Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de novembro 2012

Coisa de Gordo - 548

19 de novembro de 2012 0

548 – MALA DE MÃO

Já escrevi isso aqui e volto a defender uma filosofia de viagem. Não, não é minha, fui beber noutra fonte e com ela me encantei. Certa feita li um texto do Janer Cristaldo em que ele tirava um sarro de quem viajava com aqueles malões enormes, aquelas malas grandes que, nos aeroportos, são despachadas (e às vezes extraviadas) no bagageiro dos aviões. Para depois, na chegada ao destino, você ficar uma hora ao redor daquela esteira, rezando para que a sua mala apareça, para que ela não tenha sido extraviada, para que não tenha sido devassada, para que não tenham quebrado nada, enfim.

Pois o Janer na sua tese falava de que deveríamos viajar apenas com uma bagagem de mão, a pequena mala sempre ao alcance dos nossos olhos, dentro do avião, ali, sobre a cabeça da gente. Nada de extravio, nada de peso extra, de furtos. Você entra no avião com sua bagagem e sai dele com ela.

O desafio seguinte é, então, conseguir botar dentro de uma bagagem de mão tudo o que se vai precisar numa estada fora de casa. O Janer já dava pistas de como proceder. Assim, numa ida a Foz do Iguaçu, tratei de pôr em prática os ensinamentos. O que se deve pôr na mala de mão?

Vamos raciocinar juntos (tenha paciência comigo, sou mais lento), uma calça vai no corpo, outra na mala. Isso mesmo, só duas calças são necessárias! Uma pode ser lavada enquanto a outra está no uso. Roupas de baixo podem se aproximar um pouco disso, com uma pequena permissividade matemática. Assim, você homem deve levar uma cueca no corpo e mais umas três na mala de mão. Mulheres e suas respectivas roupas igualmente. Até aqui estamos bem, a mala está bem vazia, ainda pode ser “de mão”. Uma meia no pé, outras três na mala. Camisetas, agora. Uma no corpo, três na mala. Fora isso leve um blusão fino, sei lá, um moletom. A japona ou agasalho mais pesado e volumoso vai no corpo! O que está faltando? Outro calçado. Sim, para não andar todos os dias da viagem com o mesmo tênis ou sapato, leve uma alternativa dentro da bagagem de mão. Mais que isso? Sua bolsinha com creme dental, escova, desodorante, aparelho e barba, etc.

Pronto, feche sua mala de mão. Ela ficou leve, fácil de levar, sem aquele peso todo. E mais que isso, ficou absolutamente apta a atendê-lo em sua viagem! Você estará mais ágil, sairá do avião direto para seu hotel, ou pousada,ou casa de amigos, sem ter que esperar pela sua gigantesca mala. Você vai ganhar tempo e vida útil.

Tenho debatido este tema, tenho feito poucos seguidores aqui e ali, mas na maior parte das vezes percebo o olhar descrente das pessoas me fitando assim, meio duvidosas. O quê?? – pensam elas. Viajar sem o malão?

Como citei, numa ida a Foz do Iguaçu pus minha tese em prática e o grupo que me acompanhava adorou. Todos foram só com bagagem de mão e adoraram. Noutra feita, sozinho, fui a Brasília e aí me esbaldei. Só uma pequena mochila e fui feliz. De lá para cá tenho exercitado isso, com essa mochila que preenche os requisitos de bagagem de mão.

E sempre tem dado certo. O Janer estava certo. Dá prá viajar sem o malão!

Tem uma prima minha que já aperfeiçoou essa teoria. Fiquei sabendo de fonte fiel que ela leva, de todas as roupas, uma no corpo e apenas UMA na mala de mão (não três). Sim, amigo(a), uma roupa a serviço e a outra secando. Perfeito! Tenho que aprender com ela! Me disseram que dá certo, enquanto você usa uma calça, camiseta, blusa, etc.. a outra está secando para ser usada amanhã. Pode ser, pode ser. Só talvez restrinja um pouco o seu dia-a-dia, sempre tendo que lavar a peça sobressalente. Certo, fiquemos na síntese, portanto. Leve três de cada! Já testei e vi que dá certo! Abaixo o malão, o extravio de bagagem, o furto de suas coisas. Bagagem de mão é a solução.

Para saber se vai dar certo, só me resta viajar…viajar…viajar.

Silvano – com o pé na sala de embarque do aeroporto

Crédito das fotos: Silvano Marques

Bookmark and Share