Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Dia de estreia

08 de agosto de 2014 0

Hoje é dia de estreia. O Clube do Cinema entra no ar (e nas páginas do caderno Anexo) para dividir as ideias de três apaixonados por filmes e contar para os leitores as novidades da telona e da telinha.

Mesmo que, como Walter Benjamin afirmou uma vez, o passado contado é mais intenso que o vivido, Andrey Lehnemann gosta de lembrar um período específico de sua infância. Aos seis anos de idade, ele jura ter assistido a um filme de suspense pelo buraco da fechadura, apesar das tentativas de seu pai em frustrar suas intenções. Ele costuma dizer que os fatos indicam que ele é um jornalista/escritor chamado Andrey Kolling Lehnemann, que decidiu se especializar na área de cinema desde seus 14 anos, a fim de se aprofundar no conteúdo e significados da natureza cinematográfica. A essência, porém, é a mesma de seus seis anos.

Cláudia Morriesen é muito mais conhecida como Claudinha — não a chame pelo nome completo a não ser para brigar. Jornalista, atua como editora regional do caderno Anexo e, por isso, vive em meio ao que mais gosta: notícias de arte e cultura. O cinema vem no topo desta lista, em uma paixão que começou na infância, entre os corredores da vídeo locadora dos avós paternos. Por sorte, o medo do Mickey em Fantasia se transformou em admiração pela sétima arte.

Ivo Müller até começou a seguir outros caminhos: formou-se em Direito, deu aulas de inglês, trabalhou em escritórios. Mas a arte da interpretação era o que fazia o coração bater mais forte e, aos 27 anos, mudou de vida e de cidade para viver como ator. Hoje, ele tem no currículo filmes como Tabu, de Miguel Gomes, e o recém-lançado Oração do Amor Selvagem, de Chico Faganello. E é assim, caminhando entre um lado e o outro das câmeras de cinema, que Müller contará aos leitores detalhes sobre a paixão pela sétima arte.

Envie seu Comentário