Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Cuidados com cálculo renal

26 de fevereiro de 2015 0

Marcelo Sette, médico no Hospital Dona Helena

O cálculo renal, também conhecido como pedra nos rins ou litíase renal, é uma doença comum. Acomete aproximadamente 3% a 5% da população. As pessoas portadoras de cálculo têm 50% de chance de formar novos cálculos em cinco anos.
O cálculo renal é formado pela associação de muitos cristais (principalmente de cálcio, oxalato e ácido úrico), que se unem no interior do rim. Os fatores de risco para desenvolvê-lo são: histórico familiar, pouca ingestão de líquidos, aumento da ingestão de carne vermelha, alimentos com excesso de sódio, doenças intestinais inflamatórias ou diarreia. Homens acima de 40 anos são mais propensos a formar cálculos, mas encontramos frequentemente em mulheres e mais raramente em crianças de ambos os sexos.
Os sintomas mais comuns estão relacionados à conhecida cólica renal, na qual o paciente apresenta dor lombar de forte intensidade, que costuma irradiar para o abdome em direção à bexiga. Pode estar associado a náuseas e vômitos e, eventualmente, febre. Pela intensidade dos sintomas, o paciente deve procurar auxílio médico para abrandá-los.
O tratamento costuma depender do tamanho da “pedra”. A localização também é importante. Um cálculo de 5 milímetros dentro do rim pode ser tratado somente com aumento da ingestão de líquidos e diminuição de carnes vermelhas ou sal da dieta. Porém, quando esse mesmo cálculo se encontra no ureter (canal que leva a urina do rim até a bexiga), pode obstruir a passagem da urina, causando dor e dilatação do ureter e do rim. Nesses casos, medicação analgésica se faz necessária.
Quando os cálculos são grandes, necessitam de tratamento mais específico, que poderá ser a litotripsia extracorpórea por ondas de choque (também conhecida como máquina que explode pedras de rim) ou cirurgia (com ou sem corte, dependendo do caso).
Para evitar a formação de cálculo, beba muito líquido, principalmente água, diminua a ingestão de proteínas, mais especificamente as carnes vermelhas. Evite o excesso de sódio (sal) e a ingestão de oxalatos, como espinafre, batata-doce e chocolate. Se for portador de cálculo renal, realize acompanhamento periódico com seu médico.

Envie seu Comentário