Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

No Paradigma: Winter Sleep

30 de julho de 2015 0

winter-sleep

Há uma certa tensão em Winter Sleep, que é muito específica. Investindo em cenas longas, explorando cuidadosamente cada relacionamento e usando a metáfora como auxílio, não como guia, o diretor Nuri Bilge Ceylan é profundo e intenso na maneira como se dirige ao espectador com uma própria autocrítica, além de sustentar a reflexão econômica que pontua na trama. A premissa é basicamente simples: um ator aposentado é dono de um hotel em Anatólia e vive junto de sua esposa Nihai, a quem o tempo deixou cicatrizes dolorosas no relacionamento. Ambos vivem praticamente vidas separadas, ainda que estejam casados. Tudo muda quando uma pedra acerta a janela do carro de Aydin, porém. E é exatamente aí que a obra de Ceylan começa a trabalhar a metáfora da influencia social-econômica em uma cidade pequena da Turquia: a primeira cena do longa-metragem, nesta perspectiva, aproxima-nos de Aydin olhando pela janela para a cidade, sem realmente a vê-la; após isto, é exatamente a janela de seu carro que é atingida por uma pedra, lembrando-lhe que há outras pessoas ali.

Desta forma, aliás, o diretor explora diversos campos: a cultura do tapa, a brutalidade, o machismo e, claro, a divisão econômica. A casa de Ismail, por exemplo, situa-se quase num rochedo, onde, para não sentir frio, o cobertor é a única saída. É emblemática, portanto, a sequência de Ismail queimando a solução de seus problemas, tão-somente para não dar nenhum segundo de felicidade para uma pessoa rica se sentir bem consigo mesma. Igualmente, tratando como centro da narrativa essa linha – senhores e proletariado – e sendo bastante autocrítico no caminho (principalmente nas citações de orgulho e novelas), Ceylan sempre surge confiante e firme na condução, o que nos leva a intimidade das discussões e leituras de cartas, bem como o uso dos animais como retrato da classe pobre: a sequência com cavalos e a caça indicam bem isso, passando pela lama, luta e, desistência, após o encurralamento. Ainda que seu final não seja exatamente esperançoso, a flexibilidade e a abertura de uma janela por parte de Aydin podem significar muito naquele contexto.

Veja a programação completa em Florianópolis

Envie seu Comentário