Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de fevereiro 2013

Coisa de Gordo - 552

22 de fevereiro de 2013 0

552 – UM SOCO NA BOCA DO ESTÔMAGO

Desnecessário falar da Lya Luft, quem é esta escritora, sua obra. Trata-se de verdadeira celebridade nas letras nacionais. O que quero falar hoje é desse seu último livro chamado O TIGRE NA SOMBRA (Editora Record – 1ª edição – 2012). Estando de férias consegui reunir as condições mínimas para degustar essa verdadeira obra de arte.

Uma certa calma em derredor, um horário flexível, compromisso nenhum pela frente além de trivialidades mundanas  (o que vamos comer hoje? Onde vamos passear?). Assim, estando, sentei olhos a este belo exemplar, de capa azul forte, entregando-me ao deleite do texto escrito.

O livro, como disse no título do texto, é um soco na boca do estômago. Aliás um não, vários. Lya nos leva numa narrativa triste, densa, marcante, da vida da menina Dolores. Numa espécie de relato em primeira pessoa, Dolores vai nos contando suas desgraças, seus temores, suas rejeições, seus medos e os mecanismos que ela aprendeu a usar para sobreviver a isso tudo.

Uma deformidade física, uma mãe odiosa, um pai omisso, uma irmã mais bonita, assim o cenário vai sendo apresentado ao leitor, que não consegue interromper facilmente a leitura, pois as idéias vão se sucedendo, abrindo portas, que se abrem para outras portas. Na verdade deveria dizer porões, que se abrem a outros porões.

No intervalo dos capítulos a autora nos brinda com pequenas poesias, divagações, viagens mentais.

Sangro esta narrativa como se me escorresse dos pulsos abertos” – dia a autora já na segunda página. Sim, amigo(a), o que você vai encontrar nas páginas seguintes é a dor, o sentimento, a alma da personagem que se desmancha narrativa afora, tropeçando e caindo, tropeçando e caindo para mais uma vez tropeçar…e cair.

As pessoas ao seu redor são em sua maioria isoladas, egoístas, pessimistas, às vezes cruéis. Algo que todos nós às vezes vemos também em nossas próprias vidas. Talvez por isso a gente se prenda ao texto. Por essa identificação com a tragédia. Não grandes tragédias. Falo da tragédia pessoal de cada um em busca da sua felicidade.

Dolores vai sendo esculpida pelas agruras da vida, olhos atentos a esperar a próxima lambada. Sim, parece que a menina se acostuma ao ritmo lancinante com que os outros a desiludem, a entristecem, ou como ela diz de quando em quando.. “e assim eu morri um pouco mais”.

De morte em morte, de perda em perda, Dolores nos leva junto neste lúgubre passeio.

Livro impressionante. Forte, pesado. Se fosse um vinho, eu diria: – Encorpado. Deixa um gosto ruim na boca, deixa uma dor surda em nossa imaginação. Sim, é de fato um soco na boca do estômago. Mas ao mesmo tempo é imperdível, é fascinante, verdadeiro achado para se ler num momento de recolhimento.

Mergulhe nessa narrativa, permita-se compartilhar dessa dor. O talento incomparável da Lya Luft vai encantar o gosto de qualquer leitor.

Silvano – acachapado

Crédito da capa: reprodução da capa livro

Crédito da foto: Juliana Wosgraus – retirada do Clicrbs

Bookmark and Share