Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de junho 2012

Coisa de Gordo - 540

23 de junho de 2012 0

540 – E-BOOKS, LIVROS, LEITURA ON LINE

Faz uns dez anos que este debate se iniciou, o novo dilema que a tecnologia trouxe ao nosso meio: – a leitura digital. Já antes disso tinha gente que falava no advento dos E-books, os livros digitais, mas o debate se iniciou a seguir, com uma tentativa maniqueísta de amar ou odiar.

Rato de livraria que sou, consumidor ávido de leitura desde sempre, me vi atento aos argumentos do debate, buscando enfim formar opinião sobre a conversa. Afinal, os livros impressos em papel são insubstituíveis? Ou ultrapassados? Ler um livro feito no papel é igual a lê-lo num tablet ou num E-book Reader? Qual dos dois é melhor? O livro digital não é mais ecológico por poupar o uso do papel e, assim, preservar árvores?

Assim vi passarem-se os anos, esperando que o tempo aclarasse as idéias. Pois agora percebo que para mim o dilema parece ter acabado. Achei o meu caminho.

Ora, é óbvio que jamais abandonaremos os nossos tradicionais livros impressos em papel. Quer coisa melhor que cheirar um livro novo? Quer aroma mais convidativo? Você ali, na frente da prateleira de uma livraria, livro na mão, já deu uma “curingada” na orelha do livro para ver a foto do autor. Já leu a resenha na contracapa, aí dá uma olhada para os lados e afunda o nariz dentro do livro! Pronto, agora você já sabe se vai levar o livro ou não. Você como que o conhece intimamente. Esse, portanto, é um prazer do qual não me vejo abrindo mão.

Há os que puxam fumo. Os que cheiram pedras de crack incandescentes. Eu sou viciado em cheirar livros. Em apalpá-los, folheá-los, para enfim chegar ao ápice, que é quando os leio.

Na mesma linha de raciocínio poderiam entrar os jornais e revistas. Não com o mesmo glamour, a mesma perenidade, mas com um intenso significado instrutivo.

O que aconteceu? De posse de um tablet, a primeira coisa que fiz foi assinar o Jornal Zero Hora. Para ler on line, na tela do equipamento. Resumiria numa palavra: – Sensacional! Todo dia de manhã a gente liga o aparelho, se conecta e pede para “baixar” a edição impressa. Uns minutos depois o jornal que seria impresso está ali, nas suas mãos, lindo, colorido, integral. Ótimo! É um caminho sem volta! E tem mais. Chega de se incomodar com o entregador do jornal impresso! Um dia o jornal era jogado num arbusto. Noutro dia estava chovendo e o jornal molhava. Em outro, o cara não aparecia! Liga prá cá, reclama prá lá. Tirei isso da minha vida! Leio o jornal no tablet e pronto!

O mesmo vale para revistas. Era assinante da Revista Veja (não sou mais). Com o tablet na mão, acessei a banca virtual e comprei a edição que estava nas bancas. Linda! Cheia de gráficos, comerciais com filmes e músicas. Matérias bonitas de se ver e se ler. Recebo emails dos caras para que eu volte a receber a revista impressa em casa! Não quero mais! Chega de stress com o entregador, revista molhada, revistas isso, revistas aquilo. Não assino a Veja on line. Mas quando quero vou lá na banca virtual e compro a última edição! Delícia!

Restava por fim o tabu do livro. Sim, um verdadeiro tabu. Há gente que vê o diabo em livros digitais. Passam ao largo deles como se fugissem do capeta. Pois aqui confesso que derrubei em mim este preconceito e lá me fui adquirir meu primeiro livro digital. Olha aqui. Olha ali..quem comprar? Bah, achei. Marco histórico para mim, meu primeiro E-book se chama 18 Crônicas e Mais Algumas, de autoria da Maria Rita Kehl. Depois desse já “baixei” Millôr Definitivo, do Millôr Fernandes e outro da Maria Rita Kehl chamado O Tempo e o Cão. Minha singela opinião sobre o E-book: Igualmente sensacional!

Fácil de ler, de fazer marcações, de avançar, recuar, a cada vez que a gente abre o livro ele está na página onde paramos. Dá para sublinhar, marcar. Enfim, tem todos os recursos imagináveis. Virei fã.

Resumindo: – não vejo os livros impressos e os E-books como rivais, na verdade são complementares. É uma tecnologia que se somou. No caso de revistas e jornais, principalmente jornais, percebo um ganho impressionante na edição digital. Uma vez lido o jornal, quando você bem entender vai lá e deleta o material do seu tablet. Sem gerar papel usado, sem poluir, sem se incomodar com os entregadores.

Vá lá, quebre seus preconceitos e se permita ler uma mídia através de um tablet. Como dizia aquela propaganda de gilete da minha infância…”experimente-me a suavidade e depois….deixe-me se for capaz”!

Silvano – além de impossível, convertido

Crédito das imagens: reprodução do site da Livraria Saraiva

Bookmark and Share

Caminhando e cantando...junho 2012

23 de junho de 2012 0

Sim, sim, mesmo no frio continuamos caminhando. Pé na estrada, de agasalho, abrigo, touca de lã…mas sempre caminhando. Aproveite o frio da estação para perder mais calorias se exercitando. Lembre que o corpo gasta mas energia para manter o corpo aquecido. Se a isso você somar a atividade física…é só correr prô abraço.

Silvano – o impossível

Crédito da Ilustração: Silvano Marques

Bookmark and Share

Coisa de Gordo - 539

11 de junho de 2012 0

539 – CIGARRO

Pessoas de minha geração em geral já fumaram. Seja na juventude ou na idade madura, no nosso tempo isso era um padrão de comportamento, era legal fumar, era um estilo. Sou uma das raras pessoas desse tempo que NUNCA fumou! E confesso que nem é um grande mérito meu. Até tentei fumar, mas me afoguei, tossi detestei, aquilo não me sentava bem de jeito nenhum! Então não fumei mais por incompetência do que por convicção. A ao meu redor o cigarro vicejava! Todo mundo fumava!

Passados esses anos, as gerações mudaram e hoje em dia os fumantes estão sendo empurrados para guetos, não podem mais fumar em bares, em shows, em aviões, lugares públicos, nas empresas. Como o cigarro me incomoda por demais, estou adorando esses novos tempos.

Mesmo assim, quando chego para trabalhar em Postos de Saúde ou mesmo Hospitais, no entorno, sempre há gente fumando! Podem estar com o filho asmático no colo.Mas fumam! Isso ninguém denuncia ao Conselho Tutelar! Um pai ou uma mãe que fuma sobre o filho asmático. E o SUS (nós) pagando a despesa toda!

Trouxe este tema do cigarro porque nosso leitor THIAGO BIAZETTO manda atualização de sua batalha contra o cigarro:

Oi Silvano, fala de mim ai na coluna sua, já faz mais de 1 ano que parei de fumar!!! Um ano e quatro meses! E tive o maior baque da minha vida perdendo meu pai com Câncer e não voltei. Eu considero um exemplo, se você puder divulgar, eu amarei isso. VALEEEUUU.

Thiago, é claro que nós sempre vamos divulgar esse tipo de vitória, essas conquistas que a pessoa obtêm nessa luta interna, esse amanhecer contínuo ao lado do perigo, sabendo que cada dia será um dia, e que ao menor descuido…podemos voltar!

Você considera um exemplo? Eu também! Parabéns pela vitória cotidiana!

Aqui mesmo neste blog tenho falado da minha amiga Isabel que igualmente se livrou disso, tirou o cigarro de sua vida. É outra pessoa! Pergunto a ela por torpedo quanto tempo faz que ela parou de fumar e ela me confirma: – 1 ANO E 5 MESES!

Longos quinze meses sem fumar, que legal, Isabel, que legal!

Vida longa, minha amiga, vida longa a ti, vitoriosa nessa luta!

Estava ontem vendo a notícia da morte do Ivan Lessa, causada por Enfisema Pulmonar, e como não poderia deixar de ser, nas imagens ele sempre aparecia com um cigarrinho na mão! Morreu com falta de ar! O Enfisema é uma espécie de destruição, uma corrosão interna do pulmão, com a destruição das áreas de trocas gasosas. O indivíduo vai em busca do ar, quer oxigênio, quer respirar, mas não há mais tecido pulmonar disponível. O cigarro destruiu tudo. Morre sufocando! Tudo causado pelo cigarro!

Isso não é divulgado na mídia. Ou então é pior: – é divulgado mas ninguém dá bola! Verdade, lembrei agora que nas carteiras de cigarro tem o alerta contra o ENFISEMA!

Outra celebridade local aqui do Rio Grande do Sul, o Paulo Sant’anna da RBS, caminha em meio a cânceres e perdas funcionais. Corroído pelo cigarro!

Seu colega de rádio, o Wianey Carlet, está afastado  porque fez uma cirurgia de ponte de safena! Causada pelo quê? O Cigarro! O Wianey é fumante pesado. Ou pelo menos era até antes da cirurgia!

Lembro com ternura do meu próprio pai, engolido anos atrás pela nuvem negra do cigarro. Morreu fumante!

Por isso festejo e me regozijo com as conquistas das pessoas que conseguem parar de fumar! Correr maratona é um desafio gigantesco! Parar de fumar é maior!

Silvano – nem prá fumar serviu….

Crédito das ilustrações: Silvano Marques


Bookmark and Share