Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Campanha Crack, Nem Pensar"

Cufa movimenta o Costão do Santinho

26 de julho de 2010 1

A Central Única das Favelas mexeu com a rotina do resort Costão do Santinho, em Florianópolis, neste sábado. O resort gentilmente abriu suas portas para a entidade mostrar seu trabalho e divulgar suas ações ligadas à campanha Crack, Nem Pensar.

Foi uma festa e tanto. Nossa colega de Santa Catarina, a Regina, acompanhou tudinho. Dá uma olhada no que ela nos contou:

“A ação da CUFA no Costão do Santinho no sábado foi muito boa. O público gostou, participou e interagiu. Foram realizadas oficinas de basquete de rua, grafite, DJ e mágica. A programação estava prevista para encerrar às 17h, mas eu sai de lá às 18h e ainda tinha público!”

Nosso agradecimento mais que especial a todo o pessoal do Costão do Santinho, que está apoiando a campanha Crack, Nem Pensar e incentivando seus hóspedes a fazer doações. Estamos muito felizes e orgulhosos com a parceria. Mobilizações como esta são muito importantes nesta luta de combate ao crack!

E você, já fez sua doação? Clique aqui e faça sua parte!

Bookmark and Share

Fala aí, Maicon!

01 de julho de 2010 0

Recebemos este texto de um internauta do Portal Social. O nome dele é Maicon Veríssimo, ele mora em Novo Hamburgo e é técnico em segurança do trabalho. O Maicon escreveu sobre o que pensa a respeito do crack. Confere aí!

Meninos do Crack

Nossa sociedade está sobre alerta geral, estamos convivendo com uma era destruidora. A família nunca esteve tão vulnerável como agora. Veja quantos problemas que acontecem na rua e vem parar dentro de nossas casas. Hoje, além de crimes, ataques terroristas e catástrofes naturais, encontramos e nos deparamos com uma droga avassaladora e cruel, o CRACK, popularmente conhecida como “pedra” que afeta boa parte da população.

Quando constatado o envolvimento de um familiar com o uso dessa droga entramos em colapso, questionamos a nós mesmos, perguntando como foi possível acontecer? E por quê?

Diante desse caos, precisamos ser coerentes e eficazes no trabalho de prevenção e conscientização de nossos filhos. Hoje nas escolas as crianças também recebem orientações sobre o assunto, além de terem acesso as mais diversas campanhas espalhadas pelo mundo. Continuam valendo as regras de antigamente, onde recebíamos o lembrete de nossos pais todos os dias… “Não aceitar nada de estranho”, “Cuida por onde e com quem andas”… Precisamos manter esse quadro educacional, a educação é dever de todos.

Deparo-me todos os dias, quando saio para o trabalho, com meninos de uma média de idade de 5 a 8 anos. Chamo-os de meninos do Crack, não por que são usuários, mas por conviverem diariamente com o tráfico.

Vejo-os brincando e até mesmo correndo nas ruas sem a supervisão de seus pais, que estão preocupados com o negócio irregular.  Essas crianças vão a casas de vizinhos e pedem comida e roupas, prontamente são atendidas. Nessas ocasiões me pergunto: é dever de quem cuidar dessas pessoas que alí estão se formando? Governo? Escola? Pais? Nós? Será que não temos nada a ver com isso? Deixamos de lado, pois cada um cuida da sua vida? Então, o que é sociedade? Vivemos em comunidades e realizamos trabalhos voluntários em busca de que?

Se não houver a união de todos para com essa guerra, na qual enfrentamos batalhas derradeiras contra essa droga que assombra nossos lares, não quero que anunciem “o crack matou mais um”. Devemos repensar e reavaliar a nossa metodologia educacional, respeito, ética, moral será resultado dessa união, é bom refletir no que estamos vivendo, caso necessário, voltamos ao passado para buscar os bons modos.

Maicon Kruel Veríssimo

Bookmark and Share

Dia D - Crack, Nem Pensar!

28 de junho de 2010 0

Uma grande mobilização envolveu diversas cidades no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina neste sábado para lutar contra o crack. No Dia Mundial em Combate às Drogas, voluntários das instituições participantes da campanha Crack, Nem Pensar distribuíram panfletos e pulseirinhas e movimentaram as ruas de suas cidades num forte apelo popular contra a pedra.

Veja algumas fotos desta grande mobilização!

Em Santa Cruz do Sul (RS), palhaços foram às ruas para alertar a população


Voluntários do Instituto Leonardo Murialdo, em Caxias do Sul (RS), informaram motorista sobre os perigos da droga


A ONG Verde Vida esteve presente nas ruas de Chapecó (SC)


Em Porto Alegre (RS), jornaleiros distribuíram pulseiras aos motoristas


A Orquestra Beija-Flor, de Passo Fundo (RS), levou música e conscientização às principais ruas da cidade

Florianópolis (SC) também participou da mobilização!

A Associação Espírita Francisco Spinelli movimentou as ruas de Santa Maria (RS) pelo fim do crack


Você também pode fazer parte desta campanha! Clique aqui e faça sua doação!

Bookmark and Share