTO
“O modo petista de governar conduz à colonização da máquina pública por objetivos particulares das correntes internas do partido”
MARCOS ROLIM
, ex-petista, atualmente assessor superior do Tribunal de Contas do Estado (TCE), em seu Twitter