Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Sustentabilidade"

Ação em rede é um sucesso!

09 de agosto de 2012 0

A Rede Parceria Social é um programa desenvolvido pela Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social do Rio Grande do Sul que busca aproximar empresas e organizações sociais no atendimento de demandas públicas. É um excelente exemplo da parceria que os três setores – público, privado e sem fins lucrativos – podem realizar para beneficiar as populações em situação de vulnerabilidade social. Na sua quarta edição, o programa tem contribuído para fortalecer as ações das instituições sociais no RS, oferecendo recurso e capacitação técnica. Além disso, é uma possibilidade das instituições se conhecerem e formarem redes de apoio e troca de experiências.

Nos dias 30 e 31 de julho, a FMSS* organizou um seminário com objetivo de promover a qualificação das organizações participantes da 4ª Edição nas carteiras as quais atua como âncora, que são a de Inclusão Digital e a de Desenvolvimento Infantil na Primeira Infância.

A escolha desses dois temas ocorreu porque acreditamos que o aprendizado de uma vida começa na infância. O período de zero até seis anos de idade é o mais importante na preparação dos alicerces das competências e habilidades psíquicas, sociais e cognitivas futuras. É neste período que a criança aprende com mais intensidade a aprender, a fazer, a se relacionar e a ser, e desenvolve importantes valores a partir de suas relações na família, na escola e na comunidade. Melhorar as condições de vida de uma determinada região ou comunidade com a ajuda da tecnologia é objetivo da inclusão digital, que ocorre quando o indivíduo consegue desenvolver as habilidades necessárias para acessar e manipular as tecnologias de informação e conhecimento disponíveis na sociedade.

Estiveram presentes no seminário Daltro Garcia, coordenador da Rede Parceria Social pela Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social, e Clódis Xavier, gerente do Instituto Gerdau, empresa financiadora das duas carteiras, assim como representantes dos 21 projetos aprovados. Durante o evento foram realizadas duas palestras. Uma delas foi proferida por Cinthia Votto Fernandes, com o tema “A escola como lugar das infâncias e de participação”, referente à carteira de Desenvolvimento Infantil na Primeira Infância. Contamos também com a palestrante Léa da Cruz Fagundes, abordando o tema “Um Novo Paradigma para a Educação”, pela carteira de Inclusão Digital.

No decorrer dos meses de julho e agosto estão ocorrendo as visitas aos projetos, para que possamos monitorar e avaliar as ações que estão sendo desenvolvidas até o momento.
 
* A Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho é parceria de todas as edições.

Por Equipe Cooperação Técnica – FMSS

Bookmark and Share

As lições do pequeno urso Knut

25 de março de 2011 0

A história do pequeno urso polar Knut chamou a atenção Alemanha e do resto do mundo. Depois de uma polêmica que envolveu o animal ao nascer, Knut morreu precocente, vítima de um problema cerebral.

A comoção causada pela morte do pequeno urso demonstrou a grande preocupação dos alemães com a natureza e também levantou uma questão importante sobre a nossa relação com o meio ambiente.

Leia o texto escrito pela antropóloga brasileira e colaboradora aqui do ClicSolidariedade Aline Sapiezinskas, que mora em Berlim, e dê sua opinião!

“O Adeus ao urso polar Knut em Berlin

Faleceu no último sábado o famoso urso polar Knut, que vivia no Zoo de Berlin. Ele adquiriu fama pela polêmica que se criou quanto ao seu destino, depois de ter sido rejeitado pela mamãe ursa, há quatro anos. Na época, muitos alemães eram favoráveis a ideia de que o animal deveria ser sacrificado, ja que seria isso o que aconteceria se ele estivesse livre, na natureza. Houve muitos protestos e debates para encontrar a melhor solução.

Por fim, decidiu-se que o seu tratador na época cuidaria dele. Foi alimentado com mamadeiras, como um bebê. Depois passou por um processo de adaptação ao ambiente do Zoo, para poder conviver com os outros ursos polares do local.

O tratador que cuidou de Knut faleceu no ano passado. Durante essa semana foram realizadas investigações sobre as possíveis causas da morte precoce do animal, cuja espécie tem uma expectativa de vida em torno de 35 anos. Foi detectado que havia um problema cerebral, mas as investigações continuam. A questão que ficamos nos perguntando é: será que a mamãe ursa já sabia disso?

As fotos mostram as homenagens de despedida ao urso polar Knut.”


Bookmark and Share

Está chegando a Hora do Planeta

17 de março de 2011 0

Dia 26 de março é uma data especial para a sustentabilidade do planeta. A ONG internacional WWF convida todos a desligarem suas luzes por uma hora, das 20h30 às 21h30, para provocar a reflexão sobre o atual padrão de consumo e o aquecimento global.

Realizada desde 2009 no Brasil, a Hora do Planeta pressupõe o apoio de toda a população. Em anos anteriores, bares, restaurantes e cartões-postais do país, como o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, aderiram à campanha.

As peças publicitárias da campanha deste ano mostram como apenas uma hora tem grande importância para o futuro do planeta, com o tema “Apague a luz para ver melhor”. A reflexão proposta é a redução do consumo, a reutilização de materiais e a reciclagem.

Dê uma olhada no vídeo e participe!

Bookmark and Share

Berlim: metrópole da moda verde e do design sustentável

21 de janeiro de 2011 0

A brasileira Aline Sapiezinskas é Doutora em Antropologia pela Universidade de Brasília e atua como Consultora Independente para Políticas Públicas. Ela está na Alemanha participando da Berlim Fashion Week 2011, onde está acontecendo uma iniciativa muito bacana, a ECO-Fashion.

Aline nos enviou um texto contando como está sendo esta experiência. Confira:

Capital da Alemanha unificada, a cidade de Berlim é referida tradicionalmente entre os próprios alemães como sendo uma metrópole “pobre, mas sexy”. Tal qualificação, atribuída a Marlene Dietrich, figura como lugar comum no repertório popular e faz parte do imaginário que constitui a identidade ou o modo de ser do Berlinense.

O significado por trás de “pobre, mas sexy” pode ser entendido dentro do contexto alemão. Em comparação à Munique ou Frankfurt, Berlim pode ser considerada uma cidade pobre, com uma arquitetura mais austera e funcional. A história da Alemanha e a divisão de Berlim reforçaram essa imagem. Quando a cidade foi dividida pelo muro, a parte oriental dispunha de menos recursos para infraestrutura e foi marcada pela arquitetura socialista. O fato de as indústrias se concentrarem mais ao sul do país, porém, resultou num fluxo de recursos financeiros relativamente reduzido mesmo após a reunificação.

Mas, Berlim ferve na sua multiculturalidade. Com forte cultura alternativa, oferece atrações ricas e variadas e vida noturna movimentada. Não por acaso, atua na cena noturna berlinense o DJ que foi considerado o melhor do mundo no ano passado, por exemplo. Por isso tudo, o rotulo de sexy não é despropositado.

Entretanto, esse modo tradicional e popular de enxergar Berlim vem sendo desafiado por uma nova tendência que se impõe e ganha terreno entre os berlinenses: a moda verde.

A cidade de Berlim tornou-se o centro da moda ecológica e do design sustentável. Com todo o seu background histórico, Berlim se renova e reinventa a si mesma, posicionando-se no contexto europeu como o local da vanguarda verde.

Isso se evidencia com força total em grandes eventos, como a Berlim Fashion Week 2011, que acontece até 23 de janeiro. Patrocinada pela Mercedes-Benz, a mostra  apresenta nomes conhecidos do design alemão. Mas o grande destaque é a ECO-Fashion, uma mostra que reúne as marcas de “etiqueta-verde”. Segundo os organizadores do evento, “essa mostra é uma prova de que a moda ecológica está na vanguarda em todos os sentidos”.

São apresentados em média 12 desfiles por dia, numa passarela ecológica e socialmente engajada, que é considerada a Vanguarda Verde.  Os tecidos utilizados nas confecções dos trajes são, na grande maioria, de origem orgânica, vegetal, sem materiais sintéticos ou artificiais.

A ECO-Fashion não se restringe à alta costura, mas, implica na adoção de todo um estilo de vida, que inclui balinhas feitas sem gelatina animal, refrigerantes orgânicos, fabricados sem adição de açúcar ou corantes artificiais, linhas de cosméticos e objetos de decoração.

Um  número crescente de consumidores berlinenses demonstra preferência por produtos alternativos, fabricados de forma ecológica e socialmente responsável.

A moda, já faz um bom tempo, não se refere apenas àquilo que se usa para cobrir o corpo. Implica em escolhas por um estilo de vida, uma forma de viver e de se colocar no mundo, que se orienta, antes de tudo, por um modo de pensar o mundo em que vivemos. Nós somos, em última analise, aquilo que pensamos e isso define todo o resto: o que vestimos e até mesmo o que comemos.

A consciência ecológica é a tônica do evento, que está ocorrendo paralelamente em diferentes locais de Berlim.


Aline Sapiezinskas

Bookmark and Share

Vamos limpar nossa cidade?

17 de janeiro de 2011 0

Lixo acumulado nas ruas, infelizmente, é um cenário comum nas grandes cidades brasileiras. Com os objetivos de tirar todo o lixo despejado ilegalmente nas cidades e trazer informações sobre o descarte correto de resíduos, chega ao Brasil um movimento internacional que realiza mutirões de limpeza em cidades.

O Let´s do it! foi criado em 2007 pelo ambientalista estoniano Rainer Nolvak e já removeu o lixo das ruas de países europeus e asiáticos. No Brasil, foi lançado como Limpa Brasil – Let´s Do it!, no ano passado, pela empresa de comunicação ambiental Atitude Brasil.

Mais 13 mutirões, que podem durar um ou dois dias, estão previstos para serem realizados em Belo Horizonte, Brasília, São Paulo, Belém, Campinas, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, Guarulhos, Manaus, Porto Alegre, Recife e Salvador. Outras cidades que se interessarem pelo projeto podem se manifestar.

No Brasil o projeto terá um formato diferente do Let´s do it realizado em outros países. Isso porque, aqui, a ONG identificou que a cultura do descarte de resíduos precisa ser trabalhada para uma maior preservação ambiental do território brasileiro. Não adianta apenas retirar o lixo das ruas se, depois, as pessoas voltarem a poluí-las.

Por isso, após a primeira etapa de remoção dos resíduos, o movimento pretende implementar um projeto educacional sobre reciclagem e sustentabilidade em escolas públicas, que está sendo desenvolvido em parceria com o Instituto Akatu. O Limpa Brasil também está estruturando outras etapas com ações sócio-educativas para aprofundar a questão com a sociedade brasileira.

Acesse o site do movimento e veja todas as informações sobre esta iniciativa tão bacana!

Fonte: Planeta Sustentável


Bookmark and Share

Site planta árvores ao diminuir URLs

13 de janeiro de 2011 0

Desde que o Twitter e sua limitação de espaço de 140 caracteres surgiram, muitas ferramentas de encurtamento de URLs surgiram também. O Verd.In é mais uma delas, mas traz um diferencial ecologicamente correto e muito legal: a cada mil URLs encurtadas, uma árvore é plantada.

O objetivo é conscientizar as pessoas sobre as consequências que os nossos atos causam no planeta. Plantar árvores foi uma maneira que equipe do site encontrou para ajudar o mundo.

“É claro que este site não irá salvar o planeta de problemas maiores como o aquecimento global, mas com a ajuda de todos, poderemos plantar algumas árvores e assim ajudar o nosso planeta de alguma forma”, informa texto do Verd.In.

Vamos aderir?

Bookmark and Share

Um documentário que mistura arte e lixo

10 de janeiro de 2011 0

Descobri na semana passada a existência de um documentário muito legal chamado Lixo Extraordinário e achei interessante trazê-lo aqui para o blog.

Filmado ao longo de quase dois anos, o filme acompanha a visita do artista plástico brasileiro Vik Muniz a um dos maiores aterros sanitários do mundo: o Jardim Gramacho, na periferia do Rio de Janeiro.

Lá, ele fotografa um grupo de catadores de materiais recicláveis. O objetivo inicial de Muniz era “pintar” esses catadores com o lixo. No entanto, o trabalho com estes personagens revela a dignidade e o desespero que enfrentam quando sugestionados a imaginar suas vidas fora daquele ambiente.

Dá uma olhada no trailler, pois é bem bacana:

Bookmark and Share

Como as coisas (não) funcionam

11 de novembro de 2010 0

The Story of Stuff (A História das Coisas) é um projeto de Annie Leonard de que já falamos aqui. Trata-se de uma série de vídeos bem-humorados feitos para adultos para mostrar a crise do nosso sistema de produção e os prejuízos desse “atraso” na saúde das pessoas e do planeta.

Agora, a ativista resolver expandir seu público um pouco mais e, em parceria com a PBS Kids e com a WGBH, está produzindo o Loop Scoops, animações que levam mensagens para os pequenos sobre sustentabilidade em diversos aspectos, desde o consumo exagerado (que não leva à felicidade) até as montanhas de lixo (que devem ser devidamente separadas por material e encaminhadas para reciclagem), passando pela biodiversidade.

A ideia é que a criançada se reconheça na história, veja no desenho situações que vive diariamente e entenda que as atitudes de cada um influencia o meio. Mais do que isso: a intenção é  mostrar às crianças que cuidar do planeta tem mais a ver com suas atitudes diárias, com fazer diferente, do que com a onça pintada da floresta distante que ela dificilmente verá longe dos livros didáticos.

Como são recentes, os vídeos são todos em inglês e não têm legendas – mas em breve algum internauta deve tomar essa providência. De toda maneira,vale a pena dar uma espiada para se inspirar, conhecer ou mostrar ao seu filho (ou aluno, sobrinho, neto, irmão mais novo…).

Abaixo, um dos vídeos mais bacanas, que fala sobre a relação entre felicidade e consumo.



Com informações do Blog Tato

Bookmark and Share

Para aprender a consumir

06 de setembro de 2010 0

Pense um pouco em tudo o que você compra para viver: roupas, alimentos, materiais escolares, brinquedos e muitos outros artigos de consumo. Você faz ideia de como cada um deles é fabricado ou, então, do quanto cada um desses artigos impacta o nosso planeta?

Responder a essas perguntas, de um jeito supersimples, é a intenção da série de animações do projeto Consciente Coletivo, realizado pelo Instituto Akatu, em parceria com o Canal Futura. A série é composta por dez episódios, que possuem cerca de 2 minutos e abordam temas relacionados ao consumo consciente.

A ideia é que, ao assistir aos vídeos, possamos entender os impactos que nossas atitudes, enquanto consumidores, podem causar no planeta e, assim, repensar um pouco nossos hábitos na hora das compras. Por exemplo: será que é mesmo necessário que eu compre um caderno novo a cada ano, se o antigo ainda tem várias folhas em branco para serem usadas?

Os episódios serão exibidos a partir da próxima quarta-feira, dia 8 de setembro, nos intervalos da programação do Canal Futura.

Pra dar um gostinho, assista a esses dois episódios, divulgados antes mesmo da estreia da série:


Bookmark and Share