O professor Pedro Gonzaga, do Grupo Unificado, preparou um material para ajudar você a se aventurar em uma das mais importantes obras da literatura brasileira, Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis. Nas próximas semanas, você vai encontrar informações e dicas para a leitura das obras exigidas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Mas não esqueça: ler o livro, do início ao fim, é o mais importante!

Memórias Póstumas de Brás Cubas
✔ Autor: Machado de Assis
✔ Ano de publicação: 1881
✔ Escola literária: Realismo
✔ Personagem central: Brás Cubas
✔ Narração: primeira pessoa

>>> Leia mais:
Lucíola
Poemas de Álvaro de Campos
Faça download de algumas obras da UFRGS 2012

A obra

Livro decisivo para a “viravolta” machadiana, Memórias Póstumas de Brás Cubas dá início à segunda fase de sua obra, dita realista. Trata-se da história de um homem da elite carioca dos tempos do Império que repassa sua vida de feitos insignificantes do além-túmulo, uma vida cujo balanço, nas palavras do autor suposto, teve um saldo positivo: não ter ganhado o pão com o suor do rosto e não ter deixado descendentes.

Marcado por constante diálogo com o leitor (que é mimado, por um lado, e ofendido, por outro), por capítulos curtos, e digressões do autor, o texto segue até hoje desafiando os limites da literatura realista, pois atenta, só para tomar um exemplo, contra muitos princípios dessa escola,especialmente se pensarmos que o narrador está morto, constituindo-se, nas palavras do próprio Brás, um defunto-autor.

Há contudo que enxergar através do pessimismo frente à condição humana de Machado, traçado por Brás com “a pena da galhofa e a tinta da melancolia”, uma crítica ao vazio de ideias e ao descolamento da realidade das elites brasileiras do século 19 representadas. Vale ainda destacar a aparição do filósofo Quincas Borba, retomado posteriormente em obra homônima, além da tentativa, por parte do protagonista, de criar o Emplasto Brás Cubas, um remédio capaz de
nos curar de nossa congênita melancolia, duas oportunidades em que Machado ataca um dos pilares dos oitocentos:
o cientificismo.

Como ler

✔ Importância do livro: inicia a fase das grandes obras machadianas e também o Realismo no Brasil.
✔ O que o vestibulando deve observar: o jogo constante do narrador. O enredo do livro é simples, mas ele está sempre
marcado pelas interferências e manipulações do narrador.
✔ Dificuldade do livro: a leitura de Machado pode ser difícil para os leitores jovens. Não há dificuldade de vocabulário, mas a estrutura narrativa, para os que estão acostumados a histórias lineares, pode se tornar desafiadora.
✔ Como entender/conhecer o personagem principal: lembre-se sempre que o autor está morto, podendo assim ser muito mais sincero e direto nos comentários que faz sobre si mesmo e os outros. Atentar para a crueldade manifestada
diversas vezes por Brás Cubas, como no episódio do escravo Prudêncio.
✔ Uma chave de leitura: tente enxergar os fracassos de Brás. A sede de nomeada (de fama) não se realiza com o malogro
de sua invenção – o emplasto Brás Cubas. A ausência de descendentes, vista como um saldo positivo ao final do romance, de certa maneira se contradiz se lembrarmos que no meio do livro o protagonista estava muito feliz com o filho que iria ter com Virgília antes que ela naturalmente abortasse.