Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Maturidade

10 de fevereiro de 2016 0

Anselmo Fábio de Moraes, Doutor em Engenharia Civil

Se queremos estar bem informados, pois a alienação nos deixa parvos, temos que estar ligados em todos os tipos de mídia. O problema é que está difícil acreditar no que se escuta hoje no Brasil e seguir adiante sem ficar frustrado ou revoltado. Pior é que aos 60 e poucos anos a gente se entende maduro. Acredito que a maturidade está associada à idade e aos anos de experiência que a vida cronológica nos impõe e isto, às vezes, faz com que os acontecimentos que vemos na mídia, todos os dias, fiquem mais dolorosos do que gostaríamos que fosse.

Quantas vezes escutamos: estamos em um beco sem saída. Pois entendo que nós, brasileiros, neste momento, estamos em um beco estreito, sujo, malcheiroso e sem saída.

Petrolão, suborno, zika, microcefalia, agrotóxicos em produtos orgânicos, CPMF, desemprego, inflação, etc. e a gente fica sem saber em que ou quem acreditar, comentava eu com meu brother Theofanes, o pândego.

Ao que ele me disse: “o sociólogo Noam Chomsky catalogou técnicas de mistificação e manipulação usadas pelos políticos e mídias, especialmente para aqueles que, como eu, lutam contra a ignorância diária, considerando que amadurecer é ter cuidado com o que se diz e se ouve e, principalmente, meditar sobre o que se pensa”. Escreve ele que:

– A estratégia da distração é fundamental para manter a atenção do público em temas de pouca relevância (programas banais de TV, por exemplo), fazendo com que se interessem apenas por fatos insignificantes.

– A partir de dados manipulados, inventa-se um grande problema para causar reação no público. Por exemplo: a notícia da existência de uma epidemia, criando um alarmismo com o objetivo de distrair a população.

– Aplicar e noticiar medida inaceitável a conta-gotas. É dessa maneira que, gradualmente, se introduzem novos impostos.

– Para o populismo demagogo usar a emoção faz o indivíduo colocar de escanteio sua parte racional, tornando-o facilmente sugestionável e até fanatizado.

Então, meu amigo, qualquer coincidência no que vemos hoje é mera semelhança com as técnicas de Chomsky e para não sofrermos tanto temos que entender as mensagens cifradas, com maturidade. Eles sabem e conhecem nossas preferências e, mais que isso, sabem explorar nossas emoções. Repetem a mentira e manipulam o pensamento da malta e daí, meu caro, fica-se em um beco sem saída e no salve-se quem puder.

Envie seu Comentário