Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de outubro 2011

Coisa de Gordo - 525

21 de outubro de 2011 0

525 – NÃO ENTENDO

Eu que ando por aí em busca de esclarecimentos, que vago pelas sombras da ignorância sedento do saber, eu que me perco na leitura de pergaminhos, cartas, jornais, livros antigos e revistas informais…eu não entendo certas coisas.

Os canais de TV paga conseguiram um feito inédito no Brasil. Arrebanhar uma legião de fãs fiéis. Volte uns anos no tempo e lembre de quando a nossa televisão restringia-se aos canais ditos “abertos”, tempos em que nos contentávamos com Gugus e Faustões, novelas e seriados americanos requentados. Naquele tempo, se alguém nos falasse em PAGAR para assistir TV daríamos uma gargalhada e mudaríamos de assunto.

Acontece que mesmo assim a TV por assinatura chegou às terras brasilienses e, seja por curiosidade, seja por mera especulação, resolvemos dar uma olhadinha. Gente de Deus! Foi um caminho sem volta.

Sou conhecido na minha família pelo intenso preconceito que sempre tive com as novelas de TV. Por anos e anos briguei, discursei, falei, pedi , implorei, mas as pessoas em derredor nunca pararam de ver as tele-novelas. Lembro de ter uma festa de aniversário minha interrompida porque as pessoas queriam ver se o “Quinzinho” ia brigar com a Mariloisa. Terminada a novela, as pessoas voltaram à minha festa.

Não por acaso, tenho uma vasta cultura novelística, pois sempre assisti junto às tais novelas. Reclamando mas assistindo (que cara chato).

Nesses anos todos, nunca consegui demover pessoa alguma de sua decisão de ver novelas. Falei, falei, falei e ninguém deixou de vê-las. Até que um dia chegou a TV paga.

Lentamente o serviço da TV por assinatura foi entrando no mercado brasileiro, seja pelas TVs a cabo, seja pelas TVs por satélite. No início a gente olhava esses canais agora consagrados (Warner, Sony, TNT, MTV, Fox..etc) meio que por curiosidade. Como será essa programação? É em inglês? Bah, e tem até legenda. Assim, fomos nos habituando a ver grades de programação mais variadas, mas divertidas, mais ricas culturalmente. E pela primeira vez algumas pessoas então esqueceram de ver as novelas da Globo.

Hoje em dia este tipo de serviço está popularizado, todo mundo acompanha os seriados mais badalados, filmes, talk-shows. Há uma legião de fãs de TWO AND A HALF MEN, THE BIG BANG THEORY, MODERN FAMILY, isso para não falar de SEINFELD, FRIENDS, MEDIUM, GHOST WHISPERER e por aí afora.

Ora, uma série fez enorme sucesso na última temporada, e a saída turbulenta de Charlie Sheen de TWO AND A HALF MEN contribuiu para aumentar o mistério e o sucesso da continuação. Colocaram o Ashton Kutcher no lugar dele e a mídia toda se agitou. Pois bem, os episódios da nova temporada já estão passando nos Estados Unidos, a internet nos traz dados disso hora a hora e, por aqui, nada do canal pago liberar a estréia dos novos episódios.

Aí chego ao ponto em que eu não entendo. A curiosidade dos fãs é muito maior do que qualquer estratégia de programação local. Assim, as pessoas vão à rede para “baixar” os episódios por aqui inéditos. O negócio passa lá numa quarta? Na quinta-feira já está disponível para download, com legendas e tudo. Os aficionados são rápidos.

Há dois sites (entre tantos outros) que são os mais conhecidos, segundo amiga minha. São eles o http://www.seriesfree.biz/ e o http://www.vmseries.com/ . Nos dois há uma interminável lista de seriados atuais e seriados que já não passam mais. Tudo ali, para “baixar”.

É óbvio que baixamos as novidades, já vimos quatro ou cinco da nova temporada do TWO AND A HALF MEN, uns três do BIG BANG THEORY, enquanto os canais pagos ainda não se coçaram. Não entendo isso. Estão esperando que todo mundo já tenha visto os episódios para só então os colocarem no ar? Não se preocupam com audiência?

Enfim, persistente em minha ignorância, diria como os paulistas…”num tô entendennnnnndu” nada. Só que enquanto a caravana passa, eu vou clicando no botão DOWNLOAD. Fazer o quê?

Silvano – o impossível

Crédito das imagens: reprodução da WEB

Crédito do placar: Silvano Marques

Quer saber dum blog especialista em séries? Então clique aqui abaixo e se divirta. A autora do blog é fera..:

http://www.seriesinseries.com/

 

Bookmark and Share

Coisa de Gordo - 524

07 de outubro de 2011 0

524 – AS BALEIAS FRANCAS

Todo ano há uma migração impressionante de baleias que vêm do pólo sul em direção ao litoral catarinense com o fim de se acasalarem e também de parirem seus filhotes. São as BALEIAS FRANCAS (eubalaena australis), espécie já manjada nas praias de Garopaba, Rosa e adjacências. Entra ano e sai ano, lá vêm as baleias para seu show anual em Santa Catarina.

Nossos amigos Wânia e Leandro, da Pousada Habitat Marinho (www.pousadahabitatmarinho.com.br) sempre nos convidavam a estar lá para ver a dança das baleias, suas aparições, seus movimentos. E todo ano era sempre a mesma rotina, trabalho, vida social, e acabávamos protelando o passeio. Até que 2011 chegou. E dessa vez nos determinamos a estar lá.

Num pequeno grupo de amigos e familiares, lá nos fomos e o fim-de-semana foi dos mais agradáveis. Seja pelo carinho da acolhida na Pousada, seja pela companhia ao redor, os dias passaram rápido e foram intensos.

Entre uma janta e outra, um passeio e outro, fomos então fazer um Passeio de Barco para observar as baleias. Trata-se de expedição ecológica toda orientada que tem por objetivo levar as pessoas a observarem os enormes animais sem importuná-los. Assim, a gente foi até o Instituto Baleia Franca, na parte histórica de Garopaba, para dar início à aventura.

Lá éramos um grupo de umas 50 pessoas. Na chegada os organizadores colocam uma bióloga para dar uma rápida palestra, onde ela explica os hábitos da Baleia, seu tamanho (em torno de 50 toneladas, 16metros), os rituais para cuidar dos “bebês”, os cuidados a serem tomados.

Orientados e descalços, fomos então embarcados num barco grande que nos levou até onde estavam as baleias. Nesse dia em especial, fomos até a Praia do Siriú, contígua a Garopaba, onde enfim avistamos as baleias. O capitão do barco fez todo um ritual de aproximação, chegou a uns 100 metros, desligou o motor, deixou as correntes nos levarem para perto das baleias. Sim, aos poucos, foram aparecendo uma aqui, outra ali, e as pessoas embasbacadas corriam de um lado a outro do barco, tentando não fazer barulho, só para poderem fazer um foto, um filme, para admirarem as baleias.

Previdentes, tomáramos o nosso Dramin já no café da manhã e o balanço do barco mostrou que a medida foi acertada. Sim, algumas pessoas enjoaram no balanço do mar. Nós nos deliciamos em ver os enormes animais desfilando sozinhos, às vezes aos pares, noutras vezes em uma dupla mãe-filho. E ali, no balanço marcante das ondas do mar catarinense, deixamos passar os minutos e umas poucas horas. O passeio todo dura 2:30h.

Encantados, fomos então levados de volta à costa para o desembarque. As imagens que vimos foram impressionantes, e ali, tão próximos delas, a gente fica meio envergonhado de saber que até 1976 ainda se mataram baleias ali, naquele litoral. E de saber que no Japão isso ainda ocorre nos dias de hoje! Os animais são tão grandes, majestosos, imponentes e ao mesmo tempo tão serenos, calmos, indo de um lado a outro do barco, passando por baixo, dando seu show aos visitantes.

Uma maravilha de passeio. Marcante! O custo é entre 100,00 e 120,00 reais por pessoas, dependendo da época e do dia da semana.

E o fim-de-semana foi paradisíaco. Pousada Habitat Marinho…nos aguardem, pois..voltaremos!

Silvano – inebriado com os semelhantes

Credito as fotos, vídeo e ilustração: Silvano Marques



















Confira no vídeo abaixo algumas cenas do nosso passeio:


Bookmark and Share

Placar atual

07 de outubro de 2011 0

Bookmark and Share