Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de julho 2010

Coisa de Gordo - 488

26 de julho de 2010 2

488 – VERGONHA NA PISTA

Considero-me um fã de Fórmula Um, esta modalidade de entretenimento que alguns chamam de esporte. Sempre que pude acompanhei as corridas, as vitórias do Ayrton Senna, os campeonatos.

Com o passar do tempo algumas coisas foram sendo atreladas à Fórmula Um, o que meio que compromete a sua audiência.

Uma delas é que a Globo tem exclusividade para transmitir as corridas e, quando pode, bota o Galvão “Insuportável” Bueno na narração. O Galvão é uma quase que unanimidade, todas as pessoas com quem falo detestam o Galvão Bueno como narrador. Mas a Globo o mantém no posto e perde audiência com isso.

Passo seguinte, há uns anos atrás houve aquele escândalo no qual a Ferrari mandou que o Rubinho Barrichelo deixasse o Michael Schumacher ultrapassá-lo na corrida da Áustria, entregando a vitória de bandeja. Na época isso causou toda uma comoção negativa, revolta popular e até hoje ficou uma cisma com o Rubinho.

Passaram-se os anos e o filme humilhante se repetiu neste domingo que passou. No Grande Prêmio da Alemanha (25/07/2010), mais uma vez um brasileiro, desta vez o Felipe Massa, estava na frente, apto a ganhar uma corrida. No caso dele isso se revestia de toda uma mística de recuperação, pois justo no domingo estava fazendo um ano que ele, Felipe Massa, sofrera um grave acidente, ficando de fora do resto da temporada do ano passado. Justo um ano depois, ele ganharia uma corrida, mostrando ao público, ao patrocinador e à sua equipe que estava completamente recuperado. Mas isso era só uma ilusão minha.

Mais uma vez a Ferrari, esta equipe que parece odiar brasileiros, que parece nos considerar uma sub-raça, que parece nos tirar prá capacho sempre que pode, meteu o bedelho e interferiu no resultado da corrida. O Felipe Massa vinha ponteando a corrida, tendo seu companheiro de equipe Fernando Alonso na sua traseira. A Ferrari decidiu que quem deveria ganhar a corrida era o Alonso. E deu a ordem para que o Massa se deixasse ultrapassar.

Neste ponto, neste exato ponto, começo a questionar a postura de nossos pilotos na pista. O Rubinho se deixou humilhar anos atrás e agora, numa repetição horrenda, o Felipe Massa se deixou pisotear. E abriu a guarda para ser ultrapassado.

O constrangimento no pódio era visível. E a corrida, como de resto todo o campeonato, ficou comprometida. Virou uma verdadeira marmelada! Uma encenação grotesca. Um vexame!

O que todo fã esperava do Massa era a indignação e a pronta reação contrária. O comunicado pelo rádio disse: – Alonso está mais rápido! (“Alonso is faster than you.”) Ele poderia responder várias coisas. Por exemplo:

1) Está mais rápido? Então como é que ele está atrás de mim?

2) Está mais rápido? Azar dele!

3) Está mais rápido? Que bom, então ele vai estar no pódio comigo!

Para desilusão de todos nós, da imprensa, dos admiradores, o Felipe Massa baixou a cabeça e se deixou ultrapassar.

Fico triste com isso. Não me sinto animado a assistir corrida de Fórmula Um de novo. Pretendo deixar o esporte. Vou ocupar minhas manhãs de domingo com outras atividades mais sérias, mais comprometidas. Os patrocinadores deveriam levar isso em conta. Colocar o nome da empresa relacionado a um esporte onde viceja a Marmelada, é uma bola nas costas em termos de divulgação.

Bah, e o Massa? Massa podre, massa estragada, massa que se pisa e joga fora.

Silvano – traído

Crédito da foto: AFP, retirada do Blog sobre Fórmula Um aqui do CLICRBS, do Daniel Dias

Bookmark and Share

Nova dúvida...mais essa..

24 de julho de 2010 2

Será que o PT, depois de renegar as FARC, também vai afirmar que não tem nada a ver com o MST?

Era só o que faltava….

Silvano – sem entender nada…

Bookmark and Share

Dúvida que me ocorre...

24 de julho de 2010 1

Esses presos políticos que estão sendo libertados em Cuba também vão receber polpudas indenizações e pensão vitalícia?

Silvano - cheio de interrogações

Bookmark and Share

Continho Inútil de Inverno

22 de julho de 2010 0

Ela simplesmente desabotoou a blusa, abriu o sutiã e pôs os seios à mostra. Era sua última cartada. Talvez ele mudasse de opinião. O clima de sensualidade era insuportável entre os dois. A tensão era enorme. Ele avançou um passo à frente e tocou os doces seios da mulher. Em fazendo isso, fechou os olhos, abaixou o rosto e os beijou, os lambeu, fartou-se de tanta volúpia.

Ela o afastou com calma, se recompôs, abotoou a blusa e disse:

- E então, você compra a Enciclopédia?

Ele respondeu, ainda confuso:

- Compro. Onde é que eu assino?

Bookmark and Share

Coisa de Gordo - 487

22 de julho de 2010 1

487 – ARNAUDO

Antes que me corrija, alerto a você que a grafia do nome é esta mesma. Arnaudo com U ali no meio, e não com L. Sabe como é, nome a gente põe do jeito que quer. Eram dias de alegria aqueles que passávamos no Rio de Janeiro. Passeios, fotos, cultura, a história brasileira vertendo por entre as pedras das ruas antigas.

Por informação de uma guia turística com quem estivéramos no dia anterior, fomos fazer aquele passeio no Bondinho de Santa Tereza. Na subida, disse-nos ela, desçam no Largo dos Guimarães e ali, em meio a casas antigas e prédios históricos, comam no BAR DO ARNAUDO.

O cardápio oferece comida nordestina e se eu soubesse que era isso que se comia no Nordeste já tinha me mudado para lá.

O ambiente é pequeno, caseiro, pequenininho, quase apertadinho. Mas o charme do local é inigualável!

Perceba nas fotos as cocadas no balcão, as mesas justapostas, a cozinha lotada. Na parede aquelas prateleiras com bebidas.

O atendimento é solícito, até porque num ambiente pequeno não tem como não atender logo o cliente.

A movimentação no restaurante é intensa, a partir do meio-dia sempre tem fila para sentar. Mas chegamos um pouquinho antes e conseguimos mesa logo de cara.

Seduzidos que estávamos pela Cerveja Itaipava (carioca), pedimos, mas não tinha. Bebemos outra marca que veio geladinha no ponto.

Pedimos CARNE DE SOL, FAROFA DE ABÓBORA e FEIJÃO DE CORDA.

Passado um curto tempo vieram as iguarias.

A Carne de Sol veio coberta com cebolas normais e cebolinha verde. Tenra, macia, salgadinha. Para não se deprimir e nem ser atacada indevidamente, ela veio escoltada por pedaços de aipim no mesmo prato. Assim, antes de dar aquela dentada na carne, a gente se via obrigado a comer uma lasquinha de aipim. Uma dupla perfeita, uma parceria de consistência forte e saborosa.

A Farofa estava bem temperada, cor bonita, aquele amarelo intenso que nos convida ao deleite. Já comi farofas gostosas que me ensinaram a apreciar este prato, lembro sempre daquela que se come em Restaurantes de Florianópolis, igualmente bem amarela. Pois esta aqui era deliciosa, marcante.

Como se tudo isso não fosse suficiente, como se já não estivéssemos servidos com sabores o bastante, como se jamais se imaginasse que haveria outro complemento, ali, na superfície daquela mesa disputada, estava o Feijão de Corda.

A apresentação do prato era linda, sedutora. O pote de barro vinha com aquele feijão de tons marrons. De novo as cebolas estavam presentes (a verde e a branca). E para dar um arremate que me matou, que me fez cair de joelhos, um naco de queijo dentro do feijão!

Tivéramos caminhado um bom tempo, como sempre o fazem os turistas, e era natural que a fome se nos visitasse com vontade. Levemente exauridos pela atividade físico-turística, buscamos ali naquela mesa do Bar do Arnaudo o refrigério de nossas necessidades físicas. Mas o que nos serviram foi além das fronteiras do corpo. Tivemos sensações que se elevaram às almas e que nos fizeram viajar por zonas de prazer e emoções culinárias.

Calm, calma, não vou ter um orgasmo.

Mas é que aquele conjunto de pratos estava delicioso. Forte, encorpado, sensacional. Não sei se os outros parceiros de passeio e de mesa também assim sentiram, creio que eu fui o mais apaixonado. Mas faça esse exercício de imaginação. Olhe os pratos, olhe o ambiente, parecia uma cena de filme no qual participávamos como figurantes. Sim, porque os astros principais eram as coisas ao derredor, o charme insuperável do BAR DO ARNAUDO, o sabor do almoço, a aura histórica da cidade maravilhosa se derramando sobre nós.

Imperdível! Baita dica da nossa amiga guia turística.

Então já sabe. Rio de Janeiro, Bondinho de Santa Tereza, Largo dos Guimarães, Bar do Arnaudo.

Tá esperando o quê?

Silvano – o impossível, mais uma vez babando no teclado

Crédito das fotos: Silvano Marques

Bookmark and Share

Variante Prosódica

19 de julho de 2010 6

Num texto anterior fui redigir a palavra SÉQUITO e o corretor do word acusou erro na palavra. Como assim? – pensei eu. Munido do bom e velho DICIONÁRIO AURÉLIO lá me fui pesquisar a palavra. O Aurélio fala em SÉQÜITO, assim escrita com trema no U. Estranhei isso pois nunca ouvi esta palavra ser pronunciada assim. Aí o Aurélio colocou ali do ladinho do verbete o seguinte. Variante prosódica: séquito.

Ah, então dá para escrever sem o trema e pronunciar de acordo.

Mas aí fui ler sobre isso. Com todos os diabos, o que é uma “variante prosódica”?

Variantes prosódicas são palavras que possuem mais de uma grafia e consequentemente mais de uma pronúncia. Não se trata de certo ou errado, são duas formas possíveis. Exemplos: Xérox e xerox. Necrópsia e necropsia. Autópsia e autopsia. Acróbata e acrobata. Oceânia e Oceania. Homília e Homilia.

E você viveu até hoje sem saber isso, hein?

Agora está salvo.

Silvano – out of the little house

Bookmark and Share

Coisa de Gordo - 486

15 de julho de 2010 6

486 – AH, O GOVERNO FEDERAL…

Como se não bastassem os descalabros morais e éticos na esfera política nacional, como se não houvesse tema mais sério para ser tratado, como se a fila do SUS tivesse acabado, o Governo Federal vem a público trazendo esta bobagem deste projeto de lei que quer coibir a educação de filhos com suposta agressão física. E antes que as patrulhas ideológicas do PT se ericem, falo do governo federal de uma forma geral, isso poderia ter sido bolado nos tempo do FH, do Sarney, etc. Em que pese o talento pessoal do presidente Lula em falar, fazer e promover bobagens, esta de agora não parece saída de um daqueles seus rompantes de lucidez nos quais ele alega o analfabetismo de sua mãe ao nascer e outras “cositas más”.

De fato, parece que mais uma vez foram as ONGs que bolaram esta pérola. Aliás, o governo Lula leva cada bola nas costas dessas coisas chamadas ONGs… Volta e meia um maluco desses traz a sua idéia igualmente maluca e o governo abraça! Coitado!

Imagine você que o Posto de Saúde perto da sua casa começasse uma campanha para combater a pressão arterial baixa. Cartazes e faixas com dicas. Campanhas no rádio e na TV. “Coma um pouquinho de sal. Deite-se e levante as pernas.”

Você assistiria a isso meio encucado. Ué – pensaria você – mas o GRAAAAANNDE problema de saúde é a Pressão ALTA e não a baixa! Por que então gastar tempo, dinheiro, espaço e inteligência com isso?

Pois é. Vivemos num descalabro social onde papéis familiares foram completamente pervertidos. Na atualidade (ô, pós-modernidade, seu!!) vemos crianças de um ou dois anos ditando ordens dentro das casas, pais e mães atarantados a satisfazer-lhes as vontades e há uma bagunça reinante. De tal sorte que crianças decidem se vão tomar remédio ou não! Se vão cortar o cabelo ou não. Em alguns casos, se vão tomar banho ou não! E ao seu redor o séquito de incompetentes se desdobra em promessas, lamúrias, pedidos, súplicas..”filhinho, pelo amor de Deus….vamos tomar banho…só hoje…só hoje!!”.

Essa geração de mal-educados já chegou ao poder, ou alguém acha que o Roberto Jeferson foi  uma criança bem educada? Eles já invadiram redações de jornais, estúdios de rádio e TV, eles estão nas empresas, nas Câmaras Legislativas. E suas atitudes são sempre eivadas dessa falta de educação. São pessoas pouco sociáveis, voluntariosas, via de regra muito egoístas, não sabem escutar críticas, não gostam de ouvir NÃO!

Contaminado por algum desses, o governo então fez o seu projeto de lei que agora vai a debate na Câmara dos Deputados (pobre de nós!) e no Senado (ai, ai, ai…pobre do Universo!). Essas duas casas legislativas, formadas pelo que de mais pérfido e imoral existe na nação, constituídas ambas por levas de saqueadores do país (independente de partido!!), vão agora estudar o tema e decidir se vai virar lei. No caso de aprovarem, será o governo federal metendo o bedelho aonde não foi chamado. Querendo ingerir dentro dos lares. Imagine se o Lula baixasse uma lei que o proibisse de fazer sexo nas quartas-feiras. Resposta imediata sua: – Dentro do meu quarto e sobre a minha cama, mando eu!

Ora, guardados os limites do bom senso e da civilidade, essa coisa de querer tolher métodos de pais e mães que ainda tentam educar seus filhos é uma clara invasão da intimidade doméstica.

Pois é, vai ser crime dar palmadinha em filho! É só o vizinho denunciar!

Gostaria de levantar algumas questões sobre isso, na mera suposição de que tal lei seja aprovada:

  • 1) Se eu não posso educar meu filho, quem o fará? O governo? O vizinho aquele que denunciou?
  • 2) Se eu bater em meu filho estarei cometendo crime. E se um colega dele bater nele na escola? Também será crime? Ah, não será? A lei vale só para pai e mãe? Então ficará combinado assim, todo mundo pode bater no meu filho, menos eu!
  • 3) Nos casos (e eu vejo vários assim) em que o filho esbofeteia a mãe na cara? Isso também será crime? A criança será indiciada? Ah, não? É só o pai e a mãe…certo…certo. Então resumindo: – apanhar do filho PODE, bater nele de volta, NÃO PODE!
  • 4) Mais que isso. A aplicação de uma simples injeção numa criança, contra a sua sacrossanta vontade, poderá ser encarada como agressão? Ah, dirá alguém, mas é para o bem da criança! Pois eu lembro que algumas palmadinhas também o são!

Enfim, quanta falta do que fazer! Declaro aqui o óbvio: É claro que sou abertamente contra o espancamento de crianças. Não é disso que se está falando até porque espancar crianças já é crime perante a lei. O que o governo quer mexer agora é no simples toque físico em um filho. Qualquer toque. Criminalizado.

A mãe do Lula além de ter nascido analfabeta, deve ter batido pouco no barbudo presidente ao tempo em que ele era criança. Tivesse calibrado um pouquinho melhor a sua mão, e seu filho falador faria menos asneiras como Presidente.

Chama o Conselho Tutelar…

Silvano – o impossível

Bookmark and Share

Deu prá identificar, né?

15 de julho de 2010 0

Sim, com o frio reinante, lá vem o Silvano com seu AMENDOIM DE INVERNO. Perceba nas fotos a seqüência da receita que você já deve ter decorado, mas que nunca é demais falar.

Coloque na panela um saquinho de amendoim cru.

Acrescente 3 xícaras de água e 3 xícaras de açúcar.

Bote isso para ferver.

Deixe virar calda, ele vai ficando pegajoso, delicioso.

Antes de deixar queimar, derrube dentro da mistura uma Lata de Leite Moça, sempre ele!

Deixe ferver, mexendo aos poucos.

Dê o segundo ponto. Leve longe, apenas cuide para não queimar.

Aí despeje numa forma, uma assadeira ou faça como eu, num granito frio.

Com uma colher de pau, separe os grumos, deixe esfriar…

E caia de boca!

Silvano – de novo este amendoim?

Crédito das fotos: Silvano Marques

Bookmark and Share

Coisa de Gordo - 485

06 de julho de 2010 1

485 – PERDER É DO JOGO

A gente se envolve com essa coisa toda da Copa do Mundo. O país se prepara, se esmera, as pessoas se juntam nas casas, nos trabalhos, as lojas fazem decoração verde-amarela, os municípios pintam as calçadas com as cores nacionais. Tudo isso para ver o Brasil entrar em campo. E curtir. Em que pese nossa tradição histórica no futebol, às vezes esquecemos uma das coisas mais básicas. Aquele ensinamento que diz que perder faz parte do jogo.

Depositamos toda nossa alegria e felicidade no sucesso da Seleção Brasileira na Copa. E por vezes esquecemos que se trata de um torneio cruel, mata-mata, no qual um detalhe qualquer elimina um time e classifica outro. Basta um impedimento não visto. Um pênalti marcado irregularmente, e lá se foram quatro anos de preparação. Quem ganha a Copa do Mundo, portanto, haverá de lutar contra times adversários, é óbvio, mas terá que ter ainda um tanto de sorte, de destino, de estrela para ganhar.

Perder é do jogo.

A cada Copa que perdemos, são levantadas inúmeras teorias, explicações, uns são crucificados, outros são execrados. E isso se dá porque esquecemos que a derrota é um dos caminhos possíveis.

Em todos os esportes isso acontece mas no futebol, pelas suas nuances, isso é mais trágico.

Nessa Copa da África do Sul, mais uma vez começaram a levantar aquela coisa de usar TV e outras tecnologias para corrigir erros de arbitragem. Não acredito muito nisso. Não esqueça que estamos falando de FUTEBOL, o esporte onde vicejam os Eurico Miranda, João Havelange, Ricardo Teixeira, Nagi Nahas, Vicente Matheus, entre outros cidadãos “probos” e “honestos”. O esporte do Sveiter, aquele juiz que vendeu resultados de jogos.

Num esporte tão afeito às falcatruas, ao bicho-extra, às malas pretas, às manipulações, querer trazer câmeras e computadores vai ser complicado. Vai ficar mais difícil de roubar. Vai ter mais gente olhando. Portanto, escuto as tais notícias com um certo ar de desdém, meio desconfiado que tudo não passa de conversa fiada, que a Copa vai acabar e os caras não vão mais falar disso.

Tomara eu estivesse errado e agora em agosto os dirigentes começassem as mudanças.

Vi hoje à tarde a Holanda, a poderosa Holanda, bater o Uruguai e seguir em frente na Copa. Aliás, já tá na hora dos holandeses serem campeões, os caras batem uma bola maravilhosa e nunca ganharam uma copinha sequer.

Resta também a eles lembrarem da regrinha aquela, de que perder está no caminho. Sabedores disso, talvez consigam se armar dignamente para a vitória.

Enfim, faltam só mais quatro anos. Mais quatro anos de expectativa, para que tudo acabe num pênalti ou num chute mal dado. Ah sim, e lembrar que vencer também é do jogo.

Silvano – com a bandeira nacional ainda na frente de casa

AGORA TEM UMA COISA….

…agüentar o Daniel Alves bater TODOS os escanteios de forma errada, bola baixa, previsível, e ele continuar batendo escanteios…isso é difícil de entender.

Ver o Kaká se arrastando em campo por cinco jogos, na esperança de que ele enfim entrasse em forma…isso é difícil de entender. Foi para a Copa bichado e ainda não melhorou.

Ter no final do jogo derradeiro uma falta para bater na frente da área dos holandeses, numa chance clara de um gol salvador, e NÃO EXISTIR EM CAMPO nenhum batedor de faltas (!!!!!!!)  Isso é muito difícil de entender. Aqui em Santo Antônio tem gente que bate falta melhor que aquilo.

Mas enfim…. 2014 tá logo aí.

Silvano

Crédito da foto: Mauro Vieira – CLICRBS

Bookmark and Share