Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Que Horas Ela Volta?

28 de agosto de 2015 1

É difícil ir ao cinema isento de julgamentos quando você só ouve falar bem do filme, quando ele chega de festivais internacionais com prêmios e elogios.  A imprensa trata Que Horas Ela Volta, de Anna Muylaert, como novo candidato ao Oscar, discussão que reduz o cinema ao resultado de prêmios nos EUA.

É certo que a estratégia de todo realizador nacional hoje em dia é tentar o sucesso lá fora primeiro, chegar com selos que garantam a credibilidade de filmes que pretendem fazer público no Brasil, sem depender de atores que estão na novela das 9. E no novo longa da diretora de Durval Discos passou por Berlim e Sundance, onde foi premiado.
O filme é o grande acerto do cinema brasileiro em 2015.
E não foi uma questão de sorte lá fora. É o resultado da experiência, da maturidade da diretora e da atriz principal, Regina Casé, no papel de sua vida. Sua construção, bem distante da apresentadora de programas populares que conhecemos da TV, é complexa, profunda, cheia de dimensões, com belas sequencias como o momento em que arruma o jogo de xícaras que deu para a patroa de presente, ou o momento em que a filha está almoçando com o patrão e ela escuta tudo sem ultrapassar os limites da porta da cozinha. 

Esse limite aliás, ajuda muito a contar a história, com a câmera dentro da cozinha, mostrando pela porta somente quem está sentado na cabeceira da mesa, dando ordens. 

O filme está nas mãos dela, mas não seria tão bom se o restante do elenco não desse o suporte necessário. Um grande ator só brilha no cinema quando se cercado por pares com a mesma capacidade, no papel certo. Camilla Márdila, a filha e Lourenço Mutarelli, o patrão, são exemplos disso. 

Comentários (1)

  • marina diz: 30 de agosto de 2015

    A Regina é ótima atriz, nenhuma novidade. Novidade é o excelente desempenho da “patroa”. Que atriz incrível, parece mesmo uma madame (nojenta) daquelas saída do morumbi e enxertada no filme. Realismo puro! Eu daria a ela o premio de melhor atriz, ou revelação, já que não a conhecia.
    Ponto alto para a qualidade sonora do filme.

Envie seu Comentário